OS CRISTÃOS E OS PRODUTOS PIRATAS


Pr. Airton Evangelista da Costa

“Entende-se por pirataria a reprodução, venda e distribuição de produtos sem a devida autorização e o pagamento dos direitos autorais. É uma prática muito utilizada na atualidade que provoca grandes prejuízos à economia do país”.
“Os produtos pirateados, além de serem diversificados, são financiados por máfias estrangeiras implantadas no país. Esses produzem sapatos, roupas, óculos, brinquedos, perfumes, relógios, livros, peças automobilísticas, instrumentos cirúrgicos e principalmente cigarros, bebidas, CDs e DVDs. Apesar de serem de procedência duvidosa, tais mercadorias podem ser produzidas de maneira a apresentar riscos à saúde”. A pirataria causa um prejuízo incalculável à economia do país – fala-se em 30 bilhõe$ – em razão do não pagamento dos impostos devidos.

O uso de produtos piratas é incompatível com os princípios cristãos. Deus ordena que o cristão obedeça ao estado, aos governantes e suas leis. “Deus estabeleceu o estado para ser um agente da justiça, para refrear o mal mediante o castigo do malfeitor e a proteção dos elementos bons da sociedade” (Rm 13.1-5).

“Sujeitai-vos a toda ordenação humana por amor ao Senhor; quer ao rei, como superior; quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores e louvor dos que fazem o bem” (2 Pe 2.13-14).

Por isso, ser cristão não é para muitos uma boa opção. Implica, no caso, comprar um produto três vezes mais caro do que o oferecido pela pirataria.
“Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (Fp 4.8).

O caminho é estreito, mas só segue quem deseja carregar a cruz e ser fiel até a morte. “Quem não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim” (Mt 10.38). Ser “pirateiro” ou não, a escola é sua.

O Espiritismo é Cristão?


RESPOSTA APOLOGÉTICA AO ESPIRITISMO – 3

Da apostila “O Espiritismo é Cristão?”
Pr. Airton Evangelista da Costa

A série de estudos aqui apresentada tem como finalidade maior estabelecer a clara distinção entre Cristianismo e Espiritismo.
Como o termo Espiritismo Cristão tem sido muito usado, nada mais correto da parte dos cristãos definir os limites entre uma e outra crença, à vista da inerrante palavra de Deus.
Cabe aos cristãos esclarecer a opinião pública sobre as verdades bíblicas e as verdades que se encontram no Livro dos Espíritos e nos demais admitidos pelo Espiritismo.

O Espiritismo e os Espíritos Malignos

“O Espiritismo demonstra que esses demônios mais não são do que as almas dos homens perversos, que ainda se não despojaram dos instintos materiais…” (O Evangelho Segundo o Espiritismo, Kardec, cap. XII, item 6). “Se houvesse demônios, seriam obra de Deus. Deus, que é soberanamente justo e bom, não pode ter criado seres predispostos ao mal por sua natureza e condenados por toda a eternidade” (Livro dos Espíritos, Kardec, quesito 131).
Para o Espiritismo, Satanás, anjos maus, demônios são maus espíritos desencarnados, em fase de evolução. Analisemos o que Jesus nos revelou a esse respeito, Ele que foi, segundo Kardec, a “Segunda Revelação de Deus”.

A Palavra de Jesus

“E disse o diabo a Jesus: Tudo isto [os reinos do mundo] te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: “Vai-te, Satanás. Pois está escrito: ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás” (Mt 4.8-10).
Coloco-me no centro da teoria espírita para dizer que Jesus na qualidade de “Espírito Puro” teria plenas condições de identificar ali, não um adversário em potencial, mas um pobre espírito humano de classe inferior, necessitado de reencarnação. Esse “espírito perverso”, ao qual Jesus se dirigiu com palavras de ordem, alcançaria a perfeição mediante muitas vidas corpóreas, Ora, por conhecer o drama de seu “irmão”, Jesus o chamaria pelo nome da sua última encarnação. Diria mais ou menos assim:
“Meu caro Joaquim, não faças mais isto, ouviu? Na qualidade de Bom Espírito eu te aconselho a reencarnar rapidamente e escolher uma prova bem difícil, a fim de expungir suas culpas. Eu também já passei pela prova da evolução. Agora vá em paz, medite sobre sua vida, e largue essa mania de desejar ser adorado. Vá em paz e dê notícias minhas aos seus”.
Essas hipotéticas palavras estariam de acordo com o Espiritismo. Vejam a questão 116 do Livro dos Espíritos: “Os Espíritos não ficam perpetuamente nas camadas inferiores; todos eles tornar-se-ão perfeitos; mudam de classe, embora devagar”. Questão 117: “Depende dos Espíritos apressar sua marcha para a perfeição. Chegam mais ou menos rapidamente, conforme seu desejo e sua submissão à vontade de Deus”. Os espíritos maus só voltarão a Terra se quiserem. Se não desejarem reencarnar, permanecerão por aí infernizando a vida das pessoas. Deus na sua infinita paciência e misericórdia ficaria de braços cruzados esperando a boa vontade deles.
Observem que o diabo daria a Jesus “os reinos deste mundo” (Mt 4.8-9). Algum espírito desencarnado, da “terceira ordem”, teria sob seu domínio o sistema mundial? É evidente que tal domínio se aplica realmente ao império do mal sobre o qual reina o diabo, o deus deste século (2 Co 4.4). O diabo não é dono da Terra, mas possui nela, temporariamente, o seu reino de trevas, engano e sedução. Esse reino foi reconhecido pelo próprio Jesus: “Se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?” (Mt 12.26).
“Vós pertenceis ao vosso pai, o diabo, e quereis executar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, pois não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, pois é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8.44).
Como em outras passagens, Jesus identifica, nomeia, aponta, distingue, intitula, indica, mostra, esclarece, particulariza, define o diabo. E diz que ele foi “homicida desde o princípio”. Ora, segundo a tese kardecista da preexistência, as almas são criadas por Deus em estado simples e sem conhecimento, porém sem maldade. Vejam a questão 115 do Livro dos Espíritos: “Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, isto é, sem ciência”. Logo, se o “diabo” a que Jesus se referiu fosse um desencarnado, ou uma alma em seu estado inicial, como poderia ser homicida e mentiroso desde o princípio? Se Jesus estivesse se referindo a um espírito perverso, não poderia fazer distinção entre um e outro, pois todos os espíritos impuros seriam considerados “pai da mentira”. Jesus identifica somente um, o diabo. Não cabe dizer que se trata da “personificação do mal”. Nas duas passagens já citadas há indicação clara de que se trata de uma só entidade, um espírito inteligente, astuto, enganador e vil. Também não cabe o argumento de que se trata de alegoria ou de parábola.
Jesus identifica o diabo como uma pessoa, capaz de desejar alguma coisa, influenciar e dominar criaturas humanas, de exercer o comando sobre os que lhe são submissos.
“Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: “Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mt 25.41).
Jesus particulariza, nomeia e identifica o diabo dentre os demais seres espirituais. Ao anunciar que o destino dos demônios é o inferno, não está se referindo a espíritos humanos, que também terão o mesmo destino se, na vida corpórea, não andaram nos caminhos do Senhor. Jesus afirma que o diabo e seus anjos já possuem um lugar previamente preparado. Ora, se houvesse uma segunda chance, se Jesus estivesse falando de espíritos em vias de progresso, como deseja o Espiritismo, a conversa seria mais ou menos assim: “Olha, meus filhos, porque vocês fizeram coisas erradas na terra retornarão a ela inúmeras vezes até ficarem perfeitos. Mas vocês têm liberdade de escolher se desejam ficar muito tempo errantes, ou se querem reencarnar o mais rápido possível. Mas, por favor, comportem-se melhor doravante, porque desse jeito não dá”.
As poucas palavras registradas em Mateus 25.41 colocam por terra quatro posições do Espiritismo: inexistência do inferno, do juízo final, de Satanás e seus anjos, e existência de chance de recuperação. Considerando que essa afirmação de Jesus se deu há dois mil anos, é possível que Satanás já esteja num bom grau de perfeição, pois “a marcha dos espíritos é progressiva e jamais retrógrada. Eles se elevam gradativamente na hierarquia e não descem do plano a que se alçaram” (Quesito 194, L.E.). É possível conciliar a palavra de Jesus e a dos “espíritos” que influenciaram a mente de Allan Kardec? Merece algum crédito a declaração de Kardec de que “O Cristianismo e o Espiritismo ensinam a mesma coisa” e que “as instruções que promanam dos Espíritos não verdadeiramente as vozes do céu que vem esclarecer e convidá-los à prática do Evangelho”?
Ainda com referência a Mateus 25.41, como Jesus poderia chamar esses desencarnados de “malditos”, se concordasse que eles, no futuro, poderiam ser espíritos puros? Ora, “maldito” diz-se daquele que foi amaldiçoado. Entende-se, portanto, que Jesus estava falando de desencarnados sem nenhuma chance de salvação. Leiam o que o próprio Jesus falou: “Quem nele não crê já está condenado” (Jo 3.18). Como pôde Jesus preparar o inferno para o diabo, um espírito humano com possibilidade de progredir rumo à perfeição?

Certo espírita assim interpretou o versículo em análise: O “apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”, significa, simplesmente, o destino imposto compulsoriamente aos maus, de serem remetidos às reencarnações expiatórias em mundos inferiores ao nosso, até que a lição da humildade seja aprendida. O ‘fogo’ é eterno, isto é, de duração indefinida, ou seja, dura até que seja o pago ‘o último ceitil’, como nos ensina o mestre Aurélio, entre outras coisas, é um conceito de ‘pessoa má’, uma pessoa de ‘mau gênio’.
Segundo o mesmo mestre Aurélio, “eterno” significa “que não tem princípio nem fim”; que dura para sempre; constante; incessante”. Se o castigo é eterno, não terá fim. Nas palavras de Jesus não vemos nenhuma chance para os rebeldes, para o diabo e seus anjos. Conforme o Espiritismo, a reencarnação tem por objetivo o “melhoramento progressivo da Humanidade”, pois em “cada nova existência o Espírito dá um passo na via do progresso” (Quesito 167, do L.E.). Ou seja, todos os espíritos humanos estão sujeitos às reencarnações; todos passarão por esse “inferno”. Então, Jesus teria dito o óbvio? Jesus falou a respeito do Juízo Final, um tempo determinado em que os rebeldes receberão o devido castigo.
A verdade é que Jesus apresentou uma situação em que uns são chamados de “benditos de meu Pai”, a serem recebidos no céu (Mt 25.34), e outros chamados de “malditos”, a serem lançados no inferno (Mt 25.41). Nessa passagem, Jesus define duas classes de espíritos: de um lado, os espíritos humanos que na vida terrena tiveram oportunidade, a única, de se arrependerem, serem obedientes e tementes a Deus; do outro, os anjos decaídos liderados pelo diabo, o “maioral” dos demônios.
“Os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este {Jesus] não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios. Jesus disse: “Todo o reino dividido contra si mesmo acaba em ruína…; e, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois o seu reino? E se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsaram então vossos adeptos? Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o Reino de Deus”. (Mt 12.24-28).
Os fariseus acreditavam na existência de um “príncipe” ou “maioral” que exercesse autoridade sobre os demônios. O líder dos demônios, chamado Belzebu, ou Satanás, é quem poderia expulsar o espírito maligno que estava no endemoninhado cego e mudo (Mt 12.22). Acreditaram na libertação daquele homem, mas rejeitaram o uso do poder divino. Jesus admitiu a existência desse “príncipe”, porém ensinou que espíritos malignos pertencentes ao mesmo reino das trevas não podem expulsar seus próprios parceiros.
Penetrando no túnel da teoria espírita, nada encontrei sobre a existência de um líder entre os espíritos perversos. Ora, se o Espiritismo diz que “os demônios são as almas dos homens perversos, que ainda se não despojaram dos instintos materiais”, como então poderia omitir informação tão importante? Os “instrutores espirituais” deveriam ter informado sobre esse “príncipe”. Por que ocultaram essa informação?
“Sai deste homem, espírito imundo” (Mc 5.8).
Encontrei no Livro dos Espíritos, quesito 113, a informação de que os “Puros Espíritos são mensageiros e ministros de Deus”, e “comandam a todos os Espíritos que lhes são inferiores, ajudam-nos a se aperfeiçoarem e lhes confiam missões”. Contrariando tal assertiva, Jesus, “Espírito Puro”, não se coloca como orientador desses demônios. Ao contrário, admitiu que eles possuem liderança própria e reino próprio, e até fez a separação irreconciliável entre o Reino de Deus e o reino de Satanás, o maioral.
Em nenhuma das libertações consignadas nos evangelhos vemos Jesus tratar os demônios com brandura ou confiar-lhes missões para ajudá-los a se despojarem de suas imperfeições. Ao contrário, Jesus disse que o inferno foi preparado para o diabo e seus anjos. A autoridade de Jesus sobre os espíritos malignos não decorre de uma relação fraternal, como de pai para filho, de irmão para irmão, de um líder para seus comandados. Jesus não veio para auxiliar os demônios nas suas fraquezas. Por exemplo, Jesus ordenou que Satanás saísse de sua presença (Mt 4.10).
Jesus contrariou a tese espírita em outro ponto. Veja o quesito 126 do Livro dos Espíritos. “Deus contempla os transviados com o mesmo olhar e os ama com o mesmo amor. Eles são chamados maus porque faliram”. Se correta essa palavra, Jesus deveria ter tratado os demônios com misericórdia, mas não o fez. Jesus chamou de “imundo” o espírito que estava naquele homem. Como admitir que Jesus estava lidando com espíritos humanos com possibilidade de progredir até chegar ao estado de pureza? Em outras situações semelhantes Jesus não manteve qualquer diálogo fraternal.
NOTA: A apostila “O Espiritismo é Cristão?” pode ser solicitada pelo e-mail airton.palavradaverdade@gmail.com – GRÁTIS.

Mapa mostra o ano de fundação DAS PRINCIPAIS RELIGIÕES CRISTÃS


as-primcipais-religioes-cristas-arte-folha-de-sao-paulo

Nove entre dez brasileiros atribuem a Deus sucesso financeiro


25/12/2016 02h00

Nove entre dez brasileiros dizem que seu sucesso financeiro se deve a Deus, mostra pesquisa Datafolha.

A porcentagem supera 90% entre os religiosos, é de 70% entre os sem religião e aparece até mesmo entre os que se declaram ateus: 23% concordam com a declaração.

Quanto menor a escolaridade e menor a renda, maior a gratidão a Deus pelas conquistas terrenas.

Ainda assim, são 77% os graduados que atribuem responsabilidade divina às finanças, e 7 entre 10 entre os que têm renda mensal acima de 10 salários mínimos (R$ 8.800, pelo valor atual).

DINHEIRO DOS OUTROS

A disparidade de opinião entre os mais e menos escolarizados, ou entre os mais e menos ricos, fica ainda mais ampla quando se trata do dinheiro dos outros.

Um terço de quem fez até o ensino fundamental e 28% dos que ganham até R$ 1.760 por mês concordam com a frase “As pessoas pobres, em geral, não têm fé em Deus, e por isso não conseguem sair dessa situação”.

Em contraposição, são apenas 9% os graduados que atribuem pobreza à falta de fé, mesmo índice dos que ganham mais de R$ 8.800.

O Datafolha ouviu 2.828 brasileiros maiores de 16 anos selecionados por sorteio aleatório, em amostragem representativa da população.

Feita em 174 municípios, a pesquisa tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos (nível de confiança de 95%).

RELIGIÃO E ECONOMIA

As origens da pobreza e as soluções para ela são vistas de forma diferente pelos dois principais grupos cristãos do país: católicos e evangélicos –termo que, no Brasil, designa os protestantes históricos, os pentecostais e os neopentecostais.

Há uma parcela maior (28%) de evangélicos que acham que é a falta de fé em Deus que impede os pobres de deixarem essa condição.

E enquanto a caridade é a solução mais citada pelos católicos, para os evangélicos a melhor saída para os pobres é levá-los para a igreja, segundo pesquisa do Instituto Pew com 2.000 brasileiros.

A prática, porém, é outra, mostram os dados. Os protestantes são mais ativos não apenas em arrebanhar fiéis para suas igrejas (43% deles, contra 14% dos católicos).

Eles também fazem mais caridade (63%, contra 45% dos católicos) e suas igrejas ajudam a achar emprego para seus membros (56%, contra 35% dos católicos).

NOVO CAPITALISMO

“Os evangélicos estão muito mais conectados com a experiência cotidiana”, diz o professor de antropologia da Unicamp e pesquisador do Cebrap Ronaldo de Almeida.

“Essa ligação com a vida prática gera ânimo, disposição, e isso não é pouca coisa, principalmente num momento de crise”, afirma Almeida.

Assim como o protestantismo foi capaz de apoiar o progresso financeiro e o lucro no início da modernidade, as religiões evangélicas conseguiram atualizar seus costumes e hábitos para se adaptar ao novo capitalismo mundial.

“O discurso de que os fiéis são capazes de ‘se virar’, virar patrões de si mesmos, cria um outro ‘éthos’ adequado a momentos de precariedade.”

A Igreja Universal do Reino de Deus, que reúne 8% dos evangélicos, organiza cursos de empreendedorismo e programas de geração de renda: a maioria absoluta (57%) de seus membros ganha até dois salários mínimos por mês.

A Universal é a maior representante do grupo neopentecostal, cuja teologia da prosperidade defende o sucesso material nesta vida como bênção divina, que é estimulada pelo dízimo.

Apesar de ter parcela maior de fiéis mais pobres, a Universal é a que recebe o maior valor médio mensal de seus membros, segundo a pesquisa Datafolha.

São R$ 96,5 por mês, contra R$ 70,3 da Assembleia de Deus (21% dos evangélicos) e R$ 95,8 dos batistas (segunda maior igreja evangélica, com 13% desse grupo).

PL 122 é sepultado definitivamente – Graças á Deus


Pastor Silas Malafaia comemora “sepultamento” do PL 122 e Jean Wyllys lamenta; Veja lista dos senadores que votaram pelo fim do projeto

Avatar de Tiago Chagas Publicado por Tiago Chagas em 18 de dezembro de 2013

 

Pastor Silas Malafaia comemora “sepultamento” do PL 122 e Jean Wyllys lamenta; Veja lista dos senadores que votaram pelo fim do projeto

Após o apensamento do projeto de lei 122/2006 ao projeto do Novo Código Penal por parte dos senadores, o consenso geral entre favoráveis e contrários é de que a proposta da ex-deputada federal Iara Bernardi foi “sepultada”.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Através do Twitter, o pastor Silas Malafaia – um dos líderes evangélicos que mais se opôs ao PL 122 – comemorou abertamente a conquista e agradeceu o empenho dos parlamentares da bancada evangélica, como o senador Magno Malta (PR-ES), que influenciou a tomada de decisões dos demais parlamentares.

“PLC 122 acaba de ser enterrado no Senado. A Deus seja a glória. Parabéns aos senadores Renan Calheiros, Magno Malta, Lindberg Farias e outros. Não adianta chorar ou xingar o PLC 122 foi para o ‘espaço’. Nada de privilégios para ninguém. Homo, hetero, religioso ou não, lei é pra todos […] Vitória do povo de Deus que esta aprendendo a usar os direitos da cidadania.Valeu o bombardeio de emails para os senadores. Ainda tem mais […] 7 anos de lutas incluindo processos, calúnias, difamação e etc. Vitória da família, bons costumes e da criação pela qual Deus fez o homem. Ainda tem muita coisa que precisamos estar atentos. São mais de 800 projetos no Congresso para destruir os valores cristãos. Não vão nos calar”, escreveu o pastor em seu perfil.

O “sepultamento” do PL 122 se deu através de um requerimento apresentado pelo senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), que diante da falta de consenso a respeito do projeto, propôs que o debate sobre as propostas do texto fossem incluídas nas discussões do Novo Código Penal, que o Senado vem elaborando com a consultoria de juristas renomados.

Entretanto, as propostas mais radicais do PL 122, que eram consideradas privilégios aos ativistas gays – tiveram um destino definitivo com a aprovação de um requerimento de Magno Malta que exclui os termos “gênero”, “identidade de gênero”, “identidade sexual” ou “orientação sexual” do Novo Código Penal e dos parágrafos relativos ao preconceito.

No Twitter, o ativista gay e deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) queixou-se do final que o PL 122 teve no Senado, e atacou as lideranças evangélicas que lutaram pela reprovação do projeto enquanto ele tramitou. “Lamento a aprovação do requerimento do senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) que apensa o PLC 122 ao projeto de reforma do Código Penal. Apesar do pedido de votação nominal feito pelos senadores Suplicy e Randolfe, não foi suficiente para superar os votos favoráveis. Na prática, isto significa o enterro definitivo de uma luta de 12 anos desde que o PLC 122 começou a tramitar no Congresso. As minhas críticas e questionamentos ao PLC são públicas, mas sempre defendi sua aprovação, mesmo achando necessário um debate mais amplo. Defendo porque a derrota desse projeto seria uma vitória do preconceito e dos discursos de ódio. Contudo, infelizmente, o que aconteceu hoje é o final de uma ‘crônica de uma morte anunciada’. Longe de promover um debate sério, a bancada governista cedeu à chantagem dos fundamentalistas, como o gov. Dilma tem feito desde o início. Cada novo substitutivo do projeto, cada nova alteração, cada novo adiamento significou um retrocesso. Foi tanto o que cederam (para garantir o ‘direito’ dos fundamentalistas a pregar o ódio) que do PLC-122 original só restava o título. E foi esse título que enterraram hoje!”, disse Wyllys.

O ex-BBB afirmou que, na Câmara, tentará mudar o texto do Novo Código Penal para incluir novamente as propostas “sepultadas” com o PL 122 e com o requerimento de Magno Malta: “A comissão responsável pelo projeto do Código Penal aprovou o relatório do senador Pedro Tarques, relatório que exclui as referências a “gênero”, “identidade de gênero”, “identidade sexual” ou “orientação sexual”, acatando as emendas de Magno Malta, senador publicamente conhecido por se opor ao reconhecimento da cidadania para a população LGBT. Estamos atentos e alertas para quando o projeto do Código Penal chegar à Câmara, já estudamos a apresentação de uma proposta mais ampla. Proposta esta que enfrente de maneira sistêmica os crimes discriminatórios! Proposta esta que garanta políticas públicas e ferramentas legais de proteção contra todas as formas de discriminação! Proposta esta que também promova a educação para o respeito à diversidade!”, escreveu o deputado federal.

A lista

O apensamento do PL 122 ao projeto do Novo Código Penal não foi aprovado por unanimidade. O então relator do projeto na Comissão de Direitos Humanos do Senado, Paulo Paim (PT-RS) emitiu parecer contrário à proposta de Eduardo Lopes, e pediu votação nominal como forma de pressionar os colegas a votarem contra.

No entanto, a proposta do senador Eduardo Lopes foi aprovada por 29 votos favoráveis, 12 contrários e 2 abstenções – entre elas, a do senador Walter Pinheiro (PT-BA), evangélico, e apontado por Jean Wyllys como um dos que mobilizaram grande influência contra o PL 122.

Veja abaixo, a lista dos senadores que votaram contra e a favor do “sepultamento” do PL 122:

Pastor Silas Malafaia comemora fim do PL 122 e Jean Wyllys lamenta

A HISTÓRIA OCULTA DO MUNDO ISLÂMICO: A PEDOFILIA DO HAMAS


PEDOFILIA ISLAMICA .
TRISTE REALIDADE...</p> <p>A HISTÓRIA OCULTA DO MUNDO ISLÂMICO: A PEDOFILIA DO HAMAS</p> <p>Enquanto a imprensa exalta os "lutadores da liberdade do Hamas", os "rebeldes", o mundo desconhece uma das histórias mais SÓRDIDAS de abuso infantil, torturas e sodomização do planeta, vinda do fundo dos esgotos de Gaza: os casamentos pedófilos do Hamas, que envolvem até crianças de 4 anos. Tudo com a devida autorização da lei do islamismo radical.</p> <p>Infância perdida, abuso certo: ficaremos calados?<br /> A denúncia é do Phd Paul L. Williams e está publicada no blog thelastcrusade.org e é traduzida com exclusividade no Brasil pelo De Olho Na Mídia (ninguém mais na imprensa nacional pareceu se interessar pelo assunto).</p> <p>Um evento de gala ocorreu em Gaza. O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais. A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinham menos de dez anos.</p> <p>Grandes dignatários muçulmanos, incluindo Mahmud Zahar, um líder do Hamas foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte desta cerimônia tão cuidadosamente planejada.</p> <p>"Nós estamos felizes em dizer à América que ela não pode nos negar alegria e felicidade", Zahar falou aos noivos, todos eles vestidos em ternos pretos idênticos e pertencentes ao vizinho campo de refugiados de Jabalia.</p> <p>Cada noivo recebeu 500 dólares de presente do Hamas.</p> <p>As garotas na pré-puberdade (pré-puberdade?????), que estavam vestidas de branco e adornadas com maquiagem excessiva, receberam bouquets de noiva.</p> <p>"Nós estamos oferecendo este casamento como um presente para o nosso povo que segue firme diante do cerco e da guerra", discursou o homem forte do Hamas no local, Ibrahim Salaf.</p> <p>As fotos do casamento relatam o resto desta história repugnante.</p> <p>Noivas de 4 a 10 anos e presentes de $500</p> <p>O Centro Internacional Para Pesquisas Sobre Mulheres estima agora que existam 51 milhões de noivas infantis vivendo no planeta e quase todas em países muçulmanos.</p> <p>Quase 30% destas pequenas noivas apanham regularmente e são molestadas por seus maridos no Egito; mais de 26% sofrem abuso similar na Jordânia.</p> <p>Todo ano, três milhões de garotas muçulmanas são submetidas a mutilações genitais, de acordo com a UNICEF. A prática ainda não foi proibida em muitos lugares da América.</p> <p>Nesta hora até a miséria desaparece de Gaza: carros de luxo para meninas reduzidas a lixo.</p> <p>A prática da pedofilia teria base e apoio do islã. O livro Sahih Bukhari em seu quinto capítulo traz que Aisha, uma das esposas de Maomé teria seis anos quando se casou com ele e as primeiras relações íntimas ocorreram aos nove. O período de espera não teria sido por conta da pouca idade da menina, mas de uma doença que ela tinha na época. Em compensação, Maomé teria sido generoso com a menina: permitiu que ela levasse todos os seus brinquedos e bonecas para sua tenda...</p> <p>Mais ainda: talvez o mais conhecido de todos os clérigos muçulmanos deste século, o Aiatóla Komeini, defendeu em discursos horripilantes a prática da pedofilia:</p> <p>Um homem pode obter prazer sexual de uma criança tão jovem quanto um bebê. Entretanto, ele não pode penetrar; sodomizar a criança não tem problema. Se um homem penetrar e machucar a criança, então ele será responsável pelo seu sustento o resto da vida. A garota entretanto, não fica sendo contada entre suas quatro esposas permanentes. O homem não poderá também se casar com a irmã da garota... É melhor para uma garota casar neste período, quando ela vai começar a menstruar, para que isso ocorra na casa do seu marido e não na casa do seu pai. Todo pai que casar sua filha tão jovem terá assegurado um lugar permanente no céu.</p> <p>Esta é a história que a mídia não conta, que o mundo se cala e não quer ver, ou que não querem que você saiba.</p> <p>Mas agora você está ciente, não tem mais jeito! Vai ficar calado? Cobre os veículos de mídia, aja! Se você não fizer nada, ninguém poderá salvar estas vítimas inocentes do inferno do Hamas e similare

TRISTE REALIDADE…

A HISTÓRIA OCULTA DO MUNDO ISLÂMICO: A PEDOFILIA DO HAMAS

Enquanto a imprensa exalta os “lutadores da liberdade do Hamas”, os “rebeldes”, o mundo desconhece uma das histórias mais SÓRDIDAS de abuso infantil, torturas e sodomização do planeta, vinda do fundo dos esgotos de Gaza: os casamentos pedófilos do Hamas, que envolvem até crianças de 4 anos. Tudo com a devida autorização da lei do islamismo radical. Infância perdida, abuso certo: ficaremos calados? A denúncia é do Phd Paul L. Williams e está publicada no blog thelastcrusade.org e é traduzida com exclusividade no Brasil pelo De Olho Na Mídia (ninguém mais na imprensa nacional pareceu se interessar pelo assunto). Um evento de gala ocorreu em Gaza. O Hamas foi o patrocinador de um casamento em massa para 450 casais.

A maioria dos noivos estava na casa dos 25 aos 30 anos; a maioria das noivas tinham menos de dez anos. Grandes dignatários muçulmanos, incluindo Mahmud Zahar, um líder do Hamas foram pessoalmente cumprimentar os casais que fizeram parte desta cerimônia tão cuidadosamente planejada. “Nós estamos felizes em dizer à América que ela não pode nos negar alegria e felicidade”, Zahar falou aos noivos, todos eles vestidos em ternos pretos idênticos e pertencentes ao vizinho campo de refugiados de Jabalia. Cada noivo recebeu 500 dólares de presente do Hamas. As garotas na pré-puberdade (pré-puberdade?????), que estavam vestidas de branco e adornadas com maquiagem excessiva, receberam bouquets de noiva. “Nós estamos oferecendo este casamento como um presente para o nosso povo que segue firme diante do cerco e da guerra”, discursou o homem forte do Hamas no local, Ibrahim Salaf.

As fotos do casamento relatam o resto desta história repugnante. Noivas de 4 a 10 anos e presentes de $500 O Centro Internacional Para Pesquisas Sobre Mulheres estima agora que existam 51 milhões de noivas infantis vivendo no planeta e quase todas em países muçulmanos. Quase 30% destas pequenas noivas apanham regularmente e são molestadas por seus maridos no Egito; mais de 26% sofrem abuso similar na Jordânia. Todo ano, três milhões de garotas muçulmanas são submetidas a mutilações genitais, de acordo com a UNICEF. A prática ainda não foi proibida em muitos lugares da América. Nesta hora até a miséria desaparece de Gaza: carros de luxo para meninas reduzidas a lixo. A prática da pedofilia teria base e apoio do islã.

O livro Sahih Bukhari em seu quinto capítulo traz que Aisha, uma das esposas de Maomé teria seis anos quando se casou com ele e as primeiras relações íntimas ocorreram aos nove. O período de espera não teria sido por conta da pouca idade da menina, mas de uma doença que ela tinha na época. Em compensação, Maomé teria sido generoso com a menina: permitiu que ela levasse todos os seus brinquedos e bonecas para sua tenda… Mais ainda: talvez o mais conhecido de todos os clérigos muçulmanos deste século, o Aiatóla Komeini, defendeu em discursos horripilantes a prática da pedofilia: Um homem pode obter prazer sexual de uma criança tão jovem quanto um bebê. Entretanto, ele não pode penetrar; sodomizar a criança não tem problema. Se um homem penetrar e machucar a criança, então ele será responsável pelo seu sustento o resto da vida. A garota entretanto, não fica sendo contada entre suas quatro esposas permanentes.

O homem não poderá também se casar com a irmã da garota… É melhor para uma garota casar neste período, quando ela vai começar a menstruar, para que isso ocorra na casa do seu marido e não na casa do seu pai. Todo pai que casar sua filha tão jovem terá assegurado um lugar permanente no céu. Esta é a história que a mídia não conta, que o mundo se cala e não quer ver, ou que não querem que você saiba. Mas agora você está ciente, não tem mais jeito! Vai ficar calado? Cobre os veículos de mídia, aja! Se você não fizer nada, ninguém poderá salvar estas vítimas inocentes do inferno do Hamas e similare

TROFÉU MUÇULMANOS NA SÍRIA: corpo sem vida de criança cristã decaptada


TROFÉU MUÇULMANOS NA SÍRIA: corpo sem vida de criança cristã DECAPITATED

Parte do canal (s): Síria (caso atual)

A jovem cristã decapitados na Síria. O sinal de extremismo e fanáticos, as longas barbas, está presente em todos e cada um destes muçulmanos subumanas que matou essa criança pequena, em sua jihad de Alá – inspirado pelo Alcorão. Este é Obama, Grã-Bretanha, França, Qatar, Arábia Saudita, Jordânia e Turquia, financiado e apoiado handiwork.Don ‘t colocar o seu apoio a qualquer uma dessas pessoas, seja para uma ação militar na Síria, asilo, imigração, outra mesquita pregação de ódio. Isto é o que está se movendo em sua cidade, seu país, sua sociedade, seu bairro:

Este vídeo é escrito com falsa propaganda alegando que ‘forças sírias’ matou uma criança “rebelde”. Nova avaliação da situação na Síria mostram que mais da metade dos chamados combatentes da liberdade são terroristas. Em outras palavras, toda a ‘luta’ é chumbo terrorista. Estes extremistas têm vindo a utilizar os seus próprios crimes como propaganda em seus três maratonas de homicídio anos, como o químico recente gaseamento de crianças que pertenciam a famílias de minorias alauítas perto de Latakia, Síria seqüestrado por extremistas anti-Assad apenas algumas semanas antes. Extremista sunita pró-argumentam que a criança é na verdade um filho “rebelde”. A criança vestida como uma criança muçulmana? E quem está segurando a criança? O exército sírio ou extremistas? Este é apenas um dos infindável número de assassinatos cometidos por extremistas fingindo ser “rebeldes”. testemunha de uma execução da Síria: “Eu vi uma cena de crueldade Utter” O que se segue é uma série angustiante de fotografias de militantes islâmicos publicamente execução, por decapitação, um jovem sírio na cidade de Keferghan, perto de Aleppo, em 31 de agosto de 2013. Devido ao perigo na comunicação dentro da Síria, não foi possível confirmar a identidade ou afiliação política da vítima. Também não estamos certos sobre a motivação de seus assassinos. Uma testemunha que mora na região e foi contatado por vez por semana depois das decapitações disse que os executores eram de ISIS, uma franquia da Al-Qaeda operando na Síria e no Iraque. tempo obtido exclusivamente as imagens de um fotógrafo que esteve recentemente na Síria. Esta decapitação foi o último dos quatro execuções documentadas ele naquele dia. TEMPO concordou em não publicar o nome do fotógrafo, para protegê-lo de repercussão quando ele retorna para a Síria. O que se segue é um relato editada de sua experiência: O homem foi trazido para a praça. Seus olhos estavam vendados. Comecei a tirar fotos, uma após a outra. Era para ser a quarta execução naquele dia eu iria fotografar. Eu estava me sentindo horrível, várias vezes eu tinha estado a ponto de vomitar. Mas eu mantive-lo sob controle, porque como jornalista eu sabia que tinha que documentar isso, como eu tinha os três decapitações anteriores eu tinha fotografado naquele dia, em três outros locais fora Aleppo. A multidão começou a aplaudir. Todo mundo estava feliz. Eu sabia que se eu tentasse intervir eu seria tirado, e que as execuções iria adiante. Eu sabia que não seria capaz de mudar o que estava acontecendo e eu poderia me colocar em perigo. Vi uma cena de crueldade absoluta: um ser humano ser tratado de uma forma que nenhum ser humano jamais deveria ser tratado. Mas parece-me que, em dois anos e meio, a guerra tem a humanidade das pessoas degradadas. Neste dia as pessoas na execução não tinha controle sobre seus sentimentos, seus desejos, sua raiva. Era impossível detê-los. Eu não sei quantos anos a vítima estava, mas ele era jovem. Ele foi forçado a seus joelhos. Os rebeldes ao seu redor ler seus crimes a partir de uma folha de papel. Eles ficaram ao redor dele. O jovem estava de joelhos no chão, com as mãos atadas. Ele parecia congelado. Dois rebeldes sussurrou algo em seu ouvido eo jovem respondeu de uma forma inocente e triste, mas eu não conseguia entender o que ele disse, porque eu não falo árabe. No momento da execução, os rebeldes agarrou sua garganta . O jovem colocou uma luta. Três ou quatro rebeldes presos lo. O homem tentou proteger sua garganta com as mãos, que ainda estavam amarrados juntos. Ele tentou resistir, mas eles eram mais fortes do que ele era, e eles cortaram sua garganta. Eles levantaram a cabeça no ar. Pessoas acenou suas armas e aplaudiram. Todo mundo estava feliz que a execução tinha ido em frente. Aquela cena na Síria, naquele momento, era como uma cena da Idade Média, o tipo de coisa que você lê em livros de história. A guerra na Síria chegou a um ponto onde uma pessoa pode ser impiedosamente mortos na frente de centenas de pessoas que apreciam o espetáculo. Como um ser humano, eu nunca teria desejado para ver o que eu vi. Mas como jornalista eu tenho uma câmera e uma responsabilidade. Eu tenho a responsabilidade de compartilhar o que eu vi naquele dia. É por isso que eu estou fazendo essa afirmação e é por isso que eu tirei as fotografias. Vou fechar este capítulo em breve e tente nunca se lembrar




LiveLeak.com – TROFÉU MUÇULMANOS NA SÍRIA: corpo sem vida de criança cristã DECAPITATED

%d blogueiros gostam disto: