Posts Tagged ‘ESPIRITISMO’

Espiritismo X Palavra de Deus Por Pr Airton Evangelista da Costa


Aceito o Desafio!

Espiritismo X Palavra de Deus

 

             Pr Airton Evangelista da Costa

 

Atendendo ao desafio feito pelo senhor Hector, apresentei minhas respostas aos seus questionamentos, como a seguir. A divulgação da matéria se deu inicialmente no seguinte site:

 

http://www.centralgospel.com.br/info/CentralForum/reply.asp?M=9985&F=1&T=1328&P=#COMENTÁRIO

[Nota: Passados alguns anos, não mais localizei esta matéria no endereço acima]

 

 

HECTOR – Eu já coloquei este tópico numa outra oportunidade, quando este fórum ainda tinha outra configuração dos tópicos, e não conseguimos debater satisfatoriamente. Na oportunidade me trataram mal, mas não rebateram ou refutaram as colocações, então, se algum irmão tiver conhecimentos e puder rebater ou enriquecer o estudo na mesma ordem eu fico agradecido. Ante mão eu concordo que realmente não foi Deus que escreveu aquelas coisas horríveis [na Bíblia],  pois Ele é amor.

A Palavra de Deus na Bíblia

A maioria de nossos detratores sempre afirma que a Bíblia é a palavra de Deus. Que tudo que ali se encontra é absolutamente sem erros, devendo ser seguido fielmente.         

AIRTON  – Os cristãos não detratam os espíritas. Combatemos o espiritismo. Os cristãos amam os espíritas, muitos dos quais já passaram para Cristo Jesus. A Bíblia é a inerrante palavra de Deus porque escrita por homens divinamente inspirados.

 

HECTOR – Quando dos ataques ao Espiritismo citam passagem do Antigo Testamento (p.e. Deuteronômio 18, 10-11) exigindo que nós a cumpramos, pois por ela é proibida a evocação dos mortos. Está bem, vamos por alguns momentos lhes dar razão,

 

AIRTON – Por que nos dar razão apenas por alguns momentos? A verdade não é nossa. A verdade é bíblica. O espiritismo ou dá razão ao que está na Bíblia ou não dá. O cristianismo não exige dos espíritas obediência a qualquer coisa. Cumprimos o dever de defender nossa fé e  pregar o evangelho do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 

HECTOR – só que para isso também faremos uma exigência: que cumpram TODAS AS OUTRAS DETERMINAÇÕES constantes do Antigo Testamento, tais como:
Gêneses 17, 9-11: Disse mais Deusa a Abraão: Guardarás a minha aliança, tu e a tua descendência no decurso das suas gerações. Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência: todo macho entre vós serás circuncidado. Circuncidareis a carne do vosso prepúcio; será isso por sinal de aliança entre mim e vós. Disse mais Deus a Abraão: Tu, porém, guardarás a minha aliança, tu, e a tua descendência depois de ti, nas suas gerações.
Gêneses 17, 14: – O incircunciso, que não for circuncidado na carne do prepúcio, essa vida será eliminada do seu povo; quebrou a minha aliança.
Êxodo 20, 24: – Um altar de terra me farás, e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos, as tuas ofertas pacíficas, as tuas ovelhas, e os teus bois; em todo o lugar onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, virei a ti, e te abençoarei.
Êxodo 21, 2: – Se comprares um servo hebreu, seis anos servirá; mas ao sétimo sairá forro, de graça.
Êxodo 21, 7: – Se um homem vender sua filha para ser escrava, esta não lhe sairá como saem os escravos.
Êxodo 21, 12: – Quem ferir a outro de modo que este morra, também será morto.
Êxodo 21, 15: – Quem ferir a seu pai ou a sua mãe, será         morto.
Êxodo 21, 16: – O que raptar a alguém, e o vender, ou for achado na sua mão, será morto.
Êxodo 21, 17: – Quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto.
Êxodo 21, 23-25: – Mas se houver dano grave, então darás vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, golpe por golpe            .
Êxodo 22, 2: – Se um ladrão for achado arrombando uma casa, e, sendo ferido, morrer, quem o feriu não será culpado do sangue.
Êxodo 22, 16: – Se alguém seduzir qualquer virgem, que não estava desposada, e se deitar com ela, pagará seu dote e a tomará por mulher.
Êxodo 22, 18: – A feiticeira não deixarás viver.
Êxodo 22, 19: – Quem tiver coito com animal, será morto.
Êxodo 22, 20: – Quem sacrificar aos deuses, e não somente ao Senhor, será destruído.
Êxodo 31, 14: – Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós outros; aquele que o profanar morrerá; pois qualquer que nele fizer alguma obra será eliminado do meio do seu povo.
Êxodo 34, 19: – Todo que abre a madre é meu, também de todo o teu gado, sendo macho, o que abre a madre de vacas e de ovelhas.
Êxodo 34, 20: – O jumento, porém, que abrir a madre, resgatá-lo-ás com cordeiro; mas, se o não resgatares, será desnucado Remirás todos os primogênitos de teus filhos. 
Ninguém aparecerá diante de mim de mãos vazias.
Êxodo 34, 26: – As primícias dos primeiros frutos da tua terra trarás à casa do SENHOR teu Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua própria mãe.
Levítico 11, 7-8: – Também o porco, porque tem unhas fendidas, e o casco dividido, mas não rumina; este vos será imundo, da sua carne não comereis, nem tocareis no seu cadáver; estes vos serão imundos.
Levítico 11, 21-22: – Mas de todo o inseto que voa, que anda sobre quatro pés, cujas pernas traseiras são mais compridas, para saltar com elas sobre a terra, estes comereis. 
Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, o gafanhoto devorador segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie.
Levítico 12, 2: – Fala aos filhos de Israel: Se uma mulher conceber e tiver um menino, será imunda sete dias, como nos dias da sua menstruação será imunda.
Levítico 19, 11: – Não furtareis, nem mentireis, nem usareis de falsidade cada um com o seu próximo;
Levítico 19, 26: – Não comereis cousa alguma com o sangue; não agourareis nem adivinhareis.
Levítico 19, 27: – Não cortareis o cabelo em redondo, nem danificareis as extremidades da barba.
Levítico 20, 9: – Se um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto: amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue cairá sobre ele.
Levítico 20, 10: – Se um homem adulterar com a mulher do seu próximo, será morto o adúltero e a adúltera.
Levítico 20, 13: – Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram cousa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles.
Levítico 20, 18: – Se um homem se deitar com a mulher no tempo da enfermidade dela, e lhe descobrir a nudez, descobrindo a sua fonte, e ela descobrira a fonte do seu sangue, ambos serão eliminados do meio do seu povo.
Levítico 20, 27: – O homem ou mulher que sejam necromantes, ou sejam feiticeiros, serão mortos: serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles.
Levítico 21, 9: – Se a filha dum sacerdote se desonra, prostituindo-se, profana a seu pai: com fogo será             queimada.
Levítico 21, 17-20: – Fala a Arão, dizendo: Ninguém dos teus descendentes nas suas gerações, em quem houver algum defeito, se chegará para oferecer o pão do seu Deus Pois nenhum homem em quem houver defeito se chegará: como homem cego, ou coxo, de rosto mutilado, ou desproporcionado, ou homem que tiver o pé quebrado, ou a mão quebrada, ou corcovado, ou anão, ou que tiver belida no olho, ou sarna, ou impigens, ou que tiver testículo quebrado.
Levítico 26, 7: – Perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós.
Deuteronômio 21, 15-16: – Se um homem tiver duas mulheres, uma a quem ama e outra a quem aborrece, e uma e outra lhe derem filhos, e o primogênito for da aborrecida, no dia em que fizer herdar a seus filhos aquilo que possuir, não poderá dar a primogenitura ao filho da amada, preferindo-o ao filho da aborrecida, que é o primogênito.
Deuteronômio 21, 18-21: – Se alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedece à voz de seu pai e à de sua mãe, e, ainda castigado, não lhes dá ouvidos, pegarão nele seu pai e sua mãe e o levarão aos anciãos da cidade, à sua porta, e lhes dirão: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz: é dissoluto e beberrão. Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; assim eliminarás o mal do meio de ti: todo o Israel ouvirá e temerá.
Deuteronômio 22, 10: – Não lavrarás com junta de boi e jumento.
Deuteronômio 22, 23-24: – Se houver moça virgem, desposada, e um homem a achar na cidade e se deitar com ela, então trareis ambos à porta daquela cidade, e os apedrejareis, até que morram; a moça, porquanto não gritou na cidade, e o homem, porque humilhou a mulher do seu próximo; assim eliminarás o mal do meio de ti.
Deuteronômio 23, 1 – Aquele a quem forem trilhados os testículos, ou cortado o membro viril, não entrará na assembléia do Senhor.
Deuteronômio 23, 2: – Nenhum bastardo entrará na assembléia do Senhor; nem ainda a sua décima geração entrará nela.
Deuteronômio 23, 13: – Dentre as tuas armas terás um pau; e quando te abaixares fora, cavarás com ele, e, volvendo-te, cobrirás o que defecaste.
Deuteronômio 24, 1: -Se um homem tomar uma mulher e se casar com ela, e se ela não for agradável aos seus olhos, por ter ele achado cousa indecente nela, e se ele lhe lavrar um termo de divórcio, e lho der na mão e a despedir de           casa;
Deuteronômio 24, 16: – Os pais não serão mortos em lugar dos filhos, nem os filhos em lugar dos pais: cada qual será morto pelo seu pecado.
Deuteronômio 25, 5: – Se irmãos morarem juntos, e um deles morrer, sem filhos, então a mulher do que morreu não se casará com outro estranho, fora da família; seu cunhado a tomará e a receberá por mulher, e exercerá para com ela a obrigação de    cunhado.
Deuteronômio 25, 11-12: – Quando brigarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar o marido da mão do que o fere, e ela estender a mão, e o pegar pelas suas vergonhas, cortar-lhe-ás a mão: não a olharás com piedade.
Deuteronômio 28, 30: – Desposar-te-ás com uma mulher, porém outro homem dormirá com ela; edificarás uma casa, porém não morarás nela; plantarás uma vinha, porém não aproveitarás o seu fruto.
Deuteronômio 28, 53: – Comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que te der o Senhor teu Deus, na angústia e no aperto com que os teus inimigos te apertarão.

Ah! Já sei, vão dizer que em algumas passagens pegamos frases isoladas. Sim fizemos isso para podermos usar da mesma “técnica” que usam quando o assunto é combater o Espiritismo, assim estamos utilizando a mesma medida, pois “pesos diferentes são abomináveis ao Senhor” (Provérbios 20, 23).

 

AIRTON – Até aqui foram citadas passagens do Pentateuco, ou seja, os cinco primeiros livros da Bíblia escritos por Moisés. Pois bem, não me darei ao trabalho de responder uma por uma as questões levantadas. Usarei como resposta a palavra do pai do espiritismo.  Veja: “Na lei moisaica, há duas partes distintas: a lei de Deus, promulgada no monte sinai, e a lei civil ou disciplinar, decretada por Moisés. Uma é invariável; a outra, apropriada aos costumes e ao caráter do povo, se modifica com o tempo… É de todos os tempos e de todos os países essa lei [os Dez Mandamentos] e tem, por isso mesmo, caráter divino. Todas as outras são leis que Moisés decretou, obrigado que se via a conter, pelo temor, um povo de seu natural e turbulento e indisciplinado, no qual tinha ele de combater arraigados abusos e preconceitos, adquiridos durante a escravidão do Egito. Para imprimir autoridade às suas leis, houve de lhes atribuir origem divina, conforme o fizeram todos os legisladores dos povos primitivos” (O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, FEB, 90ª Edição, Brasília, 1944, Cap. I, itens 2, pg. 55-57).

 

Concordo com o espiritismo. As leis eram duríssimas, mas adequadas à época. De lá para cá, as leis foram sendo adaptadas às condições sociais, ao nível de compreensão dos povos. Moisés teria que escrever um  Código de Direito Civil, ou uma Consolidação das Leis Trabalhistas, ou uma Declaração dos Direitos Humanos  como temos agora? Não. Até nossas leis de hoje são reformuladas. As leis se modificam e se ajustam de acordo com o progresso cultural de um povo, e o progresso nas relações sociais.   A Constituição do Brasil já foi modificada várias vezes. Discordo de Kardec quando diz que Moisés “para imprimir autoridade às suas leis, houve de lhes atribuir origem divina”. Kardec incorre em duas contradições: primeiro, ele diz que a lei de Deus está formulada nos Dez Mandamentos (ibidem, pg 56, item 2). Ora, o Decálogo também foram apresentados por Moisés ao povo. Então, Moisés estaria mentindo ao povo? Segundo, Kardec diz que “Moisés é o espírito que Ele [Deus] enviou em missão para torná-lo conhecido não só dos hebreus, como também dos povos pagãos. O povo hebreu foi o instrumento de que se serviu Deus para se relevar por Moisés e pelos profetas… Os mandamentos de Deus, dados por intermédio de Moisés, diz Kardec,  contém o gérmem da mais ampla moral cristã. A moral que Moisés ensinou era apropriada ao estado de adiantamento em que se encontravam os povos que ela se propunha regenerar” (Ibidem, Cap I, item 9, pg. 61-62). Então, se Moisés foi uma das revelações de Deus, se o que ensinou foi apropriado, se falava com Deus, teria necessidade de mentir ao povo? Tudo o que escreveu foi realmente inspirado por Deus. É incompreensível que haja espíritas que discordem do ensino do pai do espiritismo. 


HECTOR – Vamos agora demonstrar que a tese da “inerrância” da Bíblia não tem sentido algum. E mais, que apesar de quase todas as correntes religiosas a terem como se fosse a própria palavra de Deus, não se apercebem do absurdo, pois estariam colocando Deus sendo incoerente consigo mesmo.

 

Temos que deixar de lado esta estreita maneira de pensar para realmente vermos que na Bíblia nem tudo é de inspiração Divina. Nela encontramos opiniões pessoais de vários de seus autores que nunca poderiam ser levadas à conta de inspiração divina, sob pena de passarmos suas divergências ao próprio Deus o que seria um absurdo.

 

AIRTON – A Bíblia é de inspiração divina. Deus não ditou aos homens cada palavra, pois “toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente preparado para toda boa obra” (1 Tm 3.16-17).  Deus usou a mente, o intelecto, o talento, a capacidade de cada um. Não fora assim, os quatro evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João) seriam exatamente iguais, com as mesmas palavras. A Bíblia não é uma obra psicografada.


HECTOR – Não queremos com isso desprezar o valor dos ensinamentos de Jesus contidos no Novo Testamento, apenas queremos ressaltar que não podemos em sã consciência, e até por pura coerência, ter tudo que ali está como a mais absoluta verdade, proveniente, vamos dizer, da “boca” de Deus.

 

AIRTON – Pelo que entendi, o senhor deseja aceitar somente o que Jesus falou. O restante da Bíblia ficaria             desprezado. Ao dizer a parábola do rico e Lázaro, Jesus aprovou as leis de Moisés e a palavra dos profetas. Veja: “Disse Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos” (Lc 16.29). Jesus falou sobre Moisés em Mateus 19.8, Marcos 10.4, Lucas 24.27: “E começando por Moisés, e por todos os profetas, explicou-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras”; João 3.14; 5.46: “Se crêsseis em Moisés, creríeis também em mim, pois ele escreveu a meu respeito”. Pergunto, então: “Se os espíritas confiam no ensino de Jesus, por que não confiar em Moisés, a respeito do qual Jesus se referiu tantas vezes? Jesus ainda fez referência a outros livros da Bíblia, tais como Salmos, Isaías e Jonas. Jesus é revelado progressivamente em vários livros. Tal fato por si  é suficiente para termos convicção da inspiração divina da Bíblia. Vejamos algumas profecias sobre  Jesus: nasceria de mulher (Gn 3.15); seria descendente de Abraão (Gn 22.18); da linhagem de Jessé (Is 11.1); Ressurreição (Sl 16.10); Crucifixão (Sl 22); Seus ossos não seriam quebrados (Sl 34.20); Fel e vinagre lhe dariam (Sl 69.21); nascimento virginal (Is 7.14); sua eternidade (Is 9.6); nasceria em Belém (Mq 5.2); Entrada em Jerusalém, num jumentinho (Zc 9.9); seria traído por um amigo e vendido por 30 moedas de prata (Sl 41.9; Zc 11.12-13). Assim, só podemos aceitar a inspiração divina das Escrituras, pois nenhum ser humano poderia acertar esses mínimos detalhes a respeito do nosso Salvador. E não foi a profecia de apenas um homem, isoladamente. Foi um grupo de homens, em épocas e locais diferentes. Como já disse, a Bíblia não é um livro ditado por Deus palavra por palavra. Veja o que Jesus disse aos apóstolos: “Mas o Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito” (Jo 14.26). Portanto, há participação divina na composição da Bíblia.

HECTOR – Vejamos, então algumas divergências que encontramos no Novo Testamento:


Genealogia de Jesus
Mateus 1:1-17 – Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. Abraão gerou a Isaque; Isaque, a Jacó; Jacó, a Judá e a seus irmãos; Judá gerou de Tamar a Perez e a Zerá; Perez gerou a Esrom; Esrom, a Arão; Arão gerou a Aminadabe; Aminadabe, a Naassom; Naassom, a Salmom; Salmom gerou de Raabe a Boaz; este de Rute gerou a Obede; e Obede, a Jessé; Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi, a Salomão, da que foi mulher de Urias; Salomão gerou a Roboão; Roboão, a Abias; Abias, a Asa; Asa gerou a Josafá; Josafá, a Jorão; Jorão, a Uzias; Uzias gerou a Jotão; Jotão, a Acaz; Acaz, a Ezequias; Ezequias gerou a Manassés; Manassés, a Amom; Amom, a Josias; Josias gerou a Jeconias e a seus irmãos, no tempo do exílio em Babilônia. Depois do exílio em Babilônia, Jeconias gerou a Salatiel; e Salatiel, a Zorobabel; Zorobabel, a Abiúde; Abiúde, a Eliaquim; Eliaquim, a Azor; Azor gerou a Sadoque; Sadoque, a Aquim; Aquim, a Eliúde; Eliúde gerou a Eleázar; Eleázar, a Matã; Matã, a Jacó. E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama o Cristo. De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze; desde Davi até ao desterro para a Babilônia, catorze; e desde o desterro para a Babilônia até Cristo, catorze.
Lucas 3:23-38 – Ora, tinha Jesus cerca de trinta anos ao começar o seu ministério. Era, como se cuidava, filho de José, filho de Heli, Heli filho de Matã, Matã filho de Levi, Levi filho de Melqui, este filho de Janai, filho de José, José filho de Matatias, Matatias filho de Amós, Amós filho de Naum, este filho de Esli, filho de Nagaí, Nagaí filho de Máate, Máate filho de Matatias, Matatias filho de Semei, este filho de José, filho de Jodá, Jodá filho de Joanã, Joanã filho de Resá, Resá filho de Zorobabel, este filho de Salatiel, filho de Neri, Neri filho de Melqui, Melqui filho de Adi, Adi filho de Cosã, este de Elmadã, filho de Er, Er filho de Josué, Josué filho de Eliézer, Eliézer filho de Jorim, este de Matã, filho de Levi, Levi filho de Simeão, Simeão filho de Judá, Judá filho de José, este filho de Jonã, filho de Eliaquim; Eliaquim filho de Meleá, Meleá filho de Mená, Mená filho de Matatá, este filho de Natã; Natã filho de Davi, Davi filho de Jessé, Jessé filho de Obede, Obede filho de Boaz, este filho de Salá, filho de Naassom; Naassom filho de Aminadabe, Aminadabe filho de Admim, Admim filho de Arni, Arni filho de Esrom, este filho de Faréz, filho de Judá; Judá filho de Jacó, Jacó filho de Isaque, Isaque filho de Abraão, este filho de Terá, filho de Nacor; Nacor filho de Seruque, Seruque filho de Ragaú, Ragaú filho de Fáleque, este de Éber, filho de Salá; Salá filho de Cainã, Cainã filho de Arfaxade, Arfaxade filho de Sem, este filho de Noé, filho Lameque; Lameque filho de Matusalém, Matusalém filho de Enoque, Enoque filho de Jarete, este filho de Maleleel, filho de Cainã; Cainã filho de Enos, Enos filho de Sete, e este filho de Adão, e Adão, filho de Deus.
Percebe-se claramente que não são concordes as genealogias de narradas por Mateus e Lucas. Algumas pessoas querem, para que não fique evidenciada essa divergência, que a de Lucas esteja baseada em relação à Maria, entretanto se esquecem que naquela época as mulheres não tinham nenhum valor, e todas as genealogias da Bíblia são colocadas em relação aos homens e não sobre as mulheres.

 

AIRTON – A própria genealogogia de Mateus anula a tese de que todas as genealogias da Bíblia são colocadas em relação aos homens.

« Jesus tem um avô diferente em Lucas 3.23 (Heli), em relação ao que é registrado em Mateus 1.16 (Jacó). Quem foi de fato o avô de Jesus ? Isso é de se esperar, já que são duas linhas diferentes de ancestrais, uma através de seu pai legal, José, e outra através de sua mãe de fato, Maria. Mateus apresenta-nos a linha oficial, já que seu propósito é mostrar as credenciais messinânicas judaicas de Jesus, que requeriam que o Messias viesse da semente de Abraão e da linhagem de Davi (cf. Mt 1.1). Lucas, tendo em vista um público grego bem mais amplo, dirige-se para o interesse grego de ver Jesus como o homem perfeito (que era o que buscava o pensamento grego). Assim, ele traça a linha genealógica de Jesus até o primeiro homem, Adão (Lc 3.38). Há várias razões para que Mateus apresente a genealogia paterna de Jesus, e Lucas, a materna. Primeiramente, mesmo que as duas linhas vão de Jesus a Davi, cada uma delas o faz através de um filho diferente de Davi. Mateus inicia com José (pai de Jesus segundo a lei) e vai até o rei Salomão, filho de Davi, de quem Cristo por direito herdou o trono de Davi (cf. 2 Sm 7.12ss). Então ele vai de Cristo a Natã, filho de Davi, seguindo a genealogia de Maria, sua mãe de fato, pela qual Jesus pode declarar ser perfeitamente humano e o redentor da humanidade. Lucas não diz que está traçando a genealogia de Jesus a partir de José. Antes, ele observa que Jesus, ´como se cuidava, era filho de José´, quando de fato ele era filho de Maria. Também o fato de Jesus registrar a genealogia pela linha de Maria vinha bem ao encontro de seu interesse como médico, por mulheres e nascimentos, o que se vê inclusive por sua ênfase em mulheres no seu Evangelho, que tem sido chamado de ‘o evangelho para as mulheres’.

Finalmente, o fato de terem as duas genealogias alguns nomes em comum (tais como Salatiel e Zoreobatel, Mt 1.12 ; cf. Lc 3.27) não prova que são a mesma genealogia por duas razões. Primeiro, esses não são nomes incomuns. Segundo, até na própria renealogia  (na de Lucas) há uma repetição dos homes de José e Judá (3.26, 30) «  (Norman Geisler/Thomas Howe).


HECTOR  – Lugar onde seus pais moravam
Mateus 2:1 – Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém.
Mateus 2:13 – Tendo eles partido, eis que aparece um anjo do Senhor a José em sonho, e diz: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito, e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para matar.
Mateus 2:21-23 – Dispôs-se ele, tomou o menino e sua mãe, e regressou para a terra de Israel. Tendo, porém, ouvido que Arquelau reinava na Judéia em lugar de se pai Herodes, temeu ir para lá; e, por divina advertência prevenido em sonho, retirou-se para as regiões da Galiléia. E foi habitar numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito, por intermédio dos profetas: Ele será chamado Nazareno.
Lucas 1:26-27 – No sexto mês foi o anjo Gabriel enviado da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria.
Lucas 2:1 – Naqueles dias foi publicado um decreto de César Augusto, convocando toda a população do império para recensear-se.
Lucas 2:3-5 – Todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. José também subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, para a Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém, por ser ele da casa e família de Davi, a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.
Pelo relato de Mateus a família de Jesus morava em Belém só depois é que se mudou para Nazaré. Entretanto Lucas coloca a cidade de Nazaré como se fosse o local onde vivia a sagrada família, que teve que ir à Belém apenas para atender ao decreto do recenseamento.

 

AIRTON – Nenhuma contradição. Mateus relata o fato a partir do nascimento de Jesus, em Belém. Depois de uma temporada no Egito, José, Maria e Jesus rumaram para Nazaré, na Galiléia (Mt 2.13-23). Lucas fez o relato a partir da saída de José e Maria da cidade de Nazaré. Mateus quis contar a história a partir do nascimento de Jesus. Lucas retrocedeu ao tempo da gravidez de Maria e dos motivos que levou o casal à cidade de Belém.

HECTOR – O servo do centurião
Mateus 8:5-6 – Tendo Jesus entrado em Cafarnaum, apresentou-se-lhe um centurião, implorando: Senhor, o meu criado jaz em casa, de cama, paralítico, sofrendo horrivelmente.
Lucas 7:1-2 – Tendo Jesus concluído todas as suas palavras dirigidas ao povo, entrou em Cafarnaum. E o servo do centurião, a quem este muito estimava, estava, quase à morte.
Vejam que Mateus diz que o servo do centurião se encontra deitado em casa sofrendo muito, pois era paralítico. Já Lucas diz que o servo estava quase à morte.

 

AIRTON – Não há contradição. Um diz que o servo estava “de cama”, prostrado, e “paralítico”, e “sofria horrivelmente”. Lucas descreve seu estado como de alguém que estava muito doente, moribundo, com risco de perder a vida. A aflição do centurião denota uma situação de emergência. Não se vê contradição. Encontrar-se à morte” não é o mesmo que morto.

HECTOR – O possesso de gedara
Mateus 8:28 – Tendo ele chegado à outra margem, á terra dos gadarenos, vieram-lhe ao encontro dois endemoninhados, saindo dentre os sepulcros, e a tal ponto furiosos, que ninguém podia passar por aquele caminho.
Marcos 5:1-3 – Entrementes chegaram à outra margem do mar, à terra dos gerasenos. Ao desembarcar, logo veio dos sepulcros, ao seu encontro, um homem possesso de espírito imundo, o qual vivia nos sepulcros, e nem mesmo com cadeias alguém podia prendê-lo.
Lucas 8:26-27 – Então rumaram para a terra dos gerasenos, fronteira da Galiléia. Logo ao desembarcar, veio da cidade ao seu encontro um homem possesso de demônios que, havia muito, não se vestia, nem habitava em casa alguma, porém vivia nos sepulcros.
Mateus diz tratar-se de dois endemoninhados ao passo que Marcos e Lucas dizem ser apenas um.

 

AIRTON – « Há uma lei matemática fundamental que reconcilia essa aparente contradição – onde há dois, sempre há um. Não há exceções. Foram de fato dois endemoninhados que se apresentaram a Jesus. Talvez Marcos e Lucas tenham mencionado apenas um porque um deles tenha se feito notar mais, ou tenha se destacado por alguma razão. Entretanto, o fato de Marcos e Lucas mencionarem apenas um, não nega que tenham sido dois, como Mateus disse, porque onde quer que haja dois, sempre há um. Isso é inevitável. Se Marcos e Lucas tivessem dito que havia apenas um, então isso seria uma contradição. Mas a palavra ´apenas´ não está no texto ». (Norman Geisler/ Thomas Howe).

HECTOR – Cura de um paralíticoMateus 9:1-2 – Entrando Jesus num barco, passou para a outra banda, e foi para a sua própria cidade. E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito.
Marcos 2:1-4 – Dias depois, entrou Jesus de novo em Cafarnaum, e logo correu que ele estava em casa. Muitos afluíram para ali, tantos que nem mesmo junto à porta eles achavam lugar; e anunciava-lhes a palavra. Alguns foram ter com ele, conduzindo um paralítico, levado por quatro homens. E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o eirado no ponto correspondente ao em que ele estava e, fazendo uma abertura, baixaram o leito em que jazia o doente.
Lucas 5:17-19 – Ora, aconteceu que num daqueles dias, estava ele ensinando, e achavam-se ali assentados fariseus e mestres da lei, vindos de todas as aldeias da Galiléia, da Judéia e de Jerusalém. E o poder do Senhor estava com ele para curar. Vieram então uns homens trazendo em um leito um paralítico; e procuravam introduzi-lo e pô-lo diante de Jesus. E não achando por onde introduzi-lo por causa da multidão, subindo ao eirado, o desceram no leito, por entre os ladrilhos, para o meio, diante de Jesus.
Na narrativa de Mateus o paralítico é levado a Jesus, deixando a entender que não teve nenhum obstáculo para isso. Mas Marcos e Lucas dizem que tiveram que descer tal paralítico do telhado, pois a multidão não deixava que o levassem a Jesus.
Mateus diz que Jesus chegou à sua cidade. Seria Nazaré? Marcos diz ser Cafarnaum. Quanto a Lucas não diz em qual cidade.

 

AIRTON – Não há contradição. Lucas foi mais minucioso na narrativa. Ele mesmo diz …”havendo-me informado minuciosamente de tudo desde o princípio” (Lc 1.3). A Bíblia não foi psicografada. Deus não ditou palavra por palavra. Tivesse sido assim os quatro evangelhos seriam exatamente iguais. O importante é sabermos que o paralítico foi levado a Jesus e foi curado. E todos os homens, paralíticos de ignorância espiritual, poderão receber alívio em Jesus. Deus providenciou para que tudo fosse relatado nos quatro evangelhos, nos seus mínimos detalhes. Nesse contexto, a Bíblia é a palavra de Deus.

HECTOR – Filha de Jairo
Mateus 9:18 – Enquanto estas cousas lhes dizia, eis que um chefe, aproximando-se, o adorou, e disse: Minha filha faleceu agora mesmo; mas vem, impõe a tua mão, e viverá.
Marcos 5:22-23 – Eis que se chaga a ele um dos principais da sinagoga, chamado Jairo, e, vendo-o, prostra-se a seus pés, e insistentemente lhe suplica: Minha filhinha está à morte; vem, impõe as mãos sobre ela, para que seja salva, e viverá.
Lucas 8:41-42 – Eis que veio um homem chamado Jairo, que era chefe da sinagoga, e, prostrando-se aos pés de Jesus, lhe suplicou que chegasse até a sua casa. Pois tinha uma filha única de uns doze anos, que estava à morte. Enquanto ele ia, as multidões o apertavam.
Diferentemente de Marcos e Lucas que dizem que a filha de Jairo estava quase morrendo Mateus já a tem como morta.

 

AIRTON – Não há contradição. Como a filha de Jairo estava moribunda quando seu pai chegou a Jesus, e como na volta para casa os mensageiros disseram que ela morrera, Mateus combinou as duas fases numa só. Pela palavra do pai, a menina agonizava; pela palavra dos mensageiros, já havia morrido. A passagem nos diz que ainda que estejamos mortos em nossos pecados, podemos encontrar salvação em Jesus, desde que haja sincero arrependimento.

HECTOR – Cego e mudo?
Mateus 12:22 – Então lhe trouxeram um endemoninhado, cego e mudo; e ele o curou, passando o mudo a falar e a ver.
Lucas 11:14 – De outra feita estava Jesus expelindo um demônio que era mudo. E aconteceu que, ao sair o demônio, o mudo passou a falar; e as multidões se admiraram.
Mateus diz ser o homem cego e mudo, mas Lucas diz tratar-se apenas de um mudo o que estava possesso.

 

AIRTON – O relato de um não contradiz o do outro. São complementares. Lucas não diz que o endemoninhado era “apenas” mudo. Diz que era mudo. E era mesmo. Mateus complementa e esclarece ao dizer que além de mudo, era cego. Deus agiu de tal forma na inspiração das Escrituras, que não permitiu omissão de detalhes. Glória a Deus.

HECTOR – Cegos de Jericó
Mateus 20:29-30 – Saindo eles de Jericó, uma grande multidão o acompanhava. E eis que dois cegos, assentados à beira do caminho, tendo ouvido que Jesus passava, clamaram: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de nós!
Marcos 10:46-47 – E foram para Jericó. Quando ele saía de Jericó, juntamente com os discípulos e numerosa multidão, Bartimeu, cego mendigo, filho de Timeu, estava assentado à beira do caminho. E, ouvindo que era Jesus, o Nazareno, pôs-se a clamar: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!
Lucas 18:35-38 – Aconteceu que, ao aproximar-se ele de Jericó, estava um cego assentado à beira do caminho, pedindo esmolas. E, ouvindo o tropel da multidão que passava, perguntou o que era aquilo. Anunciaram-lhe que passava Jesus, o Nazareno. 
Então ele clamou: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!
Aqui temos Mateus dizendo que eram dois cegos em contradição com Marcos e Lucas que afirmam ser apenas um. 
Por que somente Marcos identifica quem era este cego?

 

AIRTON – Lucas não diz que “apenas” um cego foi curado. A crítica tendenciosa necessita colocar o “apenas” para poder validar a contradição. “O fato de Marcos mencionar o nome de um dos cegos, Bartimeu, e o nome de seu pai, Timeu (10.46), indica que ele se concentrou naquele que conhecia pessoalmente” (Norman Geisler/Thomas Howe). Deus usou homens com capacidade de observação diferente, com estilos diferentes, para escrever o seu plano de salvação para a humanidade. A mensagem sob comentário nos revela que os cegos de entendimento poderão ser curados por Jesus, basta clamar como fez o cego Bartimeu: JESUS, EU QUERO VER.

HECTOR – Mulher com alabastro
Mateus 26:6-7 – Ora, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso, aproximou-se dele uma mulher, trazendo um vaso de alabastro cheio de precioso bálsamo, que lhe derramou sobre a cabeça, estando ele à mesa.
Marcos 14:3 – Estando ele em betânia, reclinado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosismo perfume de nardo puro, e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus.
Lucas 7, 36-38 – Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele. Jesus, entrando na casa do fariseu, tomou lugar à mesa. E eis que uma mulher da cidade, pecador, sabendo que ele estava à mesa na casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento; e, estando por detrás, aos seus pés, corando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos; e beijava-lhe os pés e os ungia com o ungüento.
João 12:1-3 – Seis dias antes da páscoa, foi Jesus para Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa. Então Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com perfume do bálsamo.
Mateus e Marcos relatam que Jesus estava em casa de Simão, o leproso e que uma mulher havia derramado o vaso de alabastro na cabeça de Jesus, não identificando quem era ela. Só que João diz que a mulher era Maria a irmã de Lázaro, que o fato acontecia na casa de Lázaro e que ao invés de jogar o perfume na cabeça ela ungiu os pés de Jesus. Em Lucas temos que esta mulher é uma pecadora, portando não poderia ser a Maria irmã de Lázaro.

 

AIRTON – Não há contradição. Mateus, Marcos e João afirmam que o fato se deu em Betânia, e que Jesus foi ungido por uma mulher, identificada por João como sendo Maria. Quem unge a cabeça, unge a pessoa, o corpo, os pés. Jesus disse que o perfume foi “derramado sobre o meu corpo” (Mt 26.12; Mc 14.8). A unção com óleo sobre uma parte do corpo equivale a ungir todo o corpo. Jesus não fala que foi sobre a cabeça ou sobre os pés, mas sobre “meu corpo”. O relato em Lucas 7.38 diz respeito a um fato ocorrido na casa de um fariseu, nada tendo a ver com o caso em Betânia.

HECTOR – Ressurreição
Mateus 28:1 – No findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro.
Lucas 23:54-56 – Era o dia da preparação e começava o sábado. As mulheres que tinham vindo da Galiléia com Jesus, seguindo, viram o túmulo e como o corpo de Jesus ali foi depositado. Então se retiraram para preparar aromas e bálsamos. E no sábado descansaram, segundo o mandamento.
Lucas 24:1 – Mas, ao primeiro dia da semana, alta madrugada, foram elas ao túmulo, levando os aromas que haviam preparado.
João 20:1 – No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra estava revolvida.
Mateus diz que as Maria Madalena e a outra Maria foram ao sepulcro. João diz que somente Maria Madalena tinha ido e Lucas diz ter sido as mulheres que tinham vindo com Jesus desde a Galiléia, sem especificar quais eram essas mulheres.

 

AIRTON – Não há contradição. O fato marcante é que Jesus ressuscitou corporalmente, o que o espiritismo não aceita, embora o próprio Jesus tenha dito que ressuscitaria ao terceiro dia. O apóstolo João não afirmou que “somente” Maria Madalena foi ao sepulcro. A crítica tendenciosa   altera a Palavra para justificar a contradição que denuncia.  Os relatos dos evangelhos são complementares entre si, e revelam a morte, sepultamente e ressurreição de Jesus com riqueza de detalhe. A mensagem nos diz que o sepulcro estava vazio, apesar dos guardas, do selo imperial romano, da enorme pedra. A Bíblia diz que os que morrerem em Cristo ressuscitarão para viverem eternamente com Ele.

HECTOR – Quem apareceu às mulheres?
Mateus 28, 2-3: E eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do Senhor desceu do céu, chegou-se, removeu a pedra e assentou-se sobre ela. 
O seu aspecto era como um relâmpago e a sua veste alva como a neve.
Marcos 16, 4-5: E, olhando, viram que a pedra já estava revolvida; pois era muito grande. Entrando no túmulo, viram um jovem assentado ao lado direito, vestido de brando, e ficaram surpreendidas e atemorizadas.
Lucas 24, 2-4: E encontram a pedra removida do sepulcro; mas, ao entrar, não acharam o corpo do Senhor Jesus. 
Aconteceu que, perplexas a esse respeito, apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes.
João 20, 11-12: Maria, entretanto, permanecia junto à entrada do túmulo, chorando. Enquanto chorava, abaixou-se e olhou para dentro do túmulo, e viu dois anjos vestidos de branco sentados onde o corpo de Jesus fora posto, um à cabeceira e outro aos pés.
Vejam a divergência na quantidade e na forma da aparição. Apesar dela ser registrada por todos os evangelistas Mateus diz ser um anjo, Marcos um jovem, Lucas dois varões e João dois anjos.

 

AIRTON – Não há contradição. Mateus 28.1 fala de um evento ocorrido antes da chegada das mulheres, presenciado apenas pelos soldados. “Um jovem”, “um anjo do Senhor”, “varões com vestes resplandecentes”, “anjos vestidos de branco”, não são afirmações contraditórias. Seriam contraditórias se Mateus e Marcos tivessem dito “apenas” um anjo. “Mateus provavelmente centrou sua atenção sobre o anjo que falou: “dirigindo-se às mulheres, disse: ´Não temais´ (Mt 28.5). João, porém, referiu-se ao número de anjos que elas viram: “e viu dois anjos” (Jo 20.12) (Norman Geisler/Thomas Howe).

HECTOR – Carregar a cruz
Mateus 27:32 – Ao saírem, encontraram um cireneu, chamado Simão, a quem obrigaram a carregar-lhe a cruz.
Marcos 15:21 – E obrigaram a Simão Cireneu, que passava, vindo do campo, pai de Alexandre e de Rufo, a carregar-lhe a cruz.
Lucas 23:26 – E como o conduzissem, constrangendo um cireneu, chamado Simão, que vinha do campo, puseram-lhe a cruz sobre os ombros, para que a levasse após          Jesus.
João 19:17 – Tomaram eles, pois, a Jesus; e ele próprio, carregando a sua cruz, sal para o lugar chamado Calvário, Gólgotaem hebraico.
Mateus, Marcos e Lucas dizem que o cireneu Simão foi obrigado a carregar a cruz de Jesus, enquanto que João diz que foi o próprio Jesus quem levou a cruz.

 

Resposta – Não há contradoção. O contraditório existe apenas ana mente dos inimigos da Bíblia. O evangelho segundo São João diz que Jesus saiu do palácio de Pilatos carregando a cruz. No início de Sua “via-crúcis” era Ele sozinho quem carregava a cruz. Veja: “Carregando a sua cruz, SAIU para o lugar chamado Calvário” (Jo 19.17).Mateus, Marcos e Lucas enriquecem a informação, registrando que, NO PERCURSO, Simão ajudou. 

HECTOR – Bom       ladrão
Mateus 27: 38 e 44 – E foram crucificados com ele dois ladrões, um à sua direita e outro à sua esquerda. E os mesmos impropérios lhe diziam também os ladrões que haviam sido crucificado com ele.
Marcos 15:27 e 32 – Com ele crucificaram dois ladrões, um à sua direita, e outro à sua esquerda. Também os que com ele foram crucificados o insultavam.
Lucas 23:39-43 – Um dos malfeitores crucificados blasfemava contra ele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós também. Respondendo-lhe, porém, o outro repreendeu-o dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença? Nós na verdade com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez. E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. 
Jesus lhes respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.
João 19:18 – Onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio.
Mateus, Marcos e João nada relatam de qualquer diálogo entre os três crucificados.Os dois primeiros dizem que os ladrões estavam, isto sim, entre os que escarneciam de Jesus. Só Lucas diz que Jesus teria dito para um deles que hoje estarás comigo no Paraíso. Se isso aconteceu temos uma contradição de Jesus, pois ele mesmo disse: a cada um segundo suas obras. (Mateus 16, 27) Quando do episódio com Madalena após sua ressurreição disse Jesus a Madalena: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus (João 20, 17). Ora, se Jesus três dias após sua morte ainda não tinha subido ao Pai como ele poderia ter afirmado ao “bom ladrão” que hoje estarás comigo, ou seja, justamente no dia de sua morte na cruz. Por outro lado ao reconhecer que “nós na verdade com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez” ele está aceitando a justiça dos homens, por mais forte razão aceitaria a justiça de Deus que lhe daria uma pena merecida. Também ele não aceitaria uma recompensa por algo que não tenha feito, não é mesmo? Já falamos várias vezes, mas não custa repetir, coloquemos a frase do seguinte modo: Em verdade te digo hoje, estarás comigo no paraíso? É muito mais condizente com a justiça divina, pois somente irá para o Paraíso quando tiver realizado as obras que venham a fazê-lo merecer este paraíso, não importando quanto tempo levará para isso.

 

AIRTON –   1) Só porque Mateus e Marcos não falam de diálogo na cruz não quer dizer que o diálogo não existiu. Pensar que foi uma invenção de São Lucas é admitir que esse discípulo mentiu em muitas outras coisas. O espiritismo deveria então dizer o que é mentira e verdade nesse evangelho.

 

2) “Hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43) e “a cada um segundo tuas obras” (Mt 16.27; Sl 62.12), não são palavras contraditórias. Kardec afirmou que Jesus veio com missão divina para ensinar a elevada moral cristã, e que Ele foi a segunda Revelação de Deus. É por isso que os espíritas acreditam em tudo o que Jesus falou. E Jesus falou, como já dito, que o Espírito Santo ajudaria os apóstolos a se lembrarem de suas palavras.

 

3) O Justo Juiz será imparcial em seu julgamento. Quanto a Mateus 16.27, não se pode firmar doutrina com base num versículo isolado. As boas obras para Deus são as que decorrem de um coração que o louva e glorifica; que tudo faz por amor a Cristo, e pela fé nEle. Simples obras de caridade não garantem a salvação. Os déspotas costumam apresentar-se como caridosos.

 

4) A passagem do ladrão na cruz nos revela que  Deus perdoa e salva até na hora da morte, desde que haja sincero arrependimento. Veja: “Quem nele crê não é condenado; mas quem não crê, já está condenado, porque não crê no Unigênito Filho de Deus”  (Jo 3.18). Leia mais: “Pois é pela graça que sois salvos, por meio da fé – e isto não vem de vós, é dom de Deus – NÃO DE OBRAS, para que ninguém se glorie. Pois somos feituras sua, CRIADOS EM CRISTO PARA AS BOAS OBRAS, as quais Deus preparou para wque andássemos nelas” (Ef 2.8-10). Somos salvos PARA  as boas obras; não somos salvos PELAS obras. E só os nascidos de Cristo podem operar boas obras para a salvação.

 

5) Jesus entregou seu espírito ao Pai (Lc 23.43), e prometeu ao ladrão arrependido que o levaria para o paraíso. Já ressurreto, em corpo glorificado foi visto subindo ao céu, após aparecer a muitos discípulos. Ouça a verdade nas palavras do apóstolo João: “O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos tocaram, isto proclamamos com respeito o Verbo da vida. O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco. E a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo” (1 Jo 1.1,2,3). Estas verdades são negadas pelos “instrutores espirituais” do espiritismo. Um debate sério gira em torno das verdades reveladas e não aceitas pelo espiritismo, tais como: Juízo Final, Ressurreição, salvação pela graça e fé, existência do castigo eterno, existência da Pessoa do Consolador, o Espírito Santo; existência de Satanás e demônios, tudo isso ensinado por Jesus.

 

6) “Em verdade TE DIGO HOJE: estarás comigo no paraíso” é uma aberração de interpretação. Espíritas mais conscientes e mais preparados procuram outros argumentos.  Jesus poderia dizer “Em verdade te digo AMANHÃ, ou te digo ONTEM? O que Ele disse, disse-o naquele dia.

 

7) A salvação daquele ladrão na última hora é uma ducha de água fria na teoria da reencarnação, um xeque-mate, um nocaute. Como  não pode negar a tese reencarnacionista, espinha dorsal do espiritismo, procura alterar as palavras de Jesus, ou desconfiar das palavras dos homens inspirados por Deus. A verdade é que  o “bom” ladrão tinha motivos de sobra para sofrer inúmeras vidas corpóreas, mas a graça de Deus o alcançou, em razão do seu arrependimento e fé em Jesus. Ele não precisou viver muitas vidas para expungir suas faltas. Foi direto para o céu. Todos os espíritas podem alcançar a graça da salvação mediante a fé. É só seguir os passos do referido ladrão, enquanto há tempo. Veja Romanos 10.9.


HECTOR – Realmente para que a compreensão do Novo Testamento se faça de forma adequada, não podemos colocar tudo como palavra de Deus, principalmente coisas que não podem de forma alguma serem-Lhe atribuídas. Devemos ter a capacidade de saber separar, nas narrativas bíblicas, o que é de Deus, o que é de Jesus

 

AIRTON – Tudo o que Jesus falou veio do Pai. Não há como “separar” as palavras de um e de outro. Leia: “Não crês tu que eu estou no Pai e que o Pai está em  mim? AS PALAVRAS QUE EU DIGO, NÃO AS DIGO DE MIM MESMO, MAS O PAI, QUE ESTÁ EM MIM, É QUEM FAZ AS OBRAS” Jo 14.10).  E mais: “Esta palavra que ouvis não é minha, mas do Pai que me enviou” (Jo 14.24); “Eu falo do que vi na presença do Pai…” (Jo 8.38); “Aquele que deus enviou fala as palavras de Deus, pois Deus lhe dá o Espírito sem medida” (Jo 3.34).

 

HECTOR –  e, finalmente, o que é opinião pessoal do próprio autor, pois sem isso fatalmente teremos várias e inexplicáveis contradições, que de não poderemos de maneira nenhuma atribuí-las a inspiração divina.
Entretanto os seguimentos religiosos que combatem a Doutrina Espírita afirmam categoricamente que a Bíblia é a palavra de Deus. Já que pensam assim deveriam seguí-la incondicionalmente. 
Mas não é o que fazem os seus líderes. Exigem que os outros cumpram tudo o que ali está, mas não quanto a eles próprios.
São os fariseus modernos, são os mesmos de outrora quando Jesus disse sobre eles: Não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem. Atam fardos pesados (e difíceis de carregar) e os põem sobre os ombros dos homens, entretanto eles mesmos nem com o dedo querem movê-los. Praticam, porém todas as suas obras com o fim de serem vistos dos homens; pois alargam os seus filactérios e alongam as suas franjas. 
(Mateus 23, 3-5).

 

AIRTON – Quais os “segmentos religiosos que combatem a doutrina espírita”? Como vimos nos argumentos anteriores, quem combate a doutrina espírita é a própria Bíblia. Em determinado momento Allan Kardec entendeu que o seu espiritismo tinha alguma coisa a ver com o cristianismo. A partir disso, escreveu um livro de “interpretação” da Bíblia – O Evangelho Segundo o Espiritismo -, mas só analisou alguns versículos, dando-lhe a interpretação que julgou mais correta para justificar suas teses. Afirmou nesse livro que “cristianismo e espiritismo ensinam a mesma coisa”; que o Consolador prometido por Jesus é o espiritismo; que o espiritismo é a terceira revelação de Deus; no Livro dos Espíritos, auxiliado pelos “espíritos”, diz que a salvação vem pelo esforço próprio, etc. À vista desses disparates, e também pelo fato de muitas pessoas acreditarem que existe o espiritismo cristão, é que homens de           Deus têm se levantado para esclarecer a opinião pública, em defesa da genuína fé cristã. Cristianismo e espiritismo são incompatíveis e irreconciliáveis. Nós, os cristãos-evangélicos, temos a Bíblia com única regra de fé e prática. Somente na Bíblia encontramos as doutrinas básicas do cristianismo. Kardec disse que “no Livro dos Espíritos contém especialmente a doutrina ou teoria do espiritismo…” (Livro dos Espíritos, introdução, pg 11, Editora Pensamento, S.Paulo, 1997). Daí porque deve-se ter cuidado em afirmar que os evangélicos atacam o espiritismo. O espiritismo poderia ser mais autêntico se não tentasse se enroscar no cristianismo. O espiritismo ouve aos mortos; nós, a Deus.


HECTOR – Analisaremos algumas passagens do Novo Testamento, para vermos se eles realmente cumprem fielmente a palavra de Deus. Chamamos a sua atenção para o que colocaremos em negrito. Vamos a elas, então:

Marcos 16, 18: Pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.
Até hoje nunca vi nenhum deles pegando em serpentes ou bebendo algo mortífero. Não está dito que não lhes farão mal, já que conforme a Bíblia estes sinais seguirão os que crerem.

 

AIRTON – Deus pode livrar seus filhos de muitos males, porque Ele é poderoso. Porque cremos num Deus que pode nos livrar, não iremos cometer determinados atos apenas para testar a providência divina. Jesus nos ensinou isso. Veja : « Disse-lhe o diabo : Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo. Pois está escrito : Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e eles te tomarão nas mãos, para que não tropeces nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus : Também está escrito : NÃO TENTARÁS O SENHOR TEU DEUS » (Mt 4.6-7). A resposta está nas palavras de Jesus, o qual, segundo as palavras de Kardec, veio com missão divina para nos ensinar.


HECTOR – Atos 2,44-45: Todos os que creram estavam juntos, e tinham tudo em comum. Vendiam as propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade.
Será que todos que não se cansam de afirmar que são fiéis cumpridores da palavra de Deus vendem seus bens e propriedades para distribuir aos necessitados?

 

AIRTON –  Atos 2.44-45 não prescreve uma doutrina. Trata-se da descrição de uma prática usada nos primeiros passos da igreja. Essa espécie de  ‘socialismo´  funcionou  enquanto o número de cristãos era reduzido e não estavam espalhados por várias cidades. Foi válida na época, pois fortaleceu os laços fraternais da comunidade cristã, preparando-os para os grandes desafios que surgiriam. Em suas cartas aos romanos, corintos, gálatas, filipenses, colossenses, tessanolicenses, o apóstolo Paulo não fala mais no assunto. Portanto, os irmãos dessas localidades não seguiram referido costume. Paulo recomendou « que cada um contribua segundo propôs no seu coração » (2 Co 9.7). 


HECTOR – Atos 5, 38-39: Agora vos digo: Daí de mão a estes homens, deixai-os; porque se este conselho ou esta obra vem de homens, perecerá; mas, se é de Deus, não podereis destruí-los, para que não sejais, porventura, achados lutando contra Deus. 
E concordaram com ele.
Vivem combatendo a religião dos outros como se tivessem alguma procuração de Deus para tal ofício. Mas se esquecem que na Bíblia é dito para deixar os outros em paz, pois correm o risco de estarem lutando contra Deus, já que tais convicções podem estar inspiradas por Deus e se assim for nada lhes farão obstáculo, entretanto se forem dos homens com absoluta certeza perecerão.

 

AIRTON –  Se Jesus tivesse ficado em Nazaré, acomodado, impassível e despreocupado; se não apresentasse uma palavra revolucionária, nova, cheia de sabedoria, incômoda para muitos; se não se dispusesse a levar as boas novas a milhares de pessoas, em muitos lugares; se não reprovasse duramente a religião de escribas e fariseus; se seus seguidores não continuassem no mesmo ritmo, pregando a novidade até com risco da própria vida,  o cristianismo não teria progredido. Se progrediu, se cresceu, então é porque a obra é de Deus. Nós cumprimos as ordenanças de Deus. Veja: 1) “Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado”. Anunciamos exatamente isto. Pelo que sei, o espiritismo “cristão” não cumpre as ordenanças de Jesus quanto ao batismo e à ceia do Senhor. Mas Jesus disse que quem o ama guarda seus mandamentos.  2) “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2 Tm 2.15). “Prega a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina” (2 Tm 4.2); “Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês. Contudo, façam isso com mansidão e respeito, conservando boa consciência, de forma que os que falam maldosamente do procedimento de vocês, porque estão em Cristo, fiquem envergonhados de suas calúnias” (1 Pe 3.15-16).

Não lutamos contra pessoas. Sabemos que por detrás dos inimigos da palavra estãos as forças malignas. Paulo adverte: “Nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestes” (Ef 6.12). Hector disse: “Mas se esquecem que na Bíblia é dito para deixar os outros em paz…”. Cristo é a nossa paz, mas  os que não estão nEle entram em guerra quando incomodados pela presença da  luz. Veja o que Jesus falou: “Não pensem que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Eu vim  para fazer que o homem fique contra seu pai, a filha contra sua mãe, a  nora contra  sua  sogra; os inimigos do homem serão os de sua própria família” (Mt 10.34-35).


HECTOR – Atos 10, 34-35: Então falou Pedro, dizendo: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que o teme e faz o que é justo lhe é aceitável.
Romanos 2, 11: Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.
Tiago 2, 9-10: Se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometereis pecado, sendo argüidos pela lei como transgressores. Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos.
Apesar de toda clareza quanto a não devermos fazer qualquer tipo de discriminação de pessoas. Eles mesmos as praticam quando pregam um sectarismo religioso, se julgando os únicos donos da verdade e que apenas eles serão salvos. Pobres coitados, pois: se tropeçam em um só ponto, se tornam culpado de todos, conforme a palavra de Deus.

 

AIRTON –  Não somos a verdade. Pregamos a Cristo que é a verdade:  “Eu sou a verdade” (Jo 14.6). Pregamos que todos os que são de Cristo Jesus estão salvos, porque assim a palavra diz. Acreditamos que “todo aquele que invocar o nome de Jesus será salvo” (Jl 2.32; At 2.21; Rm 10.13). Invocar significa amar, crer, obedecer e permanecer no caminho (Jo 14.15;15.1-7;Rm 10.9). Por acaso Jesus estava fazendo acepção de pessoas, quando repreendeu duramente escribas e fariseus, chamando-os de “hipócritas”, “condutores cegos”, “insensatos”, “sepulcros caiados”, “iníquos”, “serpentes”, “raça de víboras” (Mt 23.13-33)? Jesus estava fazendo acepção de pessoas quando disse aos judeus: “Vós pertenceis a vosso pai, o diabo, e quereis executar o desejo dele”; contudo eu vos digo a verdade e não credes em mim” (Jo 8.44-47)? Não, não estava. Jesus simplesmente dizia a verdade. Ele veio para isso. E a sua igreja tem a obrigação de continuar pregando a verdade, quer queiram, quer não queiram.

O amado Hector não interpretou bem a expressão “não faz acepção de pessoas”, observando o contexto. Essa frase significa que “Deus não tem nenhuma nação ou raça predileta, nem favorece qualquer indivíduo, linhagem ou posição na vida (cf. Tg 2.1). Deus favorece e aceita aqueles, entre todas as nações, que abondonaram o pecado, crêem em Cristo, tomem a Deus e vivem retamente (v.35, cf. Rm 2.6-11). Todos aqueles que perseverarem neste modo de vida, permanecerão no amor e no favor de Deus (Jo 15.10)” (Bíblia de Estudo Pentecostal-comentários). A igreja de Jesus deve, também, tratar todos com imparcialidade. É isso o que Tiago diz (Tg 2.1-1), seja pobre, seja rico (v.2-4). Em Atos 10.34-35 a referência diz respeito à relação Deus-pessoas. Em Tiago 2.1.13, a acepção de pessoas diz respeito à relação igreja-pessoas. O amado Hector retirou o versículo de seu contexto. Não fazer acepção de pessoas, num e no outro caso, não tem nada a ver com proibição de  pregar a verdade a todos.


HECTOR -Atos 15, 20: Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, bem como das relações sexuais ilícitas, da carne de animais sufocados e do sangue.
Gostaríamos de observá-los à mesa. Será que não comem mesmo a carne dos animais sufocados? E o sangue dos animais, será que não faz parte do seu cardápio diário?

 

AIRTON –  Atos 15.20 não é uma prescrição doutrinária para todos os cristãos de todos os tempos. A orientação é dirigida aos cristãos de Antioquia para «  possibilitar uma convivência harmoniosa entre cristãos judaicos e seus irmãos gentios. Estes deveriam se abster de certas práticas consideradas ofensivas aos judeus (v.29). Uma das maneiras de medir a maturidade do cristão é ver a sua disposição de refrear-se das práticas que certos cristãos consideram certas e outros consideram erradas » (Bíblia de Estudo Pentecostal). Paulo, ao discorrer sobre assunto semelhante, disse que « se o manjar escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne [sacrificada aos ídolos] para que meu irmão não se escandalize (1 Co 8.13; 10.22-33). Aos romanos, Paulo disse : « Tenho plena convicção de que nenhum alimento é por si mesmo impuro, a não ser para quem assim o considere; para ele é impuro. Se o seu irmão se entristecer devido ao que você come, você já não está agindo por amor. Por causa da comida, não destrua seu irmão, por quem Cristo morreu (Rm 14.14-15). São palavras difíceis de entender para os não espirituais, porque elas se discernem espiritualmente (1 Co 2.12-16).  

 

HECTOR – Romanos 2, 1: Portanto, és indesculpável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque, no que julgas o outro, a ti mesmo te condenas, pois praticas as próprias cousas que condenas.
Não os vemos constantemente nos meios de comunicação a julgar as ações dos outros, será que não sabem que a palavra de Deus diz que somos indesculpáveis quando julgamos? Mais ainda, ela não diz que julgamos as mesmas coisas que praticamos? 
E onde fica quem tiver sem pecados atire a primeira pedra?

 

AIRTON – Pregar a palavra de Deus não é julgar. Dizer que quem não aceitar o senhorio de Jesus será condenado, não é julgar pessoas. O julgamento pertence ao Justo Juiz. Dizer que espiritismo e cristianismo não são a mesma coisa não é fazer julgamentos. Dizer que o espiritismo não pode ser cristão, e apresentar as razões bíblicas, não é fazer julgamento. Fazer julgamentos precipitados, atacando pessoas, mas não refutando teses, é a que fez o amado Hector, que disse: “Eles mesmos as praticam quando pregam um sectarismo religioso, se julgando os únicos donos da verdade e que apenas eles serão salvos. Pobres coitados, pois: se tropeçam em um só ponto, se tornam culpado de todos, conforme a palavra de Deus”.


HECTOR – Romanos 7, 6: Agora, porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra.
Hebreus 8, 6-9 e 13: Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente quanto é ele também mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas. Porque, se aquela primeira aliança tivesse sido sem defeito, de maneira alguma estaria sendo buscado lugar para segunda. E, de fato, repreendendo-os diz: Eis aí vêm dias, diz o Senhor, e firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá, não segundo a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os conduzir até fora do Egito; pois eles não continuaram na minha aliança, e eu não atentei para eles, diz o Senhor. Quando ele diz Nova, torna antiquada a primeira. Ora, aquilo que se torna antiquado e envelhecido está prestes a desaparecer.
Estas passagens são muito importantes. Dizem de maneira clara que a antiga aliança, qual seja o Antigo Testamento, não possui mais nenhum valor, pois se tornou caduco, velho e antiquado. Entretanto quase tudo que tiram da Bíblia para condenar o Espiritismo é retirado do Antigo Testamento. Parece mesmo que só encontram nela aquilo que seguem. 
É lá que encontramos o contrário do que Jesus nos manda fazer: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem. Por isso a necessidade de mudar os velhos conceitos de Moisés.

 

AIRTON – É um equívoco achar que o Antigo Testamento perdeu completamente a validade e pode ser jogado no lixo. O AT é o começo e o meio da história; o Novo Testamento ou Novo Concerto é o epílogo. Para entendermos este, precisamos conhecer aquele. A antiga aliança contém a manifesta vontade de Deus escrita por homens divinamente inspirados. Os capítulos de 8 a10  do livro de Hebreus apresenta um contraste entre os sacrifícios antigos, as leis cerimoniais, e o superior e perfeito sacrifício de Cristo : « A lei traz apenas uma sombra dos benefícios que hão de vir, e não a sua realidade. Por isso ela nunca consegue, mediante os mesmos sacrifícios repetidos ano após ano, aperfeiçoar os que se aproximam para adorar…pois é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire  pecados… mas quando este sacerdote [Jesus Cristo], acabou de oferecer, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita de Deus » (Hb 10.1,4,12 – Nova Versão Internacional).

Os sacrifícios de outrora, repetidos  a cada ano,  apontavam para o único e perfeito sacrifício do Cordeiro de Deus. O antigo Tabernáculo, onde os sacrifícios eram oferecidos, ficou  obsoleto na nova aliança, pois  » quando Cristo veio como sumo sacerdote dos benefícios agora presentes, Ele adentrou o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito pelo homem…não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, Ele entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção…por esta razão, Cristo é o mediador de uma nova aliança para que os que são chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que Ele morreu como resgate pelas transgressões cometidas sob a primeira aliança » (Hb 10.11-1-NVI).  As palavras-chave dos capítulos de 8 a 10 de Hebreus são Sumo Sacerdote, tabernáculo, sacrifícios. É neste contexto que devemos entender a caducidade do antigo concerto. Logo, as inspiradas palavras do profeta Isaías, proibindo a consulta aos mortos, é a manifesta vontade de Deus: « Quando disserem a vocês : ´Procurem um médium ou alguém que consulte os espíritos e murmure encantamentos, pois todos recorrem a seus deuses e aos mortos em favor dos vivos, respondam: À lei e aos mandamentos » (Is 8.19-20-NVI). Idêntica orientação nos deu Jesus na parábola do rico e Lázaro. Abraão disse que os irmãos do rico, para serem salvos,  deveriam recorrer a « Moisés e os Profetas » (Lc 16. 29). Ou seja, à lei e aos mandamentos, à palavra de Deus. De Gênesis a Apocalipse a Bíblia nos ensina a buscar a Deus. Tudo o que precisamos como diretriz para nossa salvação está no Livro Sagrado : « Felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem » (Lc 11.28). Uma centena de passagens bíblicas apontam nessa direção. Logo, guardar e ouvir a palavra dos mortos não produz felicidade, nem fé, nem salvação, visto que « a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo »(Rm 10.17).


HECTOR – Romanos 13, 6-8: Por esse motivo também pagais tributos: porque são ministros de Deus, atendendo constantemente a este serviço. Pagai a todos o que lhes é devido: a quem o tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra. A ninguém fiqueis devendo cousa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei.
Intransigentes em seus preceitos para os outros, não fazem o que devem. Perguntaria: A palavra de Deus não nos manda pagar os tributos e impostos, respeitar e honrar e que não devemos ficar devendo coisa alguma? Sim. Então novamente pergunto: Fazem isso? Ou na questão dos impostos e tributos se justificam dizendo que não pagam porque existe corrupção no serviço público? Ora, não encontramos na Bíblia nenhuma exceção para o não pagamento, e aí como ficamos?

 

HECTOR – O amado Hector trabalhou em cima de hipóteses. Supõe, julga, acha que os cristãos-evangélicos não pagam corretamente seus impostos. Em cima dessa suposição, pergunta: “Fazem isso?”. Sinceramente, não tenho dados concretos sobre o assunto, para responder com responsabilidade. Agiria com leviandade se mencionasse aqui qualquer nome, sem provas.   O amado espírita não se deu nem ao trabalho de livrar a pele dos irmãos assalariados que, por força da lei, têm seus impostos descontados na fonte. Poderia até perguntar, se estivesse disposto a cometer o mesmo deslize,  se todos os espíritas, em todas as épocas e lugares, pagam corretamente seus impostos.


HECTOR – Romanos 14, 1-5: Acolhei ao que é débil na fé, não, porém, para discutir opiniões. Um crê que de tudo pode comer, mas o débil come legumes; quem come não despreza ao que não come; e o que não come não julgue o que come, porque Deus o acolheu. Quem és tu que julgas o servo alheio? Para o seu próprio senhor está em pé ou cai; mas estará em pé, porque o Senhor é poderoso para o suster. Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. 
Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. A palavra de Deus não recomenda acolher os fracos, mas sem discutir opiniões? Será que é o que fazem? Ou querem a todo custo que pensem como eles. Como ficam a julgar a opinião religiosa dos outros, se também está lá a condenação ao julgamento? Se a Bíblia não deixa dúvida alguma quanto ao respeito que devemos ter para com a opinião do outro, inclusive diz que cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente, não diz, portanto para tentarmos mudar a opinião de ninguém, não é mesmo?

 

AIRTON – Em nenhuma hipótese é admitido o desrespeito, mesmo em se tratando de debate com seguidores de outras crenças. O que deve ser discutido, debatido, analisado e argumentado são as idéias, as teses, doutri

Os Fundadores de Religiões e Seitas


 
BUDISMO – Sidarta Gautama
     O Príncipe Gautama, também conhecido como BUDA, fundou o “Budismo”por volta do séc. V a.C. Diz a tradição que seu nascimento ocorreu por volta de 560 a.C. e o mesmo foi concebido com 40 dentes dizendo “Sou Senhor do Mundo”; e que seu pai, o Rei Suddhodana da Índia, queria evitar que o filho tivesse contato com o sofrimento do Mundo, o isolando no Castelo, até que ele saiu.

CONFUCIONISMO – K’Ong Fu-Tse (Confúcio)
     Nasceu em Lu, na China, por volta do séc. V a.C. Disse ter obtido a Graça Celeste pois sua mãe quando gestante peregrinou à montanha Ni-Kieou, onde a vegetação se abriu e ela encontrou os 05 elementos, a saber: madeira, fogo, terra, metal, água; considerados popularmente como os responsáveis pela vida terrena; e encontrou também um unicórnio. Confúcio tentou anos chegar ao poder. Era sempre ouvido mas nunca conseguia.
TAOÍSMO – Lao-Tse
     Nasceu na China, na província de Honan; segundo a tradição chinesa, veio com o nome de Li Erh (Lao-Tse significa “velho filósofo”) por volta de 604 a.C.; “Tao” significa “caminho”. Consta a História que ele encontrou seu contemporâneo Confúcio e o repreendeu por sua vaidade e ambição. Lao-Tse criou o Tao Teh-King, que é a “Bíblia”dos taoístas.
ISLAMISMO – Abulgasin Mohammad (Maomé)
     Fundado por Maomé na antiga Arábia Saudita, um órfão que nasceu por volta de 570 d.C.; se casou com uma viúva rica de mais ou menos 20 anos mais velha. Inspirou o Corão (ou Alcorão), considerado a “Bíblia” dos maometanos. Este por sua vez, preserva boa parte do Livro de Gênesis da Bíblia Cristã, e, na verdade, é uma mescla de zoroastrismo, judaísmo, budismo, confucionismo e até porções do Novo Testamento. Os maometanos são descendentes de Ismael, filho de Abraão com a criada Agar.
ROSACRUCIONISMO – Desconhecido
     Um desconhecido que percorreu a Europa em 1597 d.C. com o intuito de criar uma sociedade às pesquisas de Alquimia, Pouco se sabe sobre ele, mas lhe atribuem o livro “A REFORMA GERAL DO MUNDO” publicado em 1614 d.C. que tem como personagem principal Christian Resenkreutz. O livro conta que ele foi enviado a um mosteiro. Um monge o leva à Terra Santa onde morreu na ilha de Chipre. Christan foi para Arábia e Egito e após para Europa. Com os conhecimentos das peregrinações, reuniu a ordem e morreu aos 150, porque quis!…
MAÇONARIA – Mescla de ritos populares e de denominações distintas iniciado na Inglaterra por volta de 1717 d.C.; Seus contribuintes foram anglicanos, huguenotes, pedreiros livres e pessoas insatisfeitas. O mistério é a base da crença, que mantém um sistema de auto-ajuda aos afiliados em troca de “outras” coisas.
HINDUÍSMO – Mescla de Ritos Populares iniciados no Japão, século VI a.C.
XINTOÍSMO – Mescla de Ritos Populares iniciados na Índia entre 2000 e 1500 a.C.
ESPIRITISMO – Hipolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec)
    Foi em 1848 [ano], em Hydevislle, EUA, que as irmãs Margaret e Kate Fox afirmaram ver as mesas girando, e ouvir pancadas na casa em que moravam… Faziam perguntas e estas eram respondidas mediante estalidos de dedos. O Sr. Rivail, médico e professor francês, nascido em 1804 lançou a “Bíblia” dos espíritas “O Livro dos Espíritos” em 1857; tornou-se médium. Organizou em Paris a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. Adotou o nome de Allan Kardec, alegando ser este o seu nome na outra encarnação. Morreu em 1869 arrependendo-se publicamente por ter escrito tal livro. No Brasil, eis alguns de seus seguidores desfarçados: Legião da Boa Vontade, Ordem Rosacruz, Racionalismo Cristão, Cultura Racional, Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento, etc.
VODU – Mescla de ritos africanos focado nas Antilhas que em 1803 d.C. foram levados em massa aos EUA onde teve uma certa Organização. Muito semelhante a Macumba e em certas seções há o assassinato de um indivíduo . Diz a crença que Vodu (ou Zumbi) era um deus que dominava à noite e protegia seus adeptos.
BAHAÍSMO – Mirzá Husayn Alí Nuri
     Também conhecido como Baha Allah (Glória de DEUS), tal religião foi instituída pelo seu filho Sir Abdul-Bahá em 1894 d.C.; Na verdade, foi uma invenção islâmica de us dissidentes que queriam modificar pontos no Corão. Tais dissidentes eram liderados por Ali Muhammad que se denominava “A Porta” e muitos seguidores desta seita o consideravam uma espécie de “João Batista” para Baha Allah.
MORMONISMO – Joseph Smith Jr.
     Nasceu em 1805 d.C. em Vermont/EUA. Influenciado por um livro fictício do Pastor Presbiteriano aposentado Salomão Spaulding que dizia que CRISTO após crucificação foi pregar onde é hoje os EUA e após afirmar que DEUS e CRISTO apareceram a ele dizendo para não ir a denominação nenhuma pois estavam todas corrompidas, publicou “O Livro dos Mórmons” ( a “Bíblia” deles) em 1830 d.C. que junto a “Um Livro de Mandamentos”, forma a base da doutrina mórmom, também conhecida como Igreja de Jesus Cristo aos Santos dos Últimos Dias. Mudou-se para o Estado de Illinois onde adotou a poligamia, causando um cisma na seita (Smith teve 24 esposas e 44 filhos) e depois de vários problemas com a polícia, ele e o irmão Hiram Smith foram mortos a tiros por uma multidão enfurecida em 1844.
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA – Guilherme Miller
     Nos EUA, um fazendeiro, Batista, arrumou licença para pregar, embora tenha muita vontade, era ignorante e pouco instruído. Miller tomou Daniel 08:13-14 e ensinou daí que as 2300 tardes e 2300 noites são 2300 anos. Somou com o ano 457 a.C., data que Esdras chegou a Jerusalém e encontrou o ano 1843 d.C., o ano que segundo ele, CRISTO voltaria. Daí o título “Adventista”, pelo grande ADVENTO. Passou o ano e nada aconteceu; Miller alegou erro ao usar o calendário hebraico em vez do romano. Remarcou para 22 de outubro de 1844. Nova decepção! Teve de fugir para sua fezenda, abandonou a “nova religião” e até pediu reconciliação aos Batistas.
Apesar de tudo, seus seguidores continuaram, e a Sr. Hellen G White, que se tornou a nova profetiza dos sabatistas, disse ter uma visão onde contemplava a Arca no Céu na qual ela viu as Tábuas dos Dez Mandamentos, sendo que na visão, o 4º Mandamento destacava-se dos demais; daí o “Sétimo Dia”, formando Adventista do Sétimo Dia.
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ – Charles Taze Russel
     Nascido em 1853 nos EUA, foi criado na Igreja Presbiteriana, passou para Congregacional e depois ingressou na Adventista, saindo logo depois. Em 1872, Russel conseguiu reunir um grupo de discípulos sem qualquer título e se auto-denominou Pastor. Usam a Bíblia para atrair leigos mas possuem a sua própria “Bíblia”, adulterada. Afirmam ser a única Igreja certa e que CRISTO é apenas um dos Deuses!? Por isso, até Hitler os perseguiu na 2ª Guerra pela Europa.
CIÊNCIA CRISTÃ – Mary Baker Eddy
     Nascida em 1821 nos EUA, quando jovem pertencia a Igreja Congregacional. Fundou a Igreja de Cristo Cientista (Eddyismo) que de ciência e de CRISTO não tem nada. Foi esta mulher influenciada por um relojoeiro que se dizia doutor, de nome Quimby, que era dado as práticas de ocultismo, psiquismo, espiritualismo.
TEOSOFIA – Helena Blavatsky
     Mescla de religiões pagãs do Oriente, a Sra. Helena, de origem russa e descendente alemã, nasceu em 1831 e aos 17 anos casou-se com o General Czarista Blavatsky. Abandonando-o 03 meses após, era uma mulher explosiva. Tornou-se médium espírita e em suas andanças pelo mundo, teve contato com diversas religiões místicas. Subdividem a humanidade em 03 raças e 05 sub-raças e dizem que CRISTO está na 5º sub-raça.
PERFECT LIBERT (PL) – Tokoharu Miki
     Uma imitação do Budismo. O Sr. Miki desde os 08 anos estava num monastério de Budismo no Japão. Aos 41 anos. Depois de diversas vezes tentando fundar a seita, conheceu mestre Kanada, que detinha 18 preceitos, somando a 03 de Miki formaram a base da religião, que se desfez em 1936 por desentendimentos internos. 02 anos após, Miki morre. Toruchira Miki, filho de Tokoharu, em 1946, pegando os 21 preceitos, resolveu ressucitar a seita.
IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL – Mokiti Okada
     Okada nasceu no Japão e hoje é chamado de Meishu-Sama (Senhor da Luz). Embora os messiânicos existirem a mais tempo, somente em 1947a IMM foi reconhecida e oficializada pelo governo japonês. De Messias tal seita não tem nada! Não há qualquer referência do Senhor Jesus Cristo, nem do Espírito Santo, nem de nada vezes nada. Quando falam de DEUS, se referem a Meishu-Sama.
SEICHO-NO-IE – Masaharu Tanigushi
     Após ter escrito o livro “Crítica a DEUS”, onde Judas é o herói, Tanigushi, que nasceu em Kobe, no Japão, escreveu Seicho-No-Ie (Lar do Progredir Infinito), que com seu 1º número publicado em 1930, deu início a seita, afirmando ser Movimento de Iluminação da Humanidade. Afirmam que os ensinamentos de CRISTO na Judéia, Buda na Índia e o xintoísmo no Japão são manifestações do deus absoluto Amenominakanushi.
HARE KRISHNA – Krishna
     Ramo do hinduísmo. No século I d.C., na Índia, o jovem Krishna, um condutor de carroças, declara-se encarnação do deus Brahma, até então um deus impessoal. Daí por diante, vários gurus dizem ser reencarnações de Krishna. Afirmam ser Krishna a “Suprema Personalidade de DEUS”. Atuam pelo mundo, principalmente junto aos jovens, induzindo-os a largar a família e a sociedade, ter seus nomes trocados por termos hindus e passar a morar em galpões junto a outros adeptos.
MENINOS DE DEUS – David Brandt Berg
     Fundada em 1970 por Berg, um evangelista da Aliança Cristã e Missionária nos EUA. Ele se dizia ter recebido de DEUS uma missão diferente e em 1968 iniciou entre hippies e viciados o seu trabalho. Sexo livre, ignorância bíblica, uma religião que “vale tudo”. Seu slogan é “Todas as coisas são puras para os puros”.
MOON – IGREJA DA UNIFICAÇÃO – Sun Myung Moon
     Fundada na Coréia em 1954 por Moon, um milionário que nasceu na Coréia do Norte em 1920, de pais Presbiterianos. Tem a família como argumento e explicam: Adão e Eva falharam por causa do pecado; CRISTO e Maria Madalena por causa da morte de CRISTO antes do casar; agora está sendo levantada por Moon e sua esposa. Com isso, passam “por cima” de CRISTO e todos os ensinamentos da Bíblia.
%d blogueiros gostam disto: