O que é Logosofia e quais os perigos desta para o cristão?


 
Roberto Lemos, Timóteo-MG
 

A Logosofia é na verdade uma seita esotéria, fundada por Gonzáles Pecotche, em 1930, na Argentina. No Brasil, a Logosofia passou a existir a partir de 1935, na cidade de Belo Horizonte, MG, de onde se propagou para os demais países da América Latina e até mesmo outros continentes. Essa seita prega a crença de "reativação consciente do indivíduo", tentando fazer que este se torne o senhor de seus pensamentos e sentimentos e viva em calma a sua plena auto-realização.

É uma doutrina que contraria à fé cristã, mas não a existência de Deus, o que a torna perigosa e atrativa para alguns. Como todo movimento religioso de origem recente, a logosofia se auto-intitula “ciência”, com intuito de alcançar respeito e confiança das pessoas.

Como todas as seitas, a Logosofia considera-se o único meio de redenção da humanidade, rotulando todas as outras crenças, inclusive o próprio Cristianismo, como sistemas religiosos preconceituosos que atrapalham e deturpam a evolução humana. Trata-se de um sistema de técnicas psicológicas que visa a transformação do indivíduo por seus próprios esforços.

O relacionamento com Deus é extremamente vago e nada pessoal. Embora Ele seja reconhecido como "Criador" e "Fonte de sabedoria", não há referência à oração nem à religiosidade nos escritos logosóficos, que nada esclarecem sobre a vida após a morte.

A logosofia, pode ser definida como uma seita que prega a salvação pelas obras, excluindo a suprema Graça de Cristo (Ef. 2:8).

Por Pastor Adonias Gonçalves
 
Anúncios

126 responses to this post.

  1. Posted by washington on dezembro 13, 2008 at 10:28 am

    EU NÃO CONCORDO, A LOGOSOFIA, É COM CERTEZA UMA CIENCIA QUE PODE AJUDAR A HUMANIDADE. E QUE HJE XISTEM INÚMERAS RELIGIOES, SEITAS, ETC.. QUE PREGAM UM CRISTO EM IDEOLOGIAS FANATICAS. WASHINGTON LUIZ, QUIXADÁ CEARÁ.

    Responder

    • Posted by marismar on março 25, 2011 at 4:30 pm

      Eu não concordo com tamanho desconhecimento sobre a Logosofia, é uma ciência sim que estuda o homem que é filho, parte da criação de Deus, então busca-se Deus através de conhecimentos e não temores, crenças inculcados por outras religiões. Não pode-se estudar a mente, a sua sensibilidade, o seu mundo interno? Aí vem os temores…..
      E a maior oração que podemos ter é a nossa conduta.
      O homem veio ao mundo para aprender, buscar a sabedoria e Deus é tudo, pai de toda a criação. Somos parte desta criação!
      Basta.

      Responder

      • Posted by augedir m. m. do rio on outubro 17, 2011 at 10:09 pm

        leia o evangelho de joão capítulo 1 verso 12 e veja que só é filho de Deus quem aceita Jesus como seu Salvador. tudo que há é criatura de Deus e filho só é quem pede para ser. o¨ conhecimemto¨¨ não leva ninguém a Deus. Jesus é o caminho, a verdade e a vida, e ninguém vai ao Pai se não for por Êle, Jesus.

    • Posted by Izabel Hoffmann on dezembro 23, 2012 at 11:43 pm

      Discordo sobre algumas afirmações sobre a Logosofia.
      Logosofia não é religião, nem seita e sim uma ciência.
      Prega sim a evolução do homem a partir do conhecimento. A busca de Deus só é possível através do conhecimento de si mesmo. É necessário entender que as religiões foram criadas pelos homens e não por Deus. Por isso existem tantos conflitos religiosos pelo mundo ocasionados pelo fanatismo religioso. Isso se deve a falta de CONHECIMENTO do homem. A obra logosófica é vasta e está voltada para o bem da humanidade.
      izabel, Goiás

      Responder

    • Posted by Maria Satador on setembro 17, 2013 at 11:37 am

      ESTUDO SOBRE A DOUTRINA LOGOSÓFIA E SEU
      FUNDADOR

      INTRODUÇÃO

      A existência de correntes doutrinarias, oriundas de lideres carismáticos e fundamentas em posicionamentos quase que inquestionáveis pode acarretar- na vida de seus seguidores diferentes comprometimentos de ordem familiar, social ou de convivência em grupo. Mudanças de comportamento, de concepções, ou redução do vinculo social são situações que podem ser penosas para o individuo, ainda mais se por de traz da doutrina ao qual ele se apega existe uma relação de apego que faz que ele se afaste do mundo social que ele criou e vivencia. No caso da Logosofia, temos um grupo de pessoas que seguem um líder que afirma apresentar um método cientifico e original de superação humana. Tais afirmações merecem uma avaliação critica e minuciosa.

      Carlos Pecotche, que se apresenta como criador da Logosofia tende a fazer de seus admiradores uma referência de sabedoria única e exclusiva, e totalmente original. Diante do exposto, até que ponto podemos dar crédito as afirmações de Pecotche sobre sua missão como divulgador de uma nova cultura. Até que ponto pode-se confiar em suas verdades irrefutáveis, como ele mesmo afirma?

      Diante de tal situação, é necessário preservar o homem de correntes doutrinárias, que se apresentam mediante as divulgações falsas ou apoiadas em argumentos não consistentes, como denominar-se como ciência. É necessário alertar também para o risco da superficialidade dos primeiros contatos, que pode levar o individuo a ter um vinculo com certas instituições, e uma vez consolidada esta aproximação, começar a ser influenciado por correntes de pensamentos que antes não adotaria – se guiado por seus valores originais e convicções pessoais.

      É propósito deste texto demonstrar que a Logosofia se apóia em conceitos esotéricos, e não de caráter cientifico, e que as estratégias para divulgação da mesma passou por mecanismos envolvendo abordagens relativas a “psicologia de massa” além de inverdades sobre a originalidade da obra e da adoção de condutas não recomendadas e ludibriantes.

      O ENALTECIMENTO DA OBRA LOGOSÓFICA – ORIGENS E ORIGINALIDADE

      O autor utiliza de alguns recursos para enaltecer sua obra, como afirmações a respeito da originalidade dos ensinamentos proferidos. Uma vez que o individuo demonstrava mais interesse pelos ensinamentos, Pecotche, que se intitula de “Maestro”, sugere também que o interessado faça uma “dieta mental”, para que o aproveitamento dos estudos originais não sejam contaminados pelos comuns. Em um de seus livros, há também a afirmação que a Logosofia é a única ciência capaz de ensinar o homem a conhecer a si mesmo, e refere-se aos interessados como seus discípulos. Mais adiante, Pecotche começa a apresentar ensinamentos mais contundentes contra a religião, principalmente contra o Cristianismo, que ele acredita ser o grande mal da humanidade (ensinamentos só apresentado muito tempo depois do ingresso da Fundação Logosófica).

      Tais estratégias, remetem a conhecimentos já existentes referente a “Psicologia de Massas”, apresentada por Freud no inicio do século XX. Neste estudo, busca-se entender os mecanismos psicológicos que nas “massas artificiais” criam disciplina e devotamento a um líder: O comandante, assume papel de superego, e os seguidores, assim interpretando o líder, passam a obedecê-lo mais ou menos cegamente,e imaginando-se igualmente amados por ele, identificam-se uns com os outros, pois de certo modo são todos filhos do grande pai. Este processo tem como característica: a abdicação da capacidade de pensar por si próprio (adoção do pensamento do Maestro), compartilhamento da doutrina proposta pelo chefe (intercambio de experiências), e entendimento da divisão do mundo em bons (adeptos da nova cultura), e maus (adeptos da grande impostura). Os membros começam a adotar posturas que sozinhos jamais colocariam em prática.

      A estratégia de usar sua doutrina como ciência (em uma clara oposição a religião), e original
      (tentativa de valoração do seu conhecimento), esbarra em algumas observações, como o uso do pseudônimo RAUMSOL, que facilmente é identificada as raízes RA – AUM – SOL, que são três palavras de cunho esotérico, comuns nos lideres de algumas seitas como Gnose, de Samael AUM Weor. As origens de seu método têm raízes esotéricas, e não em campos científicos. Ao promover-se como uma ciência fere o entendimento real de ciência, demonstrando clara manipulação de conceitos e de uma reestruturação do pensamento suspeitas. A questão da originalidade é colocada em duvida quando se
      tem acesso a textos de Gurdjieff, Ouspensky Omraam Mikhaël Aïvanhov e de Madame Blavastsky. Sua forma de expressar denota uma possível relação com outro líder esotérico, Krum FRA Heller (o mesmo Mestre de Samael).
      Podemos destacar alguns trechos de obras e comentários a respeito dos referidos autores, e comparar com que o Pechotche afirma ser “original” Segue um texto sobre autonomia dos pensamentos, de autoria de Omraam Mikhaël Aïvanhov
      (1900-1986) no qual se observa similitude entre o que e de autoria do autor, com os escritos de Raumsol, denotando que provavelmente ambos utilizaram fontes muito parecidas para compor seus conhecimentos:

      “Os pensamentos são entidades vivas; e, consoante a sua natureza, a sua força, a intenção e o sentimento que se introduz neles, eles dirigem-se para determinados objetos ou seres. Alguns não vivem por muito tempo, mas outros subsistem durante séculos e até milênios. Há que considerar cada pensamento como uma criatura que se esforça por viver o máximo de tempo possível, até ao momento em que, já não conseguindo manter-se, morre. Todos os pensamentos da mesma natureza se juntam se reforçam e se amplificam…”

      “…As pessoas não estão habituadas a considerar os pensamentos como entidades vivas, produzidas e alimentadas pelos humanos. É um domínio completamente descurado pela ciência oficial. Só a Ciência Iniciática, que estudou bem a questão do psiquismo humano, sabe que os pensamentos são entidades. Conforme o caso, consoante a pessoa que a projectou, essa entidade pode ser bela, expressiva, inteligente, poderosa, ou então disforme, sem brilho ou mesmo monstruosa. Portanto, “há tantas coisas a dizer sobre os seres humanos como sobre os pensamentos…” (Omraam Mikhaël Aïvanhov)

      Sobre a questão das Leis Universais, encontramos similitudes nos textos atribuídos a Madame Blavastsky e Raumsol, inclusive nas definições dos objetivos da Teosofia e da Logosofia: “Posteriormente, entre outras meditações, fez publicar Ísis sem Véu, em 1877, e A Doutrina Secreta, onze anos depois. Essas excepcionais obras foram substantivamente ditadas por Mestres Ascensionados. Blavatsky é considerada, meritoriamente, a mais importante personagem da Renascença Ocultista do século XIX. Nos Estados Unidos, foi instada a edificar a mundialmente conhecida Sociedade Teosófica (The Theosophical Society), cujas metas estavam ancoradas em três princípios basilares:

      1º Estabelecer a fraternidade universal sem distinção de etnia, credo, sexo, casta ou cor;
      2º Estimular o estudo comparativo das diversas religiões, filosofias e ciências; e
      3º Investigar as Leis Universais (Blavastksky – 1877)

      Os grandes objetivos da Logosofia são:
      • A evolução consciente do homem, mediante a organização de seus sistemas mental, sensível e instintivo;
      • O conhecimento de si mesmo, que implica o domínio pleno dos elementos que constituem o segredo da existência de cada um;
      • A integração do espírito, para que o ser possa aproveitar os valores que lhe pertencem, originados em sua própria herança;
      • O conhecimento das leis universais, indispensável para ajustar a vida a seus sábios princípios;
      • O conhecimento do mundo mental, transcendente ou metafísico, onde têm origem todas as idéias e pensamentos que fecundam a vida humana;
      • A edificação de uma nova vida e de um destino melhor, superando ao máximo as prerrogativas comuns;
      • O desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, com que o método logosófico se transubstancia em aptidões individuais de significado incalculável para o porvir pedagógico na educação da humanidade. (Carlos B.G. Pecotche -1963).

      Percebe-se que enquanto a Teosofia já se preocupava em apresentar as Leis Universais e investigá-las, Pecotche buscava obter, com a Logosofia, o conhecimento de tais leis. Tais textos distam quase um século um do outro. Como se afirmar que algo é original se há um século atrás já existia uma linha de pensamento que abordava tal tema? Certamente Gonzáles Pecotche teve acesso a textos Teosóficos, ou mesmo estudou esta linha de pensamento, que o inspirou em fazer a Logosofia. Reitera-se aqui as bases ocultistas e esotéricas da Logosofia, não tendo nada de cientifico em sua criação e elaboração.

      A Evolução consciente do homem, que também é “algo inovador” na Logosofia, apresenta origens nos trabalhos de Gurdjieff, um ocultista russo. Podem-se constatar nos textos feitos pelos estudiosos de sua doutrina, semelhanças com os pensamentos de Pecotche: Georgii Ivanovich Gurdzhiev (1877–1949), mestre espiritual greco-armênio que permanece uma figura enigmática e uma força crescentemente influente no panorama contemporâneo dos novos ensinamentos religiosos e psicológicos. Assemelhando-se mais com a figura de um patriarca Zen ou de um Sócrates do que com a imagem familiar de um místico Cristão, Gurdjieff era considerado, por aqueles que o conheceram, simplesmente como um incomparável “despertador” de homens. Ele trouxe para o Ocidente um modelo abrangente de conhecimento esotérico e deixou atrás de si uma escola que incorpora uma metodologia específica para o desenvolvimento da consciência.
      A questão do conhecimento de si mesmo, e do uso das faculdades mentais também surge nos textos de Gurdjieff, como podemos observar no seguinte fragmento: Após muitos anos de busca e de prática, ele descobriu respostas e então dedicou-se a colocar o material prático que aprendera numa forma inteligível ao mundo Ocidental. Gurdjieff afirmava que, devido às condições anormais da vida moderna, nós não funcionamos mais de forma harmoniosa. Ele ensinou que para nos tornarmos harmoniosos, devemos desenvolver novas faculdades—ou concretizar potencialidades latentes—através de um “trabalho sobre si”. Ele apresentou seus ensinamentos e idéias em três formas: escritos, música e movimentos, que correspondem ao nosso intelecto, emoções e corpo físico.

      Vale ressaltar que Gurdjieff iniciou sua obra bem antes de Pecotche. Este autor atribuía seus conhecimentos a “sabios” que ele encontrou durantes suas viagens pela Asia, não atribuindo a si a autoria única e exclusiva de seus ensinamentos.
      Além de afirmar autoria e originalidade se sua obra, Pecotche também recorria a certas táticas para impressionar os discípulos, que foram relatadas pelo poeta uruguaio Mario Benedetti.

      Ainda jovem, Benedetti foi convidado por Raumsol para ser seu secretario particular, porem com o passar dos anos, e após varias situações presenciadas, optou por deixar a doutrina Logosófica.
      Segue alguns relatos de Benedetti:

      “Pouco a pouco fui desiludindo. Ele fazia coisas que não tinha nada a ver com a imagem que pregava. Sacava empréstimos e não pagava, fazia os outros acreditarem que nunca ficou doente e um dia encontrei-o desesperadamente aplicando uma medicação durante um ataque de asma.”

      “Em cada reunião fila para apertar as mãos com o Mestre. Uma vez que Raul sentiu um choque elétrico para cumprimentá-lo. “São suas vibrações divinas”, explicou o pai. Tais ‘vibrações divinas’ eram causados na verdade por um pequeno gerador elétrico”

      “Afirmava conhecer todas as línguas, mas pediu-lhe para traduzir a correspondência em Inglês e um dia fingia ler uma carta em árabe feita da esquerda para a direita, como o castelhano” (3)

      CONCLUSÕES

      Perante o apresentado, percebe-se que argumentos relativos a originalidade, não condizem com a fala do autor da Logosofia, e que Carlos Pecotche foi apenas mais um dos seguidores das linhas ocultistas que tomaram conta da Europa e America Latinha no inicio do Século XX. Nesta tentativa de “orientalizar” o conhecimento ocidental, que contou também com doses de ocultismos – surgiram diversas linhas de pensamentos que buscavam seguidores de uma “verdade suprema”. A raiz de todo movimento parece ter sido mesmo a Teosofia, e os demais movimentos parecem ser desmembramentos desta linha de pensamento ocultista.
      Com relação as transformações que opera na vida, não existe suporte cientifico para afirmar- mos que se trata de algo evidente, e logo, cientifico de fato. A adoção do termo “ciência” foi outro equivoco de Pecotche, numa clara tentativa de se opor as linhas religiosas de até então, e se promover como um cientista de uma nova forma de conceber a vida. Só que uma ciência que parte de uma verdade afirmada – a opinião do autor (e não pesquisada – deve se considerar que ciência é a busca da verdade, e não o contrario) não pode ser levada em conta, alem do que, a ciência de fato requer vários pontos de vista, vários autores que confrontem as opiniões em busca da verdade. Fato que não acontece com a Logosofia, que só admite um autor e sugere “dieta mental” para seus seguidores.
      Outra questão importante diz respeito ao comportamento moral de Pecotche. Usar geradores elétricos para se passar por vibrações divinas, além proferir inverdade sobre suas capacidades mentais o torna pouco confiável, e talvez pouco digno de ser seguido.
      Resta saber como os seguidores da Logosofia se apóiam para afirmar que tal doutrina é ciência, e que parâmetros científicos usam para tal fim. Se existissem amostras, grupos controles, adoção dos métodos científicos para avaliar a qualidade de vida de quem seguisse os ensinamentos ocultistas atribuídos a Pecotche, e a evidencia de que este grupo vive melhor em paz com seu espírito, talvez pudessem adotar este terminologia. O que mais preocupa é o fato de estar se idolatrando uma pessoa que apresenta uma gama de conhecimentos como seu, proferindo estratégias de psicologia de massa que podem trazer prejuízos a vida social do ser. Jovens podem ter dificuldades de relacionamento se o namorado (a) não seguirem os ensinamentos, ou não se adaptarem as atividades requisitadas pela fundação logosófica. Reflexões familiares desnecessárias podem acontecer se um filho decide não seguir este mestre de sabedoria, entre outros fatos. O que é importante, e tem que ser deixado bem claro, que o mais relevante seja o aprendizado na vida, o estudo da vida. E que para isto aconteça, seja necessário recorrer a vários autores e estudos. Que não podemos apegar a um único mestre pois a sabedoria, a verdade cientifica e a interpretação do mundo não cabe apenas em uma mente…

      REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS
      1 – Aïvanhov, um Educador da Alma. INSTITUTO DE PESQUISAS PROJECIOLÓGICAS E BIOENERGÉTICAS.
      Disponível:http://ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=Sections&file=index&req=viewarticle&
      artid=24&page=1. Ultimo acesso em 08 de dezembro de 2009.
      2 -Gurdjieff, G. I. SALZMANN, Michel de. Gurdjieff International Review. Disponível em
      http://www.gurdjieff.org/msalzmann1.pt.htm. Ultimo acesso em 08 de dezembro de 2009.
      3- La terquedad Del poeta HABERKORN, Leonardo http://www..gatopardo.com Disponível em:
      http://www.gatopardo.com/numero-82/cronicas-y-reportajes/la-terquedad-del-poeta.html
      Ultimo
      acesso em: 08 de dezembro de 2009.
      4- Mario Benedetti y mi generacion. RUFFINELLI, Jorge. http://www.literatura.us Disponível em
      http://www.literatura.us /benedetti/jorger.html. Ultimo acesso em: 08 de dezembro de 2009.
      5- Perigos da Obediência. MEZAN, Renato. Folha de São Paulo. Caderno Mais. 25 de outubro de 2009

      Responder

  2. Posted by Leidiane on dezembro 16, 2008 at 3:58 pm

    Estou de acordo com vc. Realmente a Logosofia vem com suas mensagens de formas subliminares, que levam as pessoas a perderem sua fé cristã, achando que é suficientemente capaz da sua auto-realizaçã. E forma inteligente seu criador buscou mascarar isso quando não desmontrou de forma direta a sua crença com relação a não existência de Deus. Levando as pessoas a terem ou até deixarem totalmente um relacionamento profundo com Ele. Infelizmente o nosso maior inimigo tem buscado desviar a atenção dos seres humanos para coisas vãs e esses têm caído em suas ciladas.

    Responder

    • Posted by Rosangela on outubro 30, 2011 at 8:35 pm

      Você por um acaso já frequentou palestras nas Fundações Logosóficas? É de total irresponsabilidade falar de algo que desconhece até chamando de seita.Logosofia nunca tratou da não existência de Deus. Do que se desconhece não se tece juízo.Comenta apenas aquilo que conhece para não ficar desacreditado.

      Responder

      • Eu frequentei por muitos anos, e realmente a logosofia não tem nada contra DEUS. Porem tem tudo contra onosso amado e divino mestre JESUS , iclusive não aceitam a existencia DELE. Quando acontecer a evolução dos principios logosoficos e for incorporado alem da umildade, caridade,fraternidade e a aceitação do nosso amado e divino mestre JESUS ,a logosofia pode vir a ser realmente uma grande filosofia de vida.

    • Posted by Fábio Aragão on novembro 19, 2011 at 10:07 pm

      A palavra de Deus diz: tudo posso mas nem tudo me convem,tudo me é licíto mas não devo me deixar dominar por nenhuma dessas coisas.
      Podemos conhecer tudo,mas só reter o que é bom…
      Jesus é a palavra leiam 1 joão 5:7.
      Temos que conhecer Ele, a bíblia diz que nem todos o conhecem, Mc 4:41
      Podemos e devemos conhecer tudo pois o que é possivel ao homem quem faz é o homem,Deus só se envolve nas coisas que são impossiveis para nós.

      Responder

      • Posted by Joaquim Maia da Fonseca on janeiro 20, 2013 at 8:10 pm

        Baseado neste raciocínio, devo concluir que até Jesus nascer, ou surgir, DEUS estava em outro lugar ou não existia, estávamos (humanidade) abandonados. E o mais interessante, é que um bom escritor O ouviu e escreveu tudo,. para que pudéssemos tomar conhecimento de todos os SEUS ensinamento, pena que ELE parou de “.falar”

  3. Posted by J.M.B. on janeiro 28, 2009 at 11:20 pm

    Também não concordo, respeitosamente. Existe um livro escrito pelo criador da Logosofia, chamado Pérolas Bíblicas. Onde o autor faz uma interpretação genial de vários ensinamentos do novo testamento, ou seja, ensinamentos Cristãos. Se o autor não respeitasse o ensinamento Cristão, não elaboraria essa obra tão preciosa sobre o Cristo. Sugiro ao Pastor que aprofunde mais seus estudos sobre Logosofia e reavalie. O que entendo que a logosofia preconiza, é substituir a crença pelo saber. E não vejo onde isto pode afetar o pensamento cristão. Ao que entendo, a crença é um crédito que se dá a algo cuja existência não se pode comprovar. O saber vem da certeza, que vem do estudo e da experimentação prática. Para Galileu Galilei comprovar que a terra não era chata e nem o centro do universo conforme se acreditava na época, êle teve que experimentar e comprovar. Quase foi queimado por isso. Penso que podemos estudar Deus através de suas manifestações na vida, e mais do que crer, ter certeza de que êle existe e que tem uma paciência infinita pra com essas nossas incompreensões humanas que já levaram a tantas guerras religiosas devido à intolerância do fanatismo daquêles que não sabem buscar a Deus através do afeto ao semelhante. Sabemos que o afeto é um poder que concilia os opostos. A conduta tolerante é para mim, uma oração. Uma oração onde através dos atos e das palavras, demonstramos o respeito ao semelhante que pensa diferente. Deus é paciência infinita e tolerância suprema. E quando se fala de intolerância e guerras religiosas, cobiça, egoísmo desrespeito à natureza etc… estamos numa época em que veremos o que terminará primeiro: se é a estupidez humana ou a paciência de Deus.Jandyra/Porto Alegre

    Responder

    • Posted by mirian on outubro 28, 2010 at 12:08 pm

      Concordo totalmente com o que vc disse, Jandira.
      Está na hora do ser humano assumir a direção de sua vida, e não querer que algo externo a ele mude sua vida, ficando à mercê de religiões e doutrinas que até agora se mostraram inoperantes e exploradoras.

      Responder

    • Posted by augedir m. m. do rio on outubro 17, 2011 at 10:29 pm

      a bíblia diz que a terra é redonda em 1500 a c (leia jó capítulo 1 verso 7 ) e confirma em isaias 40:22. mas a igreja católica, que até hoje não conhece e não respeita o texto bíblico, obrigou galileu a negar o seu conhecimento para não ser morto. a bíblia contem a palavra de Deus e tem que ser respeitada como fonte de conhecimento inconteste porque vocês crendo ou não crendo a história da humanidade se divide em antes de Cristo e depois de Cristo, que é Deus e Salvador de quem tem o bom senso de aceitá-Lo.

      Responder

      • Posted by Vitor Souza on junho 30, 2012 at 10:46 pm

        E você crendo acredita que a história foi dividida entes de e depois de cristo po obra divina. Pesquise e descubra que quem dividiu a história e A.C e D.C foi a igreja católica, para impor seu poder ao mundo, o mesmo poder que enviou para a foqueira milhares de “hereges”.
        A bíblia nunca foi escrita, ditada ou inspirada por Deus; é obra de homens para dominar outros homens pela fé cega, pelo fanatismo.

      • Meu nobre amigo por fafor me perdoe pelo seu eouivoco: DEUS é o criadoe é o Pai. CRISTO é o nosso amodo e divino mestre é o FILHO

    • Posted by Joaquim Maia da Fonseca on janeiro 20, 2013 at 8:20 pm

      Concordo plenamente com a participante Jandira.
      Deus nos dotou, a todos, da Liberdade, para que pudéssemos escolher o nosso próprio e melhor caminho, na busca do conhecimento e crescimento espiritual.

      Responder

  4. Posted by Antonio Sergio on fevereiro 18, 2009 at 8:59 am

    Jandyra,Suas colocação comprovação exatamente que a Logosofia vai contra a essencia do Cristianismo: Veja o que diz a bíblia em: MARCOS 16:16 "Quem crer (… )será salvo: mas quem não crer será condenado." e mais em:JOÃO 11:40 "Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?"Com isto minha querida Jandyra, eu estou alertando ao Cristão que a doutrina e os ensinamentos da Logosofia, são um perigo para nos cristãs, e nos faz pecar contra o nosso DEUS.

    Responder

    • Posted by luis antonio on novembro 14, 2012 at 11:53 pm

      Um breve testemunho.
      Estudei Teologia e fui pastor durante anos. Passei pelo menos trinta e dois anos na igreja evangelica, me dedicando com todo zelo, fazendo o melhor atravez de ensinamentos bíblicos, afim de ajudar a muitos. Encurtando o tetemunho, não pude ajudar a mim mesmo, testemunhei horrores, uma tamanha brutalidade para com as pessoas, e vim a conhecer Deus atravez da Logosofia. É triste observar o desconhecimento de muitos ao comentar certos assuntos. Os livros de Logosofia podem se encontra em quase todos os lugares, leia e depois comente.

      Responder

      • Posted by nilson on janeiro 24, 2013 at 7:10 pm

        Porque vc criatura de Deus,não estava escrito no livro da vida e se estiver…até no último suspiro(como o ladrão na cruz,)voltará para o 1º amor.
        O resto é blá-bla- e jogo de palavras que enganam e atraem muitos;

  5. Posted by Éder on março 21, 2009 at 6:07 pm

    A Logosofia merece o aplauso das pessoas esclarecidas deste século. Porque é Ela, mais uma dentre outras organizações religiosas que vem trazendo alento e informações atuais que são realmente úteis para todos nós nos dias de hoje. Precisamos nos agarrar a novas teorias firmadas em bases sólidas e não mais dar aval a milenares tradições religiosas que não apresentam resultados positivos para a humanidade, pois se assim fossem o nosso mundo não estaria um CAUS.

    Responder

    • Posted by jaime on agosto 14, 2011 at 1:23 pm

      Ola, bom serei direto sem meias, se você amigo Éder quer buscar informações de utilidade de coração busque a biblia estude-a tenho certeza que você encontra o que busca la se agarre na verdade ela é unica, não a verdade do ser humano , o homem é falho o que ele promete em pé geralmente não se cumpre sentado acorde enquanto a tempo só a um caminho e uma palavra a de DEUS. E se existe caus no mundo de hoje é pelo senhores do mundo os quais se intitulam os donos da terra eles sim criaram essas guerras discórdias entre os seres humanos DEUS é a saida ele deu seu filho por nós e é isso que devolvemos a incerteza … Jesus disse eu sou o caminho a verdade e a vida ninguém vem ao pai se não por mim.. então volto a repetir acorde só a um caminho .

      Responder

      • Posted by Felicidade on outubro 14, 2011 at 4:03 pm

        Puxa vida, eu fico super confuso. Já li MUITO a bíblia. Entendi (até onde eu percebo) sobre as “mentiras” do mundo, e sinto que os cristãos mais efusivos (percebam, NÃO SÃO TODOS, acho até que são a minoria) quando conversam com alguém que não se enquadra em sua fé tentam persuadi-los na base do MEDO. Medo de não haver tempo, cuidado, ou coisas do tipo. Sinceramete? Eu tenho é MEDO de ficar assim. Quero minha liberdade espiritual com um Deus de AMOR e de perdão SIM. Jesus Cristo foi um grande mestre, e ainda o é. Assim como tantos outros que também me ajudaram como Buda, e outros orientais. Gostaria de um mundo onde fossemos unidos não pela crença, mas pela VERDADE que é o amor, e esta necessidade de nos aceitar, que por tantas vezes confundimos com a não-aceitação, gerando guerras, medos, panico e pq não dizer doenças do Espirito.

        Fiquem em paz e que possamos um dia todos nos amar sem distinção.

  6. Posted by Paulo Rodrigo on abril 9, 2009 at 2:31 pm

    Quem "acusa" a forma de pensar ou de se colocar de uma outra pessoa sempre precisa da razão, ou seja o ser que “acusou” raramente tem a razão junto de si.Ex:Sempre que “briguei” com o minha irmã querendo usar o computador eu levava em conta que minha razão era maior que a dela, meus assuntos relacionados ao computador eram mais importantes, porém, muitas vezes ela precisava mais do que eu, sua razão era maior que a minha mas eu não atinava-me para a razão dela, queria atender minha necessidade.Quando compreendi que ela tinha uma razão também, tudo mudou. Minha forma de argumentar com ela mudou substancialmente, ficou mais clara e direta, paramos de perder nosso tempo e organizamos o uso do computador, um cedendo para o outro. Ela como é mais generosa do que eu por natureza sempre dava pra mim um pouquinho de sua razão.Dado este exemplo acima penso que o mesmo acontece com as discussões entre religião X religião, religião X ciência, etc…Quem tem razão, ou mais razão, a religião ou a Logosofia? As duas? O que uma tem a ver com a outra? Quais merecem meus créditos?Cada um deve buscar conhecimentos práticos para saber o que condiz com o que pensa, se for lógico, ético e moral pronto!Procurem saber mais sobre a Logosofia, e sobre as Religiões como eu tenho feito, e a escolha de uma, de outra ou mais de uma, é individual, e deve ser respeitado essa escolha.

    Responder

    • Posted by MARCOS ROBERTO SANTOS DA SILVA on abril 9, 2014 at 10:25 pm

      Ótima resposta ! Ainda não conheço a logosofia,se não é religião isso seria bom, mas mesmo se for se ajudar a humanidade a viver melhor, isso é importante !! Tenho a minha religião,e ela é muito importante porque me ensina que:Se alguma coisa ensina o que é bom aquilo pertence a Deus,então pertence a minha crença !!!Realmente nós precisamos aprender muitas coisas neste mundo …. O lugar é realmente as escrituras,porém existem muitos livros nos quais podemos aprender a viver melhor , Ainda temos muitos que brigam por religião, por não saber que isso é com certeza :anti-cristo !!! Se for ruim, saberemos, se for bom saberemos !!! Mas , antes temos que experimentar !!! Ai sairemos de cena se for ruim !! Fácil e Lógico !!!!Devemos seguir a Cristo, e mudar o tempo todo !!!E para começar a nossa mudança, devemos procurar conhecimento nos melhores livros e reter o que é bom !!!Um abraço a todos nessa procura !!!Estou procurando!!!!! A minha melhora como ser Humano !!!

      Responder

  7. Posted by ANDRÉ on maio 19, 2009 at 11:57 pm

    …ACEITO COMO UMA CRENÇA, UM CONCEITO DE AMAR A SI E AO PRÓXIMO, A RAZÃO DE UMA NOVA MORADA DA FELICIDADE, SEM A EXCLUSÃO DO CRIADOR♥

    Responder

  8. Posted by Lorran Luiz on junho 28, 2009 at 1:37 am

    Pergunto a vocês:Sinceramente, vocês, vendo o estado atual da humanidade (humanidade esta que foi profundamente influenciada por dogmas religiosos), podem afirmar com plena e total certeza que os seres humanos realmente amam e conhecem o seu Criador?Não coloque sua resposta aqui… responda para si mesmo e reflita bem sobre sua resposta.

    Responder

  9. Posted by José on julho 17, 2009 at 5:48 pm

    Entendo que Deus como Pai dá a seus filhos o livre arbítrio, o amor, o afeto, o carinho e tudo mais que um bom pai dá a seu filho; não acredito que Deus condena com rigor, com julgamentos severos, crueis, injustos e com temor a seus filhos. Eu não colocaria nunca meu filho para queimar no fogo, por nenhum motivo do mundo. O conhecimento é o maior tesouro que o homem pode conquistar, crer no homem é perigoso por que ele tira proveito da ignorancia dos outros para o proveito próprio. O conhecimento me permeti discernir, avaliar, mensurar. A crença me cega, me escravisa e me torna submisso. Deus dá a cada um de nós a possibilidade de ser livre e de conquistar nossa evolução, nos possibilitando agir com virtudes, dignidade, amor, benevolencia, carinho, afeto, paciencia e eliminando a cada dia nossos defeitos. O respeito a cada ser é imprescindível, pois cada um tem a sua convicção; mesmo aquele que é ignorante e que crer no absurdo, deve ser respeitado, pois ele está vivendo o seu estágio dentro de sua capacidade. Condeno veementemente àqueles espertos que se beneficia da ignorancia dos outros para pregar o absurdo.

    Responder

  10. Posted by Emidio on julho 19, 2009 at 7:39 pm

    a logosofia é uma verdade transparente nitida e verdadeira, digo por experiencia de vida, enquanto que as religioes em geral so serve para enculcar e travar a iniciativa do ser humano. Emidio F Lima

    Responder

  11. Posted by Emidio on julho 19, 2009 at 7:47 pm

    O que as religiôes traz de novo? Apenas repete os escritos de uma noção judaica escrita a 2000 anos atras:estes textos biblicos são ultrapassados levando em consideração a epoca em que vivemos.Realmente precisamos de coisas atuas sobre nosso dias.Temos hoje nossos conceitos proprios e não precisamos de ler um livro super ultrapassado e antigo.

    Responder

    • Posted by Ivonete on janeiro 31, 2011 at 2:27 pm

      Coitado de você Emídio. A Bíblia é o único livro que não precisa de atualização.

      Responder

      • Posted by nelson mayer on agosto 11, 2011 at 8:24 am

        então leia o Levítico e me diga se vc seguiria hj em dia, o q está escrito nele?!

      • Meu caro amigo , a biblia foi escrita observando os intereces da igreja catolica.
        Se voce realmente se intereça pelo assunto devera estudar o evangelho, uma vez que o nosso divino e amado mestre JESUS não é propriedade de nenhuma religião.

    • Posted by Lourival Santos on junho 18, 2011 at 10:52 pm

      Gostaria de enender como alguém pode avaliar ou criticar um Livro sem jamais te-lo lido, porque nào creio que alguém que faça duras críticas como essas sobre a Bíblia, já a tenha lido ou estudado suas palavras. Amigo, procure ter suas próprias conclusòes e nào se basear em opiniões dos outros, tenha mais personalidade.

      Lourival Santos

      Responder

  12. Posted by Evandro on julho 24, 2009 at 8:23 pm

    Evandro Lusvarghi – vejo com simplicidade a questão logosófica aplricada.O conflito de pensamento é para pessoas que estão ainda inseguras da busca transparente do conhecimento.Amar e respeitar o próximo e Deus acima de tudo consciste no Cristianismo.Conhecer a si mesmo e conheceras o universo de deus é socrastico.E ter alto conhecimento, amando, respeitando e caminhando para a santidade que nada mais é que ser útil ao universo são principios logosóficos.Pa e bem a todos!

    Responder

  13. Posted by Ricardo on julho 27, 2009 at 9:54 pm

    Se não estou enganado, o primeiro a estudar o sentido da vida foi Viktor E. Frankl (Psicoterapia e o sentido da vida: Fundamentos da logoterapia e análise existencial). Psiquiatra brilhante, judeu, sobrevivente do holocausto. Começou seu estudo ainda no campo de concentração, analisando o tratamento que lhe era dispensado pelos alemães. Na verdade, a delicadeza e a sensibilidade com que Frankl mostra o óbvio me impressionou muito. Sou outra pessoa depois que li o livro. Já li a Bíblia vária vezes, agora, só para estudo. Não preciso dizer que Jesus mudou minha vida por meio da Bíblia. Antes tinha uma obsessão por cumpri-la (muitas regras, pouca prática), hoje vivo pela misericórdia de Deus. Frankl só confirmou o que o Espírito Santo já havia me mostrado quando li Jo 13:34 e 35: "Amai-vos uns aos outros. COMO VOS AMEI A VÓS, assim também deveis amar uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros" e, ainda, Mt 19:21: "Se queres ser perfeito, VENDE TUDO O QUE TENS E DÁ-O AOS POBRES e terás um tesouro nos céus. Então vem e segue-me". Palavras fortes heim!!! rsrsrs… O discurso "flácido" das religiões na tentativa de justificar a não observância da Palavra de Jesus, enoja. Desculpem-me, mas vale todos os argumentos, inclusive aquele capitalista que todos nós conhecemos: "cada um no seu quadrado". Entre na tua igreja e procure saber quantos irmão estão com o aluguel atrasado, despensa vazia, barriga vazia, energia e água cortadas… e enquanto isso o templo cada vez mais suntuoso (sepulcros caiados, bolo bolorado). Porque que isso acontece? Porque que Deus deixa isso acontecer? Para que brasas se juntem sobre as nossas cabeças irmãos. Todos os dias, negamos amor a Deus ao abandonarmos nossos irmãos (com a desculpe de que “sou abençoado”, cada um com a sua benção). Pensemos nisso. Considero a logoterapia como a terapia do amor.O sentido da tua vida em Cristo Jesus é o amor que tu tens ao teu irmão. Que Deus te abençoe Pastor e lembre disso em tuas orações. Abrçs.

    Responder

    • Posted by Magda on abril 18, 2011 at 4:22 pm

      Querido Ricardo, você deveria analisar melhor o que escreveu; se dou o que tenho aos pobres p/ poder conhecer a Deus, então como ficará aquele que recebeu o que lhe dei? Eu serei o responsável por ele não poder mais conhecer a Deus?. Deus não deveria nem ser o centro dessas discussões, mais sim as religiões que em nada O representam. Sou estudante de Logosofia e tenho muitos questionamentos, mais nesta Escola sou eu que respondo a mim através da busca de Deus pelo conhecimento das Leis Universais, a natureza e principalmente conhecendo a mim mesmo e sabendo que se “sou imagem e semelhança de Deus”, é porque em mim há uma partícula Divina, só preciso aprender a ouvir meu Espírito que me auxilia diariamente p/ aprender a atender o que ELE quer p/ mim na condição de ser humano.Afetuosamente/Magda/Joaçaba/SC

      Responder

  14. Posted by Unknown on setembro 11, 2009 at 4:17 pm

    Não concordo pois o pouco que conheço da logosofia é que incentiva a creditar em si como capaz de liderar e avaliar o próprio intelecto e o auto conhecimento isto só nos torna melhores ou você acredita que a psicologia é uma ciência diabolica que nega deus e os conceitos religiosos??

    Responder

  15. Posted by jaqueline on setembro 15, 2009 at 11:30 am

    Penso que antes de julgar , vc tem ao menos q estudar.A Logosofia não é seita e nem religião e muito menos segue rituais , é apenas uma doutrina ,um método q vc pode utilizar no seu dia a dia , para o seu encontro interior , ou seja ficar em paz e mais proximo do nosso criador, Deus não criou religiões , isso foi criação do homem , Deus não julga nenhum forma de melhorar-se , se não te faço mal e nem a mim mesma , o q a de errado?

    Responder

  16. Posted by lucio on setembro 24, 2009 at 8:23 am

    Estou de acordo com vc jaqueline.O que é a Razão sem o Conhecimento?A logosofia lhe da o conhecimento ao praticá-lo.Como ensina o homem a pensar.

    Responder

  17. Posted by lucio on setembro 24, 2009 at 8:25 am

    A ciência logosofica, nada tem a ver com religiões.ela ensina e vc pratica. Diferente daquelas que faz vc acreditar. É sabedoria.

    Responder

  18. Posted by Elida on outubro 20, 2009 at 12:49 pm

    "Essa seita prega a crença de "reativação consciente do indivíduo", tentando fazer que este se torne o senhor de seus pensamentos e sentimentos e viva em calma a sua plena auto-realização."…Essa coisa de se tornar senhor de si mesmo tem muito a ver com humanismo, Iluminismo, ou seja, muita razão e nada de Deus. O homem como o centro de tudo e Deus nas extremidades mais longínquas de nossas vidas.Encontrar-se com si mesmo não é se aproximar de Deus e sim achar que você pode governar a sua vida, sendo que a bíblia nos manda entregar tudo ao Senhor e deixar que Ele faça tudo por nós. E se lhe faltam paz, recomendo que relembrem o que disse Jesus em João 14:27: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize."Att,Élida Lima

    Responder

    • Posted by Alexandre Chagas on outubro 1, 2013 at 9:42 pm

      “A LIBERDADE MAIS SAGRADA É A LIBERDADE DE PENSAR”. Com esta verdade, simples e direta a LOGOSOFIA me chamou a atenção. Busquei conhecer e me aprofundar e digo que nada me realizou tanto quanto seus ensinamentos. Infelizmente este democrático debate, não levará ao conhecimento geral as grandes prerrogativas da evolução consciente, até mesmo porque na contramão das religiões a Logosofia não persegue as massas, pois não se transmite na superficialidade é estudo científico e como tal não se absorve com sermões e na simples aceitação, tudo deve ser apresentado, experimentado e observados os resultados respeitando-se toda a diversidade da visão que será pessoal e inerente à bagagem de vida de cada um. A Logosofia tem as portas de suas fundações abertas a quem interessar conhecer, julgar ao bel prazer em nome de qualquer crença é leviandade, mesmo apoiado em “Escrituras Sagradas”, simplista é delegar a Deus nossa trajetória, a quem já nos deu nosso bem mais precioso “A VIDA”, nada mais legítimo que aprender usar as ferramentas recebidas e sermos artesãos de nosso próprio destino. Logosofia é ciência do saber nada jamais foi apregoado contra o saber, porém, a Liberdade de Pensar, realmente deve ser Sagrada e cientes disso, respeitar a diversidade de opinião é amar ao próximo, o que não é visto a tempos em nossa humanidade.

      Responder

  19. Posted by Kellen on novembro 2, 2009 at 5:46 pm

    Gente é só pensar um pouquinho!!!Independente de religião, fé, seita ou o que mais denominarem!!!Deus está aonde existe pessoas boas, q nao prejudicam ou fazem mau a outras, pessoas q se ajudam.O caminho cada uma escolhe o seu, o importante é "fazer o bem não importa a quem"!Vocês não acham muito pretencioso dizer qual é a religião certa ou errada???Quem somos nós, pobres mortais?????Se vc se identifica com o cristianismo e faz pratica o bem atraves desta bandeira ótimo!!Se é atraves da logosofia ótimo também!!!se é num "terreiro" que reza pelo BEM da humanidade QUAL É A PARTE RUIM?????Por que eu me acho mais meceredora "dos céus" pq pratico a logosofia e vc não????Pq vc se acha mais merecedor do que eu???Vamos pensar um pouquinho DEUS é um só!!!!E todos concordam q ele deseja o bem de todos e para todos!!Então vamos retribuir…Já fez o bem hoje???Já exercitou sua paciencia, e tolerancia??experimente fechar os olhos e não denominar sua crença religiosa, o q nos sobra????DEUS e BONDADESe consegue isso rezando, ou lendo, ou praticando, ótimo, continue certamente DEUS está em vc!!

    Responder

  20. Posted by julio on novembro 6, 2009 at 11:54 am

    Deus não criou nenhuma religião…apenas disse:- Amai a Deus sobre todas as coisas…- Amai ao proximo como a ti mesmo…Ou seja…a religião é muito boua quando fonte para adiquirir novas ideias… e compartilhar esses sentimentos…porém… quanto alienada… só serve pra fechar sua mente… sua mente fika fechada… e oq o cara lah na freente fala… pra vc está certo…o livro nao quebra nenhuma dessas leis… por isso nao eh diabolico ( bahh ) como chegaram a dizer nos comentarios aí…O auto conhecimento… deixa sua mente aberta… e quando isso… junto com sua crença em Deus… ( pode ser de qq religião… baseie-se em Deus como \’o cara que criou tudo\’ … isso nao se limita soh no cristianismo )….Quando vc juntar auto conhecimento com sua crença no Criador de tudo q existe… então vc verá o qual pekeno vc é… e ao msm tempo o quão grande é… e o quanto pode ajudar aos outros com isso =]lembrem-se…religao sem ciencia é cegaciencia sem religiao é mancabiblia = conjunto e livros reunidos por nós e nao por Deus… e esses livros foram unidos em um só…. lembrando q varios foram descartados e outros não… e a definição se entrava ou nao… foi dada por nós humanos… baseado nos nossos desejos…cansei de escrever…abram suas mentes para o mundo…e verão Deus como algo muito maior doq acham ser…e mto menos infatil tbm… =]

    Responder

    • Posted by Magda on abril 18, 2011 at 4:45 pm

      Pesquisem a origem de Jesus, porque as palavras que são atribuídas a Deus, segundo a bíblia, foram ditas por Jesus,figura que foi criada por homens que queriam manipular o ser humano puro, inocente e sem conhecimentos, tudo isso em busca do famigerado poder, das riquezas. Ainda que cada um tenha uma religião, adquirir conhecimento é algo que só ao ser humano foi permitido, o importante é saber que não existe conhecimento sem indagações e questionamentos,sem procura em várias fontes. Eu encontrei uma fonte segura (sem deixar de questionar), tomara que todos esses
      continuem procurando em diversas fontes e não parem de questionar, pois esta é a essência do ser humano. Até mais/Magda

      Responder

  21. Posted by Susana on novembro 9, 2009 at 12:47 pm

    Religião não se descute e nem se critica cada um tem suas crenças e vivem em função dela, uns vivem no céu e outras no inferno devido as suas escolhas… Quando buscamos sabedoria nos iluminamos e tudo que estava escuro se torna claro feito dia, deixamos de ser cegos e abrimos nossos olhos pra ver tudo que estava em nossa frente… Disse jesus… como pode um cego guiar outro? não tem como… e isso e o que mais acontece… na mesma medida que medires será medido… o que condena o homem e que sai da boca… e tantas outras mais…Os grandes livros e sábios vivem repetindo as mesmas palavras sempre… e mesmo assim tem pessoas cegas que não consegue ver a grandiosidade de Deus…Simplismente se fecham … a palavra vos libertará… Tudo que é bom e faz bem provem de Deus, ele está em tudo e em todos mais so se iluminam aqueles que buscam a palavra e aplicam seus mandamentos… ame a tudo e todos louve tudo que tem e mais será lhe acrescentado… Deus trabalha através de pessoas e sempre esta inovando para ensinar tudo novamente as mesmas palavras.se ilumini em sabedoria e saia da escuridão… busque ver o lado bom das coisa e aprendam com elas, eu não sei tudo mais o pouco que sei procuro saber o como e o porque, pra poder repassar com amor para que outros vivam felizes assim como eu vivo.

    Responder

  22. Posted by Eduardo on novembro 11, 2009 at 5:16 pm

    Disse Jesus: eu vim buscar e Salvar o que se havia perdido.

    Responder

  23. Posted by Susana on novembro 11, 2009 at 9:28 pm

    Pessoas leigas são mais fáceis de serem manipuladas essa e a verdade. A logosofia veio pra libertar o homem de sua propria ignorância, não e a seita diabolica como sitado… nós nos salvamos todos os dias pelas nossas ações sim… pq nao adianta aceitar jesus, se nossas atitudes são contrárias tem que mudar o interior a aplicar no exterior, na logosofia não exclui nada apenas acrescenta.

    Responder

  24. Posted by J.M.B. on dezembro 11, 2009 at 10:57 am

    Sem nome, que comentário feliz. Em suas palavras está estampado o princípio da tolerância universal! Se houvessem mais pessoas pensando assim, não haveriam tantas guerras religiosas no mundo! Amar ao próximo. Como amar ao próximo, se não há tolerância nos atos, nos pensamentos, nas palavras? Penso que Deus, sendo a Suprema Tolerância e a Suprema Paciência, não exclui a nenhum de seus filhos. Nem aos ateus, nem aqueles que geram guerras em Seu Nome. Deus fez o mundo com Seu Amor. E não fez os homens para ficarem desentendendo-se. É função nossa buscar a conciliação. Para isto Deus nos deu um coração. Para amar-nos uns aos outros. Quando todas as religiões do mundo, seitas, filosofias começarem a chegar a um concenso sobre a verdade, só então poderemos dizer que o homem começou a chegar à verdade. Vemos que quando a verdade aparece em sua forma absoluta, quando ela se apresenta desnuda, ninguém se atreve a discordar dela. Depois que o homem deu a volta ao mundo, depois que chegou à lua e viu a Terra de lá, fotografou, etc. e provou por fim que é redonda, quem se atreveria a dizer o contrário? Assim, a verdade absoluta não se oculta, nem se impõe. Apenas se revela à luz da razão humana. E neste momento, o coração se emociona, a alma se extasia como rendendo um culto à Grandiosidade Divina. A tolerância, especialmente a tolerância religiosa é prova de conduta sábia e espiritualizada. Ao não atacarmos aquêle que pensa diferente, e nem as bases religiosas que sustentam sua vida, aí começa o princípio do respeito mútuo e abrimos um caminho para o afeto, que deve estar acima de todas as coisas. Acima de todas essas opiniões diferentes, o afeto tem que reinar em nossos corações. Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei. Somente este sentimento nos permitirá debater respeitávemente, afetuosamente, não para ficarmos nos desunindo, mas para nos unirmos na maior busca que um ser humano pode empreender com sua vida. A busca de Deus.

    Responder

  25. Posted by julio on dezembro 15, 2009 at 6:52 pm

    Logosofia – Uma \’Filosofia de Vida? !!!Embora eu não tenha lido ainda nada a respeito, vou invocar aqui, não sem o risco de parecer injusto (ou intelectualmente desonesto) o ‘‘não li e não gostei’’ de Oswald de Andrade e dizer aquilo que me parece: que ela não é uma doutrina no sentido forte do termo, ou seja, um conjunto de princípios aptos a fundamentar – como em filosofia ou em ciência – um saber teórico, como por exemplo o empreendimento crítico-teórico levado a cabo por Immanuel Kant (1724-1804) na Crítica da Razão Pura, que cumpre a ambiciosa tarefa de determinar as fontes, extensão e limites todos os conceitos a priori do entendimento humano, e a distinção dos mesmos das formas apriorísticas da sensibilidade (espaço e tempo), que juntos constitui as condições da possibilidade de conhecimento dos objetos da experiência; sendo assim tampouco podemos compará-la com a tradição filosófica que remonta a Platão, passando por Aristóteles e culmina na Filosofia Transcendental de Immanuel Kant, até declinar com a maioria dos filósofos modernos subseqüentes. O que circula aí com o nome de Logosofia – um nome que mais parece pegar carona no prestígio da filosofia e da ciência -, me parece antes um amontoado de preceitos próprios de uma seita que tem como objetivo a defesa de algum movimento ou bandeira, como o daquele gênero de subliteratura denominado de auto-ajuda. E como todos sabem numa seita os objetivos são bem outros: simplesmente arrebanhar adeptos e seguidores pra sua causa. Julio G. Almeida

    Responder

    • Posted by Alexandre Chagas on outubro 1, 2013 at 10:07 pm

      Sr. Júlio, com certeza o estudo Logosófico não se apoia nos conhecidos filósofos, pois não pretende ser distante e inatingível ao ser humano comum, não prega uma verdade universal e absoluta, se galga na formação individual do ser e sendo assim cada um colhe os frutos de sua própria evolução. Não é seita e o Sr. nunca será persuadido a participar, “A Liberdade mais Sagrada é a Liberdade de Pensar”, assim como aparenta ser uma pessoa culta e interessada procure conhecer e então professe um julgamento mais embasado.

      Responder

  26. Posted by J.M.B. on dezembro 19, 2009 at 4:09 pm

    Antonio Sergio, mais importante de tudo é que como filhos de Deus que somos, sejamos capazes de pensar diferente sem nos distanciarmos do verdadeiro sentimento de amor ao semelhante. Amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Nossas certezas individuais não podem nos dividir, nos separar, nos desunir. Estou certa que você encontrou um caminho através do qual é útil à humanidade. Que seu camino seja sempre iluminado, e que você tenha forças para lutar pelo bem maior e verdadeiro do ser humano. A humanidade está necessitada de seres que saibam pensar e sentir em prol do bem maior de todos. Sigamos nosso trabalho em prol deste bem maior, sem nos atacarmos, sem nos lançarmos uns contra os outros, e sem ferirmos a crença alheia. Com um sentido de Ética Superior. Não se preocupe se a palavra é crer, ou saber. Se estudou teologia, bem sabe quantas interpretações essas palavras sugerem. E quão a fundo temos que estudar para chegar aos seus verdadeiros significados. Convido você a substituir ambas pela palavra Fé (crer e saber se unem na fé, e assim conciliamos nossas formas de pensar), e mesmo que pensando diferente, a olhar mais detidamente para o conhecimento logosófico. Mesmo que seja para discordar, sabendo fazê-lo com altura. Busco a Deus, à verdade e ao bem com toda a sinceridade que um ser humano é capaz de ter. Você não faz idéia. Este estudo me ajudou em momentos dificílimos em minha vida frente à mentira, ao engano, frente ao desequilíbrio moral e espiritual em que a humanidade se encontra mergulhada. O estudo logosófico construiu esses sentimentos dentro de mim. Fazer o bem ao semelhante e me transformar num ser humano melhor corrigindo meus erros como objetivo maior da minha vida através deste estudo. Tenho certeza de que você faz o mesmo através da sua religião. Nisto está incluído o respeito à crença alheia. Você segue ao Cristianismo porque tem grandes sentimentos em seu coração. Convido a que sigamos assim, cada um na sua busca, no seu caminho, e trabalhando, trabalhando muito. QUE NOSSA ATENÇÃO NÃO SE FOCALIZE NAS NOSSAS DIFERENÇAS, MAS NAS NECESSIDADES MAIORES DA HUMANIDADE. A necessidade de levar a cada ser humano uma palavra de alento, de orientação para a vida, e de aproximação com Deus.

    Responder

  27. Posted by Susana on janeiro 4, 2010 at 1:33 pm

    J.M.B, sem comentários…disse tudo, obrigada pelas palavras.

    Responder

  28. Posted by alexandre on janeiro 6, 2010 at 12:35 am

    Será que o Autor conhece a CONSTITUIÇÃO FEDERAL???procurei na INTERNET e comprovei que a FUNDAÇÃO LOGOSÓFICA é oficializada como de UTILIDADE PÚBLICA.Como cristão fico INDIGNADO com atitudes agressivas, desrespeitosas e mentirosas que utilizam chavões da INQUISIÇÃO COMO: CONTRARIA A FÉ CRISTÃ.Sou católico e discordo do QUE O PASTOR DISSE.Espero que o SER HUMANO SEJA TRATADO COMO HUMANO E NÃO COMO OVELHA, OU QUALQUER OUTRO BICHO IRRACIONAL.O JUDAISMO, O BUDISMO, O ISLAMISMO TAMBÉM CONTRARIAM A FÉ CRISTÃ?????????????SERÁ QUE O OBJETIVO DESTE ARTIGO É CONDENAR SEM JULGAMENTO???????CHEGA DE VIOLENCIA……………….ISSO SIM É CONTRA DEUS.SEM RESPEITO NÃO HÁ PAZ.Senhor em que século está vivendo.Cadê o RESPEITO ao SER HUMANO.Não foi assim que muitas, ou quases todas as guerras do mundo começaram ( origem religiosa) ????A ÉPOCA DA FOGUEIRA SANTA DA QUEIMA DOS MÁRTIRES ACABOU, GRAÇAS A DEUS.MORTE AOS QUE PENSAREM DIFERENTE DE MIM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!É NO MÍNIMO NAZISTA………….NOSSA JESUS CRISTO É O EXEMPLO VIVO E FRONTALMENTE OPOSTO AO PENSAMENTO DO TEXTO SUPRA.OU SERÁ QUE AGORA MESMO SENDO CRISTÃOSEVANGÉLICOS, PROTESTANTES E CATÓLICO SERÃO INIMIGOS MORTAIS MESMO SENDO SEGUINDO O MESMO EXEMPLO??????????????

    Responder

  29. Posted by Robson on janeiro 20, 2010 at 2:28 pm

    Sempre que surge uma ideia nova,os homens que se dizem religiosos,conhecedores da VERDADE, recebem essa novidade com suas criticas,atacam essa nova ideia como forma de expressarem apenas o que acham que sabem,foi assim com socrates e tantos filosofos da antiguidade,foi assim com Jesus, a historia diz que os que mais o perseguiram eram justamente aqueles"conhecedores da verdade", foi assim e continua sendo com o Espiritismo, que tanta Luz de conhecimento e entendimento,a mais de um seculo leva milhoes de pessoas ao respeito mutuo entre si,e a Deus, E nao seria diferente com a logosofia,eu particularmente ainda nao conheço nada,mas o pouco que li a respeito ja e suficiente pra entender que se trata de mais uma grande ajuda para humanidade sair do campo da ignorancia,e chegado mesmo o Fim dos tempos,nao o fim do mundo mas sim dos Tempos, tempo da ignorancia, o planeta terra esta passando por um gde periodo de transformação,e qdo chegar o momento certo nao havera mais espaço pra esses tipos de argumentos senhor pastor Adonias Gonçalves.

    Responder

  30. Posted by paulo on março 4, 2010 at 11:07 am

    É lamentável que a ignorância baseada na fé cega, leva as pessoas sem conhecimento a criticarem. Mas é perfeitamente entendível que não gostem que suas imposturas sejam desmascaradas.A Logosofia é uma ciência sim. quem quiser verificar vá a uma Fundaçào Logosófica, faça o curso e depois emita sua opinião.

    Responder

    • Posted by Jair Alves on novembro 19, 2010 at 5:13 pm

      A Logosofia é uma nova roupagem da Nova Era ou Era de Aquário. Essa heresia muito perturbou a igreja de Cristo no passado durante os dois primeiros séculos, poderemos combater sim, contra a Logosofia principalmente com as espístola do Apóstolo Paulo que escreveu para os, Colossenses, 1 Timóteo, 2 Temóteo e Tito; 1, 2 João e Judas; Estas cartas serve como prevenção para a Igreja atual sendo que: a logosofia é o insino falso de que o Homem não precise de Deus para suas realizações.

      Responder

  31. Posted by josé carlos on maio 18, 2010 at 3:31 pm

    Caro Pastor. Como todo cego por qualquer credo, o senhor não admite nenhum outro conceito ou definição de "Deus". O unico crente, cego e perigoso é o semhor que ilude seus seguidores difamando pessoas e entidades que nunca lhe fizeram mal.

    Responder

  32. Posted by lucia on maio 21, 2010 at 7:52 pm

    Penso que orientar as pessoas a direcionarem bem os pensamentos e, daí a vontade, não é contra a fé. Então Deus, em sua imensa sabedoria, não nos legaria o livre-arbítrio, que nos coloca diante de nós mesmos como seres inteligentes, mas dependentes de toda a criação.

    Responder

  33. Posted by Fernando on junho 1, 2010 at 7:51 pm

    Caro Pastor Adonias, achei justa a sua definição e o seu objetivo de alertar os verdadeiros seguidores de Cristo Jesus sobre este tema. Graças a Deus, ainda temos liberdade para nos expressar livremente como no seu caso, no seu blog. Nos comentários apenas vi opinões de pessoas feridas que ainda crucificam sem o madeiro mas, com palavras. …. e se for possível, quanto esteja em vós tende paz com todos os homens (Romanos 12:18)

    Responder

  34. Posted by Danilo on dezembro 7, 2010 at 1:05 pm

    Qual a vantagem de ser Cristão??? Ou qualquer outro seguimento religioso??? Religião é perda de tempo!!! É a resposta para os fracassados!!! É a inércia do ser humano!!! Tudo que não conseguir responder, foi Deus que quis!!!!

    Cambada de iludidos!!!!

    Procurem adquirir mais conhecimentos que vocês verão que estão sendo enganados por essa igreja ridícula que só matou a vontade em prol de sua fé!!!

    Hipócritas cegos!

    Responder

  35. Posted by Jihad Kasem Kassab on dezembro 8, 2010 at 6:37 pm

    Não pude deixar de comentar sobre essa “jogada de mestre”. Quando recebi em casa o livrinho de iniciação “grátis” que meu pai havia pedido, por curiosidade ou não, ao olhar no site dessa tal Logosofia pude perceber que não passa de um Argentino esperto que engana muitas pessoas que não sabem ler a Bíblia. Como pode se entitular fundação cientifica se ele tem um livro que trata de “O Espirito”. Esse é mais um dos muitos espertos que sabem ganhar dinheiro. Não estou aqui defendendo religiões, mas sim defendendo a Bíblia que é completa por si só, mas as pessoas insistem em não ler e se leem não fazem questão de praticar. Pensem nisso e reflitam. (obs: pô acho que vou começar a escrever livros sobre alguma invenção, é só colocar um nome esquisito e vender livros e ser feliz. Pronto encontrei a solução dos meus problemas… vou ficar rico).

    Responder

  36. Posted by Artur Reis on dezembro 9, 2010 at 2:46 pm

    O senhor pastor so esta preucupado gente, não pressisa de atacalo, ele esta sendo estrategico, usando os mesmos artificios que ja é acustumado, pois um pastor não pode perder suas ovelhas, pois se perder oque ele vai comer ???

    Responder

  37. Posted by Artur Reis on dezembro 9, 2010 at 2:51 pm

    Creio que o senhor pastor não va tirar meu comentario em cima publicado, pois assim so me ofereceria a plena convicção de que estou certo em crer que o senhor pastor só esta preucupado com o futuro de sua coorporação e de seu rebanho.

    Responder

  38. Posted by Jonas Moreira Da Silva on dezembro 11, 2010 at 6:34 pm

    Não sei porque os cristões sejam católicos ou protestantes,,sempre eles se acham senhores da verdade,,só a religião cristã salva e á porta da verdade,,,,esse pessoal tem que lembrar que antes dos cristões…existiam inúmeras outras religiões em diversas culturas,,,parem de ser arrogantes,,,vocês nem sabem se Jesus era realmente filho de Deus,,,,

    Responder

  39. eu

    umilde mente pesso dessa forma o ser humanos ao todo nao precisa de livros algum ao nao ser o livro da BIBLIA SAGRADA para q eu presiço ler outros livros se todas as ideias sao ideias sao tiradas desse livros mais muitos dos q leem e esgrevem outros livros infelismente destorcem muitas palavras entao o melhor e ler a ler a propria BIBLIA na direçao de DEUS e saberemos assim entao viver um mundo melhor fiquem na paz feliz 2011

    Responder

  40. Posted by Nagib Anderáos Neto on fevereiro 10, 2011 at 12:41 am

    Toda esta questão resume-se num problema de fé; ou fé demais ou fé de menos.

    Responder

  41. Posted by Tatyana on março 12, 2011 at 1:13 am

    A grande impostura encontra-se na própria conduta do ser humano: Um ser que se alimenta de uma “crença”, ao enterder uma nova forma de compreensão e superação humana como ameaça à sua crença, só está reforçando a fragilidade dela. A logosofia é uma ciência de superação humana em que Deus é o criador e a ele somos gratos por tudo, sobretudo, as faculdades de pensar e sentir, tão peculiares do ser humano. Deus quer mesmo que sejamos crentes nele? Ou ele nos consagra como filhos para que possamos sentí-lo e viver com a mesma dignidade?

    Responder

  42. Como o “ser Humano” perde tempo acreditando nestas coisas.A verdadeira ciência não perde tempo. Salva a todos sem distinção de qualquer natureza. Agradeça aos ateus, cientistas que dedicação suas vidas em razão do conhecimento científico filosófico. e tem salvado e muito de vocês da morte e das angustias…

    Responder

  43. Posted by Abenides Afonso de Faria on março 24, 2011 at 1:58 pm

    Em nenhum lugar da bibliografia Logosófica vamos encontrar algum artigo dizendo que os evangélicos são perigosos para a Logosofia. O trabalho que se faz é respeitoso para com todos os demais, desde que sejam para o bem. Louvamos inclusive o trabalho evangélico que se faz nas prisões, pois esse trabalho com a barbárie está mais de acordo com o seu campo de atuação. Tanto a ciência como as religiões tem vários campos de atuação no sentido de promover o bem. Não existe necessidade de apontar o “irmão” quando ele não está fazendo o bem da maneira que queremos. Existe espaço para todos trabalharem da forma como querem e podem.
    É mais importante a união em torno da proposta de fazer o bem do que o sectarismo propondo que um é perigoso para o outro.
    Se um tem cristo na mente e o outro quer pensar por conta própria, o livre arbítrio é que decide. Nem a inquisição conseguiu dominar o livre arbítrio, pois Giordano Brunno morreu na fogueira afirmando o seu pensamento.
    A Logosofia promove a paz primeiramente interna e depois faz com que se expanda na vida dos demais, porém, sem obrigar ninguém a acreditar.

    Responder

  44. Posted by SEVERINO DELMIRO on março 31, 2011 at 5:54 pm

    Estou pesquisando sobre o assunto em debate e, sinceramente, não acho que a LOGOSOFIA seja uma ameaça ao Cristianismo ou à fé cristã, entendo que ela é mais um ramo do saber humano que mostra Deus de uma maneira mais prática (no entendimento dos logosóficos), não a vejo também como uma religião, nem como uma seita, já que ela não se derivou de outro grupo religioso, nem pratica qualquer ato ou rito religioso, pelo menos até onde eu tenho conhecimento e salvo engano meu, quero deixar aqui aos nobres irmãos, não os da minha fé cristã, mas aos logosóficos que fiquem em paz, porque discórdias doutrinárias existem até entre nós que professamos o cristianismo, como no caso e do nobre irmão que fez o alerta aos crentes evangélicos; acho até que seja possível uma conciliação entre a fé cristã e a prática logosófica, já que não a entendo como uma religião, e sim, com princípios básicos de uma ciência que começa a aflorar no momento, entendo perfeitamente que um logosófico pode também ser um cristão, assim como um filosófico ou outro qualquer pode e são cristãos; quero também esclarecer que sou evangélico com formação acadêmica na área do conhecimento teológico; precisamos, porém examinar mais apuradamente os estudos e conceitos pregados pela logosofia para uma mais acurada crítica, construtiva ou não, para não cometermos o erro do engano de se criticar uma coisa sem ter nada haver com a outra, e assim levantarmos uma discussão nada aconselhável e sermos injustos naquilo que acusamos, seja a pessoas ou entidades sérias ou não; confesso se por aqui nas minhas redondezas tivesse uma entidade do gênero eu iria conhecer para poder fazer uma crítica justa e imparcial, porque olhando grosso modo para os princípios que a logosofia prega, eles são muito bons; quanto a crítica feita pelo nobre irmão acima, os criticados fiquem sabendo que até entre nós evangélicos que pregamos com a mesmo Bíblia na mão e inclusive a Bíblia dos mesmos autores e até mesmas edições, nos acusamos entre nós de seitários e heréticos, e esse é um grande mal que entre os crentes cristãos das diversas denominações, que pregam com a mesma Bíblia na mão, mas dando interpretações diferentes dos seus diversos textos, e isso é desde o início do Cristianismo, só é qualquer pesquisar a história da igreja cristã.
    Obrigado e DEUS abençoe a todos com a sua multiforme de amor.

    Responder

  45. Posted by reginaldo daniel dos santos cardoso on abril 3, 2011 at 5:42 pm

    Bem amigos e amigas acho que depois de tantos discursos e que vai realmente salvar homens e Deuses é amor e o respeito entre nós seres humanos.Deixemos de julgar, todas as vezes que julgamos estamos fadados ao erro, ninguém é melhor que ninguém,e podem apostar nisso Deus deve estar achando graça de tamanha discussão, pois ele mesmo já disse, “ame o seu próximo como a ti mesmo, acho isso resume tudo,pois tudo é ligado a isso! Simples não!

    Responder

  46. Posted by Alexandre on abril 12, 2011 at 11:11 pm

    A vida prega peças. Outro dia acabei acessando esse blog e me deparei com esse tema “Logosofia” postado pelo Sr Roberto Lemos. Confesso que como um evangélico e cristão obediente e temente a Deus, imediatamente criou-se em mim um bloqueio mental e os preconceitos gerados pela minha fé me alertaram para o fato de que essa suposta ciência não passa de mais uma artimanha para me afastar de Cristo.
    Meu primeiro impulso foi o de postar minhas criticas em relação a essa aberração, mas as palavras não vinham à minha mente e, certamente não podia me atrever a falar sobre algo sem conhecimento de causa, até mesmo por que a ética também é um preceito cristão.
    Então naveguei pela web em busca de explicações e entendimento sobre a tal Logosofia. Isto já faz 6 meses.
    Ocorre que quando começei a ler, percebi que ela não é contra o cristianismo. Pelo que entendi, não é contra nada nem ninguém, mas sim a favor da superação humana e da criação de um ser consciente da existência e vontade de Deus. A única coisa que entendi em relação à fé e que tenho que confessar que achei coerente foi um texto que interpretei da seguinte forma: Não se deve “crer”, Deus não precisa que acreditemos nele, pois Ele existe acreditem ou não. Quem acredita, o faz por que não sabe e quem sabe, não precisa acreditar, pois Deus se tornará uma realidade em sua vida que não dependerá de fé. O que se deve fazer é aprender a perceber Deus através de suas manifestações constantes em nossas vidas e só assim deixaremos de crer e passaremos a saber e sentir a existência Dele. Outra coisa que me chamou atenção foi em relação às orações e rezas e também achei coerente, pois pelo que entendi, Ele não quer saber de orações nem de adorações, mas de gratidão e de uma boa conduta. Sendo que a conduta honrada é a única oração à qual Deus ouve e atende.
    Isto é verdade pois outro dia percebi que o pastor pregava idéias que ele mesmo não praticava e isso me envergonhou por “crer” nas palavras dele. Como pode uma pessoa que não sabe se comportar de acordo com os ditames de Deus, se dizer pastor, se proclamar um lider, vez que um pastor comanda seu rebanho… Juntando isso ao texto logosófico percebi que a Logosofia, pelo menos ensina a pessoa a ter consciência e se guiar por essa consciência.
    Tem tantas outras coisas que nem sei dizer, mas que são de uma verdade incontestável.
    Percebi agora que “creio” por temor e que posso passar a entender a vontade de Deus através das leis naturais, pois estas são incontestáveis por terem sido criadas por Ele mesmo. Isso me fez sentir uma alegria que jamais senti na igreja, pois me senti amado por Ele e ao mesmo tempo senti uma gratidão descomunal por poder viver este sentimento.
    Mas isso não quer dizer que largarei minha fé, isso nunca. O que farei é buscar idéias logosóficas que sejam úteis dentro de minha igreja.
    Mas o principal foi perceber que aquele que postou esse texto, não tem conhecimento de causa e deveria fazer o que eu fiz, buscar saber antes de falar. Sou cristão até morrer e por isso mesmo tenho o dever de falar a verdade e posso afirmar que a Logosofia não é uma ceita nem tem caráter exotérico.
    Sou cristão e como tal, ando a par da ética e da tolerância, mas não daquela tolerância que na verdade é uma arrogância disfarçada. Digo tolerância mesmo, aquela que entende o outro ser e o respeita em suas convicções.
    Logo, minha crítica, “dessa vez” não é direcionada à Logosofia, mas sim aos que falam coisas sem conhecimento de causa ou com inteção de convencer sobra algo que não entendem. Por que o mundo é assim? Seá que todos só pensam em se impor, em impor suas crenças garganta abaixo dos outros.
    Me perdoem a franqueza e perdoem se magoei alguém, pois nunca foi nem será minha intenção.
    Deus abençoe a todos.

    Responder

  47. Posted by Lucimara on abril 20, 2011 at 8:20 pm

    Nosso Senhor Jesus Cristo,comentou sobre a parabola do bom samaritanCristo propôs-lhe uma parábola, dizendo:

    Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos de salteadores, os quais, após despojá-lo de tudo, espancaram-no, deixando-o moribundo à margem da estrada.

    Coincidentemente descia pelo mesmo caminho um sacerdote. Vendo-o, passou de largo.

    Logo a seguir descia um levita, cujo procedimento não foi diferente daquele do sacerdote.

    Entretanto, dentro em pouco surge um samaritano que, vendo-o naquele estado deplorável, moveu-se de íntima compaixão e, descendo de sua cavalgadura, levou-o a uma hospedaria, onde continuou a cuidar dele.

    Tendo que partir, no dia seguinte, deu dois dinheiros ao hospedeiro, recomendando-lhe que continuasse a dar-lhe assistência, prontificando-se a pagar, em sua volta, tudo aquilo que excedesse a importância deixada.

    Após ensinar essa parábola, indagou Jesus: Qual destes três te parece que foi o próximo do homem que havia sido vítima dos salteadores, merecendo do doutor da lei a resposta: O que usou de misericórdia para com ele.

    Diante desse discernimento aduziu o Senhor: Vai, e faze da mesma maneira.

    O ensino propiciado por Jesus Cristo nessa edificante parábola é dos mais significativos. Nele podemos apreciar o exercício da caridade despretensiosa, incondicional, em seu sentido amplo, sem limitações.

    O samaritano, considerado herege e apóstata pelos judeus ortodoxos, foi o paradigma tomado pelo Mestre para nos ensejar tão profundo ensinamento.

    O grande mérito da parábola consiste em fazer evidenciar aos nossos olhos que, o indivíduo que se intitula religioso e se julga virtuoso aos olhos de Deus, nem sempre é o verdadeiro expoente de virtudes que julga possuir. Ensina aos outros como fazer caridade, mas ele nem de longe quer praticá-la.

    O sacerdote que passou primeiramente, certamente atribuía a si qualidades excepcionais e se julgava zeloso cumpridor da lei e dos preceitos religiosos. Ao deparar com o moribundo, com certeza balbuciou uma prece em seu favor, mas daí até a ajuda direta a distância é enorme. O mesmo deve ter sucedido com o levita.

    O samaritano, considerado desprezível pelos judeus ortodoxos, mas cumpridor dos seus deveres humanos, não se limitou a condoer-se do moribundo. Chegou-se a ele e o socorreu da melhor forma possível, levando-o em seguida a um lugar de repouso onde o assistiu melhor, recomendando-o ao hospedeiro e prontificando-se a ressarcir todos os gastos quando da sua volta.

    A caridade foi ali dispensada a um desconhecido, e quem a praticou não objetivou recompensa, o que não é muito comum na Terra, onde todos aqueles que praticam atos caridosos, logo pensam nas recompensas futuras, na retribuição na a vida espiritual.

    Os samaritanos eram dissidentes do sistema religioso implantado na Judéia – eram os protestantes da época. Com o fito de demonstrar a precariedade dos ensinamentos da religião oficial, Jesus Cristo figurava os samaritanos como sendo aqueles que melhormente haviam assimilado os seus ensinos, concretizando em atos tudo aquilo que aprendiam através das palavras.

    Além de nos ensinar o feito generoso do samaritano da parábola, o Mestre também os tomou como paradigmas em outras circunstâncias, para ilustração reportemo-nos ao majestoso ensino sobre a Mulher Samaritana (João, 4:5-30) e o da cura de dez leprosos, dentre os quais apenas um que era samaritano lembrou-se de voltar para render graças a Deus pela cura obtida (Lucas, 17:11-19)
    Observando essa parabola, esta nitidamente clara que a caridade a compaixão ja é a expressao de amor. Lendo a biblia tenho observado que em varias passagens o Senhor Jesus Cristo sempre elevou a fé especialmente dos não judeus como a Cananeia, a samaritana a centurião, entre outros enquanto que os ” doutores da lei” viviam uma fé sem amor, sem compaixão, então nossos atos falam mais que palavras.como esta escrito examinais as coisas antes de julgares e mais… o julgar sem examinar as coisas é ignorância, é como se a pessoa quisesse que prevalecesse mais sua opinião do que a verdade .
    Mara

    Responder

  48. Posted by maria izabel fernandes rosa on maio 9, 2011 at 11:51 am

    não conheco a logosofia, me simpatizei até onde eu li (muito pouco), achei, vamos dizer, a propossta de um caminho parece com logica. ja encomendei 02 livros, e quero saber mais.
    tenho muita angustia, esse sentimento ruim é velho em mim, ja li, e frequentei varias religoes, melhoro, depois volto na angustia, tenho a sensação que preciso encontrar algo que me acalenta, porem não nem sequer dizer no que.
    nao me sinto amada.me sinto muito só mesmo rodeada de pessoas, parece que ainda não nasceu o algo que me falta. então o que me faz realmente falta?

    corro atraz de $$$$, corro atraz de uma grande amizade, corro atraz do amor agape, tenho a sensação que corro atraz do que não existe, qdo oro, parece que falo com a parede, sinceramento me sinto atormentada.

    queria muito entender e saber como me livrar disso.
    grata izabel

    Responder

    • Posted by Sílvia Damasceno on julho 24, 2011 at 11:08 pm

      Izabel, o que vc sente, eu tbm já senti, ou seja é o que a Logosofia denomina ‘A doença do vazio”, ou seja quando se desconhece o verdadeiro objetivo de se estar vivendo, as coisas materiais passam a ser o grande objetivo da vida e quando as conquistamos, volta o vazio e a angústia que parecem se tornar crônicos.No entanto, estudando Logosofia, que ensina o ser humano a se conectar com a parte de Deus, que todos possuem, se passa a conhecer o Grande Objetivo de se estar vivendo, tudo isto termina, pois a superação interna se torna uma necessidade e a vida adquire um novo sentido e alegria
      A Logosofia tem um método de estudo, não é seita, nem desrespeita nenhuma Religião, ensina sim o ser ir de encontro a Deus, conscientemente e o faz FELIZ, vivendo uma nova vida!!!!!

      Responder

  49. Posted by Nagib Anderáos Neto on maio 29, 2011 at 10:46 pm

    Pastor rima com enganador

    Responder

    • Posted by zildo on abril 16, 2012 at 1:49 am

      Se o senhor se acha tão diferente do pastor não deveria generalizar, pois isto te torna tão crente quanto ele, e não me refiro a religião e sim as proprias verdades e vaidade.

      Responder

  50. Posted by Darci Seccon Junior on junho 3, 2011 at 6:20 pm

    LOGOSOFIA – UMA NOVA ROUPAGEM PARA UM ANTIGO ENGANO

    Por Eguinaldo Hélio de Souza

    “E quando aos olhos de todos pareceria que a caravana da decadência não mais haveria de deter-se, pondo em risco a sobrevivência da espécie, surge das entranhas da América uma nova geração de conceitos e valores, desta vez de cunho transcendente, patrocinados por uma superior concepção do homem e da vida, da psicologia humana e do espírito, da redenção e do humanismo, da evolução e das Leis Eternas, do Universo e de Deus […] Era o dia 11 de agosto de 1930. Inaugurava-se, na história da educação da humanidade, a Era da Evolução Consciente, tendo como suporte doutrinário e pedagógico a Logosofia, a Ciência da Sabedoria, a Ciência da Vida”.1

    Como todo movimento religioso de origem recente, a logosofia se auto-intitula “ciência”, “conhecimento”, no intuito de obter respeito automático por parte do mundo ocidental. Como todas as religiões, considera-se o único meio de redenção da humanidade, rotulando todas as outras, inclusive o próprio cristianismo, como sistemas religiosos preconceituosos que impedem a evolução do homem.

    Nossa meta, nesta curta matéria, será apenas situar o leitor em relação ao que apregoa a logosofia, portanto, não nos ateremos numa refutação exagerada, mesmo porque este movimento não requer isso, pois seus desvios são facilmente identificados por aqueles que conhecem os fundamentos da Palavra do Senhor. Queremos apenas cumprir nosso papel como instituto de pesquisas religiosas, fornecendo aos leitores o que julgamos ser o suficiente para se avaliar e entender a logosofia.

    O que é a logosofia?

    “Seu nome reúne em um só vocábulo as raízes gregas ‘logos’ e ‘sofos’, que o autor adotou, dando-lhes a significação de verbo criador e ciência original, para designar uma nova linha de conhecimentos, uma doutrina, um método e uma técnica que lhe são eminentemente próprios”.2

    Podemos descrevê-la como uma mistura de religião, filosofia, psicologia e esoterismo, ensinados com um rótulo de “Verdade” com letra maiúscula, ou seja, como sendo “A Verdade” por excelência, que veio para substituir todas as religiões e filosofias. O fundador, idealizador e único autor (por enquanto) foi o argentino Carlos Bernardo González Pecotche.

    Carlos Bernardo González Pecotche — também conhecido como RAUMSOL — nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 11 de agosto de 1901. Baseado, segundo ele diz, na hierarquia e herança de seu próprio espírito, reagiu muito cedo contra a rotina dos conhecimentos correntes e sistemas usados para a formação do ser humano. Em 1930, instituiu a Fundação Logosófica com o objetivo de difundir “a nova ciência” que havia criado, hoje expandida a vários países por meio de centros culturais, onde se estuda e pratica esta nova linha de conhecimentos transcendentes.

    No Brasil, existem centros logosóficos em Belo Horizonte, Brasília, São Paulo, Chapecó, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, Rio de Janeiro e Uberlândia, além de inúmeras sedes culturais localizadas aqui e no exterior. Além disso, existe uma escola de orientação logosófica localizada no Rio de Janeiro (RJ), o Colégio Logosófico González Pecotche, que já conta com cerca de 250 alunos, desde a Educação Infantil até o Estudo Fundamental. Os métodos de ensino são orientados conforme os conceitos logosóficos e todos os professores são praticantes da logosofia. A escola foi assunto de matéria na revista Nova Escola (junho de 2003).

    A nova teoria da evolução

    “O caminho logosófico é tão longo quanto a eternidade, porque é o caminho determinado pela lei da evolução, que impera sobre todos os processos que se elaboram dentro da criação”.3

    Esta é a idéia central da logosofia. Mas, ao contrário do que ela proclama, não se trata de um pensamento exclusivo seu. Esta filosofia é a base de todo o ensino da Nova Era. Poderíamos chamá-la de “darwinismo espiritual”. É a idéia corrente de que a atual fase da existência humana é apenas um estágio do processo de evolução, como o foi a fase de símio4. O homem está destinado a ser algo mais do que ele é agora. Difere da evolução espiritual pregada pelo kardecismo, pois não ocorreria com espíritos desencarnados, mas com a humanidade como um todo. E a logosofia e todas as doutrinas esotéricas modernas colocam-se como instrumentos desta evolução.

    Vamos encontrar a raiz deste pensamento no filósofo alemão Friederich Nietzsche. “Também, além apanhei no meu caminho a palavra ‘super-homem’ e esta doutrina: o homem é uma coisa que precisa ser superada”, disse Zaratustra, personagem fictício do filósofo Friederich Nietzsche.5 Neste mesmo livro ele desenvolveu outro conceito: o da morte de Deus: “Zaratustra, porém, ao ficar sozinho falou assim ao seu coração: ‘Será possível que este santo ancião ainda não ouviu no seu bosque que Deus já morreu?”.6

    Nietzsche nasceu em 15 de outubro em 1844, no pequeno vilarejo de Röcken, na Alemanha. Ele era neto e filho de pastores protestantes e, em sua infância, ficou conhecido como “o pequeno pastor”, pelo fato de ler a Bíblia com tal paixão que fazia chorar seus ouvintes. Mas, aos dezoito anos, perdeu a fé no Deus de seus pais e passou o resto da vida procurando uma nova divindade; pensou tê-la encontrado no super-homem.7 É difícil estabelecer o que ele queria dizer com o seu super-homem, ou como alcançá-lo, mesmo porque Nietzsche enlouqueceu e permaneceu por dez anos neste estado de demência. Mas suas concepções influenciaram todo o movimento esotérico moderno, no sentido de defender um tipo de “evolução espiritual” que levará o homem a se superar.

    Neste aspecto, a logosofia não se distingue das demais religiões esotéricas surgidas no século XX, exceto pelo fato de que usa termos únicos e proclama ser o exclusivo caminho válido da redenção humana. De uma forma simplificada, é a substituição da crença e da devoção por um Deus transcendente, por uma fé no próprio homem, como deificador de si mesmo. É a aceitação do fato de um Deus morto de Zaratustra e uma confiança no seu super-homem. Mas “Todo homem, por mais firme que esteja, é pura vaidade” (Sl 39.5).

    Logosofia versus evangelho

    A superioridade ou originalidade da logosofia não existe em lugar algum, a não ser na mente de seu fundador e de seus adeptos. Seus conceitos sobre Deus, pecado, salvação, além de baterem de frente com os ensinos das Escrituras, em nada diferem dos conceitos professados por outras religiões. Não passam de mais uma tentativa do homem de auto-salvação, com um conceito vago de Deus e uma negação de Cristo. Vejamos sucintamente cada um deles:

    Salvação

    “Para que a própria redenção seja um fato, é essencial começar por não cometer mais faltas: não acumular mais culpas ou dívidas. Este é o primeiro passo; mas surgirá a pergunta: Que fazer com o já consumado? Cada falta tem seu volume e suas conseqüências inevitáveis. Não percamos tempo em lamentações nem sejamos ingênuos crendo que existem meios fáceis de saldá-las. As leis não se infringem impunemente: nem cometendo faltas, nem pretendendo livrar-se delas. Mas o homem pode, sim, redimir gradualmente suas culpas mediante o bem que representa para si a realização rigorosa de um processo que o aperfeiçoe. Se esse bem é estendido aos semelhantes — quanto mais, melhor —, assegurar-se-á a descarga da dívida. Entretanto, isto será sob condição de não incorrer em novas faltas, pois se cairia no mesmo erro dos que pretendem depurar suas almas nas cômodas posturas da superficialidade religiosa”.8 (grifo do autor)

    Em outras palavras, o homem efetua sua própria redenção. Nada mais velho na história das religiões, nada mais de acordo com “os rudimentos do mundo” do que isto. É difícil para o homem, em seu orgulho, aceitar uma salvação que lhe seja dada gratuitamente por Deus, que não dependa do esforço humano. Já dizia Davi no Salmo 49.7,8: “Ninguém pode remir o seu irmão, ou dar a Deus o resgate por ele (pois a redenção de sua alma é caríssima, e seus recursos se esgotariam antes)” (ARC). Embora possam variar os meios em que se baseiam, a auto-salvação é característica que veste o corpo doutrinário da maioria das seitas.

    O meio de salvação da logosofia é descrito de um modo um tanto confuso. González Pecotche o descreve como “o bem que representa para si a realização rigorosa de um processo que o aperfeiçoe”. E a logosofia ainda vai mais longe, dizendo que a “descarga da dívida” será maior se este bem for estendido a outros semelhantes. Este conceito é infinitamente inferior à salvação pela graça oferecida por Deus em sua Palavra. Buscamos sim um aperfeiçoamento mediante a ação do Espírito Santo em nossas vidas e almejamos pregar o evangelho a toda criatura. Tudo isso, no entanto, não como meio de alcançar a salvação, mas como um resultado por já possuí-la.

    Esta é a salvação de Deus: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2.8,9). Somente o evangelho é “o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Rm 1.16), somente ele proclama que o “dom gratuito de Deus” é a vida eterna (Rm 6.23). Por mais complexas e desenvolvidas que sejam as religiões antigas e novas, e por mais simples que seja a mensagem do evangelho, eles não conseguem absorver este conceito.

    Pecado

    “… é essencial começar por não cometer mais faltas: não acumular mais culpas ou dívidas […] Entretanto, isto será sob condição de não incorrer em novas faltas…”8

    Não errar mais, não cometer novos pecados. É esta a proposta da logosofia. Será isto possível ao homem? Esta atitude simplista assumida por seu criador está muito longe da sensata visão bíblica a respeito da condição humana.

    Embora nenhum livro exorte o homem à perfeição e à santidade tanto quanto a Escritura, ela, no entanto, não deixa de admitir, já no Antigo Testamento, pelos lábios do sábio rei Salomão, que “não há homem que não peque” (1Rs 8.46). A logosofia coloca como condição de perdão para o homem “o não pecar mais”, “o não errar”, algo que não passa de uma ilusão. Entretanto, a Palavra de Deus tem um posicionamento sobre perdão que, sem ocultar a culpabilidade do homem, revela o único meio possível de remissão — a confissão e a purificação por meio da morte redentora de Cristo. “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” (1Jo 1.8 — 2.2).

    Sem negar a necessidade de perfeição, a mensagem realista do evangelho não deixa de reconhecer a pecaminosidade humana e de indicar o remédio contínuo para tal.

    Deus

    “Proclama a existência de um Deus Universal, que une os homens em uma só e única religião: a religião do conhecimento; meio pelo qual se pode chegar a Ele, compreendê-lo, senti-lo e amá-lo, o que jamais se fará pela ignorância […]. Esta finalidade se alcança enriquecendo a consciência por meio do conhecimento transcendente, pois só assim o homem pode compreender qual é a sua missão e como está constituído seu ser imaterial, seu próprio espírito, agente que responde ao influxo da eterna Consciência Universal e leva consigo, através dos tempos, o signo cósmico da existência individual”.9 (grifo do autor)

    Novamente, nada mais faz a logosofia do que retornar ao conhecimento ou “gnose” (conhecimento em grego) como meio de se conhecer o Deus verdadeiro. Desde os primórdios do cristianismo, surgiram homens alegando que este conhecimento especial, capaz de ser manifestado apenas em alguns poucos, era o caminho que levava o homem a Deus. Não há nada de novo nesta idéia, que tem suas raízes no gnosticismo dos primeiros séculos da era Cristã.

    Mas, ao rejeitar o cristianismo, a logosofia rejeita a fonte do verdadeiro conhecimento de Deus: “Errais por não conhecer as Escrituras, nem o poder de Deus” (Mt 22.29). Sem Jesus não há verdadeiro conhecimento de Deus, não há vida eterna, não há salvação: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17.3).

    Mediação

    “A logosofia tem expressado reiteradamente que não há outro intermediário entre Deus e o homem além de seu próprio espírito, com quem deve vincular-se e a quem deve oferecer a direção de sua vida”.1 0 (grifo do autor)

    “Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” (1Tm 2.5).

    “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (Jo 14.6).

    A logosofia é uma rejeição soberba aos caminhos de Deus. “Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus” (Rm 10.3).

    Mais uma vez o esforço humano, a auto-salvação, manifesta-se em rejeitar a mediação de Cristo para a salvação da humanidade.

    Expansão logosófica

    Esta doutrina já chegou até mesmo na Europa, tendo em Barcelona, na Espanha, seu centro divulgador. Tem estado presente com seu stand em diversas feiras de livros por todo o Brasil e, embora não tenha um peso numérico (em Belo Horizonte há apenas setecentos adeptos e menos de quinhentos na cidade de São Paulo), conta com muitos militantes da área acadêmica. Isto era de se esperar, devido à complexidade de seu ensino.

    Mas a logosofia não passa de apenas mais uma entre as inúmeras correntes místico-esotéricas com conceitos estranhos que se expandem por todo o ocidente. Os conceitos judaico-cristãos que por dois milênios cimentaram a cultura ocidental estão agora sendo minados em suas raízes por um espiritualismo humanista que serve de carona para toda sorte de doutrinas contrárias à Palavra de Deus. Espiritualidade não é sinônimo de comunhão com Deus. Fora do Filho não há vida espiritual: “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1Jo 5.12).

    Referências:

    1 Jornal Logosofia no Brasil, Ano VIII, nº 21.
    2 http://www.logosofia.org.br
    3 Revista de Logosofia, Ano 5, nº 6.
    4 Relativo aos símios: macacos. Designação geral dos supostos primatas atuais da subordem do antropóides.
    5 Assim Falou Zaratustra, p. 154.
    6 Ibid., p. 29.
    7 História da filosofia, Will Durante.
    8 http://www.logosofia.org.br
    9 http://www.logosofia.org.br
    10 http://www.logosofia.org.br

    Responder

  51. Posted by Danilo Seabra on junho 23, 2011 at 1:13 am

    Pessoal gostei muito de ler todos os comentários, acho um bom exemplo de como temos que exercitar tanto a nossa tolerância e capacidade de aceitar opiniões divergentes. Não precisamos querer vencer tudo, apenas fico feliz em poder postar meus comentários e poder compartilhar pensamentos e motivar este debate tão amplo.

    Vamos lá…..

    – Fui criado com a minha vida pautada nos valores da logosofia
    – não acredito em uma verdade única, e para mim pensar assim, e uma declaração clara de burrice
    – acho as religiões cristãs de forma geral dogmáticas, na verdade são estratos de bens muito maiores e verdadeiros preparados maquiavelicamente para dominar e travar a possibilidade do ser humano ser quem quiser.
    – sr pensarmos um pouco, podemos ver que o cerne de qualquer religião, seita, ou chamem do que quiser, esta em fazer o bem, não fazer o mal, ajudar as pessoas e cultivar uma conduta honesta
    – acho que a igreja católica e a evangélica deveriam rever seus conceitos. Triste ver pessoas acreditando em dogmas, batinas, verdades absolutas. Outras, dando dinheiro para sustentar a ostentação de pastores que se dizem defensores dos pobres, mas não se deixam faltar os helicópteros, casas mansões, cargos políticos, corrupção. Ostentação, ganância, foco em grana, isso sim são coisas do coisa ruim , como gostam de dizer
    – a logosofia assim como qualquer outra seita e religião, encontra seus maiores problemas nos seus discípulos. Destorcemos, usamos a nosso favor vantagens injustas de se dize “superior” a qualquer crença.
    – o ser humano e lastimável neste ponto. Cria seus medos, movimenta recursos materiais em função do próprio bem estar.
    – como acreditar em algo ou crer em algo, que não se pode questionar ou criticar.?
    – que direito tem, qualquer integrante de qualquer religião, de se sentir dono da verdade?
    – eu mesmo conheco varias religioes pela leitura, desde Buda, catolicismo, espiritismo. Todas seguem os mesmos cernes, pelo menos no papel.
    – sobre a arrogância lastimável do ser humano, apenas digo:
    @ como querer crer que a única coisa que vale e a religião católica?
    @ como aceitar que um cara careta, conservador, pop, se auto entitule “representante de Deus na Terra? Hahahha
    @ detalhe: este mesmo cara, conta com batalhão de seguranças, usa apenas cromo alemao
    @ Acredito na existência do cara, Jesus, mas seria muita arrogância de minha parte não aceitar outros “avatares” que surgiram para divulgar o bem (melhor do que apenas a crenca de que somente um exige.
    – de que adianta ir a missa com a esposa, limpinho, fazendo cara de que gosta de ficar parado como estatua repetindo o que um cara fala de roupa branca, se na pratica planeja perfeitamente a sonegação de impostos, abuso de poder, aproveito juntn
    @ Ahhh

    Sendo assim pastor, abra mais sua cabeca, não autuar vencer, apenas ser feliz.

    Abs

    Responder

  52. Posted by Simone on junho 24, 2011 at 10:14 am

    Penso que antes da qualquer julgamento a respeito de algo, seja fundamental conhecer a essência do conteúdo a ser julgado. A Logosofia tem como base o conhecimento de si mesmo e como um dos seus objetivos a evolução consciente do ser através do conhecimento. Ela propõe a comprovação daquilo que é estudado. Entendo que numa sociedade denominada “A Era do Conhecimento”, seja fundamental uma reflexão interna sobre conceitos impostos por tantos séculos. Como seres dotados de inteligência, não seria incoerência sermos impedidos de pensar? Não é natural nos seres ter questionamentos para encontrar respostas relativas às inquietudes que sentem? O estudo da Logosofia possibilita abrir a minha mente para novas possibilidades de melhoria em diversos aspectos. Hoje sou muito mais feliz, pois passei a entender o verdadeiro sentido da vida 🙂

    NOTA DO EDITOR:
    “…pois passei a entender o verdadeiro sentido da vida…” Se afastando de DEUS, indo para o caminho da perdição eterna.

    Responder

  53. Posted by Tiago Dutra on junho 29, 2011 at 12:05 am

    Se o homem não consegue assumir as rédeas de sua vida e de seus pensamentos quem o fará? Deus? o pastor?
    Pedro negou a Cristo por 3 vezes pelo fato de não controlar seus pensamentos, Jesus deu a liberdade a Pedro de pensar, porque o pastor está tirando essa liberdade agora ?
    Antes de falar mal ou bem de alguma coisa, precisamos conhecê-la, o fato da logosofia tratar sobre a evolução consciente do homem, o controle de seus pensamentos e consequentemente de suas atitudes não o afastam de sua religiosidade, simplesmente faz com o que a fé se torne algo de força concreta, como está mencionado na bíblia (fé move montanhas).
    A logosofia é diferente a cada um, cada um tem um entendimento e uma forma de utilizá-la em sua vida como um mecanismo que fortalece e foca a conquista por seus objetivos.
    Muito cuidado ao falar e acreditar, precisamos antes buscar saber, para não crer no que não é real, no que não Existe.

    Responder

  54. Posted by T. Chad on julho 24, 2011 at 1:36 pm

    Assim como os cristãos não aceitam que falam mal de sua crença, por que não deixamos que cada um siga o que quer? Ao caro pastor por favor publique algo que tenha certeza, ou que saiba o que diz!!! Pois sua colocação é muito vaga, não me faz crer e nem descrer na Logosofia.

    Responder

  55. Posted by Abenides Afonso de Faria on agosto 13, 2011 at 10:46 pm

    Em nenhum lugar da bibliografia Logosófica vamos encontrar algum artigo dizendo que os evangélicos são perigosos para a Logosofia. O trabalho que se faz é respeitoso para com todos os demais, desde que sejam para o bem. Louvamos inclusive o trabalho evangélico que se faz nas prisões, pois esse trabalho com a barbárie está mais de acordo com o seu campo de atuação. Tanto a ciência como as religiões tem vários campos de atuação no sentido de promover o bem. Não existe necessidade de apontar o “irmão” quando ele não está fazendo o bem da maneira que queremos. Existe espaço para todos trabalharem da forma como querem e podem.
    É mais importante a união em torno da proposta de fazer o bem do que o sectarismo propondo que um é perigoso para o outro.
    Se um tem cristo na mente e o outro quer pensar por conta própria, o livre arbítrio é que decide. Nem a inquisição conseguiu dominar o livre arbítrio, pois Giordano Brunno morreu na fogueira afirmando o seu pensamento.
    A Logosofia promove a paz primeiramente interna e depois faz com que se expanda na vida dos demais, porém, sem obrigar ninguém a acreditar.

    Responder

  56. Posted by Marco on agosto 16, 2011 at 12:25 pm

    Prezado Senhor Roberto Lemos.
    Seu post levantou de fato uma grande discussão acerca do tema Logosofia, parabenizo-o pela iniciativa, contudo devo dizer que em algumas linhas o senhor mostra desconhecimento do assunto abordado.
    Todos temos o direito de discordar das práticas, dos grupos, das ações, das atividades em geral. Eu por exemplo discordo frontalmente da forma como as “religiões evangélicas” negociam a salvação, muitas vezes em dinheiro vivo.
    Mas também,venho a concordar com alguns pontos aqui levantados contra a Logosofia. Um deles, é de fato a originalidade da teoria, pois é possível perceber grandes repetições de conceitos nos textos logosóficos. Também chama a atenção o fato dos adeptos da logosofia, não encontrarem nehuma falta, defeito ou erro de seu autor, colocando-o em um verdadeiro pedestal de adoração. Propõe-se guerra declarada ao catolocismo e a existência de Jesus, contudo propõe-se nas entrelinhas cultuar Pecoche, como o novo salvador.
    Um grupo de estudantes onde a grande maioria de seus integrantes possuem grau superior, sucesso profissional e financeiro, e raros são os negros que frequentam os ambientes.
    Também podemos alertar para publicações “inéditas” que na verdade são negadas ao público em geral, assim como um sinal de apresentação também secreto, entre os estudantes, o que por conseguinte é mais um fator excludente praticado por eles.
    Enunciam ainda que a Logosofia é o único caminho de evolução humana, aí, eles e o senhor pastor devem concordar, pois as igrejas evangélicas têm a mesma postura de fanatismo.
    Um abraço a todos.
    Marco.

    Responder

  57. Posted by Abenides Afonso de Faria on agosto 19, 2011 at 1:08 pm

    Uma ciência não se estuda em bate papo na internet.
    Para se habilitar em medicina, direito, engenharia é necessário se matricular em uma faculdade, frequentar até o final do curso e depois continuar estudando na medida que vai se desenvolvendo na profissão.
    Convido o editor do texto anterior a visitar uma sede da Fundação Logosófica onde lhe será ministrado cursos gratuitos de informação sobre Logosofia, pois terá oportunidade de esclarecer as suas observações que não minha opinião carecem de suporte.
    Acusações veladas do tipo: “são raros os negros que frequentam o ambiente” podem subliminarmente estar acusando de racismo. Aí no caso deveria haver provas.
    Porém, a Fundação Logosófica é uma amostra da população. Desta forma se vamos na região sul realmente são raros os negros, mas se vamos no Rio de Janeiro existem uma porcentagem maior e assim por diante.
    Em nenhuma parte da bibliografia logosófica existe o termo “inédito”. Nenhuma verdade é inédita. A verdade está impressa na Criação. Portanto nada que veio depois é inédito.
    Para entender o que vem a ser originalidade da logosofia é necessário conhecer o Método que lhe é próprio. Este sim é original, pois não existe em nenhum lugar do planeta algo semelhante.
    Quanto a achar erro ou falta no Autor da Logosofia, Carlos Bernardo Gonzalez Pecotche, isso fica a critério de cada um. Não vejo mérito algum em criar ou pesquisar defeitos em quem quer que seja. Quem quiser adorar qualquer pessoa, seja pai, seja amigo, seja qualquer pessoa que nos ensine, também fica a critério de cada um. Eu estudo Logosofia faz mais de 35 anos e nunca vi ninguém obrigar adoração em quem quer que seja.
    Por outro lado gostaria que me fosse indicado onde está a declaração de guerra a qualquer outro trabalho sério que não tenha raízes podres no lamaçal da mentira. A Logosofia (como ciência) não proíbe nada, nem desmerece quem trabalha seriamente na busca da superação humana.
    Eu escrevi um livro cujo nome é: A Pergunta de Aristóteles onde conversei com inúmeras pessoas de várias correntes e veja lá que todos foram tratados com respeito e liberdade.
    A Logosofia não propõe a ideia de salvador porque esse é o motivo pelo qual a cultura vigente ocidental e oriental está em decadência. Se alguém vem nos salvar ou nos salvou, para que vou me esforçar para superar as minhas limitações?
    A Logosofia propõe não crer em nada, nem sequer no seu Autor. Cada um tem que experimentar e concluir com a própria mente e sensibilidade.
    A Logosofia não é o único caminho, como foi mencionado, pois esse que escreve acima deve ter outro, talvez melhor. O que a Logosofia diz como único caminho é a realização do PROCESSO DE EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA. Caso alguém tenha outro melhor, gostaria de saber, pois imediatamente abandonarei a Logosofia para conhecê-lo.
    Não existe proposta de guerra, não existe qualquer tipo de discriminação, não existe rituais ou qualquer meio artificial de conseguir conhecimentos. O estudo é feito baseado na experimentação que requer método, esforço e perseverança como tudo que é natural na busca do saber.
    Quando retiramos a crítica infundada e colocamos no lugar a vontade de aprender tudo fica mais fácil.
    Abraços
    Abenides

    Responder

  58. Posted by Hélio on agosto 25, 2011 at 3:37 pm

    O que eu espero da Sabedoria Logosófica?
    O que eu espero da Sabedoria Logosófica?

    No início da minha vida, quando tomei consciência de quem eu era, nada sabia sobre mim, apenas tinha uma pequena noção, através daquilo que eu via, escutava, sentia e aprendia com meus Pais e pessoas ao redor.
    Percorri o caminho do “comum”, pois é comum seguir os passos dos Pais, é comum educar os filhos de acordo com os princípios e crenças adquiridos, estas heranças trago até hoje em minha vida atual.
    Muitas delas influenciaram e muito nas minhas escolhas e em meus caminhos, fui educado com base no cristianismo, afinal não tinha voz ativa, era obrigado a seguir os passos dos meus Pais…
    Cresci e me tornei adulto, não tive referencias de sucesso, padrões de conduta estabelecidos que me fizessem ser mais responsável com minhas atitudes e principalmente conhecedor de quem realmente eu era.
    Era um perdido em busca de encontrar algo que não sabia o que era…
    Tomei consciência deste estado e comecei a pesquisar, nessa busca me tornei Espirita Kadercista, após alguns anos deixei esta doutrina e me converti ao Cristianismo.
    Aprendi que para ser salvo era necessário aceitar a Jesus como único senhor e salvador da minha vida, fiz isso, fui Batizado, e comecei a frequentar estudos, aprender, pregar e me tornei um evangelista infantil.
    Comecei a justificar: e uma pessoa que não aceita a Jesus? e uma pessoa que nem se quer ouviu falar de Jesus? o que seria dela? Por que vocês Pastores (os que eu conhecia) falam tanto de respeito, prudência, educação, família e não sabem lidar com a criação e educação dos seus filhos,pois muitos eram rebeldes, indisciplinados, solitários, revoltados e confusos com relação a sua própria vida.
    Um certo dia escutei de uma criança…”eu não quero ser como meu pai, ele só sabe dar atenção para os filhos dos outros”
    Após 5 anos, aprendi muito, vivi os bastidores de um local que tem maestria em sensibilizar e amedrontar a vida das pessoas.
    Quantos pecados, quantas culpas, se existisse realmente o pecado seria somente um … em não cumprir o único mandamento que existe, Ame a si mesmo, ame ao próximo e a Deus, mesmo que for preciso não buscar a Deus o tempo que for necessário para verdadeiramente entender o que é o amor a si mesmo, se você não tem noção alguma de quem você é, quais são as faculdades de um ser humano e quais ainda você não desenvolveu, ainda não conheceu, cuidado, você é que pode estar sendo enganado, afinal uma pessoa quando descobre e desenvolve suas faculdades, a chance dela ser manipulada se torna mínima.
    Descobri a Logosofia, quer dizer, meu espírito me direcionou para a Logosofia, sem o intermédio de nenhum amigo ou conhecido, foi a própria busca do meu espírito.
    Estava cansado de falar uma linguagem que poucos entendiam ou não queriam entender.
    Encontrei um local que realmente valoriza a principal criação de Deus, e se ainda assim você achar que eu estou querendo ser melhor do que qualquer um por me colocar em primeiro lugar, engano seu, quando descobrimos o amor próprio, descobrimos também a verdadeira capacidade que temos em amar.
    Não preciso aceitar, não preciso buscar, Deus não realizará milagres em minha vida, ele já realizou, Eu sou o milagre, eu sou a sua principal criação, eu sou parte dele, ele já está em mim, eu só não sabia disso, quantos ainda não sabem e vivem aprisionados em suas mentes inquietas, confusas, cometendo “pecados”, pedindo perdão, fazendo promessas, vivendo neste ciclo vicioso?
    Sou iniciante em Logosofia, e pode por iniciante nisso, mas antes de definir a minha participação nos estudos eu já vivia em busca disso, em busca de me conhecer, me desenvolver e me livrar de uma vez por todas de todas as crenças que colocaram em minha mente.
    Vejo no futuro muitas pessoas sabendo perguntar, questionar, conhecendo seus valores, destinando suas vidas de acordo com suas preferências, alinhadas com seus valores, sendo felizes, livres de inquietudes, crianças educadas com sabedoria, estimulando desde cedo sua faculdade da inteligência, ter o despertar da consciênia e assim poder definir e ter a base do caráter que o sustentará para o resto de suas vidas.
    Deixo bem claro aqui, que este texto é de acordo com o que penso, sinto e já vivi, não existe nenhum trecho extraído dos conceitos Logosóficos.
    Está é a minha visão, de um ser humano que vivia aprisionado pela culpa, por maldições hereditárias, pelo medo do Diabo, pelo medo do pecado, pelo aprisionamento mental e a ignorância que me reinava.
    Apenas estou iniciando o caminho da minha vida e tenho plena certeza que estou no caminho certo, meu espírito está cheio e repleto de forças para comandar de uma vez por todas a minha vida.
    Obrigado RAUMSOL por sua obra, por sua coragem, por acreditar que tudo que recebia, vinha diretamente da fonte, era seu Espírito sendo mediador das palavras de Deus, obrigado principalmente por ter criado as escolas Logosóficas e ter preparado crianças que hoje são os que vão me direcionar nesta nova fase da minha vida.

    O que eu espero da sabedoria Logosofia? eu não espero, eu vivo!

    Responder

  59. Posted by FRANCISCO RÉGIS LOBATO on setembro 18, 2011 at 11:31 am

    CAROS HUMANOS, MEUS IRMÃOS:
    CHEGOU A HORA DE PENSAR! PENSAR É A MÁXIMA PRERROGATIVA DO SER HUMANO, CONCEDIDA PELO CRIADOR. A HUMANIDADE VAI BEM? O HOMEM ESTÁ FELIZ, MAIS EQUILIBRADO E EM PAZ? È NÍTIDO QUE NÃO. EU SINTO, OBSERVANDO A CRIAÇÃO, QUE NOSSA DESTINAÇÃO É MUITO SUPERIOR AO QUE, ATÉ HOJE, NOS FOI APRESENTADO POR MUITOS HOMENS QUE, PRETENDERAM E AINDA PRETENDEM” REPRESENTAR” O CRIADOR AQUI NA TERRA.” FILHOS DE DEUS”,” POVO ELEITO”, ETC..: QUANTA INVENÇÃO ABSURDA! QUANTA INTERMEDIAÇÃO INDEVIDA E DESASTROSA.COMPREENDO SER NATURAL O HOMEM PRETENDER BUSCAR UMA CONEXÃO COM DEUS:PARECE-ME SER DE SUA CONFIGURAÇÃO ESTE INEXORÁVEL ANSEIO. SÓ QUE AO INVÉS DE PENSAR (PENSAR DÓI MESMO!) TEMOS PREFERIDO CRÊR! (AÍ NÃO DÓI!) O RESULTADO? BEM, GOSTARIA QUE NÃO ESTIVÉSSEMOS VIVENDO ESTA INDIGÊNCIA MORAL E ESPIRITUAL,NA QUAL, HÁ MILÊNIOS, ESTAMOS NOS ESPECIALIZANDO.
    AQUELES QUE ACHAM QUE TUDO ESTÁ INDO BEM, PERMANEÇAM ONDE ESTÃO, O QUE FAZ MUITO SENTIDO.AQUELES QUE NÃO ESTÃO NESTA ZONA DE CONFORTO, SEJAM VALENTES E OFEREÇAM A SI MESMOS E À HUMANIDADE, UM DESTINO MELHOR! PENSEM COM LIBERDADE.PENSEM MUITO!ESTOU CADA VEZ MAIS CONVENCIDO QUE DEUS TEM ESPECIAL SIMPATIA COM OS QUE, CORAJOSAMENTE, O BUSCAM PELO ENTENDIMENTO, PELO CONHECIMENTO E PELA RAZÃO.
    UM EXERCÍCIO PARA COMEÇAR:MUITO RESPEITO E TOLERÂNCIA COM AQUELES QUE SE SENTEM INCONFORMADOS COM A PRÓPRIA SITUAÇÃO E A DOS DEMAIS IRMÃOS.

    OBS: DE PREFERÊNCIA, NÃO PRECISA RESPONDER A ESTA SIMPLES MENSAGEM.TRATA-SE DE UMA MODESTA E LIMITADA CONTRIBUIÇÃO AO TEMA, PORÉM FEITA COM ANOR E RESPEITO À TODOS.

    Responder

  60. Posted by Eduardo on setembro 29, 2011 at 9:26 am

    O que eu penso sendo Cristao e logosofo,foi que Cristo me salvou e age na minha vida,e estudo a logosofia com a intencao de me auto conhecer como um estudo em uma faculdade ao qual temos que aprender sobre o que queremos ser profissionalmente,ela ajuda o ser em suas duvidas mas nao me fez ser menos cristao e o fato de o homem ser seu proprio redentor e em um sentido de se sentir mais seguro ao se conhecer,mas que e cristao sabe e entende o que cristo fez,com certeza se muitas igrejas se aliassem a logosofia seriam mais vitoriosas ainda…

    Responder

  61. Posted by vanessa jareno on novembro 12, 2011 at 9:29 am

    Olá, Pastor Adonias..
    Gostaria de dizer poucas palavras, mas espero que não agrida seus pensamentos. Primeiramente, o estuDO LOGOSOFICO, não esta ligado a nenhuma SEITA e muito menos RELIGIÃo, pois trata-se de um estudo do conhecimento de si mesmo, da evolução consciente e da superação integral . Logo, isso prejudica o pensamento de pessoas que se sentem ameaçadas pela evolução do pensamento humano, visto que, a sociedade esta carente de sabedoria em relação a como se comportar no meio em que vive. As mesmas, se “apegam ” muitas vezes a religião e deixam se levar por valores que Jesus jamais deixou como lição. Portanto, esclarecer o que de fato é uma coisa, é necessário para depois postar para as pessoas que o seguem.
    Obrigada Vanessa Jareno.

    Responder

  62. Posted by Paulo on janeiro 11, 2012 at 3:05 am

    O que me é claro, lendo estas linhas de pensamentos divergentes em relação ao homem e qual caminho a seguir, é que continuamos, tal como os filósofos na era helenista, que debateram por séculos acerca da origem do homem e qual a fonte do verdadeiro conhecimento. Os próprios cristãos na igreja primitiva tinham divergência acerca da teologia e encontraram na filosofia o sustentáculo racional diante dos questionamentos gnósticos da época. Com a evolução do pensamento humano surge a ciência regada ao racionalismo e positivismo, onde se despresou totalmente a fé que gradativamente foi difamada e corrompida pelos maus representantes da Igreja. Separou-se , então, a fé da razão onde pensamentos “iluminados” refutavam os pensamentos religiosos. Observando a sociedade atual, percebemos uma proximidade maior destes dois polos, e precissamos reforçar esta aproximação de tal modo que não esfriemos nosso espírito com o puro racionalismo e que não nos alienemos numa fé cega e alienante. A base de toda discusão neste blog é porque não encontramos ainda o ponto de equilíbrio, onde DEUS com sua revelação amorosa, encontre em nosso coração toda abertura suficiente para suscitar uma nova humanidade. Abertura esta que imprescinde que reconheçamos nossas contingências e assim, tocados pela misericórdia divina, evoluamos em nossas capacidades em rumo a uma fraternidade universal (lembremos que por aqui passa nossa saúde mental, intelectual e espritual). Talvez a história da fé e da razão nos esteja mostrando os sinais de Deus. Se Ele é a fonte suprema de todo bem, do homem, do universo, pq despresar a sua influência na evolução do pensar, portanto não devemos pensar sem o crer, tão pouco crer sem o pensar. Não percamos de vista que todo conhecimento que alcançarmos já é ciência de Deus, pois Ele é o Mentor, o Arquiteto, o Pai que tudo sabe e tudo domina, até mesmo o mais sofisticado pensar humano que possa existir. Estaremos sempre abaixo disso por isso o crer não pode ser substituido pelo saber, pois se o fosse, seria soberbo e egoístico.

    Responder

  63. sem querer entrar nos méritos acima discutida. quero propor que haja uma comparação entre ação logosófica e o poder do evangelho cristocêntrico. pois a bilblia diz que e poder de DEUS. vamos ver o que o evangelho tem feito ao redor do mundo e em varias gerações. transformando vidas, restaurando lares. trazendo esperança aos perdidos. mesmo sem entrar nas questões espirituais. podemos ver o que ele tem feito. respondendo questões que até hoje a ciência continua perdida em busca de respostas. mas, quanto a logosofia há um texto na bíblia que encerra essa questão.:

    “Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência,” (I Timóteo 6 : 20)
    percebam. que paulo tem o cuidado de esclarecer como falsa ciência.

    CONCLUO COM ESSE TEXTO BÍBLICO

    “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” (Atos 4 : 12)
    MEU MSN É: JURAPROFETA@HOTMAIL.COM

    Responder

    • Sr. Jurandir, a meses venho estudando a Logosofia e acho que o comportamento das Igrejas Evangélicas em relação ao conteúdo desta CIÊNCIA, tal qual a filosofia, busca abrir um leque de interrogações ao seres humanos, por motivo de sua existência terrestre. Acredito que, se podemos nos descobrir, a vida na Terra se torna mais simples, mais decidida e até mais influente. A Logosofia não que que nos tornemos ateus, visto que os padrões de pesquisa de nossa existência está totalmente baseada na existência divina. Portanto, no plano de nossa existência, há uma pergunta: Quem somos? (de onde viemos?, para onde vamos?, por que estamos aqui?, e a mais importante: quem é Deus?).
      Então o Sr. ainda acha que a Logosofia está indo de encontro aos principios cristãos?
      Paulo Cézar.

      Responder

  64. Posted by JULAINE TEIXEIRA on fevereiro 15, 2012 at 2:46 pm

    tambem concordo, pois a vida terrena é cheia de insatisfações e vários problemas….. e para enfrentarmos esses problemas temos que procurar o que nos faz bem, ou seja, o que nos deixa feliz e em paz, assim, tratamentos e estudos alternativos servem para amenizar os sofrimentos, todavia, não podemos esquecer que DEUS é o poder supremo.

    Juliana
    MG

    Responder

  65. Posted by Edegar on março 20, 2012 at 11:02 pm

    Senhoras e Senhores, que a paz esteja em seus corações.
    Estaria sendo precipitado em defender uma ou outra idéia, sendo que não fui quem inventou a logosofia, tampouco religião, seita, etc.
    É natural que nos consideremos supremos, quando para Natureza e Deus, não passamos de animais pensantes e porisso mais nocivos se assim optarmos.
    Desde jovem me conformo com esta posição de ser apenas um ser humano e limitado, mas a única “coisa” que me faz alegrar é meu espírito/alma que até mesmo um “louco” possui.
    Acredito em alguns valores e isto me basta:
    1.Num único provedor – Deus;
    2.Na boa vontade da humanidade – sendo outroista sem me deixar alienar;
    3.Aceitar a minha e a sua condição – como frauqezas até que um de nós descubra a verdade;
    4.Na humildade pois a única que não deve nem precisa ser humilde é a verdade que queiramos ou não já prevaleceu.
    Sendo assim, espero estar aprimorando e entendendo meu espírito que até o fim deste limitado ser, poderá libertá-lo para o que chamamos de vida eterna.
    Espero que continuemos estudando e comparando tudo o que vemos e vivemos mas não percamos o foco que é chegar na verdade sem prejuízo de outrem, humano ou não.
    Abraços

    Responder

  66. Posted by Nagib Anderaos Neto on março 25, 2012 at 12:24 pm

    Texto extremamente preconceituoso escrito por alguém que desconhece a Logosofia, que não é seita esotérica e nem contra religião nenhuma, mas que privilegia a liberdade de pensar do ser humano e que, como ciência do conhecimento de si mesmo fala muito de Deus que existe no fundo do coração de todos os seres humanos e não de grupos que se julgam proprietários ou escolhidos pela vontade divina. A pessoa que escreveu o texto deveria se informar melhor.

    Responder

  67. Posted by zildo on abril 15, 2012 at 5:22 pm

    Se a logosofia não é um perigo para o Cristão então algum estudante de logosofia pode me explicar o que é isso?
    Livro Origens da grande impostura de paulo galvão
    http://www.cereslogosofia.com.br/giport.html

    Responder

    • Posted by Abenides Afonso de Faria on outubro 2, 2012 at 6:31 pm

      Este livro é uma pesquisa histórica que reflete a opinião do autor do livro e não da Logosofia.

      Responder

  68. Posted by gym0482 on maio 11, 2012 at 10:15 pm

    Que engracado esse post kkk escrito pra gerar polemica. Sem fundamento e sem conceito de seita e de esoterismo….realmente na net tem de tudo heheh

    Responder

  69. Posted by Ramon on maio 12, 2012 at 12:37 pm

    Logosofia não é seita, muito menos alguma coisa esotérica, antes de escrever sobre algo, favor informar-se primeiro.
    “só é filho de Deus quem aceita Jesus como seu Salvador”, á fé é algo que^alguém disse que você tinha que ter, não é inata, creio que Deus não irá se ressentir, ou me punir, se eu usar a inteligência que Ele me proporcionou, para descobrir a verdade, e não apenas me conformar com algo que alguém disse que era pra eu acreditar.

    Responder

  70. Posted by Neuzeli A. Colombo on junho 23, 2012 at 8:34 am

    oi a todos, a minha opinião a tudo o que li é simplismente, aprender a nos amar verdadeiramente, que DEUS habita dentro de cada um de nós, e que a igreja é o nosso corpo e não as placas. Enquanto não nos livramos de nossos preconceitos nao chegaremos a lugar nenhum. Todas a religiões buscam a DEUS e nunca podemos esquecer que ele não esta longe, um ser inatingivel, ele esta bem pertinho em nossas ações e sentimentos. O conhecimento é algo que temos que buscar sempre, e não ficar somente adorando aquele que diz que é sábio, pois quando pensamos que sabemos tudo, ai sim não sabemos nada. Somos seres em evolução, por isso acredito na busca do conhecimento, sendo em livros, palestras, pregações…aproveito aquilo que me faz bem e não critico o que não conheço.

    Responder

  71. Posted by Alan on junho 26, 2012 at 4:15 pm

    O grande perigo para um Cristão é o proprio cristão, que em vez de viver no amor que Jesus nos ensina, se preocupa em julgar e condenar as pessoas. Atitude essa que contraria os ensinamentos biblicos. Jesus veio para ensinar a tolerancia, a compreensão, o perdão e o amor, não veio para julgar ninguem. Jesus é um mestre de consciencia e veio para ensinar as pessoas a refletirem sobre suas atitudes e conceitos.
    Sem duvida existem muitos estudantes de logosofia que estão mais preocupados em procurar falhas nas religiões e culturas existentes, do que usar o conhecimento logosofico para evoluir com consciencia. Que se armam de pensamentos para invadirem as mentes das pessoas para querer matar o Jesus que existe ali dentro. Assim como os europeus achavam que tinham uma cultura melhor e quando chegaram na america tentaram acabar com a cultura indigina, o mesmo, muitos estudantes de logosofia querem fazer, por acharem que a cultura logosofica é melhor, querem acabar com a cultura cristã. Assim como Hittler queria um “raça pura”, muitos estudantes de logosofia querem um “conhecimento puro”.
    Porem muitos, não significa todos, existem muitos estudantes de logosofia que são exemplos de pessoas e são mais parecidos com Jesus do que muitos que se dizem Cristãos, e é pelo meu respeito a Jesus e ao Pai de todos nós que respeito todos eles, e mesmo que eles não se reconheçam como cristãos eu os reconheço assim. Em relação aos que usam a logosofia para atacar ou diminuir as religiões, filosofias e culturas, eu tento fazer o que Jesus ensina, que é pedir para que Deus os perdoe, pois eles não sabem o que fazem. Pois este comportamento de chamar de mentira o que os outros acreditam e esses pensamentos impuros que muitos demonstram ter contra as religiões e cultruas, apenas mostra os pensamentos que abitam em suas proprias mentes e sentimentos do mal que fazem moradas em seus proprios corações. E essa atitude passa uma imagem muito ruim da propria logosofia.
    Culpar Jesus pelo absurdos cometidos em nome Dele é cometer outro grande absurdo. Da mesma forma, Gonzáles Pecotche e a Logosofia não tem culpa pelos erros cometidos pelos seus discipulos. Gonzáles Pecotche viveu em um seculo que ocorreu as duas grandes guerras mundiais, uma epoca que as culturas demonstravam uma total decadencia e ele usou a sua inteligencia para tentar fazer algo que contribuisse de alguma forma para um mundo melhor. Ninguem precisa concordar com o conhecimento logosofico, mas penso que tambem não é uma atitude inteligente rejeitar qualquer conhecimento existente. Vivemos em uma democracia e desde que todos se tratem com respeito, podemos viver em harmonia, aprendedo uns com os outros. Jesus teve respeito ate pelas pessoas que o mataram, penso que ele teria ainda mais respeito por um homem que criou uma escola para ajudar as pessoas a buscarem sua superação e aperfeiçoamento como ser humano. Mesmo que os estudantes não me respeitem como Cristão, chame de impostura o cristianismo, e coloquem em duvida a existencia de Jesus e os ensinamentos biblicos, eu os respeito com logosofos, não vou chamar de mentira e heresia a logosofia, e acredito no proposito de bem de Gonzáles Pecotche e dos seus ensinamentos. Não vou manda-los para o inferno, vou fazer o que Jesus ensina, pedir para que Deus os perdoe pelas as suas falhas, assim como eu quero que Ele perdoe as minhas falhas.
    Repito novamente, o unico perigo para um Cristão é o proprio cristão que não busca viver o Amor de Cristo.
    Não ha motivo para se preocupar com a Logosofia, pois as pessoas sabias vão utiliza-la para melhorar as suas vidas e ser cada dia seres humanos melhores. Os que a utilizarem como armas para atacar ou diminuir Jesus, as religiões, ou qualquer outra coisa, vão se destruir por si mesmos e devido a lei da causa-efeito, ação-reação, atitude-consequencia, pecado-castigo, todos os ataques que fizerem contras as coisas, voltaram para si mesmos e para a propria logosofia.
    Abraço a todos e independente do caminho que escolherem seguir, que sigam em paz, sempre buscando o melhor para si mesmo, para o proximo e para mundo.

    Responder

  72. Posted by Liana on setembro 30, 2012 at 1:35 pm

    Deus é uma pessoa. Oração é conversa com essa pessoa. Para conhecer uma pessoa, você precisa conviver com ela e não simplesmente estudá-la. A salvação acontece pela fé em Jesus Cristo e não por temores. Deus não é ciência, tampouco religião. Repito, Deus é uma pessoa.
    Diante disso, tanto faz o que é ou não é Logosofia. Porque Logosofia, pode ser ciência, filosofia, religião, seita… mas não é uma pessoa.

    Responder

    • Posted by paulo marcos vargas on janeiro 18, 2013 at 3:00 pm

      FAlar de religião ou de Deus, independentemente de religião é muito complexo. O que existe e se percebe neste blog é um grande emaranhado de especulações que nunca serão totalamente exauridas. O que nos dará um grande base e assossegar nosso pensar e nossa alma diante disso tudo, é termos uma verdadeira experiência de Deus por meio de uma entrega pessoal a Cristo e deixarmos o Espírito Santo agir em nós. E com isso sentir os frutos do espírito que nos torna, defato, pessoas melhores diante da Desus e da comunidade em que vivemos. Devemmos ser comprometidos com a fé e com o anseio de vermos um mundo melhor através do AMOR. Esta é a verdadeira experiência que devemos ter de Deus. As teorias até nos ajudam a elucidar algumas coisas, mas é sendo íntimo de Cristo que veremos o grande sentido da redenção e da proposta do cristianismo. Precisamos ser racionais sim, mas deve haver o equilibrio entre a fé e a razão, caso contrário podemos nos transformar em meros teóricos ou em fanáticos alienados. Desu nos deu sua mensagem que já é suficente para sermos uma sociedade sã e amável. O Evangelho está aí basta sermos compromissados come ele,e veremos o mundo mudar.Os erros da Igreja no passado não devem ser um óbce para sermos Igreja hoje, pis, não devemos perder de vista que o inimigo de Deus ocupa-se somente em nos confundir e em querer macular o nosso testemhno.

      Paulo

      Responder

  73. Posted by carlos alberto emerique on dezembro 17, 2012 at 10:17 am

    ”Quando há uma compreensão do medo, há um entendimento de todos os problemas relacionados a esse medo. Quando não há medo, há liberdade.” krishnamurte…
    A logosofia, como tambem o espiritismo, levanta o véu da iguinorâcia do ser humano, que tanto sofreu e sofre o terror que as religioes pregao. Delimitando quem vai pro e aprisionando aoutras pobres almas no inferno eterno. Chega de terror liberte as almas e as deixe livre. pra pensar e fazer seus própria amanhã. pra um mundo, ser tem que estar livre pra pensar. Como disse Alan Kardec. a fé não pode ser imposta ela tem que ser raçocinada. E só atraves de experimentação podemos fazer uma avaliação, do certo ou errado…

    Responder

  74. Posted by Jean on dezembro 18, 2012 at 10:19 pm

    Realmente a pessoa que escreveu isso não tem o mínimo conhecimento sobre a Logosofia, pois, quem conhece sabe que ela só veio para ajudar as pessoas e principalmente libertá-las de crenças e temores que travam a vida das pessoas.

    Responder

  75. Posted by Salerno on dezembro 28, 2012 at 11:23 am

    O pastor quer vender o peixe dele, afinal não existe pastor sem ovelhas, e ovelhas sabemos seguem até o matoadouro sem berrar! O homem que não pensa é assim, segue qualquer livro sem firma reconhecida, segue quem pensa por ele. Fim de papo. A Logosofia não é seita, é ciência pura e mostra como chegar a Deus pelo casminho do conhecimento e não da crençae as religiões temem isso, afinal pode estar chegando seu fim! O fim do mundo crente!

    Responder

  76. Posted by Saulo on março 10, 2013 at 11:03 am

    Acredito que o pastor já deve ter ouvido falar do Concíclio de Nicéia, que criou um dogma totalmente errôneo e equivocado a respeito de Deus e de Jesus, pode ser consultado até na wikipedia para quem não conhece.

    Deus, é o nosso Pai, fonte amor, bondade e misericórdia, falta-nos compreensão e adjetivos para compreender a soberana natureza de Deus.

    Jesus, é o mais perfeito ser que habitou a terra, é filho de Deus, é o mestre de ensinamentos pelas suas obras, aqueles de nós que seguirem os ensinamentos de Jesus, alcançarão a Deus.

    Portanto, Deus e Jesus não são a mesma individualidade,
    Deus é o Pai, Jesus é filho de Deus.

    A partir do momento que este grande dogma equivocado for esclarecido, será aberto um grande caminho para compreensão de Deus e de Jesus.

    Responder

    • Posted by Olympio Silva on novembro 21, 2013 at 11:06 am

      Hoje qualquer um pode ser “pastor”. Basta conhecer um pouquinho da bíblia. Entram como membros e em pouco tempo estão abrindo uma igreja onde possam ser a liderança. É fácil conseguir seguidores, haja visto que todos nós temos algum tipo de carência em algum momento em nossas vidas. Aí, os desavisados buscam as igrejas ao invés de buscarem a Deus, que não está somente próximo dele, mas sim, nele mesmo. Brincar com a fé alheia é uma forma de estupro, não sexual. Se bem que para o “pastor” Marcos Pereira é sexual também!

      Responder

  77. Posted by tatu on abril 17, 2013 at 5:24 pm

    Pastor …. vocês são todos trouxas.
    Ao invés de enxergar o valor do conhecimento, apenas falam frases decoradas da bíblia, que vocês mesmo, nem sabem interpretar. Apenas passam aos outros trouxas o que passaram pra vocÊs antes.

    Responder

  78. Posted by lui lilás on abril 22, 2013 at 6:39 pm

    Típico de blog de crente: tudo que não conheço é diabólico e demoníaco… pensamento refratário da idade média. Não conheço nem me interesso pela tal logosofia, porém, também creio que não podemos julgar nada que não conheçamos.

    Responder

  79. Posted by Marcelo on maio 13, 2013 at 11:08 pm

    Em primeiro lugar, não tenho religião nenhuma,
    Eu estudei no Colégio Logosófico durante mais de 10 anos e posso afirmar que a Logosofia é sim uma seita. E tudo que eles pregam é só da boca pra fora, na prática são seres humanos comuns como todos nós, cheios de medos, preconceitos e falhas.
    A administração do Colégio é feita sempre por parentes e amigos, com total falta de profissionalismo. Durante o tempo que estudei lá, como era um aluno cujos pais não eram logósofos nem ricos, sempre fui discriminado (eu e minhas irmãs).
    Aqueles alunos que eram filhos, sobrinhos, etc de dirigentes ou de pais ricos sempre eram os escolhidos para hastear a bandeira, falar na frente no salão, serem chefes de turma ou participarem das equipes principais de esportes.
    Tudo que pregam fazem exatamente ao contrário. E falam mal sim de todas as religiões, ridicularizam o cristianismo o tempo todo.

    Responder

  80. Posted by abcdef on agosto 20, 2013 at 9:47 am

    A Logosofia não quer ser questionada. É coisa de fanático. Em Ciência de verdade e obra evolui. Logosofia tem uma espécie de bíblia.

    Responder

  81. Posted by Maria Satador on setembro 17, 2013 at 11:41 am

    ESTUDO SOBRE A DOUTRINA LOGOSÓFIA E SEU
    FUNDADOR

    INTRODUÇÃO

    A existência de correntes doutrinarias, oriundas de lideres carismáticos e fundamentas em posicionamentos quase que inquestionáveis pode acarretar- na vida de seus seguidores diferentes comprometimentos de ordem familiar, social ou de convivência em grupo. Mudanças de comportamento, de concepções, ou redução do vinculo social são situações que podem ser penosas para o individuo, ainda mais se por de traz da doutrina ao qual ele se apega existe uma relação de apego que faz que ele se afaste do mundo social que ele criou e vivencia. No caso da Logosofia, temos um grupo de pessoas que seguem um líder que afirma apresentar um método cientifico e original de superação humana. Tais afirmações merecem uma avaliação critica e minuciosa.

    Carlos Pecotche, que se apresenta como criador da Logosofia tende a fazer de seus admiradores uma referência de sabedoria única e exclusiva, e totalmente original. Diante do exposto, até que ponto podemos dar crédito as afirmações de Pecotche sobre sua missão como divulgador de uma nova cultura. Até que ponto pode-se confiar em suas verdades irrefutáveis, como ele mesmo afirma?

    Diante de tal situação, é necessário preservar o homem de correntes doutrinárias, que se apresentam mediante as divulgações falsas ou apoiadas em argumentos não consistentes, como denominar-se como ciência. É necessário alertar também para o risco da superficialidade dos primeiros contatos, que pode levar o individuo a ter um vinculo com certas instituições, e uma vez consolidada esta aproximação, começar a ser influenciado por correntes de pensamentos que antes não adotaria – se guiado por seus valores originais e convicções pessoais.

    É propósito deste texto demonstrar que a Logosofia se apóia em conceitos esotéricos, e não de caráter cientifico, e que as estratégias para divulgação da mesma passou por mecanismos envolvendo abordagens relativas a “psicologia de massa” além de inverdades sobre a originalidade da obra e da adoção de condutas não recomendadas e ludibriantes.

    O ENALTECIMENTO DA OBRA LOGOSÓFICA – ORIGENS E ORIGINALIDADE

    O autor utiliza de alguns recursos para enaltecer sua obra, como afirmações a respeito da originalidade dos ensinamentos proferidos. Uma vez que o individuo demonstrava mais interesse pelos ensinamentos, Pecotche, que se intitula de “Maestro”, sugere também que o interessado faça uma “dieta mental”, para que o aproveitamento dos estudos originais não sejam contaminados pelos comuns. Em um de seus livros, há também a afirmação que a Logosofia é a única ciência capaz de ensinar o homem a conhecer a si mesmo, e refere-se aos interessados como seus discípulos. Mais adiante, Pecotche começa a apresentar ensinamentos mais contundentes contra a religião, principalmente contra o Cristianismo, que ele acredita ser o grande mal da humanidade (ensinamentos só apresentado muito tempo depois do ingresso da Fundação Logosófica).

    Tais estratégias, remetem a conhecimentos já existentes referente a “Psicologia de Massas”, apresentada por Freud no inicio do século XX. Neste estudo, busca-se entender os mecanismos psicológicos que nas “massas artificiais” criam disciplina e devotamento a um líder: O comandante, assume papel de superego, e os seguidores, assim interpretando o líder, passam a obedecê-lo mais ou menos cegamente,e imaginando-se igualmente amados por ele, identificam-se uns com os outros, pois de certo modo são todos filhos do grande pai. Este processo tem como característica: a abdicação da capacidade de pensar por si próprio (adoção do pensamento do Maestro), compartilhamento da doutrina proposta pelo chefe (intercambio de experiências), e entendimento da divisão do mundo em bons (adeptos da nova cultura), e maus (adeptos da grande impostura). Os membros começam a adotar posturas que sozinhos jamais colocariam em prática.

    A estratégia de usar sua doutrina como ciência (em uma clara oposição a religião), e original
    (tentativa de valoração do seu conhecimento), esbarra em algumas observações, como o uso do pseudônimo RAUMSOL, que facilmente é identificada as raízes RA – AUM – SOL, que são três palavras de cunho esotérico, comuns nos lideres de algumas seitas como Gnose, de Samael AUM Weor. As origens de seu método têm raízes esotéricas, e não em campos científicos. Ao promover-se como uma ciência fere o entendimento real de ciência, demonstrando clara manipulação de conceitos e de uma reestruturação do pensamento suspeitas. A questão da originalidade é colocada em duvida quando se
    tem acesso a textos de Gurdjieff, Ouspensky Omraam Mikhaël Aïvanhov e de Madame Blavastsky. Sua forma de expressar denota uma possível relação com outro líder esotérico, Krum FRA Heller (o mesmo Mestre de Samael).
    Podemos destacar alguns trechos de obras e comentários a respeito dos referidos autores, e comparar com que o Pechotche afirma ser “original” Segue um texto sobre autonomia dos pensamentos, de autoria de Omraam Mikhaël Aïvanhov
    (1900-1986) no qual se observa similitude entre o que e de autoria do autor, com os escritos de Raumsol, denotando que provavelmente ambos utilizaram fontes muito parecidas para compor seus conhecimentos:

    “Os pensamentos são entidades vivas; e, consoante a sua natureza, a sua força, a intenção e o sentimento que se introduz neles, eles dirigem-se para determinados objetos ou seres. Alguns não vivem por muito tempo, mas outros subsistem durante séculos e até milênios. Há que considerar cada pensamento como uma criatura que se esforça por viver o máximo de tempo possível, até ao momento em que, já não conseguindo manter-se, morre. Todos os pensamentos da mesma natureza se juntam se reforçam e se amplificam…”

    “…As pessoas não estão habituadas a considerar os pensamentos como entidades vivas, produzidas e alimentadas pelos humanos. É um domínio completamente descurado pela ciência oficial. Só a Ciência Iniciática, que estudou bem a questão do psiquismo humano, sabe que os pensamentos são entidades. Conforme o caso, consoante a pessoa que a projectou, essa entidade pode ser bela, expressiva, inteligente, poderosa, ou então disforme, sem brilho ou mesmo monstruosa. Portanto, “há tantas coisas a dizer sobre os seres humanos como sobre os pensamentos…” (Omraam Mikhaël Aïvanhov)

    Sobre a questão das Leis Universais, encontramos similitudes nos textos atribuídos a Madame Blavastsky e Raumsol, inclusive nas definições dos objetivos da Teosofia e da Logosofia: “Posteriormente, entre outras meditações, fez publicar Ísis sem Véu, em 1877, e A Doutrina Secreta, onze anos depois. Essas excepcionais obras foram substantivamente ditadas por Mestres Ascensionados. Blavatsky é considerada, meritoriamente, a mais importante personagem da Renascença Ocultista do século XIX. Nos Estados Unidos, foi instada a edificar a mundialmente conhecida Sociedade Teosófica (The Theosophical Society), cujas metas estavam ancoradas em três princípios basilares:

    1º Estabelecer a fraternidade universal sem distinção de etnia, credo, sexo, casta ou cor;
    2º Estimular o estudo comparativo das diversas religiões, filosofias e ciências; e
    3º Investigar as Leis Universais (Blavastksky – 1877)

    Os grandes objetivos da Logosofia são:
    • A evolução consciente do homem, mediante a organização de seus sistemas mental, sensível e instintivo;
    • O conhecimento de si mesmo, que implica o domínio pleno dos elementos que constituem o segredo da existência de cada um;
    • A integração do espírito, para que o ser possa aproveitar os valores que lhe pertencem, originados em sua própria herança;
    • O conhecimento das leis universais, indispensável para ajustar a vida a seus sábios princípios;
    • O conhecimento do mundo mental, transcendente ou metafísico, onde têm origem todas as idéias e pensamentos que fecundam a vida humana;
    • A edificação de uma nova vida e de um destino melhor, superando ao máximo as prerrogativas comuns;
    • O desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, com que o método logosófico se transubstancia em aptidões individuais de significado incalculável para o porvir pedagógico na educação da humanidade. (Carlos B.G. Pecotche -1963).

    Percebe-se que enquanto a Teosofia já se preocupava em apresentar as Leis Universais e investigá-las, Pecotche buscava obter, com a Logosofia, o conhecimento de tais leis. Tais textos distam quase um século um do outro. Como se afirmar que algo é original se há um século atrás já existia uma linha de pensamento que abordava tal tema? Certamente Gonzáles Pecotche teve acesso a textos Teosóficos, ou mesmo estudou esta linha de pensamento, que o inspirou em fazer a Logosofia. Reitera-se aqui as bases ocultistas e esotéricas da Logosofia, não tendo nada de cientifico em sua criação e elaboração.

    A Evolução consciente do homem, que também é “algo inovador” na Logosofia, apresenta origens nos trabalhos de Gurdjieff, um ocultista russo. Podem-se constatar nos textos feitos pelos estudiosos de sua doutrina, semelhanças com os pensamentos de Pecotche: Georgii Ivanovich Gurdzhiev (1877–1949), mestre espiritual greco-armênio que permanece uma figura enigmática e uma força crescentemente influente no panorama contemporâneo dos novos ensinamentos religiosos e psicológicos. Assemelhando-se mais com a figura de um patriarca Zen ou de um Sócrates do que com a imagem familiar de um místico Cristão, Gurdjieff era considerado, por aqueles que o conheceram, simplesmente como um incomparável “despertador” de homens. Ele trouxe para o Ocidente um modelo abrangente de conhecimento esotérico e deixou atrás de si uma escola que incorpora uma metodologia específica para o desenvolvimento da consciência.
    A questão do conhecimento de si mesmo, e do uso das faculdades mentais também surge nos textos de Gurdjieff, como podemos observar no seguinte fragmento: Após muitos anos de busca e de prática, ele descobriu respostas e então dedicou-se a colocar o material prático que aprendera numa forma inteligível ao mundo Ocidental. Gurdjieff afirmava que, devido às condições anormais da vida moderna, nós não funcionamos mais de forma harmoniosa. Ele ensinou que para nos tornarmos harmoniosos, devemos desenvolver novas faculdades—ou concretizar potencialidades latentes—através de um “trabalho sobre si”. Ele apresentou seus ensinamentos e idéias em três formas: escritos, música e movimentos, que correspondem ao nosso intelecto, emoções e corpo físico.

    Vale ressaltar que Gurdjieff iniciou sua obra bem antes de Pecotche. Este autor atribuía seus conhecimentos a “sabios” que ele encontrou durantes suas viagens pela Asia, não atribuindo a si a autoria única e exclusiva de seus ensinamentos.
    Além de afirmar autoria e originalidade se sua obra, Pecotche também recorria a certas táticas para impressionar os discípulos, que foram relatadas pelo poeta uruguaio Mario Benedetti.

    Ainda jovem, Benedetti foi convidado por Raumsol para ser seu secretario particular, porem com o passar dos anos, e após varias situações presenciadas, optou por deixar a doutrina Logosófica.
    Segue alguns relatos de Benedetti:

    “Pouco a pouco fui desiludindo. Ele fazia coisas que não tinha nada a ver com a imagem que pregava. Sacava empréstimos e não pagava, fazia os outros acreditarem que nunca ficou doente e um dia encontrei-o desesperadamente aplicando uma medicação durante um ataque de asma.”

    “Em cada reunião fila para apertar as mãos com o Mestre. Uma vez que Raul sentiu um choque elétrico para cumprimentá-lo. “São suas vibrações divinas”, explicou o pai. Tais ‘vibrações divinas’ eram causados na verdade por um pequeno gerador elétrico”

    “Afirmava conhecer todas as línguas, mas pediu-lhe para traduzir a correspondência em Inglês e um dia fingia ler uma carta em árabe feita da esquerda para a direita, como o castelhano” (3)

    CONCLUSÕES

    Perante o apresentado, percebe-se que argumentos relativos a originalidade, não condizem com a fala do autor da Logosofia, e que Carlos Pecotche foi apenas mais um dos seguidores das linhas ocultistas que tomaram conta da Europa e America Latinha no inicio do Século XX. Nesta tentativa de “orientalizar” o conhecimento ocidental, que contou também com doses de ocultismos – surgiram diversas linhas de pensamentos que buscavam seguidores de uma “verdade suprema”. A raiz de todo movimento parece ter sido mesmo a Teosofia, e os demais movimentos parecem ser desmembramentos desta linha de pensamento ocultista.
    Com relação as transformações que opera na vida, não existe suporte cientifico para afirmar- mos que se trata de algo evidente, e logo, cientifico de fato. A adoção do termo “ciência” foi outro equivoco de Pecotche, numa clara tentativa de se opor as linhas religiosas de até então, e se promover como um cientista de uma nova forma de conceber a vida. Só que uma ciência que parte de uma verdade afirmada – a opinião do autor (e não pesquisada – deve se considerar que ciência é a busca da verdade, e não o contrario) não pode ser levada em conta, alem do que, a ciência de fato requer vários pontos de vista, vários autores que confrontem as opiniões em busca da verdade. Fato que não acontece com a Logosofia, que só admite um autor e sugere “dieta mental” para seus seguidores.
    Outra questão importante diz respeito ao comportamento moral de Pecotche. Usar geradores elétricos para se passar por vibrações divinas, além proferir inverdade sobre suas capacidades mentais o torna pouco confiável, e talvez pouco digno de ser seguido.
    Resta saber como os seguidores da Logosofia se apóiam para afirmar que tal doutrina é ciência, e que parâmetros científicos usam para tal fim. Se existissem amostras, grupos controles, adoção dos métodos científicos para avaliar a qualidade de vida de quem seguisse os ensinamentos ocultistas atribuídos a Pecotche, e a evidencia de que este grupo vive melhor em paz com seu espírito, talvez pudessem adotar este terminologia. O que mais preocupa é o fato de estar se idolatrando uma pessoa que apresenta uma gama de conhecimentos como seu, proferindo estratégias de psicologia de massa que podem trazer prejuízos a vida social do ser. Jovens podem ter dificuldades de relacionamento se o namorado (a) não seguirem os ensinamentos, ou não se adaptarem as atividades requisitadas pela fundação logosófica. Reflexões familiares desnecessárias podem acontecer se um filho decide não seguir este mestre de sabedoria, entre outros fatos. O que é importante, e tem que ser deixado bem claro, que o mais relevante seja o aprendizado na vida, o estudo da vida. E que para isto aconteça, seja necessário recorrer a vários autores e estudos. Que não podemos apegar a um único mestre pois a sabedoria, a verdade cientifica e a interpretação do mundo não cabe apenas em uma mente…

    REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS
    1 – Aïvanhov, um Educador da Alma. INSTITUTO DE PESQUISAS PROJECIOLÓGICAS E BIOENERGÉTICAS.
    Disponível:http://ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=Sections&file=index&req=viewarticle&
    artid=24&page=1. Ultimo acesso em 08 de dezembro de 2009.
    2 -Gurdjieff, G. I. SALZMANN, Michel de. Gurdjieff International Review. Disponível em
    http://www.gurdjieff.org/msalzmann1.pt.htm. Ultimo acesso em 08 de dezembro de 2009.
    3- La terquedad Del poeta HABERKORN, Leonardo http://www..gatopardo.com Disponível em:
    http://www.gatopardo.com/numero-82/cronicas-y-reportajes/la-terquedad-del-poeta.html
    Ultimo
    acesso em: 08 de dezembro de 2009.
    4- Mario Benedetti y mi generacion. RUFFINELLI, Jorge. http://www.literatura.us Disponível em
    http://www.literatura.us /benedetti/jorger.html. Ultimo acesso em: 08 de dezembro de 2009.
    5- Perigos da Obediência. MEZAN, Renato. Folha de São Paulo. Caderno Mais. 25 de outubro de 2009

    Responder

  82. Posted by Olympio Silva on novembro 21, 2013 at 10:16 am

    Você são “tapados” assim mesmo, ou fazem tipo? Vocês que se dizem cristãos, mas que de cristão não tem nada, pois, ser cristão é ser semelhante a Cristo, é ter as mesmas atitudes e se basear em Cristo para tudo. Façam um exame de consciência sincero e vejam se estão tomando as mesmas decisões que Cristo tomaria em relação a tudo em suas vidas. Vocês acham que tudo fora “cristianismo” é do diabo. Isso é uma ofensa, não somente aos outros seres humanos que professam outros tipos de fé, mas, também uma ofensa ao próprio Deus, que nunca criou religião nenhuma e ama a todos igualmente, independente se está prostrado diante de uma imagem com uma vela acesa na mão ou numa tribo em volta de uma fogueira. Acordem! Parem com esse tipo de discriminação, vocês não tem suas famílias e os outros as deles, somos todos uma só família neste planeta, independente da fé que é peculiar a cada um. Vocês julgam tudo e todos. Cuidado! O “cristianismo” é a religião mais dividida do mundo, vocês não se entendem nem entre vocês mesmos. Por que será? Dizem que Deus não é Deus de confusão, mas na hora de interpretarem um livro que pra vocês é sagrado e tido como o desejo de Deus para o ser humano, cada um tem a sua interpretação. Isso não é confuso?! Mude a si próprio, primeiramente. Não empurrem Jesus goela abaixo das pessoas, pois elas apenas se engasgam e o cospem! Por isso o cristianismo é o fracasso que é!

    Responder

  83. Posted by edcba on dezembro 1, 2013 at 1:29 pm

    Isso é verdade! Logosofia tem uma espécie de bíblia, sim! São fanáticos e arrogantes!

    Responder

  84. Posted by Ricardo Elias on dezembro 2, 2013 at 10:26 am

    O Sr. esta profundamente enganado. Deus é o Creador, Jesus é a palavra do Creador e a logosofia nos ajuda a descobrir como sermos melhores e a despertar todas as nossas potencialidades, inclusive descobrir que Deus habita em nós mesmos.

    Responder

  85. Posted by Davi on fevereiro 9, 2014 at 1:31 pm

    A logosofia é uma seita do movimento teosofico que se desligou das suas raízes.

    “Quase um século antes de González Pecotche utilizar a palavra Logosofia, houve na França uma revista intitulada “l’Aurore Du Jour Nouveau” amplamente disseminada no meio gnóstico-cristão e que era dirigida por uma discípula de Blavatsky chamada Marie Caithness (Duquesa de Pomar) que propunha-se ensinar Logosofia, exatamente, que assim era definida pela discípula de Blavatsky: “A Logosofia é a ciência do Logos ou Cristo, tal como nos foi transmitida nas doutrinas esotéricas dos sábios da Índia e dos filósofos gregos e alexandrinos…”. Isto pode ser confirmado no capítulo XIX do livro “o Teosofismo”, de René Guenón, filósofo e pesquisador Francês.”

    “Quando jovem ele foi rosacruz, tendo chegado a escrever uma carta chamando o esoterista Krumm-Heller de “muy querido Maestro”, a qual se encontra no prólogo do livro Logos-Mantram-Magia do referido autor, que tinha ainda pai e avô maçons do mais alto grau na Argentina e inicialmente fazia Logosofia de forma gnóstica e cristã publicamente através das revistas Aquarius, chegando a escrever que o objetivo da Logosofia era ensinar e revelar os verdadeiros valores, significado e princípios esotéricos do “Divino Maestro Jesus”, como consta na revista Aquarius do ano de 1933 editada por González Pecotche, em seu texto intitulado “misión raumsólica”.

    Como podemos ver, diferente da grande impostura que os discípulos de Raumsol estão querendo criar, não foi ele que criou a logosofia. Ele apenas usou algo que já existia, falava de maneira esotérica, como exemplo dando o nome de aquarius, relacionado com a era de aquuarius e ainda falava de Jesus para atrair pessoas. Depois rompeu com a linha esotérica, mas não teve nem a decência de citar a verdadeira origem e objetivo da logosofia. Mas os atuais dirigentes da fundação logosofica fazem um trabalho bem feito para esconder estes fatos dos interessados e até mesmo dos novos discípulos.

    Sem dizer que apesar de fazerem palestras e próprio site da fundação chamarem a logosofia de ciência, não seguem o método científico, não há publicações de outros autores, e nem questionamentos sobre os estudos. E é perceptível a adoração que os discípulos fazem de Raumsol, colocando o mesmo e seus livros como perfeitos.

    O escritor uruguaio Mario Benedetti, que foi secretario pessoal de Pecotche, tendo até morado na casa do mesmo, e que o conhecia bem, viu que Pecotche era um enganador, uma farsa.Benedetti disse: “Poco a poco me fui desilusionando. [Raumsol] Hacía cosas que no tenían que ver con lo que se suponía que era. Sacaba préstamos que no devolvía, estafaba, le hacía creer a la gente que nunca se enfermaba y un día lo encontré aplicándose desesperadamente un medicamento durante un ataque de asma. Decía saber todas las lenguas pero me pedía que le tradujera la correspondencia en inglés; un día fingió leer una carta en árabe pero lo hizo de izquierda a derecha, como si fuera castellano; sus «vibraciones divinas» eran provocadas por un pequeño generador eléctrico. Yo pensaba que era un tipo superior y resultó ser un fraude.”

    A situação da logosofia é tão decadente, pois a mesma falha pela base; que um ex estudante deve que se desligar da fundação e fazer criticas em um blog, pois lá dentro da fundação qualquer tentativa de questionamentos é sufocada, por fariseus logosóficos.

    referências:
    – livro Logos-Mantram-Magia, do esoterista Krumm-Heller
    – capítulo XIX do livro “o Teosofismo”, de René Guenón, filósofo e pesquisador Francês.”
    – revista Aquarius do ano de 1933 editada por González Pecotche, em seu texto intitulado “misión raumsólica”.
    http://es.wikipedia.org/wiki/Usuario:Rosarino/Cr%C3%ADticas_a_Carlos_Bernardo_Gonz%C3%A1lez_Pecotche
    – criticas a logosofia, Janus.

    Responder

  86. Posted by Davi on fevereiro 9, 2014 at 2:11 pm

    Além de enganarem religiosos, essa farsa engana até pessoas do meio acadêmico; fazendo-os a acreditar que a logosofia é uma ciência, com ensinamentos originais. Por meio de uma “dieta mental” que o método sugere, fazem uma verdadeira lavagem cerebral, enganando até mesmo pessoas de bem. Por isso não apenas cristãos, mas qualquer religioso de qualquer religião deve ficar bem longe dessa seita anticristã e antirreligiosa. Isso também vale para pessoas do meio acadêmico, principalmente aos jovens. Para aqueles que tem interesse por temas espirituais, metafísicos, sobre a mente e comportamento humano, já temos um grande leque de ciências de verdade e estudos sérios e milenares, como a filosofia, teologia, antropologia, psicologia, psicanálise, entre outros, não precisamos dessas pseudociências, seitas antirreligiosas e religiões disfarçadas de ciência.

    Para provar o quanto a logosofia é uma farsa, mostro os seguintes itens:

    * “Quase um século antes de González Pecotche utilizar a palavra Logosofia, houve na França uma revista intitulada “l’Aurore Du Jour Nouveau” amplamente disseminada no meio gnóstico-cristão e que era dirigida por uma discípula de Blavatsky chamada Marie Caithness (Duquesa de Pomar) que propunha-se ensinar Logosofia, exatamente, que assim era definida pela discípula de Blavatsky: “A Logosofia é a ciência do Logos ou Cristo, tal como nos foi transmitida nas doutrinas esotéricas dos sábios da Índia e dos filósofos gregos e alexandrinos…”. Isto pode ser confirmado no capítulo XIX do livro “o Teosofismo”, de René Guenón, filósofo e pesquisador Francês.”
    (Obs: De original não tem nem o nome. Era para ser um estudo com o objetivo de aproximar as pessoas de Cristo, mas hoje esta sendo usado para afasta-las do mesmo).

    * Conhecer a si mesmo: busca filosófica desde Sócrates até a Jung.

    * Passo inicial do conhecimento de si mesmo como sendo observar os movimentos da própria mente, a natureza e tipo de pensamentos que passam por ela: base da Yoga, Budismo, psicologia, etc.

    * Observar e controlar nossos pensamentos, pois são eles que geram nossos atos: fundamento do budismo tibetano, “pensamentos ruins geram atitudes ruins”, “somos o que pensamos”, etc.

    * Existência de um Deus Criador do Universo: tradições monoteístas, porém nestas trata-se de um Deus antropomórfico e temperamental, que age pessoalmente na sua criação.

    * Deus único, porém não antropomórfico, visto como uma consciência cósmica da qual o espírito humano é uma centelha: conceito encontrado na gnose, no esoterismo, inspirado nas tradições orientais em contato com o monoteísmo.

    * Ciclo de vidas a ser cumprido por esta centelha, o espírito, ao longo de uma jornada de existência: temos isto no budismo e filosofias espiritualistas com base nas tradições orientais.

    * Aceitação da existência de Deus, de Leis Eternas que conduzem o Universo, porém não aceitação das religiões como intermediárias entre o homem e Deus, consequente não necessidade das religiões e negação de dogmas como pecado ou redenção, ciência e filosofia como melhor caminho para compreender o que é Deus (o chamado “Deus dos filósofos” em oposição ao “Deus da fé”): ideia central do Deísmo do século XVIII.

    * Ideia de que ao longo desta jornada de existência cumprida pela centelha divina temos que evoluir: tema do budismo e tradições orientais, do espiritismo, ocultismo, gnose, cabala, e presente em muitas filosofias espiritualistas.

    * Ideia de que o que fazemos de ruim ou de bom tem influência não apenas na vida atual, mas também na jornada existencial: conceito presente nas tradições orientais, o chamado Kharma, com algumas diferenças do Kharma do espiritismo cristão.

    * A necessidade de aperfeiçoamento do homem como sendo consequência de seu livre-arbítrio, que igualmente o permitiu não ser perfeito: conceito judaico-cristão.

    * Ideia de que o homem e seu espírito são como pedra bruta que necessita ser lapidada para tornar-se perfeita: imagem retirada da Maçonaria, onde em sua filosofia os defeitos e as imperfeições humanas são as arestas da pedra à serem desbastadas.

    * Religião tomada como Impostura, instituições que fanatizam o homem e atrapalham na evolução da mente humana, geradoras de dogmas que criam obstáculos ao livre pensamento e à ciência: tema central do Iluminismo.

    * Negação de verdades reveladas, superstições e qualquer pretensa verdade que não passe pelo crivo da razão: tema central do Iluminismo.

    * “Não acredite no que digo, experimente por si mesmo”, frase de Buda a qual Raumsol disse de forma semelhante e que muitos estudantes tomam como credibilidade crucial que diferencia a Logosofia das religiões. Para muitos budistas o budismo também não é uma religião, seria uma filosofia.

    ( Os temas tratados pela logosofia já são tratados e abordados há séculos e até milênios, não há nada de inédito; são assuntos conhecidos por qualquer um que se interesse em buscar. Mas Pecotche chama a logosofia de ciência e não cita as referencias? E hoje, os discípulos querem apresentar a logosofia como ciência, mas não respeitam o método científico? Se fosse tão simples assim qualquer um poderia fazer isso, mas não é! Existem regras, normas, técnicas, métodos etc.).

    referencias: http://criticasalogosofia.blogspot.com.br/

    Responder

  87. Posted by Leilani Falconi on maio 1, 2014 at 10:19 am

    O grande problema é acharem que Jesus é Deus. Daí a grande confusão. Jesus foi um personagem histórico, se é que de fato existiu.

    Responder

  88. Posted by Zildo Silva on novembro 24, 2014 at 5:55 pm

    Diferente do que dizem a logosofia não foi criada por Pecotche, ele apenas se utilizou de algo que já existia. Pois quase um século antes de González Pecotche utilizar a palavra Logosofia, houve na França uma revista intitulada “l’Aurore Du Jour Nouveau” amplamente disseminada no meio gnóstico-cristão e que era dirigida por uma discípula de Blavatsky, chamada Marie Caithness (Duquesa de Pomar) que propunha-se ensinar Logosofia, exatamente, que assim era definida pela discípula de Blavatsky: “A Logosofia é a ciência do Logos ou Cristo, tal como nos foi transmitida nas doutrinas esotéricas dos sábios da Índia e dos filósofos gregos e alexandrinos…”. Isto pode ser confirmado no capítulo XIX do livro “o Teosofismo”, de René Guenón, filósofo e pesquisador Francês.
    E, por “coincidência”, no começo Pecotche fazia Logosofia de forma gnóstica e cristã publicamente através das revistas Aquarius, chegando a escrever que o objetivo da Logosofia era ensinar e revelar os verdadeiros valores, significado e princípios esotéricos do “Divino Maestro Jesus”, como consta na revista Aquarius do ano de 1933 editada por González Pecotche, em seu texto intitulado “misión raumsólica”. A bibliografia logosofica é divida em duas, e na antiga, há até um livro chamado Perolas Bíblicas, porem tanto este livro, como todos outros, incluindo os artigos da época da escola esotérica é “escondido” do publico, até mesmo os novos discípulos não tem contato este material. Agora porque os dirigentes e discípulos mais antigos escondem isto do publico? Outro mistério é o motivo pelo qual Pecotche mudou a obra, e dizem que ele até pediu para colocarem fogo nos livros antigos. Há relatos que ele falava com uma linguagem esotérica e até mesmo de Jesus apenas para atrair pessoas. Ou seja, ele as enganava.
    Outro fato que eles escondem é que ele vinha de uma família de maçons (seu pai e avô eram maçons do mais alto grau na argentina); quando jovem ele foi rosa cruz; sendo até discípulo do esoterista Krumm-Heller, chamando até de “muy querido Maestro”, a qual se encontra no prólogo do livro Logos-Mantram-Magia do referido autor.
    Alguns discípulos de Raumsol perceberam a estratégia de Raumsol de se colocar como o precursor de uma nova humanidade, o maior dos mestres, e romperam como ele. Como exemplo temos o Cristófilo Nageo, criador da verologia.
    Outro caso, é o do escritor uruguaio Mario Benedetti, que foi secretário particular de Raumsol, tendo até morado na casa do mesmo e disse que Pecotche era uma fraude. Depois da experiência de conhecer Pecotche de perto, Benedetti disse: Poco a poco me fui desilusionando. [Raumsol] Hacía cosas que no tenían que ver con lo que se suponía que era. Sacaba préstamos que no devolvía, estafaba, le hacía creer a la gente que nunca se enfermaba y un día lo encontré aplicándose desesperadamente un medicamento durante un ataque de asma. Decía saber todas las lenguas pero me pedía que le tradujera la correspondencia en inglés; un día fingió leer una carta en árabe pero lo hizo de izquierda a derecha, como si fuera castellano; sus «vibraciones divinas» eran provocadas por un pequeño generador eléctrico. Yo pensaba que era un tipo superior y resultó ser un fraude.
    Apesar de chamarem a logosofia de ciência auxiliar de todas as outras, eles não aceitam questionamentos e não a submete a ciência logosofica ao método cientifico.
    Diferente da grande impostura que estão criando chamando a de ciência e dizendo que ela traz “novos conhecimentos”; nem o nome é original, muito menos os assuntos abordados. Muito do que a logosofia diz ensinar, já era ensinado pela teosofia e são conhecimentos universais, que já vem sendo ensinados há séculos e até milênios. Pecotche, apenas mudou alguns nomes e fez algumas adaptações:

    * Conhecer a si mesmo: busca filosófica desde Sócrates até a Jung.

    * Passo inicial do conhecimento de si mesmo como sendo observar os movimentos da própria mente, a natureza e tipo de pensamentos que passam por ela: base da Yoga, Budismo, psicologia, etc.

    * Observar e controlar nossos pensamentos, pois são eles que geram nossos atos: fundamento do budismo tibetano, “pensamentos ruins geram atitudes ruins”, “somos o que pensamos”, etc.

    * Existência de um Deus Criador do Universo: tradições monoteístas, porém nestas trata-se de um Deus antropomórfico e temperamental, que age pessoalmente na sua criação.

    * Deus único, porém não antropomórfico, visto como uma consciência cósmica da qual o espírito humano é uma centelha: conceito encontrado na gnose, no esoterismo, inspirado nas tradições orientais em contato com o monoteísmo.

    * Ciclo de vidas a ser cumprido por esta centelha, o espírito, ao longo de uma jornada de existência: temos isto no budismo e filosofias espiritualistas com base nas tradições orientais.

    * Aceitação da existência de Deus, de Leis Eternas que conduzem o Universo, porém não aceitação das religiões como intermediárias entre o homem e Deus, consequente não necessidade das religiões e negação de dogmas como pecado ou redenção, ciência e filosofia como melhor caminho para compreender o que é Deus (o chamado “Deus dos filósofos” em oposição ao “Deus da fé”): ideia central do Deísmo do século XVIII.

    * Ideia de que ao longo desta jornada de existência cumprida pela centelha divina temos que evoluir: tema do budismo e tradições orientais, do espiritismo, ocultismo, gnose, cabala, e presente em muitas filosofias espiritualistas.

    * Ideia de que o que fazemos de ruim ou de bom tem influência não apenas na vida atual, mas também na jornada existencial: conceito presente nas tradições orientais, o chamado Kharma, com algumas diferenças do Kharma do espiritismo cristão.

    * A necessidade de aperfeiçoamento do homem como sendo consequência de seu livre-arbítrio, que igualmente o permitiu não ser perfeito: conceito judaico-cristão.

    * Ideia de que o homem e seu espírito são como pedra bruta que necessita ser lapidada para tornar-se perfeita: imagem retirada da Maçonaria, onde em sua filosofia os defeitos e as imperfeições humanas são as arestas da pedra à serem desbastadas.

    * Religião tomada como Impostura, instituições que fanatizam o homem e atrapalham na evolução da mente humana, geradoras de dogmas que criam obstáculos ao livre pensamento e à ciência: tema central do Iluminismo.

    * Negação de verdades reveladas, superstições e qualquer pretensa verdade que não passe pelo crivo da razão: tema central do Iluminismo.

    * “Não acredite no que digo, experimente por si mesmo”, frase de Buda a qual Raumsol disse de forma semelhante e que muitos estudantes tomam como credibilidade crucial que diferencia a Logosofia das religiões. Para muitos budistas o budismo também não é uma religião, seria uma filosofia.
    Os estudantes de logosofia desprezam Jesus e outros grandes mestres e acusam as religiões de causar a decadência de nossa cultura. Algo que pode ser comprovado no livro Origem da grande impostura, do estudante de logosofia Paulo Galvão.
    O objetivo da logosofia é promover uma cultura anticristã. Mas em seus cursos e palestras eles passam uma imagem de afeto e respeito para atrair mais adeptos. Promovem concursos culturais em escolas e universidades oferecendo prêmios, tudo para conquistar mais adeptos, principalmente jovens. No método logosofico, eles sugerem uma dieta mental, onde o interessado é aconselhado pelo seu preparador há não tomar contatos com os livros e autores.

    Responder

  89. Posted by alexandre dos anjos on abril 9, 2015 at 8:07 pm

    2 Timóteo C. 4:3
    Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: