Archive for the ‘Testemunhas de Jeová’ Category

EM QUE AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ CRÊEM


As Testemunhas de Jeová, são uma das seitas que mais distorcem as verdades bíblicas ao seu bel prazer.

Sendo dirigidas pela Torre de Virgilia que ditam em que as Testemunhas de Jeová devem crer, a seguir republicamos as principais crenças das Testemunhas de Jeová e as citações que eles usam para defender suas heresias. Note que para defender algumas heresias os dirigentes da Torre de Vigilia saem da Bíblia e usam para defesa o livro da Revelação das Testemunhas de Jeová, e é bom lembrar que a própria bíblia dos Testemunhas de Jeová é uma bíblia que foi mutilada com a retirada de alguns versículos biblicos que comprovam a Deidade do Sr Jesus.

OBS.:  Notem que ao checarmos os versículos bíblicos citados, eles não defendem e não confirmam as teses levantadas pelas TJ.

Vejam a seguir as principais crenças  heréticas das TJ

Crenças das Testemunhas de Jeová

AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ crêem no Deus Todo-Poderoso, Jeová, Criador dos céus e da Terra. A própria existência das complexas maravilhas no Universo que nos cerca indica razoavelmente que tudo foi produzido por um Criador de suprema inteligência e poder. Assim como as obras produzidas por homens e mulheres refletem as suas qualidades, o mesmo se dá com as de Jeová Deus. A Bíblia nos diz que “as suas qualidades invisíveis são claramente vistas desde a criação do mundo em diante, porque são percebidas por meio das coisas feitas”. Também, sem voz ou palavras, “os céus declaram a glória de Deus”. — Romanos 1:20; Salmo 19:1-4.

As pessoas não fabricam panelas de barro, nem televisores ou computadores, sem um objetivo. A Terra e as criações de vida vegetal e animal que nela existem são muito mais maravilhosas. A estrutura do corpo humano com seus trilhões de células está além de nosso entendimento – até mesmo o cérebro com que pensamos é maravilhoso demais para podermos compreendê-lo plenamente. Se os homens têm um objetivo na produção de suas comparativamente insignificantes invenções, Jeová Deus certamente teve um propósito nas suas espantosas criações! Provérbios 16:4 confirma isso: “Tudo Jeová fez para seu propósito.”

Jeová fez a Terra com um objetivo, conforme declarou ao primeiro casal humano: “Sede fecundos e tornai-vos muitos, e enchei a terra . . . e tende em sujeição os peixes do mar, e as criaturas voadoras dos céus, e toda criatura vivente que se move na terra.” (Gênesis 1:28) Por sua desobediência, aquele casal deixou de encher a Terra com famílias justas, que cuidariam amorosamente da Terra, das plantas e dos animais que nela há. Mas o seu fracasso não impede o propósito de Jeová. Milhares de anos mais tarde foi escrito: “Deus, o Formador da terra, . . . não a criou simplesmente para nada.” Ele “a formou mesmo para ser habitada”. Não será destruída, mas “a terra para sempre permanece”. (Isaías 45:18; Eclesiastes 1:4, Almeida) O propósito de Jeová para com a Terra será cumprido: “Meu próprio conselho ficará de pé e farei tudo o que for do meu agrado.” —Isaías 46:10.

Portanto, as Testemunhas de Jeová crêem que a Terra permanecerá para sempre e que todos, os vivos e os mortos, que se enquadrarem no propósito de Jeová de uma Terra embelezada e habitada, poderão viver nela para sempre. Toda a humanidade herdou a imperfeição de Adão e Eva e, por isso, todos são pecadores. (Romanos 5:12) A Bíblia nos diz: “O salário pago pelo pecado é a morte.” “Os viventes estão cônscios de que morrerão; os mortos, porém, não estão cônscios de absolutamente nada.” “A alma que pecar — ela é que morrerá.” (Romanos 6:23; Eclesiastes 9:5; Ezequiel 18:4, 20) Então, como poderão viver de novo para compartilhar das bênçãos na Terra? Somente por meio do sacrifício resgatador de Cristo Jesus, pois ele disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem exercer fé em mim, ainda que morra, viverá outra vez.” “Todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz e sairão.” — João 5:28, 29; 11:25; Mateus 20:28.
Como se dará isso? A explicação está nas “boas novas do reino” que Jesus começou a proclamar quando esteve na Terra. (Mateus 4:17-23) Atualmente, porém, as Testemunhas de Jeová estão pregando as boas novas de modo muito especial.

 

 

Crença
e as teóricas Bases bíblicas

A Bíblia é a Palavra de Deus e é a verdade
2 Tim. 3:16, 17; 2 Ped.1:20, 21; João 17:17

A Bíblia é mais confiável do que a tradição
Mat. 15:3; Col. 2:8

O nome de Deus é Jeová
Sal. 83:18; Isa. 26:4; 42:8, Êxo. 6:3

Cristo é o Filho de Deus e é inferior a ele
Mat. 3:17; João 8:42; 14:28; 20:17; 1 Cor. 11:3; 15:28

Cristo foi a primeira criação de Deus
Col. 1:15; Rev. (Apo.) 3:14

Cristo morreu numa estaca, não numa cruz
Gál. 3:13; Atos 5:30

A vida humana de Cristo foi paga como resgate pelos humanos obedientes
Mat. 20:28; 1 Tim. 2:5, 6; 1 Ped. 2:24

O sacrifício único de Cristo foi suficiente
Rom. 6:10; Heb. 9:25-28

Cristo foi levantado dos mortos como pessoa espiritual, imortal
1 Ped. 3:18; Rom. 6:9; Rev.1:17, 18

A presença de Cristo é em espírito
João 14:19; Mat. 24:3;2 Cor.5:16; Sal. 110:1, 2

Estamos agora no ‘tempo do fim’
Mat. 24:3-14; 2 Tim. 3:1-5; Luc. 17:26-30

O Reino sob Cristo governará a Terra em justiça e paz
Isa.9:6, 7; 11:1-5; Dan. 7:13, 14; Mat. 6:10

O Reino trará condições de vida ideais à Terra
Sal. 72:1-4; Rev. 7:9, 10, 13-17; 21:3, 4

A Terra nunca será destruída, nem ficará despovoada
Ecl. 1:4; Isa. 45:18; Sal. 78:69

Deus eliminará o atual sistema de coisas na batalha do Har-Magedon
Rev. 16:14, 16; Sof. 3:8; Dan. 2:44; Isa. 34:2; 55:10,11

Os iníquos serão destruídos para sempre
Mat. 25:41-46; 2 Tes. 1:6-9

Os que Deus aprova receberão vida eterna
João 3:16; 10:27, 28; 17:3; Mar. 10:29, 30

Só há um caminho para a vida
Mat. 7:13, 14; Efé. 4:4, 5

A morte humana deve-se ao pecado de Adão
Rom. 5:12; 6:23

A alma humana deixa de existir na morte
Eze. 18:4; Ecl. 9:10; Sal. 6:5; 146:4; João 11:11-14

O inferno é a sepultura comum da humanidade
Sal. 16:10, Al,(15:10) So; Rev. 20:13, 14, Fi, So

A esperança para os mortos é a ressurreição
1 Cor. 15:20-22; João 5:28, 29; 11:25, 26

A morte adâmica cessará
1 Cor. 15:26, 54; Rev. 21:4; Isa. 25:8

Apenas um pequeno rebanho de 144.000 vai para o céu e governará com Cristo
Luc. 12:32; Rev. 14:1, 3; 1 Cor. 15:40-53; Rev. 5:9, 10

Os 144.000 nascem de novo como filhos espirituais de Deus
1 Ped. 1:23; João 3:3; Rev. 7:3, 4

O novo pacto foi feito com o Israel espiritual
Jer. 31:31; Heb. 8:10-13

A congregação de Cristo é edificada sobre ele
Efé. 2:20; Isa. 28:16; Mat. 21:42

Orações devem ser dirigidas só a Jeová, mediante Cristo
João 14:6, 13, 14; 1 Tim. 2:5

Não se devem usar imagens na adoração
Êxo. 20:4, 5; Lev. 26:1; 1 Cor. 10:14; Sal. 115:4-8

O espiritismo deve ser evitado
Deut. 18:10-12; Gál. 5:19-21; Lev. 19:31

Satanás é o governante invisível do mundo
1 João 5:19; 2 Cor. 4:4; João 12:31

O cristão não deve participar em movimentos ecumênicos
2 Cor. 6:14-17; 11:13-15; Gál. 5:9; Deut. 7:1-5

O cristão deve manter-se separado do mundo
Tia. 4:4; 1 João 2:15; João 15:19; 17:16

Obedecem às leis humanas que não entram em conflito com as leis de Deus
Mat. 22:20, 21; 1 Ped. 2:12; 4:15

Introduzir sangue no corpo pela boca ou pelas veias viola as leis de Deus
Gên. 9:3, 4; Lev. 17:14; Atos 15:28, 29

É preciso obedecer às leis bíblicas sobre a moral
1 Cor. 6:9, 10; Heb. 13:4; 1 Tim. 3:2; Pro. 5:1-23

A observância do sábado foi dada só a Israel e terminou com a Lei mosaica
Deut. 5:15; Êxo. 31:13; Rom. 10:4; Gál. 4:9, 10; Col. 2:16, 17

Uma classe clerical e títulos especiais são impróprios
Mat. 23:8-12; 20:25-27; Jó 32:21, 22

O homem não evoluiu mas foi criado
Isa. 45:12; Gên. 1:27; Mat. 19:4

Cristo deu exemplo que precisa ser seguido em servir a Deus
1 Ped. 2:21; Heb. 10:7; João 4:34; 6:38

O batismo por imersão completa simboliza a dedicação
Mar. 1:9, 10; João 3:23; Atos 19:4, 5

Os cristãos de bom grado dão testemunho público da verdade bíblica
Rom. 10:10; Heb. 13:15; Isa. 43:10-12

Fonte: www.watchtower.org ( Site da Torre da Vigilia das Testemunhas de Jeová )

A história das Testemunhas de Jeová


Histórico da Seita Testemunhas de Jeová
 
    Sobre a história das Testemunhas de Jeová, recomendo a leitura dos livros Como Responder às Testemunhas de Jeová, Testemunhas de Jeová – Comentário Exegético e Explicativo, e Provas Documentais, ambos os três publicados pela Editora Candeia, e de autoria de Esequias Soares da Silva. Também recomendo Desmascarando as Seitas, da Editora CPAD, de autoria de Paulo Romeiro/Natanael Rinaldi, O Império das Seitas Vol I, de Walter Martim, Editora Betânia e Deve-se Crer na Trindade, de Robert Browman Jr, editora Candeia. Todos são excelentes livros, e a maioria pode ser comprada em uma livraria evangélica, ou pela internet. 
 
    Mas acima destes livros, o melhor de todos, o qual você não pode perder, sabe qual é? A Bíblia! Nós, como seguidores de Cristo, temos de dar uma maior atenção ao conhecimento das Escrituras, observação e crítica de valores em desacordo com a Bíblia, e leitura de livros. O povo evangélico é o que menos lê. Será que se nós fôssemos Judeus ná época em que Cristo veio, não seríamos nós que o crucificaríamos por falta de conhecimento das Escrituras? Hoje, por falta de conhecimento das Escrituras, muitos cristãos são levados ao engano pelas seitas. Que Deus possa nos capacitar, e nos fortalecer, como corpo, para em Nome de Jesus, ser a luz do mundo, o sal da terra, e poder dar mais gosto à vida daqueles que trilham a vida sem sentido que é estar separado do Criador.
 
    A ênfase maior na minha página darei à contestação das doutrinas, e da história comentarei brevemente as fases de Russel e de Rutherford.
 
    O fundador da seita que conhecemos hoje como Testemunhas de Jeová, foi Charles Taze Russel. Russel nasceu em 1852, e teve ensinamento religioso em uma Igreja Congregacional. Russel porém, ainda bem jovem, rejeitou a doutrina do castigo eterno, e talvez por esse motivo se sentiu atraido pelas doutrinas adventistas. Russel mais tarde também abandonou o adventismo, e em 1870 fundou uma classe de estudos bíblicos, em Pittsburgh, Pensilvânia, EUA, da qual, em 1876, elegeu-se "pastor".
    Russel passou a fazer discípulos e a publicar, em julho de 1879, uma revista chamada A Torre de Vigia de Sião e Arauto da Presença de Cristo, com uma tiragem de 6.000 exemplares. Em 1884, Russel registrou a organização Zion´s Watch Tower Tract Society, que em 1886 publicou o primeiro de uma série de livros, cujo autor dos primeiros seis foi o próprio Russel. Hoje estes livros têm o nome de Estudos das Escrituras, mas primeiramente foram chamados de Aurora do Milênio. Para que você tenha uma idéia dos ensinamentos de Russel, observe este trecho da revista Watctower, de setembro de 1910, p. 298:
 
"Os seis tomos de Estudos das Escrituras constituem praticamente a Biblia. Não são meramente um comentário acerca da Bíblia, mas praticamente a própria Bíblia… Não se pode descobrir o plano divino estudando a Bíblia. Se Alguém coloca de lado os Estudos, mesmo depois de familiarizar-se com eles e se dirige apenas à. Biblia, dentro de dois anos volta às trevas. Ao contrário, se lê os Estudos das Escrituras com as suas citações, ainda que não tenha lido sequer uma página da Bíblia, ao cabo de dois anos estará na luz"
    Aqui nós vemos a afirmação assombrosa de que não se pode ser salvo lendo a Bíblia. Os livros de Russel são postos acima da Bíblia. Hoje em dia não é muito diferente, pois as Testemunhas de Jeová (todas elas) lêem A Sentinela, e Despertai!, e aqueles que não fazem parte da Organização de Deus, segundo ela própria, serão destruídos. Esta é uma característica típica de seita exclusivista.
    Neste contexto, surgiu o mito de 1914.
 
 

As Testemunhas de Jeová são uma Seita ? – 1ª Parte


 
Introdução
 
As Testemunhas de Jeová são mundialmente conhecidas pelas suas publicações (revista Despertai! e A Sentinela) e pelo seu trabalho de evangelismo feito de casa em casa.
Mas por que as Testemunhas de Jeová fazem isso? É por que elas se preocupam com a salvação das pessoas. Elas realmente crêem que estão no caminho certo, e querem compartilhar esse caminho com outras pessoas.
 
Muitas vezes são tratadas com agressividade. Mas continuam seu trabalho.
Todavia, o empenho das Testemunhas, não indica necessariamente que elas estão com a razão. Queremos dizer às Testemunhas de Jeová que visitam este site, que nós temos por objetivo mostrar aquilo que cremos ser a verdade. Não queremos agredir de forma alguma as Testemunhas de Jeová. O que nós atacamos são as doutrinas, mas não as pessoas. Nós nunca fomos Testemunha de Jeová. Fizemos este estudo por que gostamos muito de estudar sobre as religiões, e percebemos que há poucos sites em português sobre este assunto. Desta forma, nos preocupamos por que cremos que as Testemunhas não estão no caminho da verdade.
 
Tentaremos mostrar qual é a verdade. Todavia, isso se torna impossível quando não se quer ver a verdade.
 
Se você é Testemunha de Jeová, pedimos que de uma olhada nos nossos argumentos, e fique a vontade para enviar-nos críticas. Se você discordar de algo, escreva-nos. Teremos prazer em verificar seus argumentos, críticas etc.
 
Se você não é Testemunha de Jeová, esperamos que o nosso site seja útil para que você possa dirimir algumas dúvidas sobre a Sociedade Torre de Vigia (nome da organização das Testemunhas de Jeová).
 
São as Testemunhas de Jeová uma Seita?
 
Antes de mais nada, é importante sabermos o que é uma seita, para então concluirmos se determinado grupo, organização ou religião podem ou não ser caracterizado como tal. Iremos primeiramente verificar quais são os argumentos da STV:
"As crenças das Testemunhas de Jeová, baseadas inteiramente na Bíblia, impedem que se tornem uma seita ou um culto".
Despertai! de 8 de outubro de 1997, página 10.
 
O argumento da STV não é verdadeiro. Por exemplo, existe a doutrina que afirma que Cristo retornou invisivelmente em 1914. Esta doutrina está baseada em cálculos que se apóiam em uma data (607 aC), na qual Jerusalém foi destruída. Agora vem a pergunta: pode-se chegar a esta data usando somente a Bíblia? A resposta é NÃO!
Para chegar-se a data, é usado material extra bíblico. A datação da destruição de Jerusalém está baseada em dados contidos em uma tábua de escrita cuneiforme chamada de VAT 4956, e o ano de 539 aC. que é fornecido por um sacerdote caldeu chamado Beroso, que traça as linhagens dinásticas do império neobabilônico; e em Cláudio Ptolomeu (70-161 dC), um astrônomo e historiador grego, no Cânon de Ptolomeu. Dispondo das informações contidas nestas fontes, podemos datar eventos com exatidão. Só há um problema: se fundamentarmos uma doutrina nesses dados, estaremos nos baseando em algo extra bíblico, e é isso que a STV faz!
 
Sendo assim, o argumento da STV, que diz que as crenças estão baseadas completamente na Bíblia é falso, e sendo assim, a STV pode ser caracterizada como uma seita.
Outro argumento da STV é o seguinte:
 
"Há os que definam seita como um grupo que se desagregou de uma religião estabelecida. Outros aplicam o termo a um grupo que segue determinado líder ou mestre humano… As Testemunhas de Jeová não são uma ramificação de alguma igreja… Não consideram nenhum humano como seu líder” Raciocínios à Base das Escrituras, pp. 386, 387.
O fundador das Testemunhas de Jeová, Charles Taze Russel, se desagregou primeiramente da Igreja Congregacional, indo para a Igreja Adventista do Sétimo Dia, da qual também se afastou mais tarde, fundando uma classe de estudos bíblicos que deu origem a STV. Sendo assim, as Testemunhas de Jeová são uma facção de uma igreja.
"Em essência, mostramos que a Sociedade é uma organização inteiramente religiosa; que os membros aceitam como seus princípios e crença a Santa Bíblia, conforme explicada por Charles Taze Russel"
(Anuario das Testemunhas de Jeová de 1976, p 106)
"Todos os Estudantes da Bíblia, seguidores do Pastor Russel, sabem como urgentemente…"
(The Finished Mistery, edição de 1917, p 126).
As Testemunhas de Jeová seguem a Russel, logo são uma seita. Veja você que os princípios para verificar se determinado grupo é ou não uma seita são tirados das próprias publicações da STV.
 
Com todos estes dados, nós podemos verificar que as próprias publicações das "testemunhas" as caracterizam como seita, e que suas crenças não estão baseadas inteiramente na Bíblia.
 
Características:
 
A seita Testemunhas de Jeová é mundialmente conhecida pelas suas publicações (revista Despertai! e A Sentinela) e pelo proselitismo feito de casa em casa visando geralmente os cristãos com pouco conhecimento bíblico e teológico.
 
Em sua "evangelização", apresentam uma série de versículos isolados do contexto, fazendo com que o indivíduo abordado questione sua fé com respeito, geralmente, quanto à Trindade, ao inferno eterno e à destruição da Terra. Quando questionados, ou quando tenta-se apresentar as realidades quanto as doutrinas e quanto a seita, afirmam que estão sendo perseguidos. O senso de perseguição é uma grande características das Testemunhas de Jeová. Estas, porêm, quando afirmam que estão sendo perseguidas, não lembram que suas publicações estão recheadas de ataques ao cristianismo ortodoxo. As testemunhas de Jeová são condicionadas a terem um preconceito pelos cristão, pois suas publicações são tendenciosas, e cheias de citações fora de contexto e de mentiras.
 
Possuem uma mensagem escatológica (o fim do mundo), o que é uma característica típica das seitas, bem como o elevado proselitismo.
Negam a doutrina da Trindade, afirmando que Jesus é uma criatura. Esta não é uma heresia nova, pois foi defendida por Ário, por volta de 323 dC. Afirmam que o Espírito Santo é a "força ativa de Deus", sendo assim impessoal. Desta forma, fecham os olhos a toda história da igreja primitiva, a qual era trinitariana. Negam também que a Terra será destruída. Afirmam que Jesus voltou em 1914, e para fundamentar a afirmação, fazem cálculos engenhosos, que, porém contradizema Bíblia e a arqueologia. Esta doutrina (a de 1914) está baseada em material pagão.
 
Crêem que Jesus ressucitou somente em espírito, e não em corpo.
Possuem uma tradução própria da Bíblia, chamada Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas(TNM) a qual em versículos estratégicos, difere em muito das outras versões (principalmente nos versículos que se referem à Deidade de Jesus e do Espírito Santo).
É uma obra tendenciosa, viciada e sem nenhum apoio erudito.
 
Crêem que somente 144.000 pessoas estarão no céu com Deus. Estes, são os "ungidos". O restante dos salvos ficarão na terra, a qual após a batalha do armagedom, será transformada em um paraíso.
 
Consideram o protestantismo e o catolicismo, bem como as doutrinas da Igreja, como falsos, e satânicos. Desta forma, indiretamente afirmam que aqueles que não fazem parte da Sociedade Torre de Vigia (STV), serão condenados.
 
Mudam constantemente de doutrina. Como argumento para isto, dizem que a iluminação é progressiva (Pv 4:18). Sua história demonstra falsas profecias, e mudanças de doutrinas que servem para "tapar os furos". Argumentam também que os apóstolos e os profétas do A.T. não conheciam claramente os ensinos de Deus, e da mesma forma a STV por não conhecer inteiramente a Deus (pois a iluminação é progressiva), faz alguns "ajustes". Porém cabe lembrar que nunca algum profeta de Deus profetizou falsamente, ou então mudou completamente de posição ante determinado assunto.
 
A STV já profetizou a ressureição dos patriarcas. Já disse que vacinas são satânicas, já disse que o alumínio é o metal do diabo, e depois mudou de opinião. Parece que a "luz da aurora" pisca, ao invés de brilhar cada vez mais. É vergonhoso para uma sociedade que diz que recebe orientação divina, apresentar tantas mudanças e contradições em suas doutrinas. Isto não ocorria de forma alguma com os profetas!
Quando se apresenta estes fatos, as Testemunhas dizem que isso é "coisa de político em época de campanha". O problema é que quem afirma que sua organização é a "organização de Deus", e além disso difama o cristianismo, teria que pelo menos ter autoridade para o fazer. Isso as Testemunhas não tem.
 
Outro problema é que as Testemunhas dependem da organização para receber o alimento espiritual. Os cristãos não dependem de organizações, mas sim do Espírito Santo (Jo 14:26).
 
Afirmam que sua crença é baseada somente na Bíblia, mas a verdade não é bem essa. Por exemplo, nos cálculos da volta de Jesus em 1914, fazem uso de algo chamado Tempo dos Gentios, com duração de 2520 anos. Isso não tem base bíblica alguma, mas sim surgiu da mente do fundador da seita, Charles Russel. Este é somente um exemplo de que muitas de suas doutrinas não têm base bíblica.
Na sua organização (STV), existem alguns chamados "ungidos". Estes "ungidos" compõe o Corpo Governante, que é o que dita as regras e as doutrinas da seita. São eles também que fazem as mudanças de doutrinas. Já profetizaram vários acontecimentos, mas nenhum se cumpriu, e isto torna o "Corpo Governante" um falso profeta.
 
"Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome alguma palavra que eu não tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. E, se disseres no teu coração: Como conheceremos qual seja a palavra que o Senhor falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás." Deuteronômio 18:20-22
 
"E disse-me o Senhor: Os profetas profetizam mentiras em meu nome; não os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei. Visão falsa, adivinhação, vaidade e o engano do seu coração é o que eles vos profetizam." Jeremias 14:14
 
Histórico da Seita
 
Nós, como seguidores de Cristo, temos de dar uma maior atenção ao conhecimento das Escrituras, observação e crítica de valores em desacordo com a Bíblia, e leitura de livros. O povo evangélico é o que menos lê. Será que se nós fôssemos Judeus ná época em que Cristo veio, não seríamos nós que o crucificaríamos por falta de conhecimento das Escrituras? Hoje, por falta de conhecimento das Escrituras, muitos cristãos são levados ao engano pelas seitas.
Que Deus possa nos capacitar, e nos fortalecer, como corpo, para em Nome de Jesus, ser a luz do mundo, o sal da terra, e poder dar mais gosto à vida daqueles que trilham a vida sem sentido que é estar separado do Criador.
 
A ênfase maior na nossa página daremos à contestação das doutrinas, e da história comentaremos brevemente as fases de Russel e de Rutherford.
 
O fundador da seita que conhecemos hoje como Testemunhas de Jeová, foi Charles Taze Russel. Russel nasceu em 1852, e teve ensinamento religioso em uma Igreja Congregacional. Russel porém, ainda bem jovem, rejeitou a doutrina do castigo eterno, e talvez por esse motivo se sentiu atraído pelas doutrinas adventistas. Russel mais tarde também abandonou o adventismo, e em 1870 fundou uma classe de estudos bíblicos, em Pittsburgh, Pensilvânia, EUA, da qual, em 1876, elegeu-se "pastor".
 
Russel passou a fazer discípulos e a publicar, em julho de 1879, uma revista chamada A Torre de Vigia de Sião e Arauto da Presença de Cristo, com uma tiragem de 6.000 exemplares. Em 1884, Russel registrou a organização Zion´s Watch Tower Tract Society, que em 1886 publicou o primeiro de uma série de livros, cujo autor dos primeiros seis foi o próprio Russel. Hoje estes livros têm o nome de Estudos das Escrituras, mas primeiramente foram chamados de Aurora do Milênio. Para que você tenha uma idéia dos ensinamentos de Russel, observe este trecho da revista Watctower, de setembro de 1910, p. 298:
 
"Os seis temas de Estudos das Escrituras constituem praticamente a Bíblia. Não são meramente um comentário acerca da Bíblia, mas praticamente a própria Bíblia… Não se pode descobrir o plano divino estudando a Bíblia. Se Alguém coloca de lado os Estudos, mesmo depois de familiarizar-se com eles e se dirige apenas à. Bíblia, dentro de dois anos volta às trevas. Ao contrário, se lê os Estudos das Escrituras com as suas citações, ainda que não tenha lido sequer uma página da Bíblia, ao cabo de dois anos estará na luz".
Aqui nós vemos a afirmação assombrosa de que não se pode ser salvo lendo a Bíblia. Os livros de Russel são postos acima da Bíblia. Hoje em dia não é muito diferente, pois as Testemunhas de Jeová (todas elas) lêem A Sentinela, e Despertai!, e aqueles que não fazem parte da Organização de Deus, segundo ela própria, serão destruídos. Esta é uma característica típica de seita exclusivista.
 
Falsa Profecia: A "Geração" de 1914
 
Parece que a "nova luz" é cada vez mais nova, e contraditória. Concordamos que os profetas e os apóstolos também tinham uma revelação progressiva das verdades bíblicas, porém nunca estes profetizaram falsamente, nunca negaram algo que outrora afirmavam, e nunca atribuíram algo que era pensamento meramente humano a Jeová.
 
O Tempo é o Maior inimigo dos Falsos Profetas.
 
O Corpo Governante parece estar pisando em ovos. Veja a que ponto chegam as contradições:
 
"Até se presumirmos que se os jovens de 15 anos teriam suficiente percepção mental para discernir a importância do que aconteceu em 1914, isso ainda faria com que os mais jovens desta geração tivessem quase 70 anos atualmente. Assim, a grande maioria da geração a que Jesus se referia já havia desaparecido na morte. Os restantes atingem a velhice. E, lembre-se, Jesus disse que o fim deste mundo iníquo viria antes de tal geração desaparecer na morte. Isto em si nos informa que não podem ser muitos anos antes de chegar o fim
predito." Despertai!, 22/09/1969, p 14-15.
 
Veja que parece que o fim será na década de 70. Será?
 
 
Mas a geração, se refere aos bebês nascidos em 1914, ou aos que já tinham certo "discernimento"?
"Assim, tratando-se da aplicação ao nosso tempo, a "geração", logicamente, não se aplicaria aos bebês nascidos durante a Primeira Guerra Mundial. Aplica-se aos seguidores de Cristo e a outros que puderam observar aquela guerra e as outras coisas ocorridas em cumprimento ao "sinal" composto indicado por Jesus. Algumas destas pessoas "de modo algum passarão até" que tenha ocorrido tudo o que Jesus profetizou, inclusive o fim do atual sistema iníquo."
 
A Sentinela, 15/01/1979, p 32.
 
Sim, a geração se refere às pessoas que já percebiam as coisas, ou seja, cerca de 15 anos em 1914. Então, em 2000, estas pessoas têm 101 anos, certo? Mas então o dia está chegando… É melhor arranjar mais tempo, fazendo assim:
"Se Jesus usou a palavra "geração" nesse sentido, e se aplicarmos a 1914, então os bebês daquela geração têm agora 70 anos ou mais."
 
A Sentinela, 15/11/1984, p 05.
 
Ufa! Agora temos um pouco mais te tempo, pois não mais se refere às pessoas de 15 anos, mas sim aos bebês nascidos em 1914. Mas estes já estão novamente envelhecendo! O que o Corpo Governante poderá fazer para não perder a credibilidade, e ficarem expostas suas falsas profecias? É fácil: É só atribuir as suas próprias especulações aos seguidores, e mudar "um pouquinho" o modo de interpretação.
Veja como ficou fácil:
"O povo de Jeová, ansioso de ver o fim deste sistema iníquo, às vezes tem especulado sobre quando irromperá a "grande tribulação", até mesmo relacionando isso com cálculos sobre a duração da vida duma geração desde 1914.
No entanto, "introduzimos um coração de sabedoria", não por especular sobre quantos anos ou dias constituem uma geração, mas por refletir em como "contamos os nossos dias" em tal alegre louvor a Jeová. (Salmo 90:12). Em vez de estabelecer uma regra para a medição do tempo, o termo "geração", conforme usado por Jesus, refere-se principalmente a pessoas contemporâneas de um certo período histórico, com as características indicadoras delas".
 
.A Sentinela, 01/11/1995, p. 17.
 
Agora sim o Corpo Governante conseguiu prolongar sua "credibilidade". Atribuiu suas velhas "verdades" às Testemunhas de Jeová, e deu uma desculpa esfarrapada. Assim é que agem os falsos profetas! E o pior não é tudo: O Corpo Governante atribui suas falsas profecias a Jeová!
 
"A palavra profética de Jeová mediante Cristo Jesus diz: "Esta geração (de 1914) de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram." (Lucas 21:32). "E Jeová, que é a fonte de profecias inspiradas e infalíveis, fará com que as palavras de seu Filho se cumprir num prazo de tempo relativamente curto."
Isaías 46:9-10, 55:10-11
A Sentinela, 15/11/1984, p. 07.
 
Falsa Profecia usando o nome de Jeova! O que a Bíblia diz sobre isso?
"Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome alguma palavra que eu não tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. E, se disseres no teu coração: Como conheceremos qual seja a palavra que o Senhor falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás." Deuteronômio 18:20-22
 
O Corpo Governante está em uma situação difícil: ou elimina todas as publicações antigas, que evidenciam suas falsas profecias, ou assume que é um falso profeta. É isso que eles chamam de "orientação teocrática"?
Será que Deus é que passa tais falsas profecias ao Corpo Governante?
 
Claro que não!
Todas as profecias não cumpridas e todas as contradições revelam que a religião do Corpo Governante não passa de pensamentos meramente humanos. Deus não pode ter parte em uma organização que se auto-intitula "canal de comunicação entre Deus e os homens", a qual profetiza falsamente, e mente para encobrir o seu passado.
 
Beth Sarim – Casa dos Profetas?
 
Em antecipação à breve ressurreição dos profetas bíblicos e patriarcas, Joseph Rutherford, presidente da Torre de Vigia Bíblias e Tratados comissionou a construção de uma casa em San Diego, Califórnia. Esta, deveria ser a casa para Abraão, Isaac, Jacó, Moisés, Davi, Samuel e todos os mencionados em Hebreus capítulo 11.
Porém, como a festa bíblica não ocorreu, o vergonhoso incidente Beth-Sarim teve que ser abafado.
Começando em 1920, Rutherford declarou, "Como nós já declaramos anteriormente, o grande ciclo de jubileu começará em 1925. Neste tempo a fase terrestre do reino será reconhecida".
Como seria reconhecida?
Que evento introduziria o reino?
 
Rutherford explicou, "nós podemos esperar confiantemente que 1925 marcará o retorno de Abraão, Isaac, Jacó e os profetas antigos e fiéis, particularmente os citados pelo apóstolo em Hebreus capítulo onze, sob condições humanas perfeitas " (Millions Now Living Will Never Die, pp. 89-90).
 
Esta era uma profecia excitante.
 
As Testemunhas de Jeová espalhavam a notícia ao redor do mundo da manifestação física destes patriarcas bíblicos. Quando chegou 1925, Abraão e os demais não apareceram, alguns seguidores de Rutherford abandonaram a seita.
Outros ainda continuaram acreditando, e que eles se atrasariam um pouco, mas chegariam, e que a tripulação de Hebreus 11 regressaria brevemente. Embora o fato não tivesse acontecido, ainda em 1929 era um assunto de muita excitação.
Por isto, Rutherford, percebendo que o espetáculo de Abraão e companhia finalmente chegava, e estes iriam precisar de um lar, deu instruções para construir uma casa para eles. No seu livro, Salvação, Rutherford menciona esta casa e seu propósito de construção:
"Em San Diego, Califórnia, há um pedaço pequeno de terra no qual, no ano 1929, foi construída uma casa que é chamada e conhecida como Beth Sarim. As palavras hebraicas Beth Sarim significam” Casa dos Príncipes “e o propósito de adquirir esta propriedade e construir a casa era uma prova tangível que haviam pessoas na terra hoje que acreditam plenamente em Deus e Cristo Jesus e no seu reino, e que acreditam que os homens fiéis serão ressuscitados em breve pelo Senhor, e regressarão à terra, e se encarregarão dos negócios visíveis da terra "(pág. 311).
 
Com a casa agora construída, não havia nada que fazer senão esperar. E eles esperaram, até 1942.
Rutherford escreveu o último livro da sua vida, mencionando novamente Beth-Sarim e Abraão. Ele escreveu, "esses homens fieis podem ser esperados de volta mais dia menos dia. As Escrituras dão boas razões para acreditar que isto deve acontecer em breve, pouco antes do Armagedom começar".
 
"Com a expectativa a casa em San Diego, Califórnia ganhou muita publicidade pela ação maliciosa do inimigo, a qual foi construída, em 1930, e nomeada "Beth-Sarim" significando "Casa dos Príncipes" e é agora guardada a confiança da ocupação por esses príncipes no seu retorno" (The New World, pág. 104).
 
Note que Rutherford disse que foi "guardada a confiança". De fato, a ação tem vários pontos muito interessantes. Explica, que o reino de Deus terá os representantes visíveis na terra, os quais tocarão os negócios das nações sob a supervisão do governante, Cristo invisível, e que os representantes fiéis e os governadores visíveis do mundo serão Davi, Israel, Gideão, Sansão, José, Samuel o profeta e outros homens fieis que foram nomeados com aprovação na Bíblia em Hebreus 11."
"A condição aqui é que a Torre de Vigia Bíblias e Tratados terão perpetuamente o título de confiança para o uso de qualquer ou todos os homens como representantes do reino de Deus na terra, e tais homens possuirão e usarão as propriedades descritas como eles quiserem para o melhor interesse pelo trabalho no qual eles são comprometidos".
Porém, havia uma cláusula condicional colocada na ação. Até Davi, Abraão ou outro chegar, "Joseph F. Rutherford terá o direito e privilégio de residir na dita” casa" até a mesma ser tomada na chegada de Davi ou alguns dos outros homens citados, e esta propriedade é dedicadas a Jeová para o uso do Seu reino, e será usada como tal para sempre" (ação datou de 24 de dezembro de 1929).
A ação que foi assinada por Rutherford tem três artigos:
Primeiro, Beth-Sarim foi construído para o propósito expresso de moradia para os patriarcas.
Segundo, entretanto Rutherford poderia morar na casa, ele só poderia fazer assim até alguém de Hebreus 11 chegar.
Terceiro, Beth-Sarim permaneceria no perpétuo uso de reino de Jeová. Assim, a STV teria certamente esta propriedade sempre.
Talvez não seja necessário explicar, mas ninguém de Hebreus 11 chegou para ocupar Beth-Sarim.
Como resultado, Rutherford passou os últimos anos da vida dele nesta mansão bonita enquanto seus seguidores sofreram em pobreza durante a Grande Depressão dos anos 30.
Mais adiante, alguns anos depois da morte de Rutherford, Beth-Sarim era vendida. Em 1948 esta casa estava vendida, e o ensinamento relativo ao "retorno dos antigos" foi quietamente abafado em 1950 (Millions Now Living Will Never Die: A Study of Jehovah’s Witnesses, Alan Rogerson, p. 48).
Há um epílogo a esta história. Em 1975 a STV publicou um livro que mencionou Beth-Sarim. Porém, a informação só contida em suas páginas, serve somente para complicar a credibilidade histórica da STV.
Desde seu início, era dito que Beth-Sarim tinha sido construída para Abraão e amigos. Este livro parece contar uma história completamente diferente:
"Naquele tempo, uma contribuição direta foi feita com a finalidade de construir uma casa em San Diego para o uso do Irmão Rutherford. Isto não foi construído às custas da STV. Relativo a esta propriedade, declarou o livro Salvação, de 1939: Em San Diego, Califórnia, há um pedaço pequeno de terra no qual, no ano 1929, foi construída uma casa que é chamada e conhecida como Beth-Sarim"
(1975 Anuário das Testemunhas de Jeová, pág. 194 (em inglês).
Há dois problemas com esta declaração do Anuário.
Primeiro, a STV disse que foi construída para uso do Irmão Rutherford quando de fato, de acordo com o próprio Rutherford, a casa foi construída para os patriarcas de Hebreus!
Segundo, o escritor das citações do Anuário cita Rutherford falsamente, fazendo com que Rutherford diga o oposto do que ele disse de fato.
O autor do Anuário cita o livro Salvação, escrito por Rutherford que menciona Beth-Sarim. Porém, o autor do Anuário só conta parte da história. Mais acima neste artigo, a citação completa do livro Salvação foi exposta. Comparando as duas citações, vemos que claramente a STV mentiu.
Embora Rutherford reivindicasse ter sabedoria profética, ele fez muitas falsas profecias. Uma destas profecias concerniu a predição de 1925, relativa ao retorno de Abraão e outro patriarcas bíblicos. O encobrimento destes problemas embaraçosos do passado na época atual tem dado trabalho a STV, pois são falsas profecias, mas a fim de abafar os fatos, a Sociedade mente novamente. Talvez pior de tudo, é o fato que fazendo assim, a STV está mentindo agora aos próprios seguidores.
Com as informações acima, nós podemos ver que Rutherford está na galeria dos falsos profetas. Isto é vergonhoso para uma organização que se auto declara "o canal de Deus para os homens". Há muitas outras "profecias" não cumpridas na STV.
O Que a Bíblia diz sobre isso?
 
"Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás". Deuteronômio 18:22
Veja a "casa":

As Testemunhas de Jeová e a Doutrina da Trindade – 2ª


Doutrina da Trindade
 
Introdução
 
Um dos pontos da doutrina cristã mais atacado, é o referente à doutrina da Trindade.
 
A maioria das seitas, como Mórmons, Espiritismo, Testemunhas de Jeová, entre outras, ou distorce, ou nega tal doutrina.
 
Porém negar a Trindade e dizer que Jesus é uma criatura, não é uma heresia nova, pois tal idéia foi defendida por Ário (256-336 d.C.), já no terceiro século de nossa era. Iremoa tecer alguns comentários sobre a doutrina, sem contudo fazer um grande aprofundamento teológico da mesma, mas faremos uso de argumentos baseados nas Escrituras, que sejam suficientes tanto para entender a doutrina, tanto para derrubar os argumentos infundados da Sociedade Torre de Vigia (STV).
A STV afirma que como a doutrina da Trindade não pode ser entendida, não deve ser aceita, pois Deus não é Deus de confusão. (I Co 14:33).
Antes de explicar a doutrina, faremos uma citação de um trecho de uma publicação da STV: (Salmos 90:2) "Antes de nascerem os próprios montes ou de teres passado a produzir como que com dores de parto a terra e o solo produtivo, sim, de tempo indefinido a tempo indefinido, tu és Deus." Há lógica nisso? Nossa mente não pode compreender isso plenamente.
Mas não é uma razão sólida para o rejeitar". Raciocínio à Base das Escrituras, p. 123.
Partindo da citação acima, e comparando-a com o argumento da STV de que a doutrina da Trindade não deve ser aceita por estar além da razão, a STV terá duas alternativas: negar a eternidade de Deus, ou aceitar a Trindade. Quanto à doutrina da Trindade não poder ser entendida, e ser confusa, nós discordamos. A doutrina da Trindade só não é entendida pelos não crentes, pelos novos na fé, ou pelos que não se dão o tempo de estudá-la. Apesar da doutrina poder ser entendida, não podemos porém esgotar o assunto, pois agora conhecemos em parte (I Co 13:12), mas podemos sim verificar nas Escrituras argumentos suficientes para que tenhamos uma idéia clara e definida.
As principais dúvidas ocorrem por que não se sabe diferenciar Trindade e Triunidade. Este geralmente é o ponto no qual a STV faz confusão. Trindade não é triteísmo. A STV, para dizer que a doutrina da Trindade tem origem pagâ, apresenta várias tríades de deuses. Mas em todos os exemplos citados, são apenas três deuses, geralmente de religiões politeístas, e não uma trindade.
 
Deus não tem três substâncias, mas sim uma só.
 
Deus é Triúno em Sua forma de existir. Diz-se que o Filho é uma pessoa, o Espírito outra, e o Pai outra, mas a palavra pessoa denota individualidade substancial e moral. Por este motivo, é um pouco "perigoso" usar a palavra pessoa para descrever a Trindade. Não há distinção moral, ideal ou substancial na Divindade.
 
Há distinção de ministério. Uma "Pessoa" da Divindade, nunca discorda da outra, pois há unidade. Não devemos confundir as pessoas (Jesus não é o Pai, o Pai não é o Espírito Santo, e o Espírito Santo não é Jesus), mas não devemos dividir as substâncias. Pode parecer um pouco confuso, mas não é. As dúvidas serão dirimidas com o decorrer do estudo, verificando-se o que foi exposto acima, nas Escrituras Sagradas.
Mas vamos ao que interessa: a doutrina da Trindade. Partiremos de argumentos que defendem e que negam a Trindade, e faremos a exposição de contra-argumentos, mostrando qual a verdade diante das Escrituras. A STV afirma que a cristandade (como chamam os cristãos que não fazem parte da seita), por defender a Trindade, é politeísta. Isso ocorre devido ao fato da STV não entender e não estudar a doutrina.
 
Afirmamos que a STV que é politeísta, pois ela afirma que Jesus é um deus, que o diabo é um deus, e que homens podem ser deuses. É verdade que as Escrituras chamam o diabo (deus deste século), e algumas vezes homens de deuses. Mas tais não são deuses por natureza, mas o são por que alguém (ou eles próprios) os consideram como tal.
"Outrora, quando não conhecíeis a Deus, servíeis aos que por natureza não são deuses;" Gálatas 4:8
 
A Bíblia afirma claramente que há um só Deus: "um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos." Efésios 4:5-6
 
“Vós sois as minhas testemunhas, do Senhor, e o meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais e entendais que eu sou o mesmo; antes de mim Deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá." Isaías 43:10
 
"Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu Redentor, o Senhor dos exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus." Isaías 44:6
 
Existe somente um Deus!
 
É isso que a Bíblia afirma. Como as testemunhas de Jeová afirmam que Jesus é um deus menor que Jeová? É por que a crença da seita contradiz a Bíblia.
 
As TJ consideram somente ao Pai como Jeová, mas Jeová é Triúno! Se não fosse assim, a Bíblia estaria se contradizendo, pois se há somente um Deus, como pode Jesus ser Deus, se ele não é Jeová?
 
As Escrituras deixam bem clara a Deidade de Jesus, o que comprova a Trindade:
"de quem são os patriarcas; e de quem descende o Cristo segundo a carne, o qual é sobre todas as coisas, Deus bendito eternamente. Amém." Romanos 9:5
 
"Mas do Filho diz: O teu trono, ó Deus, subsiste pelos séculos dos séculos, e cetro de eqüidade é o cetro do teu reino." Hebreus 1:8
"aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus," Tito 2:13
 
Podemos verificar claramente nos versículos acima, que Jesus é Deus. Isto confirma a doutrina da Trindade, pois como há somente um Deus, e Jesus é Deus, logo Deus Pai e Deus Filho fazem parte de uma Trindade. A STV geralmente anda em círculos, pulando de versículo em versículo (fora de contexto) para contradizer a Trindade. Mas se quisermos refutar as doutrinas da Trindade deverão refutar também a Bíblia. Jesus é Deus (Jo 20:28), o Pai é Deus (Sl 90:2); homens não são deuses (Ez 28:2; Ez 28:9).
 
Um argumento da STV, para negar que Jesus é Deus, é I Co 8:6: "todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós também."
 
A STV usa este versículo para afirmar que somente o Pai é Deus. Mas como todos os argumentos da STV são inconsistentes, estes não poderia fugir à regra. Se nós usarmos este versículo para dizer que somente o Pai é Deus, deveremos também afirmar que somente o Filho é Senhor, e isto contraria a Escritura (Mt 11:25)
 
O que diziam os Pais Pré-Niceianos sobre a Trindade?
 
As Testemunhas de Jeová, a fim de dizerem que a crença na Trindade foi um desvio doutrinário do terceiro século, dizem que os primeiros cristãos não a ensinavam. Mas neste documento, nós veremos as opiniões de alguns pais da igreja sobre este assunto, e verificaremos a falta de embasamento na verdade da parte daquela que se diz "organização de Deus".
 
Justino Martir (100-165 aD): Justino afirmava que muitas vezes se referiam a Jesus como um anjo, mas isto se devia ao fato de de Cristo ser Deus, e muitas vezes assumir a aparência de um anjo. Justino também afirmava que "o Pai tem um Filho, e Ele, sendo o primogênito Verbo de Deus, é o próprio Deus. Nos tempos antigos, Ele apareceu na forma de fogo e na semelhança de um anjo a Moisés e aos demais profetas."
 
Em outro trecho, Justino afirma que Jesus é "tanto Deus como o Senhor dos Exércitos"
 
(2). Justino acreditava também em uma forma rudimentar na "trindade". Declarou que os cristãos adoravam ao Pai, "ao Filho (que veio da parte dEle…) e ao Espírito profético"
(3). Que o Filho e o Espírito são Deus, fica subentendido, pois "somente a Deus se deve adorar e prestar culto"
(4). Irineu (125-202aD): Irineu defendia um conceito do Pai, do Filho e do Espírito Santo que era implicitamente trinitariano. Desta maneira, declara que a Igreja tem sua fé "em um só Deus, o Pai Onipotente, Criador do Céu e da Terra, do mar e de tudo o que neles há; e em um só Cristo Jesus, o Filho de Deus que se encarnou para a nossa salvação; e no Espírito Santo, que proclamou mediante os profetas as dispensações de Deus", e no mesmo contexto, fala de "Cristo Jesus, nosso Senhor, e Deus, e Salvador, e Rei"
(5). Irineu escreve a respeito de "Cristo Jesus, o Filho de Deus: que por causa do Seu amor incomparável a Sua criação, condescendeu em ser nascido da virgem, sendo que Ele mesmo uniu em Si a humanidade com Deus…"
(6). Desta forma, Irineu defendia a "trindade na unidade", e também defendia que Jesus é tanto Deus como homem. Clemene de Alexandria (150-215 aD): Clemente sustentava que Cristo é "realmente a Deidade plenamente manifesta, sendo Ele feito igual ao Senhor do universo; porque Ele era o Seu Filho,"
(7). e o mesmíssimo Deus que o Pai
(8). Clemente chamou Cristo explicitamente de "o Filho eterno"
(9) e negou que o Pai tenha existido nalgum tempo sem o Filho
(10).
 
Notas:
Justino, o Mártir: Primeira Apologia 63, em The Ante-Nicene Fathers: Translation of the Fathers down to A.D. 325, ed. Alexander Roberts e James Donladson, edição revisada A. Clevland Coxe (Grand Rapids: Wiliams B. Eerdmans Publishing Co., 1969 reimpressão [orig. 1885]), 1:184; doravante citado como ANF.
Justino o Mártir: Diálogo com Trifao 36 em ANF, 1.212.
Justino o Mártir, Primeira Apologia 6, em ANF 1:164.
Ibd., 16,17 em ANF, 1:168.
Irineu, Contra Heresias 1.10.1 em ANF, 1:330.
Ibd., em ANF, 1:417
Clemente de Alexandria: Exortação aos Pagãos, 10, em ANF, 2:202.
Clemente: O Instrutor 1.8, 1.11 em ANF, 2:206.
Clemente: Exortação aos Pagãos 12, em ANF, 2:206.
Clemente : Miscelaneas (Stromata), 5.1, em ANF 2.444.
 
 
Adorar somente a Deus
 
Todos nós sabemos que somente a Deus se deve adorar. Somente Ele é digno de adoração. A adoração que não é dirigida a Deus, é idolatria, a qual é altamente condenada. Vamos ver estas coisas na Bíblia:
 
Respondeu-lhe Jesus: Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Lucas 4:8
Guardai-vos para que o vosso coração não se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e os adoreis; Deuteronômio 11:16
Sendo assim, a adoração dirigida a qualquer outro ser ou objeto, que não seja Deus, é altamente condenada (Ex 20:4; Lv 26:1; Is 42:8). Por este motivo, se Jesus não fosse Deus, ele não seria e nem aceitaria adoração. Podemos verificar nas Escrituras, as várias vezes em que
 
Jesus é adorado, e aceita a adoração:
"Então os que estavam no barco adoraram-no, dizendo: Verdadeiramente tu és Filho de Deus". Mateus 14:33
"E eis que Jesus lhes veio ao encontro, dizendo: Salve. E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés, e o adoraram". Mateus 28:9
"E outra vez, ao introduzir no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem." Hebreus 1:6
Jesus tanto é adorado, como aceita a adoração, e até o Pai ordena que os anjos o adorem. Esta é uma prova incontestável da divindade de Jesus. A STV, como não pode contestar isto, fez algo impressionante: alterou a Bíblia. Em todas as passagens em que Jesus é adorado, a STV substituiu adorar por prestar homenagem.Parece ser uma acusação um pouco "forte", mas é a verdade.
A palavra grega que é traduzida para adorar, é proskyneo (se lê prosquinô). Proskyneo, se encontra relacionada ao Pai (Mt 4:10; Jo 4:24; Ap 7:11), a anjos (Ap 22:9), a homens (At 10:25), a Jesus (Mt 2:2, 8:2, Jo 9:38), e a ídolos (At 7:43). Esta mesma palavra, traduzida por adorar se referindo ao Pai, quando se refere a Jesus, a STV muda para prestar homenagem. Isto demonstra claramente que quando a Bíblia não sustenta uma crença da STV, ela (a Bíblia), é "adequada" a crença.
Uma prova clara disto, é que a TNM, edição de 1967, trazia em Hb 1:6 a palavra "adorar", mas na edição posterior, mudaram a tradução para "prestar homenagem". Esta é apenas uma das várias corrupções de texto da TNM .
Jesus é adorado, da mesma forma que o Pai é adorado. Jesus pode ser adorado, por que ele é Deus!
Jesus é menor que o Pai?
 
Um dos argumentos usados pelas Testemunhas de Jeová para afirmar que Jesus não é Deus, é dizer que ele é menor. Infelizmente teremos que dizer novamente que as Testemunhas de Jeová não conhecem a doutrina da Trindade (Jd 10). Segundo a doutrina da Trindade, Jesus quando veio ao mundo, se "despiu" de seus atributos divinos (mas não de sua divindade, pois continuou sendo Deus) tornando-se semelhante aos homens.
Jesus realmente afirma ser ele menor que o Pai.
 
"Ouvistes que eu vos disse: Vou, e voltarei a vós. Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que eu vá para o Pai; porque o Pai é maior do que eu". João 14:28
"Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai". Mateus 14:28
Mas isto se deve ao fato dele ter se humilhado. Jesus foi menor que o Pai, pois assumiu forma humana. Antes do "Verbo se fazer carne", e após a ressurreição, Jesus é igual ao Pai. Jesus tomou sobre si a natureza humana. Nós podemos observar nos versículos abaixo que Jesus se humilhou:
 
"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai". João 1:14
"mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens;" Filipenses 2:7
Mas Jesus foi novamente glorificado após a sua ressurreição:
"Ora, isto ele disse a respeito do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito ainda não fora dado, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado". João 7:39
"Agora, pois, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse". João 17:5
"E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra". Mateus 28:18
Outro argumento que a STV usa para dizer que Jesus não é Deus, é dizer que Deus não é homem (Nm 23:19), e Jesus é (I TM 2:5). Esta é mais uma falácia da STV.
 
Jesus é tanto Deus (Jo 20:28), como homem. Isto não é contraditório. Homens são criaturas, mas Jesus, sendo Deus, assumiu a forma das criaturas. Jesus nem sempre teve a natureza humana (Jo 1:14). As falácias da STV parecem ter fundamentos, mas na verdade são apenas falácias.
 
Como se tudo isso ainda não bastasse, a STV inventou outro argumento, a fim de tentar defender que Jesus mesmo restrito, ainda é menor que o Pai. O argumento está fundamentado no fato de Jesus, mesmo após a sua ressurreição, ser submisso ao Pai. Há vários argumentos que desmontam esta inconsistente afirmação.
 
Por exemplo, a Bíblia nos diz que os filhos devem ser submissos aos pais. Agora eu pergunto às TJs: isto indica que o filho tenha uma natureza inferior a do pai? É claro que não, pois tanto o filho como o pai tem natureza humana. Da mesma forma, a submissão de Jesus ao Pai não indica inferioridade de natureza, pois tanto Jesus como o Pai tem a mesma natureza, sendo que nenhum é inferior ao outro.
Jesus é criatura?
Uma das maiores heresias defendidas pela STV, e a afirmação de que Jesus é um ser criado. Esta heresia surgiu no terceiro século de nossa era, e foi defendida por Ário, o qual afirmava que Jesus era um ser criado, não da mesma substância e nem co-eterno com o Pai. Ário foi várias vezes censurado, mas persistiu em sua heresia. Hoje, os maiores defensores do Arianismo são as Testemunhas de Jeová.
Usam basicamente três versículos mal interpretados e arrancados do contexto para defender esta idéia. Irei expor cada um separadamente, demonstrando os argumentos da STV, e a resposta a eles. "o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;" Colossenses 1:15 Este versículo é usado pela STV para afirmar que Jesus foi o primeiro ser a ser criado por Jeová. Alega a STV que como Jesus é o primogênito de toda criação, ele é o primeiro a ser criado em toda a criação. Esta é uma das maiores falácias da STV. Se nós analisarmos a fundo o versículo, concluiremos algo completamente diferente.
Se o termo primogênito significa o primeiro a ser criado, então Jesus foi criado pela criação!
 
Por exemplo:
Felipe é o primogênito de Marcelo. Marcelo foi quem gerou Felipe.
João é o primogênito de Cláudio. Cláudio foi quem gerou João.
Jesus é o primogênito de toda criação. Toda a criação foi quem gerou Jesus.
Pode-se ver assim a inconsistência do argumento da STV. Neste versículo, o termo primogênito significa herdeiro, e não primeiro a ser criado. Jesus é o herdeiro de toda a criação, pois tudo foi criado por ele, e para ele (Cl 1:16).
 
Outro versículo usado pela STV é o seguinte:
"Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:" Apocalipse 3:14
Na Brochura "Deve-se Crer na Trindade" de 1989, página 14, encontramos o seguinte comentário sobre este versículo:
"Jesus, na sua existência pré-humana, era "o Primogênito de toda criatura". (Colossenses 1:15, BJ) Era "o princípio da criação de Deus".(Revelação Apocalipse 3:14, Bíblia Vozes BV) "Princípio" (grego: arkhé) não pode corretamente ser interpretado para significar que Jesus era o "principiador" da criação de Deus. Em seus escritos bíblicos, João usa diversas formas da palavra grega arkhé mais de 20 vezes, e estas sempre tem o significado comum de "princípio". Sim, Jesus foi criado por Deus como o princípio das criações invisíveis Deste."
Nós poderemos verificar a primeira mentira, quando lemos que João em seus escritos sempre usa arkhé com o sentido de "princípio". Este princípio que a STV está querendo dizer, é "a primeira coisa", fazendo assim com que o texto de Ap 3:14 diga que Jesus foi o "primeiro criado". João, geralmente usa a palavra arkhé para "um ponto inicial no tempo"(Jo 1:1; 8:28; 8:44; 15:27; 16:4; Ap 21:6; 22:13), e não "o primeiro de uma série" (Só ocorre uma vez, em Jo 2:11). No restante da Bíblia, a palavra também é traduzida para "principados" como por exemplo em Rm 8:38, 1 Co 15:24; Cl 1:16, etc, ou ainda por governadores (Lc 12:11; Tt 3:1).
A palavra, quando se refere a pessoas, significa Governo, ou Soberano(Lc 12:11; 20:20; Tt 3:1), e como arkhé em Ap 3:14 refere-se a Jesus, esté é o sentido desta palavra. Jesus é soberano sobre a criação, pois tudo foi feito por ele, e para ele (Cl 1:16-17).
Finalmente, a STV apela para outro versículo, completamente fora de contexto:
"O Senhor me criou como a primeira das suas obras, o princípio dos seus feitos mais antigos". Provérbios 8:22
As Testemunhas de Jeová argumentam que Jesus é esta sabedoria. Dizem ainda que muitos peritos concordam com isto. Mas há vários motivos para que esta "tese" seja refutada. Em primeiro lugar, esta sabedoria não se refere a Cristo. A sabedoria é personificada no livro de provérbios do capítulo 1 ao 9. Se nós observarmos bem (e não arrancar o versículo de seu contexto), veremos que esta mesma sabedoria habita com a prudência. Se a sabedoria é Jesus, quem é a prudência, que mora com ele (Pv 8:12)?
Jesus é uma mulher que grita nas ruas e nas praças (Pv 1:20-21)? A sabedoria é minha irmã, e o entendimento o meu amigo íntimo (Pv 7:4)? Assim fica claro que a sabedoria é personificada, da mesma forma que a prudência, e o entendimento. É forçar o texto, afirmar que
Jesus é a sabedoria.
Outro motivo para que se afirme que o versículo não diz que Jesus é um ser criado, é que, mesmo que consideremos tal sabedoria sendo Jesus, o texto não diz que tal sabedoria foi criada. A palavra traduzida para criar, é quanah, mas o seu sentido, não é este. Quanah aparece em Pv 1:5; 4:5 15:32;, e em dezenas de outras passagens, e nestas passagens é traduzida por "adquirir" ou "comprar". Este é o sentido da palavra, e assim, cai por terra o argumento de que Pv 8:22 diz que a sabedoria foi criada. A sabedoria foi estabelecida desde a eternidade (Pv 8:23), isto quer dizer que não teve começo (compare com Sl 90:2). Deus sempre teve sabedoria.
 
Com isto, nós vemos que os argumentos da STV para defender a idéia de que Cristo foi criado, se baseiam em três versículos tirados de contexto, e mal interpretados. Mesmo que interpretássemos tais versículos da forma absurda que a STV interpreta, teríamos uma infinidade de outros versículos que comprovam a eternidade de Jesus. Jesus é eterno (Ap 1:17; Jo 1:1; Mq 5:2;)!
 
Há um só Salvador
 
Nós podemos verificar que uma das coisas que as Escrituras afirmam, é que há somente um salvador. Quem é esse "um só salvador?" É Jeová!
Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador". Isaías 43:11
Nós sabemos que a Bíblia não se contraria. Há somente um salvador, e este salvador é Jeová. Mas vamos observar quem, mais adiante é chamado de salvador:
"aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,"Tito 2:13
"Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo." 2Pedro 1:11
"É que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor"". Lucas 2:11
Como pode ser isto? A única resposta é: Jesus é Jeová. As Testemunhas de Jeová consideram somente o Pai como Jeová, mas Jeová é Triuno. O Pai é Jeová, o Filho é Jeová, e o Espírito Santo é Jeová. Quando tentamos mostrar às Testemunhas de Jeová que Jesus é Jeová, nos são apresentados versículos em que o Pai e o Filho são vistos separadamente, como em At 7:55. Isto se deve ao fato das Testemunhas não conhecer a doutrina da Trindade, pois esta não afirma que o Pai é o Filho (como fazem os mórmons).
 
Quem é o Primeiro e o Último?
 
Pode haver somente um Primeiro e Último. As escrituras nos mostram isto. Deus é o Primeiro e o Último:
"Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu Redentor, o Senhor dos exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus". Isaías 44:06
"Escuta-me, ó Jacó, e tu, ó Israel, a quem chamei; eu sou o mesmo, eu sou o primeiro, e também sou o último". Isaías 48:12
Agora observe os seguintes versículos que afirmam que Jesus é o Primeiro e o Último:
"Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto e reviveu:" Apocalipse 2:8
"Quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último." Apocalípse 1:17
 
Esta é uma prova incontestável da Triunidade de Deus. Não pode haver dois primeiros, nem dois últimos. Há somente um primeiro e último!

As Testemunhas de Jeová negam a deidade do Espírito Santo – 3ª Parte


O Espirito Santo
 
As Testemunhas de Jeová negam tanto a deidade do Espírito Santo, como sua pessoalidade, afirmando ser ele uma "força ativa" impessoal. Um dos primeiros argumentos usados para defender esta idéia é:
 
Como pode o Espírito Santo ser uma pessoa, e alguém estar cheio dele, e ele habitar em alguém?
 
Esta é uma grande falácia da STV. Agora perguntamos à STV:
Satanás é uma pessoa (isto a STV concorda). Como pode ele habitar em alguém? Como pode alguém estar "cheio dele?". (Lc 22:3)
 
Isto comprova que o argumento da STV é uma falácia. Uma das características das "provas" da STV é a inconsistência.
Não sei o que a STV entende por "pessoa", pois todos os atributos do Espírito Santo nos fazem concluir que ele é uma pessoa. Não são somente alguns atributos, ou uma "personificação", pois nada que é personificado na Bíblia tem todos estes atributos, e ainda os atributos divinos. É impossível mentir ou entristecer a uma "força impessoal" (ou será que as TJ conseguem mentir à eletricidade?). O Deus das Testemunhas de Jeová precisa de uma "força", ao passo de que o dos cristãos é onipotente por si só! Se o Espírito Santo é uma "força impessoal", Deus também é, pois Deus é Espírito!
 
"Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade". 2Coríntios 3:17
 
Eis alguns atributos pessoais e divinos do Espírito Santo:
 
É inteligente (1 Co 2:10-11; Rm 8:27);
Tem vontade própria (1 Co 12:11);
Pode se entristecer (Ef 4:30; Is 63:10);
Ele fala (Ap 2:7; Gl 4:6);
Ele chama (At 13:2; At 20:28);
Pode-se mentir a ele (At 5:3);
Ele é eterno (Hb 9:14);
Ele é onisciênte (1 Co 2:10-11);
Ele é onipotente (Lc 1:35);
Ele é onipresente (Sl 139:7-10);
 
EU SOU
 
Vários textos na "Bíblia" da STV foram adulterados, a fim de fundamentar heresias. Um deles se encontra em João 8:58, texto o qual identifica Jesus como Jeová. Veja abaixo, como o versículo se encontra na Bíblia Sagrada, e como ele foi distorcido na TNM:
Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU. João 8:58 (Almeida Revista e Atualizada)
Jesus disse-lhes: "Digo-vos em toda a verdade: Antes de Abraão vir à existência eu tenho sido". João 8:58 (TNM)
Mas por que há esta diferença? É por que João 8:58 identifica Jesus como Jeová, o Grande Eu Sou, que apareceu a Moisés:
"E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós." Êxodo 3:14
Sendo assim, se a STV assume que Jesus é o EU SOU do Antigo Testamento, tem de assumir a doutrina da Trindade. Como a Bíblia não sustenta a religião do Corpo Governante, este tem de modificar sua "Bíblia". Antes de começarmos uma exegese destes textos, veremos o que a "organização de Deus" diz para se defender.
 
"A expressão em João 8:58 é muito diferente daquela usada em Êxodo 3:14. Jesus não a usou como nome ou título, mas sim como maneira de explicar a sua existência pré-humana. Assim, note como outras traduções bíblicas invertem João 8:58:…" Deve-se Crer na Trindade? pag. 26
 
Neste ponto, a brochura cita algumas traduções que apóiam suas doutrinas. Como é de praxe, a STV sempre cita obras quando estas apóiam suas doutrinas; porém quando não é assim, as obras são considerados "lixos".
 
Mas o ponto ao qual queremos chegar, é que a brochura afirma que "a expressão em João 8:58 é muito diferente daquela usada em Êxodo 3:14". Verificaremos por que isso é uma mentira, com base nos seguintes dados: Tanto Jesus, como Paulo, o autor de Hebreus, e os demais, sempre faziam suas citações usando a Septuaginta. A Septuaginta é a tradução para o grego dos livros do Antigo Testamento (escritos originalmente em hebraico). O fato de Jesus, Paulo, etc. fazerem uso da Septuaginta, indica que esta era de grande circulação, e também que todos conheciam o seu texto.
 
Da mesma forma, o grego era a língua em que se deu o diálogo entre Jesus e os Judeus, descritos nesta passagem. Tendo isso como base, verificaremos o texto de Êxodo 3:14 na Septuaginta, e o compararemos com o texto grego de João 8:58.
kai eipen o Theos pros Mousen ego eimi o on. Kai eipen Outos ereis tois uiois Israel O on apestalken me pros umas. (Ex 3:14 – Septuaginta) eipen autois Iesous, Amen amen lego umin, prin Abraam genestai ego eimi. (Jo 8:58 – Novo Testamento Grego)
Veja que tanto na Septuaginta, como no N.T. Grego, aparecem as palavras EGO EIMI, as quais significam "EU SOU". Desta forma, podemos ver claramente que quando Jesus disse "ego eimi", os Judeus logo ligaram com o "ego eimi" do Antigo Testamento. A STV pode adulterar o texto da forma que quiser, mas não poderá negar a verdade de que a mesmíssima expressão (EGO EIMI) aparece tanto em João, como em Êxodo.
 
Outra prova incontestável de que os Judeus entenderam que Jesus se auto-identificou como sendo o EU SOU do Antigo Testamento, é a seguinte: há cinco razões que podem condenar uma pessoa à morte por apedrejamento, segundo a Lei:
 
– invocação de mortos (Lv 20:27)
– blasfêmia (Lv 24:10-13)
– falsa profecia (Dt 13:5-10)
– filhos rebeldes (Dt 21:8-21)
– adultério / estupro (Lv 20:10; Dt 22:22-24)
 
Veja que os Judeus ajuntaram pedras para apedrejar a Jesus (Jo 8:59). Qual dos motivos acima citados Jesus estava se enquadrando, segundo a visão deles, para ser sentenciado? É claro que é por blasfêmia (veja Jo 10:30-33): "Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar.
 
Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais? Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo." Os Judeus entenderam claramente o que Jesus quis dizer com "EU SOU", pois por isso, por Jesus afirmar ser o grande EU SOU, o Deus, eles quiseram o apedrejar por blasfêmia.
A Mesma expressão que eles conheciam da Septuaginta, ou seja, "ego eimi", a qual Deus usou para se identificar, Jesus estava usando para si. A Expressão "ego eimi" também se encontra em Dt 32:39, onde se encontra a afirmação de que somente Deus é o EU SOU (ego eimi).
Agora, iremos verificar mais um ponto contra a posição da STV sobre este versículo: a tradução errônea em sua "Bíblia". O texto grego não admite sob forma alguma a tradução de "ego eimi" para "eu tenho sido". O Pr. Esequias Soares da Silva, em seu livro Como Responder às Testemunhas de Jeová, vol. 1, p. 109 explica com clareza este fato:
"’EU SOU" no texto grego aqui é ego eimi e não permite em hipótese alguma a tradução "eu tenho sido". Essa tradução da TNM é uma violação inescrupulosa da gramática e uma distorção do que a Bíblia ensina. O verbo grego eimi, "sou", no infinitivo emai "ser", é defectivo e não tem perfeito nem aoristo. Esses "tempos" verbais (aspectos verbais) vêm suprimidos pelo perfeito e aoristo do verbo ginomai e se a expressão "eu tenho sido" fosse autêntica aqui, nessa passagem o verbo seria gegona. Além do mais, o verbo "ser" está desprovido de tempo, não encerrando portanto a idéia de tempo. Com isso, Jesus está dizendo que é eterno. A idéia de tempo aqui, nessa passagem, recai sobre a palavra prin "antes", e o acentuado contraste entre os verbos gregos "existisse" ginomai e eu "sou" (eimi) mostra que mesmo antes de Abraão existir Jesus já existia eternamente. Com isso, Jesus se identificou com o grande "EU SOU" de Êx 3.14."
 
Agora que vimos com clareza que Jesus é realmente o EU SOU, gostaria de frizar a importância que o texto da em reconhece-Lo como tal. Recomendo a leitura de Jo 8:21-59. Vejamos alguns textos desta passagem, onde Jesus afirma ser o EU SOU (ego eimi):
"Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que EU SOU (ego eimi), morrereis em vossos pecados." (v. 24)
"Disse-lhes, pois, Jesus: Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis quem EU SOU (ego eimi), e que nada faço por mim mesmo; mas falo como meu Pai me ensinou".(v. 28)
Veja agora dois versículos onde "ego eimi" se encontra na Septuaginta:
"E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós". (Êxodo 3:14)
"Vede agora que eu, EU SOU, e mais nenhum deus há além de mim; eu mato, e eu faço viver; eu firo, e eu saro, e ninguém há que escape da minha mão". (Deuteronômio 32:39)
Mesmo que a tradução de "ego eimi" fosse "eu tenho sido", o que vimos que não é correto, os Judeus teriam entendido o que Jesus disse, pois conheciam a Septuaginta, onde o próprio Deus se autoproclamou como o Ego Eimi. A Septuaginta foi traduzida aproximadamente no ano de 250 a.C., e era de grande circulação, pois a língua grega dominava quase todo o mundo da época. Esta tradução visava a conveniência dos Judeus de fala grega que não conheciam o hebraico. Como o grego era a "língua popular" da época, sua leitura era muito abundante.
 
Mesmo pessoas que conheciam o idioma hebraico, como Paulo, e o autor de Hebreus, faziam citações da Septuaginta, o que indica que os Judeus a liam com freqüência

A “Bíblia” usada pelas Testemunhas de Jeová – 4ª Parte


A Tradução do Novo Testamento

Introdução

A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas (TNM), é a "Bíblia" usada pelas Testemunhas de Jeová. Esta tradução comete vários erros propositais, de modo que textos fiquem com suas mensagens completamente corrompidas.

O nome "Jeová" é adicionado ao Novo Testamento, sendo que em nenhum dos manuscritos mais antigos ele se encontra. Os pontos mais corrompidos são os que fundamentam a deidade de Jesus e do Espírito Santo.

Como a Bíblia não sustenta as crenças das Testemunhas, elas tiveram que inventar sua própria versão, corrompida e mutilada. Os estudos que se seguem mostrarão alguns pontos sobre a TNM.

O que dizem os conhecedores de Grego sobre João 1:1 na TNM?

A Bíblia usada pelas Testemunhas de Jeová é a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. Mas por que a STV teve de publicar uma Bíblia própria? Isso se deve ao fato de que o texto original não se adequa as doutrinas da seita, a qual mudou a tradução dos versículos a fim de fundamentar suas heresias.

Veja o seguinte exemplo:

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." João 1:1 – Almeida Revista e Atualizada

"No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a palavra era [um] deus." João 1:1 – Tradução do Novo Mundo

Mas qual a opinião dos conhecedores de Grego sobre a tradução de João 1:1 para "a Palavra era [um] deus" na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas?:

Dr. J. R. Mantey (o qual é citado nas paginas 1158-1159 da Kingdom interlinear Translation das próprias Testemunhas) "Uma chocante falha de tradução" "Obsoleta e incorreta." "Nenhuma pessoa com conhecimentos razoáveis iria traduzir João 1:1 para "O Verbo era um deus"

Dr. Bruce M. Metzger of Princeton (Professor de linguagem do Novo Testamento e Literatura): "Um espantoso erro de tradução." "Errôneo" e "pernicioso" "criticavel" " Se as Testemunhas de Jeová levam essa tradução a sério, elas são politeístas."

Dr. Samuel J. Mikolaski of Zurich, Switzerland: "É monstruoso traduzir a frase para o Verbo era um deus.’"

Dr. Paul L. Kaufman, de Portland, Oregon: "Com seu erro de tradução em João 1:1, as Testemunhas de Jeová demonstram um absmal desconhecimento das regras básicas da gramática grega."

Dr. Charles L. Feinberg, de La Mirada, California: "eu posso assegurar a vocês que a interpretação a qual as Testemunhas de Jeová dão em João 1:1 não é aceita por nenhum honrado conhecedor de Grego."

Dr. James L. Boyer, de Winona Lake, Indiana: "Eu nunca ouvi, ou li sobre qualquer estudioso de Grego que tenha aceitado a interpretação insistentemente defendida pelas Testemunhas de Jeová…" "nunca encontrei uma delas que tenha qualquer conhecimento da linguagem grega."

Dr. Walter R. Martin (não é professor de Grego, mas estudou a lingua): "A tradução …’um deus’ em lugar de ‘Deus’ é errônea e não é apoiada por qualquer conhecimento de Grego, antigo ou contemporâneo e é uma tradução rejeitada por todos conhecedores reconhecidos de Grego, muitos dos quais não são cristãos, e assim não defendem tal posição em favor de um ou outro."

Dr. William Barclay of the University of Glasgow, Scotland: "A deliberada distorção da verdade por esta seita é observada na sua tradução do Novo Testamento. João 1:1 é traduzido: …’o Verbo era um deus’, a qual é uma tradução gramaticalmente impossível. É altamente claro que uma seita que traduz o Novo Testamento assim, é intelectualmente desonesta."

Dr. Ernest C. Colwell da Universidade de Chicago: "O predicado definido nominativo tem artigo quando ele segue o verbo; e não tem o artigo quando ele precede o verbo … esta declaração não pode ser considerada como estranha no prólogo do evangelho, o qual atinge seu clímax com a confissão de Tomé: ‘Senhor meu e Deus meu’ – João 20:28"

Dr. J. Johnson da Universidade do Estado da California, Long Beach: "Não há qualquer justificação para traduzir THEOS EN HO LOGOS para ‘o Verbo era um deus’. Não há um paralelo sintático com Atos 28:6, onde há uma declaração em discurso indireto, e João 1:1 é direto … Eu não sou cristão, muito menos trinitariano"

Dr. Eugene A. Nida, chefe do Departamento de Traduções, American Bible Society: "Com respeito a João 1:1, há é claro uma absoluta confusão por que a Tradução do Novo Mundo foi aparentemente feita por pessoas que não levam a sério a sintaxe do Grego"

Dr. B. F. Wescott (cujo texto Grego – Não a parte em Inglês – é usado na Kingdom Interlinear Translation): "O predicado (Deus) estando enfaticamente primeiro, como em IV.24. É necessariamente sem o artigo. Não há idéia de inferioridade de natureza sugestionada pela expressão, a qual simplesmente afirma a verdadeira deidade do Verbo"

O que dizem as regras de gramática grega sobre a tradução de Tito 2:13 na TNM?

Um dos versículos que prova a deidade de Cristo é Tito 2:13. Poém, na TNM este versículo está corrompido, e isto é provado pela aplicação das regras de gramática grega no texto original.

Que regra de gramática Grega é esta? Não é outra, senão uma regra que todo o estudante aprende no primeiro ano de Grego, ou seja, a Regra de Granville Sharp. Esta regra aplica-se às últimas oito palavras encontradas em Tito 2:13. Esta regra afirma, "Quando a conjunção KAI conecta dois substantivos do mesmo caso, se o artigo HO ou qualquer de seus casos precede o primeiro dos substantivos chamados de particípios, e não é repetido antes o segundo substantivo do particípio, o último sempre relaciona à mesma pessoa que é expressada ou descrita pelo primeiro substantivo ou particípio; i.e., isto denota além disso uma descrição da primeira pessoa especificada." (A Manual of The Greek New Testament, Dana & Mantey, p. 147).

Em outras palavras, Jesus é claramente apresentado como Deus e Salvador!

Ele é "…nosso grande Deus e Salvador…" No Grego, a última parte deste belo verso belo, "TOU ( artigo definido, ‘o’) MEGALOU THEOU KAI (‘grande Deus e’, ou conjunção) SOTERIOS (‘salvador’ sem artigo definido) HEMON IESOU CHRISTOU (‘Jesus Cristo)."Assim, segundo a regra, a frase possui todos os requerimentos gramaticais, ou seja, Jesus é chamado claramente de Deus e Salvador.

A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, a qual é uma tradução da Bíblia muito pobre usada pelas Testemunhas do Jeová, obviamente comete um erro de tradução neste versículo importante das Sagrada Escritura de modo que a deidade de Cristo fica obscurecida. Está escrito: "…do grande Deus e [do] Salvador de nós, Cristo Jesus." A palavra "do" que está entre colchetes não está no texto Grego. Se essa palavra for apagada, a frase pode ser lida: "…o grande Deus e Salvador de nós, Jesus Cristo." Assim quando as palavras que não são encontradas no texto original são eliminadas, a declaração fica clara de que Jesus é Deus, o que concorda plenamente com as regras de gramática Grega.

Mas a Sociedade Torre de Vigia não pode assumir a correta interpretação deste texto pois este ensina que Jesus é Deus, e isto atrapalha a STV.

Este não é o único lugar no Novo Testamento Grego em que a deidade Cristo é proclamada pela mesma construção. Também a encontramos em II Pedro 1:1. Verdadeiramente, Cristo Jesus é Salvador e Deus ao mesmo tempo.

Mais contradições: A Sentinela de 15/09/98

Como nós já sabemos, a Sociedade Torre de Vigia se contradiz muito em suas publicações.

Por que? É devido ao fato das doutrinas não estarem de acordo com a Bíblia.

Nós primeiro procuramos conhecer a revista para depois fazer comentários sobre algo, para então poder dizer o que é e o que não é. Não fazemos como as Testemunhas de Jeová, que negam a doutrina da Trindade, sem conhecê-la (conhecem somente o que o Corpo Governante diz). Toda as vezes que lemos A Sentinela, nos deparamos com afirmações absurdas e contraditórias, e por este motivo, resolvemos tecer comentários, que provavelmente serão periódicos.

Comentário: A Sentinela de 15/09/98

Na capa da Revista, nós lemos: "ESTÁ ATENTO AOS NOSSOS TEMPOS?".

A revista fala sobre os sinais dos tempos, e como estes sinais (guerras, catástrofes, terremotos) nos mostram que o dia se aproxima. Até aí, tudo bem (apesar de ser uma característica de seita a ênfase escatológica). O problema começa com as contradições entre as doutrinas da STV, e os versículos citados na própria revista.

Umas das doutrinas anti-bíblicas das Testemunhas de Jeová, e que Jesus voltou em 1914, e está presente, mas invisível:

A Sentinela de 1 de junho de 1998, página 4, quarto parágrafo: "…Conforme esta revista tem explicado freqüentemente, a "presença" de Cristo Jesus começou em 1914. …"

Despertai! de 22 de maio de 1990, página 10, quarto parágrafo: "…Mas esta nuvem negra que paira sobre a humanidade apresenta horizonte esperançoso.

Jesus predisse que em sua presença, haveria "na terra angústia de nações, não sabendo o que fazer por causa do rugido do mar e da sua agitação, os homens ficando desalentados de temor e na expectativa das coisas que vêm sobre a terra habitada". Mas ele também disse que seria o tempo de "erguer a cabeça, porque o seu livramento se estaria aproximando". – Lucas 21:25-28. …" Brochura "Eis que Faço Novas Todas as Coisas", de 1987, página 23 e 24:

"Durante 35 anos antes de 1914, A Sentinela (agora revista de maior divulgação na terra) tinha trazido à atenção o ano de 1914 como marcado na profecia bíblica. Estas profecias começaram a ter um cumprimento notável em 1914. Uma delas é a profecia do próprio Jesus, proferida há 1900 anos, a respeito do "sinal" que apareceria no final do sistema de coisas, e que provaria que ele estava invisivelmente presente com poder régio. …"

A Sentinela de 15 de setembro de 1998, página 16, quinto parágrafo: "… Embora Jesus Cristo esteja presente como Rei desde 1914, ele ainda tem de julgar sistemas e pessoas antes de executar o julgamento nos que achar serem iníquos…."

Bem, segundo esta doutrina, Cristo já voltou, mas observe o seguinte: "Embora os cientistas talvez saibam quando uma erupção vulcânica é iminente, eles não podem dizer com precisão quando ocorrerá. Do mesmo modo, Jesus disse a respeito do fim deste sistema de coisas: "Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai." (Mateus 24:36)

Visto que não sabemos exatamente quando o atual sistema de coisas acabará, Jesus nos deu o seguinte aviso:

"Sabei isto, que, se o dono de casa tivesse sabido em que vigília viria o ladrão, teria ficado acordado e não teria permitido que a sua casa fosse arrombada. Por esta razão, vós também mostrai-vos prontos, porque o Filho do homem [Jesus] vem numa hora em que não pensais." – Mateus 24:43, 44. As palavras de Jesus mostram que o fim cataclísmico deste sistema pegará este mundo de surpresa "

A Sentinela de 15 de setembro de 1998, página 6

Vamos agora observar o seguinte: A STV está querendo dizer que a citação de Mateus 24:26, se refere ao fim dos tempos. Isto é verdade, mas os fins tos tempos ocorrerá com a vinda de Cristo! Se nós lermos toda a passagem (não tirando-a de contexto como faz a STV), nós veremos que Jesus está dizendo que "aquele dia" diz respeito a sua vinda: "Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do homem." Mt 24:37

Assim sendo, como o Texto refere-se a vinda de Cristo, e não nos cabe saber tempos e épocas(Mt 24:36), ou seja, não podemos calcular quando será este dia, eu pergunto: Como a STV fez cálculos (que contradizem a Bíblia e a arqueologia) para afirmar que Jesus voltou em 1914???

Somente com este dado, nós já podemos ver as contradições entre a Bíblia e as doutrinas da STV, e entre as próprias publicações da seita.

Mas vamos mais adiante:

Na citação, a própria STV cita Mateus 24:43, 44, a que afirma que "o Filho do homem vem numa hora em que não pensais". Mas eu pergunto às Testemunhas de Jeová: Segundo a doutrina da STV, Jesus não veio 1914? Crer nisto é falta de crítica. Mas não se pode criticar a STV e o Corpo Governante, pois a Testemunha que o faz pode corre o risco de ser "excluída" da "Organização de Deus". Pode parecer que estamos sendo agressivos com as Testemunhas de Jeová, mas não é nosso objetivo agredi-la, mas o nosso objetivo é mostrar a verdade tanto para as Testemunhas, como para os cristãos que têm algumas dúvidas.

Atacamos sim as doutrinas, pois são antibíblicas e contraditórias.

Não temos autoridade para julgar pessoas, mas devemos, como cristão compartilhar o que Deus nos ensina. Se você é Testemunha de Jeová, leia mais a Bíblia, e analise as citações dentro de seu contexto.

As doutrinas da STV são tão contrárias à Bíblia, que chegam a um ponto em que nem versículos fora de contexto as sustenta. Segundo a Bíblia, Jesus não voltou, invisivelmente em 1914, mas sim virá buscar a sua Igreja, e este momento não será aparente, mas sim visto por todos (Mt 24:27; Lc 17:24; At 1:10, 11; ICo 15:52).

Doutrina anti-bíblica: A Sentinela de 15/09/98

A revista A Sentinela deste mês traz na capa a seguinte pergunta: "QUEM REALMENTE CRÊ NA BÍBLIA?"

Para variar, a revista já começa atacando a "cristandade", afirmando que esta baseia suas doutrinas na tradição, e não na Bíblia. Cita vários textos de enciclopédias e outras obras fora de contexto para defender que algumas doutrinas cristãs não são bíblicas. Afirma também que muitos líderes religiosos não crêem no que pregam (o que algumas vezes infelizmente é a verdade).

Atacar as igrejas institucionalizadas é uma característica marcante de seitas exclusivistas.
Os comentários da revista fazem parecer que as doutrinas da STV é que estão de acordo com a Bíblia. Mas isto não é verdade. Existe uma (entre outras) doutrina da STV, que é baseada em material pagão e extra-bíblico. Esta doutrina sim é baseada em costumes e "tradição de homens".

Veja uma afirmação feita pela STV:

"As crenças das Testemunhas de Jeová, baseadas inteiramente na Bíblia, impedem que se tornem uma seita ou um culto" Despertai! de 8 de outubro de 1997, página 10

Bem, se uma seita é caracterizada por seus ensinos não estarem baseados inteiramente na Bíblia, então a STV é uma seita! Na revista de 15/10/98, na pagina 10, 13 parágrafo, nos é passada a informação de que Jerusalém foi destruída pelos babilônios em 607 aC. Isto parece não ter valor, mas se analisarmos, esta data fundamenta uma das doutrinas centrais da STV: o mito de que Jesus está presente desde 1914!

Sem a data 607 aC, não é possível chegar-se a 1914.

Agora te perguntamos: é possível obter a data de 607 aC usando-se somente a Bíblia? A resposta é NÃO!

A STV baseia esta doutrina em material extra-bíblico, tornando-se assim, segundo o que suas próprias publicações afirmam, uma SEITA.

E não é só isso!

Nada indica que Jerusalém tenha sido destruída em 607 aC. Nenhuma enciclopédia ou obra sobre história traz a data de 607 aC, mas sim 587 aC como a data deste evento

Carta ao Ancião das Testemunhas de Jeová – 5ª Parte


Prezado Sr. E Ancião das TJ:
 
Jesus Cristo fora enfático ao ensinar que se conhece uma árvore pelos frutos que produz (Mat. 12:33). Já os versículos seguintes dizem: 34. "Raça de víboras como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois o que há em abundância no coração, disso fala a boca". 35. "O homem bom tira boas coisas do seu tesouro, e o homem mau do mau tesouro, tira coisas más". 36. "Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo. 37. Por que por tuas palavras seras justificados e por tuas palavras serás condenado".
 
Portanto, não se trata, aqui, de conclusões precipitadas a respeito da sua pessoa. Antes, trata-se de conclusões tiradas das doutrinas (frutos) produzidas por você (a árvore). Mesmo porque, como vimos, a boca fala do que está cheio o coração, de modo que não se está fazendo julgamento a que se refere o Senhor Jesus, em Mateus 7; mas está-se identificando uma árvore pelos frutos por ela produzidos.
Esclarecendo isto, de outro lado estamos contentes que nos tenha mandado suas respostas.
 
Particularmente, acreditamos em sua sinceridade a despeito do que você pensa de nós. Cremos que se trata de uma pessoa à procura da verdade (e como vimos: JESUS É A VERDADE); entretanto, houve alguns maus entendidos de sua parte, os quais necessitam de esclarecimento:
 
Primeiro: não lhe chamamos de "tolo", apenas usamos o referido versículo com o fito a alertá-lo que não devemos responder no mesmo tom, como foram os seus primeiros e-mails. Já que não comungamos com esse tipo de conversa de baixo nível (acusações). Mesmo porque, de posse de farto material da própria STV e congênere, que inclusive, suficientes para desacreditar essa Organização (TJ), em nível moral, ético e religioso, deixamos de fazê-lo, por amor a assuntos relevantes como a verdade bíblica, por exemplo.
 
Importante ressaltar que não somos contra as pessoas pertencentes a essa seita, ao contrário; inadmissível comungar com as heresias propaladas pela STV, em defesa da fé genuinamente bíblica. Assim, neste mesmo diapasão, não somos contra a sua pessoa, apenas contra as doutrinas que povoam à sua crença que nada mais é do que um outro evangelho – Gálatas 1.8.
 
Segundo. Quando mencionamos os plágios, nem de longe imaginávamos que você estivesse às mãos alguma literatura da STV, pois disséramos que não lia mais esses livros; a menos que tenha mentido. Isto prova, mais do que qualquer coisa, que os argumentos e idéias jeovistas estão firmementes enraizados dentro de sua mente e coração, pois Mateus 15:18, diz: " Mas o que sai da boca procede do coração e isto contamina o homem."
 
Outrossim, ao contrário do que você diz, a STV jamais poderá lhe processar, pois está trabalhando para ela, ainda que indiretamente – Lucas 11.17; reino dividido não pode subsistir.
 
É verdadeira a afirmação de que religião não salva ninguém. Tanto é, como já fora explicitado no e-mail anterior, JESUS que é o caminho salva. Aliás, não somos os donos da verdade não, mesmo porque JESUS é a verdade. Lembramos, ainda, de Atos 4:12 que estabelece como verdade inequívoca que só e somente só, JESUS CRISTO SALVA..
 
Portanto, não é preciso pertencer à denominção religiosa qualquer para ser salvo. Isto é verdadeiro. No entanto, não se iluda, não se engane: é preciso guardar e praticar a palavra de Deus como condição, sine qua non, para obedecê-lo e seguir os seus caminhos. ( Tiago 1:22).
 
Diga-se A PALAVRA DE DEUS e não a SENTINELA e congêneres.
 
Partiríamos para o desmantelar da doutrina jeovista sobre Ego Eimi, no entanto, antes disso, já que você trouxe à baila outras doutrinas heréticas da STV, como por exemplo o "resgate"a "estaca", "paganismo", importante, pelo menos, refutar, de modo pincelado, algumas de suas considerações, lembrando que estes temas poderão ser melhores dirimidos oportunamente.
 
Dissera-nos que aceitara Jesus como seu Salvador e que religião não salva ninguém, bem como deu a entender que nós afirmamos que quem é TJ não tem salvação. Pois bem, só que a STV a qual você diz que lhe mudara a vida "Eu sempre estive muito contente com o que aprendi da Organização das Testemunhas de Jeová e minha vida passou a ter sentido a partir do momento em que eu conheci o verdadeiro Deus e seu Filho Jesus de verdade", diz exatamente o contrário.
 
O que diz a TORRE DE VIGIA sobre religião e salvação?
 
"Não conclua que existem várias estradas, ou caminhos, que poderá utilizar para ganhar a vida no novo sistema de Deus. Existe apenas uma. Foi apenas aquela única arca que sobreviveu ao dilúvio e não um sem-número de embarcações. E haverá apenas uma organização … VOCÊ PRECISA PERTENCER a organização de Jeová e fazer a vontade de Deus, a fim de receber à sua benção de VIDA ETERNA ( grifamos)." ( Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra, pág. 255).
 
Note que a organização se coloca sobre JESUS CRISTO o único CAMINHO. Então se você não pertencer à Organização que é o caminho, não terá vida eterna?
 
A organização vai mais além e declara às escâncaras: "UMA SÓ RELIGIÃO VERDADERIA. É somente lógico que haja uma só religião verdadeira… Não hesitamos em dizer que são as testemunhas de Jeová". (Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra, pág.190).
Realmente, você não poderia voltar para lá, já que se diz contra religião (coisa de homens) e a organização se auto denomina a única religião verdadeira. O que não dá para conceber é o fato de você dizer ter aceitado a Jesus lá!
 
Ora, Jesus é o caminho e não a organização que se coloca em posição supra Cristo. Aliás, marca registrada das seitas.
 
Sob a ótica da STV, o texto de S. João 14.6 assim poderia ser traduzido: "Eu (Organização) sou o caminho, a verdade e a vida".
Meu amigo, à bem da verdade, você jamais aceitara a Jesus "à maneira bíblica", como alardeia, mas à maneira da organização que acredita ser o caminho que leva a Deus. Heresia de perdição. II PEDRO 2.1-2:
 
"E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão, encobertamente, heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre a mesma repentina perdição. E muitos seguirão às suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade."
 
Então a organização é o caminho e não Jesus?
 
Mas que Jesus é esse que você aceitou lá?!!!!
 
Agora, vejamos a salvação à maneira da organização:
 
A) ter fé em Jeová; ( ob.cit. pág 250);
B) deverá haver obras; (ob.cit.pág. 25O);
C) pregar e ensinar de casa em casa (ob.cit. pág 253)
D) pertencer à organização (ob.cit. pág. 255) etc…
 
É interessante notar que esses requisitos foram alistados para conduzir o homem no caminho da salvação, menos um, aliás, o único requisito necessário: crer em Jesus,recebê-lo como Senhor e salvador pessoal como demonstra os seguintes versículos: Atos 16:30,31 – João 1:12 – Colossenses 2:6 – Romanos 10:9,10, e isto pela fé, mas parece que a Organização é contra a salvação conforme Paulo ensina.
 
Vejamos o que ele diz em Efésios 2:8,9:
 
" Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras …".
 
Há ainda,outro ponto a considerar que fora dito pelo Senhor, nos seguintes termos: "Nenhuma Testemunha de Jeová é seguidora de Russel".
 
Mas o que diz a Organização em um de seus periódicos?
 
"Todos os Estudantes da Bíblia, seguidores do Pastor Russel, sabem quão veementemente vem ele advertindo…"(O Mistério Consumado, pág. 126 – ed. 1917) É a sua palavra contra a da Organização! Ali está bem claro, SEGUIDORES!!
 
Mas hoje, é claro, eles receberam "novas luzes"e já não se consideram mais seguidores de Russel, bem pudera, depois de tantas besteiras e heresias que ele ensinou!!!! e até mesmo você concorda, pois disse: "Pela análise que faço das Escrituras, não só a "Torre de Vigia" dissemina heresia não!" (grifo nosso).
 
Realmente a STV dissemina heresias, e muitas!
 
Antes de adentrarmos à refutação das mesmas,devo apresentar porém a fé trinitária evangélica de modo sadio ao senhor,pois percebo que não a entende perfeitamente,caso contrário não faria declarações absurdas como as que seguem:
 
Eu acho que Cristo é divino sim, no entanto não é O Pai.
 
Não são a mesma pessoa! Isso não tem lógica e é contra o que EU vejo na Bíblia.
Também acreditamos desta maneira.
 
 
A FÉ TRINITÁRIA
 
O credo Atanasiano declara resumidamente:
 
"Nós adoramos um só Deus na Trindade, e a Trindade na unidade; sem confundir as pessoas nem dividir a substância. Pois existe a pessoa do Pai; outra do filho; e outra do Espírito Santo. Mas a Divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo é uma só;igual é a Glória, a Majestade Co-eterna… estamos proibido pela religião Católica (Universal) de dizer: existem três Deuses,ou três Senhores".
 
1. Deus é três pessoas
2. Cada pessoa é plenamente Deus
3. Há um só Deus.
 
1- Deus é três pessoas.
O fato de Deus ser três pessoas significa que o Pai não é o filho; são pessoas distintas. Significa também que o Pai não é o Espírito Santo, mas são pessoas distintas.E significa que o Filho não é o Espírito Santo. Essas distinções se mostram por todo o Novo Testamento.
 
2- Cada pessoa é plenamente Deus.
Além do fato de serem as três pessoas distintas. As escrituras também dão farto testemunho de que cada pessoa é plenamente Deus.
 
3- Só há um Deus.
As escrituras deixam bem claro que existe apenas um único Deus. As três diferentes pessoas da Trindade são um não apenas em propósito e em concordância no que pensam, mas em essência, um na sua natureza essencial.
 
As palavras UM e TRÊS exprimem dois conceitos diversos. O Um é usado dentro de determinado contexto, para indicar a existência de uma só e única natureza divina: um só Deus.O Três é usado dentro de um outro contexto que serve para indicar as pessoas divinas.
 
"Há um só Deus".
Essa é a expressão mais forte dentro do monoteísmo cristão. Contudo essa unidade de Deus é composta e não absoluta; é a Trindade na unidade e a unidade na Trindade, é assim que nós cremos e é assim que a igreja cristã (dos apóstolos) sempre ensinou.
 
 
PODE DEUS SER MAIS DE UMA PESSOA?
 
A confissão de fé judaica: "Ouve Israel nosso Deus é um só" Dt. 6:4.
 
"Shema, Israel: Adonai Elohenu Adonai Echad" Diz Deuterônomio 6;4 que Jeová é "único".
A palavra única no original hebraico é echad e está no construto. Se essa unidade fosse absoluta, como querem o Corpo Governante, a palavra correta aquí seria yachid, a mesma usada em Gn 22:2 que diz: " Toma agora o teu filho o teu único filho…"essa aí é unidade absoluta, pois é usada a palavra yachid que significa uma unidade absoluta. Portanto yachid para unidade absoluta como em Gn 22:2 e também Provérbios 4:3 Jeremias 6;26 e outros mais, e echad para unidade composta como em Gn 2:24 que diz: " … e eles têm de tornar-se uma só carne "(I Coríntios 6:16,17).
 
Ninguém jamais pensou em fabricar uma imagem de Adão e Eva com um corpo e duas cabeças mas quando as TJs falam em Trindade tentam passar uma imagem de um Deus com três cabeças o que é uma aberração como também uma distorção dos fatos, aliás, típico da Organização.
 
ELOHIM
A palavra hebraica Elohim que se encontra em Gn 1:1, 16,26 e em muitos outros é a forma plural de Eloah. Muitos têm alegado que essa palavra expressa apenas um plural majestático, mas não há um consenso entre os estudiosos e mesmo entre os rabinos judaicos, pois eles não entendendo perfeitamente essa palavra e tentando preservar o monoteísmo judaico, deram o nome de plural de majestade, entretanto um dos maiores rabinos de Israel, Shimeon Ben Joachi pronunciou a respeito dessa palavra o seguinte:
 
" Observai o mistério da palavra Eloim; encerra três graus, três partes; cada uma destas partes é distinta, e é uma por si mesma, e não obstante são inseparáveis uma da outra; estão unidas juntamente e formam um só todo "
 
Essa pluralidade na palavra Eloim revela a grande doutrina da Trindade e isso à luz do contexto bíblico. Espero ter esclarecido ao senhor o que crêem os cristãos evangélicos ou trinitaristas para que não haja mais confusão.
 
Desde já passaremos para as refutações:
 
SUTILEZAS DO ERRO
EGO EIMI
 
"(O senhor conhece as traduções do 4º século Siríaco – Edição: A translations of the Sinaitic Palimpsest, de Agnes Lewis, Londres, 1984)?".
 
Edição Siríaco curetoniano de F. Crawford, 1904?
Peshitta siríaca – James Murdok 1896?
Georgiano de Robert P. Blake e Maurice Brière 1950?
Etiópico de Thomas Pell Platt, Alemanha, 1899?
 
TODOS estes traduzem este versículo como: "antes de Abraão nascer eu era." – Portanto, não são só as TJ que traduziram este versículo como Jesus respondendo sobre ter visto Abraão. Ele respondia sobre sua idade sim! (GRIFO NOSSO)"
 
Senhor Ancião lembra o que eu disse no final do meu último e-mail?
 
Bem diz o vulgo popular: "Cego não é aquele que não enxerga, mas aquele que não quer ver!". Você não levou em consideração muitos pontos expostos ali, ou se levou, fez vistas grossas a isto.
 
Pelo menos pesquisou no rodapé das páginas da TNM?
 
Em seus estudos costuma levar em consideração todo o contexto?
 
Sendo que foi o senhor mesmo que falou em contexto: Não podem aceitar o contexto e ver que Jesus estava apenas respondendo uma pergunta sobre sua idade? E quanto ao contraste dos verbos: "genomai" com "eimi"no original,não significa nada? E não venha com essa de que seus conhecimentos não devem ser julgados porque não convence (Não é minha palavra nem meu conhecimento de hebraico ou grego que deve ser analisado!) então porque os usou, ou o senhor não tem certeza se estão corretos, porque está comendo pelas mãos da STV?
 
Se qualquer TJ tomasse a iniciativa de estudar os originais, hebraico e grego sem preconceitos e de mente aberta, garanto que todos os salões do reino ficariam vazios dentro de pouco tempo, pois a mentira só permanece enquanto a verdade não chega; e sabemos que a verdade traz libertação. Mas quando os originais contrariam a posição da STV então se rejeita o que está nos originais e mantém a posição da STV!
 
Nada está correto, somente o ponto de vista da STV, o que prevalece é a última palavra do Corpo Governante, se ele afirmar que: 2 + 2 = 5 quem poderá desmentir o todo-poderoso "Escravo Fiel e Discreto"?
 
E, diga-se de passagem, que de fiel, não tem nada!
 
Você me perguntou se eu conheço as traduções siríacas do quarto século. Sim, já estudei algo a respeito delas, mas o bastante para saber que suas pressuposições estão erradas. . Entretanto é preciso explicar que "siríaco" é o nome geralmente dado ao aramaico cristão.
 
O aramaico dos judeus da Palestina e da Babilônia era do tipo Ocidental, e se escrevia nas mesmas letras quadráticas hebraicas que foram empregadas para a Bíblia hebraica. Mas os cristãos de fala aramaica adotaram um alfabeto próprio, bem diferente, com algumas semelhanças superficiais à escrita Árabe. Existe algumas palavras nestas línguas que não tem o seu correspondente no vernáculo original (grego e hebraico) e vise-versa. Por isso é erro crasso catalogar menos que meia dúzia de sub-traduções para dar apoio a TNM sendo que existe dezena de antigas traduções do Novo Testamento que trazem literalmente a expressão "Eu Sou", nesse caso a TNM estaria com 1% a favor e 99% contra.
 
O senhor como deve entender bem de versões, não ignora que:
 
a) Taciano um cristão assírio, cerca do ano 170, fez o "Diatessaron", uma compilação em grego dos quatro evangelhos e que continha o "Ego Eimi" literalmente "Eu Sou" e esta versão foi por muitos séculos a versão autorizada dos cristãos siríacos após ter sido revertida para o dialeto siríaco, vindo mais tarde a ser suplantada pela "Pechita" que significa "simples". Portanto os cristãos de fala siríaca entendiam muito bem o que Cristo queria dizer quando afirmou que Ele era o "Ego Eimi".
 
b) O senhor não deve ignorar também, que paralelamente a esta versão, existiram também outras versões (siríacas) tão ou mais importantes do que estas citadas por você; são elas:
 
1- Filoxênia preparada por Policarpo para o bispo Filoxeno em 508 a.D.
2- Arcleiana feita em 616 A. D por Thomas Harkel.
E trazem todas não "eu era" mas "eu sou".
 
Fora às versões siríacas, existem ainda as:
Etiópica; Eslavônica; Armênia; Copta; Árabe; Versão Velha Latina; Anglo-Saxônico; Gótica; Sogdiano; Medo-Persa; Frâncico; Núbia, e outras menos importantes, sem falar nas inúmeras traduções feitas a partir delas e que por sinal não concorda com a TNM.
 
O senhor percebeu que a tradução siríaca traz a expressão "Eu Era" e não "eu tenho sido" como está na TNM?
 
A conjugação "era" do verbo "ser" no original grego é o imperfeito do verbo "Eimi" que expressa uma existência contínua e intemporal e é a mesma palavra que é usada em João 1:1, "No princípio era". Somente se referindo ao Deus verdadeiro é que se pode usar esse verbo.
Sendo assim, nem mesmo estas recentes versões apontadas acima, daria amparo para a TNM.
 
Esse artifício de catalogar esporadicamente algumas traduções existentes, é de praxe na Organização, lembre-se que ela fez a mesma coisa com respeito a João 1:1,ou seja, das mais de 2.000 línguas e dialetos em que a Bíblia está atualmente traduzida, a STV conseguiu catalogar apenas nove (9) traduções que estão de acordo com sua crença de que o verbo era "um deus". Mesmo destas nove traduções(que não estão de acordo com o texto original grego), duas são da própria STV, são elas:
 
"Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas" e "The Emphatic Diaglott" de Benjamin Wilson que era Cristadelfiano membro de uma falsa seita; outras são de Unitaristas e teólogos liberais que também tem como doutrina negar a divindade de Cristo e também até mesmo a autenticidade das escrituras; isto o Corpo Governante não revela aos seus adeptos, pois complicaria e muito os malabarismos teológicos da STV.
 
Caro amigo!
 
Todas as traduções SÉRIAS da Bíblia levam como padrão o texto original dos manuscritos do Novo Testamento, ou seja: o grego, e não subtraduções de outras línguas que nem ao menos sequer são fiéis ao texto original. Isto é típico da STV, justificar os seus erros com uma coletânea de outros erros, e sabemos que um abismo chama outro abismo – Salmo 42:7.
 
Os principais eruditos do mundo nas línguas originais sabem as manobras teológicas da TNM, e por isso não a recomenda; estou falando de eruditos sérios! Quando uma palavra do texto original não se enquadra nas aberrações doutrinárias da STV ela imediatamente abandona os originais e sai à procura de outras traduções que dão apoio à sua crença, eis alguns exemplos:
 
 
EM QUE SE BASEIA A TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO?
 
A STV responde a esta pergunta nestes termos:
 
" Usou-se como base para a tradução das escrituras hebraicas o texto da bíblia hebraica,de Rudolf Kittel…teve o benefício da atualização, em harmonia com a Bíblia Hebraica Stuttgartensia de 1977… os rolos do mar morto,e numerosas traduções antigas em outras línguas foram consultadas. Para as escrituras Gregas Cristãs, usou-se primariamente o texto grego mestre de 1881, preparado por Westcott e Hort. Outros textos mestres foram consultados… numerosas versões antigas em outros idiomas". (RACIOCÍNIOS À BASE DAS… pág 394).
 
Essa afirmação não é verdadeira, pois o tetragrama não aparece em Westcott e Hort e em nenhum manuscrito grego do Novo Testamento. Ela também rejeitou a Bíblia Hebraica Stuttgartensia que ao invés de Jeová aparece o nome Adonay como também os rolos do mar morto.Para o Novo Testamento até mesmo o The Emphatic Diaglott não traz o tetragrama. Ela foi arrancá-los de outros lugares, mas não dos textos padrões que afirma ter servido de base para fazer a tradução.
 
QUEM SÃO OS TRADUTORES DA TNM?
 
Veja as afirmações nesta mesma obra citada:
 
"… ela pediu que seus membros permanecessem no anonimato". E mais "Não usamos o nome de nenhum erudito para referência ou recomendações…".
 
Uma pergunta que precisa ser feita é porque esse anonimato? Será porque a comissão a qual traduziu a TNM não tinham conhecimentos para tal tarefa?
 
Mais adiante o autor do livro se entrega e diz: "Visto que os tradutores preferiram ficar no anonimato, a pergunta não pode ser respondida aqui em termos de formatura cultural deles" (ibidem).
 
O que o livro não quer revelar explicitamente é que NINGUÉM entre a comissão que traduziu a TNM sabia as línguas originais e, portanto não poderiam fazer tal tradução; e mais que isso, a STV não revela que Russell foi processado em 1912 após ter movido um processo contra um pastor batista por este ter publicado em um panfleto, que Russel ignorava o grego. No tribunal o reverendo foi absolvido ficando provado que Russell desconhecia completamente o original grego, pois a última pergunta feita pelo advogado do pastor foi:
 
P: O senhor conhece a língua grega?
R: NÃO
 
Não podemos nos esquecer de que Russell foi quem publicou os seis volumes de que fala o prefácio da TNM edição de 1961 (capa verde) da qual ela surgiu. Um outro que foi processado por não saber os originais era nada mais nada menos que o quarto presidente da STV, "Frederic W Franz" pois não soube traduzir Gênesis 2:4 perante o tribunal sendo que no começo do interrogatório ele afirmara ser conhecedor do hebraico. O processo se deu no dia 24/11/1954 numa quarta feira.
 
O Sr. William Cetnar, ex-TJ e que trabalhou na sede mundial em Nova Iorque, como assistente do Corpo Governante, confirma que Franz foi um dos membros da comissão que traduziu a TNM, isto é confirmado também pelo sobrinho de Franz: Raymond Franz que foi membro do Corpo Governante durante nove (9) anos e pediu para ser desassociado após descobrir as trapaças e malogros do Corpo Governante vindo a se converter a Jesus Cristo mais tarde; mas tudo isso é abafado pela STV para que seus seis milhões de adeptos não venha conhecer a verdade. O pior de tudo é que a STV quer passar uma imagem de erudição que a TNM não possui. Veja a versão em português, que ao invés de ser traduzida diretamente dos originais como são as demais versões, foi traduzida diretamente do inglês.
 
Que horror!!
 
Esta é, pois a tradução das Tjs com "consultas constantes aos originais" como ela mesma se ufana. O tempo não nos permite expor neste e-mail, todos os erros e aberrações que possui a TNM, da qual tanto as TJ se orgulham. É uma tradução de fundo de quintal, é na verdade uma (per) versão. Antes de retornarmos a questão das versões siríacas, devo avisar-lhe que fui consultar um amigo que possui a "Pechita" siríaca, é bacharel em língua e literatura hebraica pela FFLCH, mestre em hebraico pela Universidade de São Paulo, professor de línguas hebraico/grega e licenciado em letras orientais; e foi por isso que demorei responde-lo, pois queria dar uma resposta correta e segura ao senhor para que também possa pesquisar por conta própria e se ver livre de uma vez por todas das algemas da Organização.
 
Aqui, senhor Ancião, temos um compromisso com a verdade!
 
Portanto como ficou demonstrada, a versão siríacas não é base para a TNM, pelos vários motivos expostos acima.
 
OUTROS ARGUMENTOS
 
Vamos à Bíblia! Quem entendeu que Jesus estava se fazendo "igual" a Deus? Os judeus incrédulos! Em João 5:18 diz: "Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era o seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus".-
 
Notou bem?
Não estou fugindo do assunto! Estou usando a Bíblia para responder questões da Bíblia! Os "judeus" é que pensavam assim! O senhor acha também que Jesus violou o sábado? Jesus nunca afirmou ser igual a Deus! Ele dizia ser filho de Deus e os judeus ficavam irados com isso. Jesus chegou até a citar que o próprio Jeová havia chamado os juizes de Israel de deuses, então seria demais ele dizer que era FILHO DE DEUS?
 
Pelo que se entende o seu argumento é o seguinte:
 
a) A afirmação de que Jesus era Deus e não "um deus" partia dos judeus incrédulos.
b) Ele se declarava "Filho de Deus" e não Deus propriamente dito.
c) Jeová também chamava os juízes de deuses, por tanto Jesus pode ser chamado de deus ou filho de Deus.
O senhor tem certeza que leu direito o versículo acima mencionado? Vejamos o referido versículo:
 
"Deveras por esta razão os judeus procuravam ainda mais matá-lo, porque não só violava o sábado, mas também chamava a Deus de seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus".
 
PERCEBEU?
 
Não eram os judeus incrédulos que afirmavam isso, mas o próprio evangelista João. Esse trecho é um narrativa interpretativa do apóstolo e não uma declaração direta da boca dos judeus, era João narrando e interpretando ao mesmo tempo, está claro na estrutura da sentença. Ele só diz que os judeus procuravam matá-lo, mas o PORQUE, é o próprio apóstolo que interpreta e narra. Quanto à questão do sábado Jesus realmente violou o sábado e este foi o único mandamento que Ele violou, por ser de caráter totalmente formal (cerimonial), mas o assunto do sábado eu prefiro discuti-lo com os Adventistas do Sétimo Dia, por estarem mais por dentro do assunto. (Obs: Nas livrarias há bons livros de interpretação de texto. Seria bom lê-los, Sr. Ancião).
 
JESUS SENDO O FILHO NÃO PODE SER DEUS?
Longe de uma negação de ser Deus, a expressão "Filho de Deus", confirma mais ainda este fato. Jesus não se declarava apenas como "um filho de Deus" e nem "filho de Deus" mas como "O Filho de Deus" e está implícitos e os fatos de igualdade em natureza, poder e eternidade, tudo que Deus Pai é, Cristo é, tudo que Deus Pai faz, Cristo o faz igualmente, e os judeus compreenderam isso porque pegaram em pedras para o matar e finalmente Ele foi julgado por causa dessa declaração, Marcos 14:61 a 64.
 
O erro das TJ é pensar que quando chamamos Jesus de Deus, estamos afirmando (na concepção delas) que Ele é o Pai, coisa absurda e incoerente do ponto de vista bíblico.
 
Lembra do credo Atanasiano? "Não confundimos as pessoas"
 
Em nenhum lugar descobrimos que Jesus proclamou ser Ele mesmo o Filho de Deus de um modo que desse a entender uma simples relação religiosa e ética para com Deus, a qual outros poderiam possuir também. É verdade que a expressão "filhos de Deus" é empregada para homens (Oséias 1:10) e para anjos (Jó 1:6). Mas no NT, o título "Filho de Deus" é empregado por Jesus com um sentido bem diferente. Em cada ocasião a frase deixa explícito que Ele é co-igual e co-eterno com o Pai.
 
Jesus sempre ao se referir a Deus como seu Pai, Ele usa a expressão "Meu Pai" mas quando se refere aos discípulos Ele diz: "vosso Pai". Ele nunca se associa aos discípulos e às pessoas pela maneira normal "nosso Pai". Mesmo naquelas ocasiões quando Jesus se une aos discípulos e que deveria de se esperar a expressão "nosso Pai" Ele usa "Meu Pai" conferir, Mateus 25:34 ; 26:29 – Lucas 24:49 pela mentalidade judaica dos discípulos e dos inimigos de Jesus, eles entendiam claramente que a expressão "Filho de Deus"era Divindade.
É digno de nota também, o fato de Jesus usar a palavra "Abba", para se relacionar com Deus, pois nenhum judeu usava essa palavra. Quando algum judeu falava Pai ele usava a palavra "Abhinu", uma forma de tratamento que era mais um apelo pela misericórdia de Deus. Mas "Abba" é a palavra de uso familiar que expressa a mais íntima comunhão com Deus o Pai e somente Jesus a usava por isso freqüentemente era acusado de blasfêmia.
 
Assim como um filho recebe a natureza de seu pai humano, Jesus também possuia a natureza de seu Pai celestial, em essência Jesus era igual a Deus, embora como homem, sujeito a Este.
 
Os judeus entenderam claramente que a expressão "Filho de Deus" como foi empregada por Jesus, dizia explicitamente que Ele fazia se passar por Deus, sendo igual a Deus (em natureza).
 
Oque Jesus rejeitou foi a idéia (bem parecida a das TJ) de que Ele era Deus Pai,pois os judeus não entendiam a trindade, a qual foi veementemente rejeitada com a afirmação de "Filho de Deus" e não o próprio Deus Pai;então Ele passa a mostrar que sendo igual a Deus
 
Ele pode fazer só o que Deus (Pai) faz, nem mais nem menos.
"…porque tudo quanto Ele faz,o filho o faz igualmente".João 5:19
Isso porque: "Eu e o Pai somos um" João 10:30
porque: "… quem me vê a mim,vê o Pai" João 14:9
Para que: "todos honrem o filho como honram o Pai" João 5:23
Agora… "Aquele que me aborrece, aborrece também a meu Pai".
A propósito no livro de Revelação na pág.36 está escrito o seguinte:
" No cancioneiro publicado pelo povo de Jeová em 1905, havia duas vezes mais cânticos louvando a Jesus do que havia em louvor a Jeová Deus… 1928,o número de cânticos que exaltavam a Jesus era mais o menos o mesmo que os que exaltavam a Jeová. Mas… 1984, Jeová é honrado com quatro vezes mais cânticos do que Jesus… O amor a Jeová precisa sobressair…"
 
Mas Jesus deixou bem claro: "Para que todos honrem o filho, como(da mesma maneira, do mesmo modo que) honram o Pai"
.Freqüentemente o título: "Deus" é mais empregado em relação ao Pai do que ao filho, mas nem por isso o filho deixa de ser Deus.Vejamos uma analogia: Eu me chamo Paulo Cristiano e meu filho também tem o mesmo nome , em uma ocasião alguém poderia dizer assim: "Aquí está o Paulo Cristiano e seu filho" mas não é porque só eu fui chamado pelo nome e meu filho pelo nome de Filho que ele não se chamaria também Paulo Cristiano.Assim também acontece com Deus Pai e seu filho Jesus Cristo,apesar do nome "Deus"ser aplicado mais ao Pai do que ao filho,outras partes das escrituras porém, deixa bem claro que Jesus é Deus.
 
DEUSES?
 
O ensinamento de que existem outros deuses, leva as TJ para um politeísmo escancarado, este conceito é irracional e absurdo do ponto de
vista ortodoxo judaico-cristão.
 
Jesus citava o Salmo 82 para seus opositores onde afirmava que os juízes de Israel eram chamados de deuses por estarem investidos da autoridade divina para julgar o povo, mas contudo este era apenas um título de honra e não tem nada a ver com natureza e substância, como se eles fossem pequenos deuses poderosos menor que Jeová o todo-poderoso;tanto é que no verso 7 Deus declara: "Todavia, como homens morrereis e caireis como qualquer dos príncipes".
 
A bíblia deixa bem claro que só existe um Deus,e não há outros além Dele,veja esses textos: Isaías 43:10 ; 44:6 Ezequiel 28:2,9
"…antes de mim deus nenhum se formou,e depois de mim nenhum haverá".
 
Ora, se não existe outros deuses antes e depois do verdadeiro Deus, aqueles que são chamados de deuses são falsificações, são deuses falsos e não verdadeiros,caso contrário não teríamos um só Deus verdadeiro, mas muitos deuses verdadeiros, seria uma contradição das escrituras!
 
Jesus deixou bem claro, que se até aqueles falsos juízes que Deus condenou no Salmo 82 eram chamados de deuses não sendo nada; quanto mais o verdadeiro Filho de Deus, que era co-igual e co-eterno com o Pai? Ele sim tinha o direito de ser igual a Deus, pois Ele era o único que tinha as verdadeiras qualificações para isto.
 
Os judeus entenderam perfeitamente que ao se declarar "Filho de Deus",Jesus se coloca em pé de igualdade com o Todo-Poderoso e por isso novamente os judeus queriam prendê-lo, veja o verso 39, e isto mesmo depois de Jesus ter se declarado Filho de Deus que era prova evidente de sua Divindade.
 
Se porventura os judeus aceitassem a explicação dada por Jesus de que Ele era apenas filho de Deus e não Deus, e eles estivessem satisfeitos com esta resposta, não haveria necessidade de novamente eles tentarem se apoderar de Jesus para apedrejá-lo, teriam apenas ido embora com tal explicação, mas não foi isso o que aconteceu, pois entenderam perfeitamente que Jesus era igual a Deus de um modo todo especial,daí novamente querer apedrejá-lo.
 
É uma abominação o que as TJ fazem com o texto de I Coríntios 4:4 onde dizem que Satanás também é um deus, então por isso Jesus pode ser considerado um deus também.
 
Lembro-me não faz muito tempo, de um rapaz que bateu à minha porta em um sábado de manhã, rapaz de boa aparência, educado, seguro de sí e que se identificou como TESTEMUNHA DE JEOVÁ, no desenrolar da conversação, ele me perguntou se eu sabia a diferença entre um deus falso e o Deus verdadeiro, então passou a explicar que o deus falso aparece na Bíblia com letra minúscula e o Deus verdadeiro com letra maiúscula, neste instante tive que interrompê-lo e pedir que abrisse sua Bíblia em João 1:1 , na TNM deus se se referindo a Jesus está com letra minúscula, então perguntei se Jesus era um falso deus, neste instante o rapaz levou um choque, ficou hipnotizado lendo aquele versículo, perguntei novamente se Jesus era um deus falso, e sua resposta foi não, então Ele é o Deus verdadeiro? Sim.
 
Então existem dois Deuses verdadeiros? O rapaz abaixou a cabeça e confessou que nunca tinha meditado nisso, mas voltaria com a resposta dentro em breve. Até hoje ele não voltou e já faz quase dois meses, pedi seu telefone para entrar em contato posteriormente, o qual me deu de imediato, para minha surpresa o telefone era falso.
 
Este é só um exemplo dos muitos que tenho presenciado quando converso com as TJ, percebo que elas não pensam por si, preferem que o Corpo Governante pensem por elas, são programados através das literaturas da Organização, livros como "Raciocínios à Base das Escrituras", "Poderá…", "A verdade…" já vem com perguntas e respostas prontas, pré-formuladas, e elas não conseguem se livrar deles, não conseguem raciocinar à base das escrituras mas somente à base da Sentinela, Despertai etc, é como um viciado em drogas; só um detalhe: aquele rapaz já tinha oito anos como TJ.
 
Mas voltando ao assunto… As TJ possuem um panteão de deuses poderosos como homens, anjos, Satanás e Jesus, e um Deus poderoso, ao passo que reconhecem que existem outros deuses, adoram somente um único Deus verdadeiro e todo-poderoso Jeová. Mas isto não se chama monoteísmo, mas henoteísmo, este é o nome usual para este tipo de crença que do ponto de vista ortodoxo cristão, é politeísmo camuflado.
"Mas não é Jesus chamado de Deus na Bíblia? poderá perguntar alguém. Isto é verdade.Contudo Satanás é chamado de deus".
(Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra – pág. 40)
 
"Jesus tem uma posição bem superior à de anjos, homens imperfeitos, ou Satanás. Visto que estes são chamados de "deuses", poderosos, certamente Jesus pode ser e é "um deus". Por causa de sua posição impar em relação a Jeová, Jesus é um "Deus Poderoso".
 
(Deve-se Crer na Trindade? pág.28)
 
Muito bem, então oque fazer com Isaías 43:10 "Antes de mim não foi formado nenhum Deus e depois de mim continuou a não haver nenhum."(TNM)
 
É bom esclarecermos que Satanás não é chamado de "um deus", mas, "o deus"deste século, e é um falso deus, logo inconscientemente ou não, as TJ chama Jesus de deus falso ao compará-lo com Satanás, ou então as TJ tem dois(2) deuses verdadeiros e isto seria descambar para o politeísmo e politeísmo barato.
 
Em suma a doutrina Jeovistas é a seguinte: Existem vários deuses poderosos (anjos, homens. Satanás), um mais poderoso que aqueles (Jesus), somente abaixo do todo-poderoso (Jeová). Eis aí o panteão de deuses das TJ!!! e dizem que não são politeístas, imagina se fossem então!!!
 
Os trinitaristas por outro lado não admitem nenhum deus além do único Deus verdadeiro, contudo a palavra "Deus"é uma polissemia(nome com mais de um significado). Na Bíblia ele se aplica ao Pai sozinho (Fl 2:11) ao Filho (João 1:1) e ao Espírito Santo (Atos 5:3,4) contudo se aplica a Trindade (Deut. 6:4 Sl 83:18).
 
A Trindade portanto, é a união de três pessoas (o Pai, o Filho e o Espírito Santo) em uma só Divindade (Atos 17:29 – Romanos 1:20), sendo iguais, eternas, da mesma natureza, embora distintas entre Elas, sendo Deus cada uma dessas pessoas.
 
A Trindade não significa três pessoas em uma só (isto é sabelianismo ou modalismo, doutrina inventada pelo Bispo Sabélio no quarto século e que foi condenada pela igreja) nem três deuses em um só (isto é triteísmo, é nesse tipo de deus que os mórmons crêem). O Pai, o Filho e o Espírito Santo, são iguais em tudo, co-eternos, com a mesma glória, poder e natureza, e estes três formam o único Deus verdadeiro.
 
Meus estudos na Bíblia a respeito da Trindade, levou a observar uma coisa interessante em relação ao número três (3). Este número está intimamente ligado a Deus.
 
Por exemplo
As pessoas dentro da Divindade são três, a saber: o Pai, o Filho e o Espírito Santo
 
O homem feito à imagem e semelhança de Deus é composto e dividido em três partes: espírito, alma e corpo (I Tess. 5:23)
O templo o qual Deus habitava estava dividido em três partes: átrio, santo lugar e santíssimo.
O templo que Deus habita hoje (nosso corpo) está dividido em três: cabeça, tronco e membros (I Cor. 6:19)
O lugar onde Deus habita também (parece) está dividido em três, pois o apóstolo disse ter ido até ao terceiro céu (II Cor. 12:2)
Jesus passou três dias e três noites no ventre da terra e ressurgiu ao terceiro dia.
A obra da salvação passou por três estágios: crucificação, ressurreição e ascensão.
Os frutos do Espírito são nove assim como os dons espirituais, ou seja, 3×3 o que não se dá com as obras da carne (Gl.5:22 – I Cor.12:8)
São três as virtudes dadas por Deus que irão permanecer por toda a eternidade:a fé, a esperança, e o amor (I Cor.13:13)
São três que dão testemunho de cristo: o espírito a água e o sangue (I João 5:8)
Quando Jeová se manifestou a Abraão, foram em três, algo singular na Bíblia (Gêneses 18:1)
Isaías viu e ouviu os serafins dizerem três vezes a palavra santo à Jeová (Isaías 6:3)
A benção sacerdotal era tríplice (Números 6:24)
Sendo que o próprio Deus (Tri-Uno) habita o tempo há de se esperar que ele se divida em três: passado, presente e futuro.
Para se formar um objeto sólido é necessário três dimensões: comprimento, largura e altura
A água pode permanecer em três estágios: líquido, sólido e gasoso.
O raio solar também: luz, calor e energia.
Estes são só alguns dos muitos casos em que o número três se acha envolvido com Deus (Trindade), não poderia relacionar todos aquí por falta de tempo.
Não estou querendo dizer com isso, que apenas isto prova a Trindade. Não. Estou apenas mostrando uma curiosidade (o três) que não pode passar desapercebida quando estudamos sobre a Trindade.
A única maneira de definirmos Deus sem contradizermos as escrituras é pela Trindade.
 
Fonte: ESTUDO SOBRE AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ – http://barnabecotia.ubbihp.com.br/  Acessado em 09 de setembro de 2006
%d blogueiros gostam disto: