ISLAMISMO – Significado


 

O Islamismo surgiu a partir das experiência místicas de Maomé (570-632 d.C.). Maomé encontrava-se numa caverna, fora de Meca, (610 d.c.), num local chamado Hira. Subitamente, uma voz foi claramente ouvida por ele, que dizia: “Lê em nome de teu Senhor, que te criou”. Maomé era analfabeto, porém essa voz soou como se fossem sinos que reverberaram e logo foi identificada com a voz da anjo Gabriel.

A seguir, Maomé teve várias experiências místicas e assim nascia o Islamismo, com os que aceitaram as suas revelações e sua autoridade, oito no total, no seu primeiro ano de missão. No terceiro ano, somavam-se vinte. Atualmente, conta com trezentos milhões de adeptos e tem-se mostrado fortaleza desafiadora para o Evangelho de Cristo. Oremos pelo mundo islâmico! A Teologia Islâmica está baseada no Alcorão (árabe qura), o Livro Sagrado do Islamismo, tido como eterna palavra de Deus que o anjo Gabriel teria entregado a Maomé, em 622 d.C. Acerca da Pessoa de Deus (Alá), o Islamismo ensina o monoteísmo absoluto, não admitindo absolutamente a doutrina da Trindade.

O mundo islâmico tem se constituído num grande desafio missionário para a Igreja do último século do segundo milênio. Naturalmente, esse desafio é corroborado por questões de ordem cultural, mas o maior agravante é a questão teológica. Desta forma, optamos por deixar para este último item do presente trabalho, para uma breve, mas concisa exposição sobre a visão que o Senhor Jesus Cristo desfruta nas tradições islâmicas. Nos escritos islâmicos, Jesus é chamado de `Isa ibn Maryam, ou seja, “Jesus, filho de Maria”, ao que usualmente acrescentam Al Masih, “o Cristo”.

Nesses escritos, três questões são destacadas: o nascimento e os poderes miraculosos de Jesus; a vida ascética exemplar de Jesus; e Seu papel escatológico no esquema religioso das coisas. Naturalmente, essas tradições islâmicas pertencem ao Alcorão. No Alcorão, Jesus aparece apenas como um ser humano, isto é, totalmente destituído de divindade. No Islamismo, chamar alguém de Deus ou afirmar-se que Deus teve um Filho é a pior heresia e blasfêmia.

No entanto, o Alcorão apresenta Jesus como um homem sobre o qual repousava grande porção do Espírito de Deus. Jesus aparece ali como “o porta-voz do Injil” (evangelho). Assim, uma boa porção do Novo Testamento foi incluída no Alcorão como material digno de fé e de ser posto em prática. Jesus é considerado pelo Islamismo como a maior figura, depois do último e maior de todos os profetas históricos, o penúltimo de uma série de grandes reveladores, da qual Maomé é o último.

Jesus é retratado como Quem foi elevado aos céus, em um momento de crise sem ter sofrido a crucificação. Seu nascimento virginal não é negado, tornando-se elemento de peso nas tradições islâmicas. Adornos tomados por empréstimo de apócrifos do Novo Testamento fazem parte desta documentação. Nas tradições islâmicas existem elementos por demais curiosos.

Por exemplo, elas contam como Jesus foi capaz de tingir vestes com dez cores diferentes de tintas, mergulhando-as em um único tanque. Em um outro relato, Jesus é apresentado a transformar um grupo de crianças inconvenientes em suínos, para então ordenar que os porcos se fossem da Sua presença! Compare este relato com o relato canônico de Mt 19:14. Finalizando, podemos resumir dizendo que a figura do Senhor Jesus Cristo não goza de uma visão uniforme dentro do Islamismo.

Nas tradições islâmicas, Ele é apresentado “… como uma poderosa figura escatológica que haverá de vindicar a fé dos muçulmanos, tornando-a a fé suprema entre todas as religiões do mundo…” No entanto, alguns movimentos dentro do Islamismo têm pregado que Jesus foi sepultado em Casemira como um homem de avançada idade. Quanto ao pecado, no Islamismo há os pecados graves (kabira) e os pecados leves (saghira).

Há um pecado imperdoável, shirk, que segundo eles, é o pecado da heresia de associar-se alguém a Deus. Esse é o fator de maior dificuldade para penetração da fé em Cristo Jesus, O Filho Unigênito de Deus. Sobre a salvação, o islamismo é essencialmente auto-soterista.

FONTE: Dicionário Teológico Brasileiro Lázaro Soares de Assis
 
Para saber mais sobre Crenças e Religições:
http://www.palavradaverdade.com/print1.php?vartipo=Cren%E7as%20e%20religi%F5es
 
http://www.palavradaverdade.com/print1.php?vartipo=Pesquisas

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Posted by Haroldo nunes on fevereiro 9, 2013 at 7:23 am

    adorei muito tinha muita curiosidade de saber sobre islamismo grato

    Resposta

  2. Posted by Jorge Washington de Paula (Zakarias) on junho 22, 2013 at 6:54 pm

    Evitem de falar coisas erradas do Islam , estamos a observar. caso queira saber mais sobre Islam, em primeiro lugar deve procurar um muçulmano praticante, pois quem não pratica não sabe o que está falando.

    Resposta

  3. Posted by Jorge Washington de Paula (Zakarias) on junho 22, 2013 at 6:55 pm

    Islam significa em árabe, Paz. não é uma paz simplesmente, sim uma paz completa em todos os sentidos. A Paz no Islam abrange também as formas de crença em um absoluto Deus , sem sócio ou parceiro.
    Islam na crença e na prática do dia a dia, também é a submissão consciente em um só criador de tudo e todos.
    Por esse motivo que o Islam é a ultima mensagem de Deus para toda a humanidade e somente é muçulmano aquele que pratica o Tawhid, ou seja a profissão da crença com fé.
    Para isso a pessoa deve acreditar nos cinco pilares do Islam e nos seis pilares da fé.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: