Quem São os Verdadeiros Cristãos-Evangélicos ou Católicos


 
Por  Geraldo Januário de Souz
 

"Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela"Senhor Jesus Cristo, Mt-16.18

Quem São os Verdadeiros Cristãos? Evangélicos ou Católicos?

A Igreja Católica Romana é o Maior Ramo Apóstata de Toda a História do Cristianismo. 

Foram eles que saíram do nosso meio,e não o contrário,como freqüente-mente afirmam!
"Ora,o Espírito afirma expressamente que,nos últimos tem-pos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consci-ência, que proíbem o casamento e exigem abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos, com ações de graças, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável, porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificado" – 1ªTm-4.1a5

Triste e lamentavelmente, o mundo inteiro está contaminado por falsos con-ceitos, idéias e informações. Principalmente no que diz respeito ao que realmente seja uma vida espiritual sadia. 

Escancaradamente culpada pela grande senão pela maior parte destes conceitos equivocados, se encontra, assentada sobre toda a sua riqueza, a Igreja Católica Romana. 

Este ramo apóstata e traidor do Cristianismo, por séculos, tem não somente ofuscado a visão do mundo em relação ao conhecimento da Verdade, como tem, repetida e insistentemente, propalado mentiras. 

Porém, antes de delinearmos algumas das mentiras da traidora Igreja dos Papas, falaremos sobre a Verdade. 

Quando aqui esteve, em carne, o Senhor Jesus Cristo convidou doze homens, de antemão por Deus escolhidos, para que fossem os primeiros discípulos do Mestre. 

Para que se cumprissem as Escrituras, Judas Iscariotes levou a cabo a traição contra o Senhor, traição esta já anteriormente anunciada por Deus nas Escrituras. 

Em seu lugar tomou posição o apóstolo Matias que, juntamente com os outros onze apóstolos, formou o primeiro corpo de homens missionários a serviço de Deus. 

Em absolutamente nenhum lugar das Escrituras se pode verificar qualquer es-pécie ou tipo de primazia de um apóstolo sobre outro. Pouco tempo depois, já após a morte e a ressurreição do Senhor Jesus, Saulo de Tarso foi chamado por Cristo para o apostolado. 

O apóstolo Paulo, segundo a Bíblia, foi o mais ativo dentre todos os apóstolos. Foi o que maior número de Epístolas escreveu, e não pertencia ao grupo inicial dos doze. 

Outros apóstolos foram sendo, por Deus, acrescentados ao corpo da Igreja, o Corpo de Cristo, e assim se multiplicavam os primeiros discípulos do Reino de Deus.
Em um solene momento,o Senhor Jesus Cristo anunciou e declarou a edifica-ção e a posição da Igreja que acabara de estabelecer. Igreja vem do vocábu-lo grego "ekklêsia", e significa:"chamados para fora", dando o Senhor a entender o grupo de homens e mulheres chamados por ele para fora do sistema corrupto, pervertido e injusto do mundo. 

" Indo Jesus para as bandas de Cesaréia de Filipe,  perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista outros: Elias; e outros: Jeremias, ou algum dos profetas. Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou?Respondendo Simão Pedro,disse:Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és,Simão Barjonas,porque não foi carne e sangue quem to revê-lou, mas meu Pai que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus:o que ligares na terra,terá sido ligado nos céus;e o que desligares na terra, terá sido desligado nos céus."-(Mt-16.13a19) 

Naquele momento o Senhor Jesus Cristo revelava, pela primeira vez em toda a história, um mistério oculto por muitos séculos. 

Os judeus que conheciam bem o formato do corpo de servos de Deus, que se encontravam debaixo da Antiga Aliança feita com os israelitas, a descendência de Jacó segundo a carne, estavam agora diante da apresentação do novo cor-po dos servos de Deus, reunidos debaixo do senhorio e da guarda de Cristo. Corpo este que inclui não somente os judeus, mas igualmente os não judeus provenientes de todas as nações. 

Em sua declaração o Senhor Jesus Cristo se utilizou de uma bela combinação e uso das palavras.Ele disse:"Tu és Pedro"(do original grego,petros,que signifi-ca pedra), "e sobre esta pedra" (do grego, petra, que significa uma grande rocha) "edificarei a minha igreja". 

A referência é inequívoca em relação ao fato do Senhor Jesus estar afirmando que realizava uma obra de construção de um corpo de servos sustentados e firmados sobre ele próprio. Como qualquer casa para ser firme precisa estar fundada sobre terreno forte e resistente, todas as pedras (petros) do templo de Deus, a igreja, necessitam de estar sobre a grande e forte rocha (petra) que é Cristo. Assim, o Senhor, naquele momento declarou que sobre Ele, por Ele sustentados e estruturados,sua igreja era edificada.Logo a Pedro foi declarado e revelado que ele fazia parte do templo de Deus, o corpo de Cristo, assim como uma pedra faz parte da construção e formação de uma casa, fundamen-tado sobre a grande rocha e o grande fundamento e sustentáculo da igreja, ele, o Senhor Jesus. 

Em seguida, disse a Pedro(petros):"dar-te-ei as chaves do reino dos céus" sig-nificando a autoridade dada ao cristão pelo Dono da casa e pelo edificador de sua própria casa, a igreja. 

É fundamental que se entenda que o Senhor estava revelando a seus discípu-los naquele momento o mistério divino da obra que empreendia,isto é,a cons-trução de um templo,não feito por mãos humanas,a igreja,formada por homens e mulheres, criados pela mão de Deus, para a Sua habitação pelo E.Santo. 

Como toda casa que se constrói, sobre o seu fundamento colocam-se as pe-dras, uma a uma, até que a casa esteja pronta e completa. 

Assim foi por Jesus Cristo iniciada a construção do templo vivo de Deus, a igreja. 

Esta mesma igreja, composta pelos verdadeiros cristãos, os que estão firma-dos,pela mão do construtor,Deus,sobre a Rocha,o Seu Filho, se multiplicaram e continuam a se multiplicar até o presente momento,e assim continuará sendo até que a casa seja completada. 

Os cristãos têm atravessado toda a história, passando pelo Império Romano, pela Idade Média, pelo período Absolutista, pela tempestuosa história das nações asiáticas e africanas, atravessando o período da Revolução Industrial, o Período Moderno e Pós-Moderno até os nossos dias. A igreja do Senhor Jesus Cristo é a mesma e única igreja cuja edificação teve início quando da presença do Filho de Deus entre os homens, o Emanuel, que significa Deus conosco. 

Esta igreja, composta pelos verdadeiros discípulos e filhos do Senhor Jesus, continuará a crescer até que ele retorne para buscá-la, como prometeu. 

Porém, como já anteriormente por Deus revelado, seu retorno acontecerá somente após o cumprimento de todas as profecias bíblicas que falam de acontecimentos que haveriam de ter lugar antes do grande dia da sua volta. E uma dessas profecias diz respeito a uma lamentável e danosa ocorrência: a apostasia. 

" Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos alguns apostatarão da fé,por obedecerem a espíritos enganado-res e a ensinos de demônios,pela hipocrisia dos que falam menti-ras, e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento e exigem abstinência de alimentos, que Deus criou para serem recebidos,com ações de graça,pelos fiéis e por quan-tos conhecem plenamente a verdade;" – (1ªTm-4.1a3) 

Apostasia, segundo a Bíblia, significa o abandono da doutrina de Cristo. Pode também, significar o abandono da fé em Cristo. Ambas as situações, porém, se complementam e configuram o estado de apostasia ou apóstata. 

Em um enorme mundo, com muitas nações, tribos, povos, raças, línguas e dialetos, a igreja de Cristo só pode ser vista em sua unidade essencial e numérica a partir dos céus. Em outras palavras, apenas Deus possui o poder de visualizá-la pedra (petros) por pedra formando o todo unitário do templo divino.Com relação aos homens, somente o discernimento espiritual concedido pelo Espírito de Deus pode nos habilitar a reconhecer um verdadeiro irmão, um filho de Cristo. E esse mesmo discernimento concedido por Deus nos capacita a identificar o verdadeiro e o falso discípulo de Cristo. 

Desta forma, os autênticos cristãos se reúnem nas congregações e compartil-ham entre si as virtudes concedidas por Deus ao corpo de Cristo, a igreja. 

A apostasia, de que fala a profecia bíblica acima citada, já teve início há muito tempo, e a apostasia continua e continuará a acontecer até que Cristo volte. 

Embora não exclusiva da Igreja Católica Romana, a apostasia que lá se deu, e que ainda se dá, é de enormes e impressionantes proporções e catastróficas conseqüências. As conseqüências da apostasia da igreja de Roma são tão graves e danosas a ponto de uma grande parcela da população mundial acre-ditar que aquela é a igreja de Cristo. 

Muitos acreditam na mentira católico romana que assevera que a Igreja Cato-lica Romana é a igreja original e que se mantém original até hoje, enquanto na verdade a Igreja de Roma é justamente o cumprimento da profecia bíblica rela-tiva à apostasia. 

Para um franco início de conversa, a igreja do Senhor Jesus Cristo teve seu início em solo israelita e se multiplicou em direção aos quatro cantos da terra e, biblicamente, não existe sequer uma única referência a qualquer espécie de primazia ou maior importância em relação à igreja de Cristo que se encontrava estabelecida na cidade de Roma. Assim como a comunidade de cristãos integrava espiritual e fisicamente a verdadeira igreja de Cristo, o mesmo se dava em outros lugares do mundo, como em Jerusalém, na Galácia, na Capadócia, na Frígia, na Grécia, em Tessalônica, Corinto, etc. A igreja de Cristo que se formava em Roma, nos primeiros anos após a ascensão do Senhor Jesus, era tanto igreja de Cristo como as outras comunidades irmãs, em todas as cidades do mundo onde o Senhor recolhia para dentro de seu corpo, a igreja, os seus discípulos. Todas essas comunidades de cristãos eram chamadas de igreja, constituindo sua totalidade a grande obra iniciada por Cristo, a sua morada. 

E até onde a história nos permite conhecer, as igrejas do Senhor Jesus, que, juntas, formavam e ainda formam a verdadeira igreja de Cristo, atravessaram muitos anos, mesmo séculos, até que teve início a grande apostasia que fez surgir a que é hoje conhecida pelo nome de Igreja Católica Apostólica Romana, que de apostólica só tem, e indevidamente, o nome. 

Iniciei o parágrafo anterior com "até onde a história nos permite conhecer" pois é amplamente aceito por muitos respeitados estudiosos e historiadoras cris-tãos, que a apostasia que deu à luz a Igreja Católica Romana se deu no século IVDC, com a promulgação pelo imperador romano Constantino de um decreto que reconheceu o cristianismo como uma religião oficial daquele império. 

Não pode restar dúvidas de que a corrupção do caráter de homens inescrupu-losos, ambiciosos, arrogantes e ávidos pela glória e pelo louvor deste mundo tenha sido um fator decisivo para o surgimento de uma liderança eclesiástica inicial que culminou em um gigantesco império religioso, econômico, político e temporal que é a apóstata Igreja Católica Romana. 

Em uma bizarra e grotesca deturpação do Evangelho, lançaram a público as famosas heresias que constituem o carro-chefe da argumentação católico-romana em favor da supremacia e da autoridade (humana) papal. 

Examinaremos aqui as principais heresias do sistema doutrinário apóstata da Igreja Católica. 

Para sustentar o posicionamento de liderança e governo dos papas de Roma, até hoje é asseverado, pelo ramo traidor do Cristianismo, que o apóstolo Pedro obteve do Senhor Jesus Cristo a autoridade de governo sobre a sua igreja na terra. Bizarra mentira. 

Asseveram que o Senhor Jesus escolheu a Pedro como o chefe dos apóstolos e que as chaves do reino dos céus são a autoridade para reinar sobre a igreja. Absolutamente falso. 

E para tornar a argumentação mentirosa ainda mais pervertida, afirmam que Pedro não somente era o príncipe dos apóstolos como também deveria haver uma "sucessão apostólica" para que sempre houvesse quem se assentasse sobre o trono de Pedro. Absurdos e mais absurdos. 

Quando o Senhor Jesus Cristo se dirigiu aos discípulos lhes perguntando quem eles diziam que ele era,e Pedro respondeu:"Tu é o Cristo,o Filho do Deus vivo" e a seguir o Senhor Jesus declarou: "Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai que está nos céus", com isso dava o Senhor a entender o caráter divino e sobrena-tural da igreja, pois a revelação do reino dos céus só pode se dar por meio sobrenatural, pois o reino dos céus é sobrenatural. Significa o governo do Deus invisível sobre todos os cristãos. Quando Jesus afirmou "não foi carne e sangue quem to revelou",este "carne e sangue"se refere a"humano", significan-do que Pedro sabia que o Senhor era o Filho do Deus vivo por uma compreen-são sobrenatural, não humana, pois "não foi carne e sangue quem to revelou", ie, não foi a mente, a lógica ou o raciocínio humano, mas "meu Pai que está nos céus foi quem to revelou" (a revelação sobrenatural divina). 

Isto se deu para demonstrar que todos os verdadeiros cristãos se encontram em um reino sobrenatural, celestial e divino, o reino de Deus. Reino de Deus ou Reino dos Céus significa toda a esfera espiritual que se encontra sob o domínio e governo de Deus sobre a terra, onde Satanás não pode penetrar, pois foi expulso da comunhão com o Senhor.O Reino de Deus também signifi-ca seu reinado nos céus,sobre toda a criação que nós ainda não conhecemos, pois ainda não entramos no céu. 

Esta declaração do Senhor Jesus a Simão Barjonas foi uma revelação do que é a realidade espiritual da igreja de Cristo. A mesma revelação que Pedro recebeu do Pai com relação ao Filho, é dada a todos os verdadeiros cristãos que compõem a verdadeira igreja. 

Deturpando não somente a narrativa bíblica bem como distorcendo o significa-do das palavras do Senhor, os apóstatas de Roma insistem em dizer até hoje que Pedro possuía preeminência e primazia dentre os demais apóstolos. 

Pedro nunca recebeu nenhuma primazia em relação aos demais apóstolos e o fato do Senhor Jesus ter dito estas palavras a Pedro foi pelo simples fato de terem sido Simão e João, os primeiros seres humanos a serem convidados para o apostolado. Mas esta relação cronológica nada tem a ver com primazia ou governo sobre os demais apóstolos. Vejamos quando o Senhor Jesus chamou seus primeiros discípulos: 

"Caminhando junto ao mar da Galiléia,viu dois irmãos,Simão,cha-mado Pedro, e André, que lançavam rede ao mar, porque eram pescadores.E disse-lhes:Vinde após mim,e eu vos farei pescado-res de homens. Então eles deixaram imediatamente as redes, e o seguiram." – (Mt-4.18a20) 

É pois compreensível e harmonioso que o primeiro discípulo chamado para ser apóstolo, e também o primeiro citado por ordem cronológica, tenha sido o pri-meiro para quem o Senhor disse que seria uma pedra colocada sobre a grande rocha sobre a qual repousa a igreja, rocha esta que é Cristo. 

Não incorre em heresia nenhuma alguém que diga que Pedro foi a primeira pe-dra colocada sobre a rocha, pois o Senhor fez a declaração primeiramente a ele,Pedro,contudo,logo após terminar de falar estas palavras,aquela declara-ção de Cristo, imediatamente se estendia e aplicava a todos os que, durante toda a história, se lhe tornassem discípulos. 

Em outra deturpação,essa sobremaneira forçada,tendenciosa e sutil, procuran-do torcer e manipular as Escrituras, os líderes apóstatas da igreja de Roma afirmavam, como ainda o fazem seus sucessores, que a pedra sobre a qual a igreja está edificada é Pedro e não Cristo. 

Isto já foi comentado anteriormente, e fica mais do que evidente pela leitura das Escrituras que a igreja composta de pedras (petros) se encontra edificada sobre a grande rocha (petra) que é Cristo. E por diversas vezes nas Escrituras o Senhor Jesus é chamado de Rocha, significando o Deus Todo-Poderoso que é o fundamento da igreja: Sl-18.2;Sl-19.14;Sl-89.26;Sl-92.15;Is-44.8;dentre ou-tros versículos bíblicos. 

E o próprio apóstolo Pedro ao escrever, inspirado por Deus, a sua primeira Epístola, assim disse: 

"Chegando-vos para ele,a pedra que vive,rejeitada,sim,pelos ho-mens,mas para com Deus eleita e preciosa,também vós mesmos, como pedras que vivem,sois edificados casa espiritual para ser-des sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo. 

Pois isso está na Escritura:Eis que ponho em Sião uma pedra an-gular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será de modo algum envergonhado.Para vós outros,portanto,os que credes,é a precio-sidade;mas para os descrentes,A pedra que os construtores rejei-taram, essa veio a ser a principal pedra, angular, e: 

Pedra de tropeço e rocha de ofensa. São estes os que tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram postos." – (1ªPe-2.4a8) 

As Escrituras não poderiam ser mais claras. 

Pedro não somente se coloca na mesma posição de todos os demais cristãos, ao afirmar que estes são pedras edificadas sobre a Rocha que é Cristo, bem como afirma que o Senhor Jesus é o fundamento da igreja. Pedra angular e pedra principal significam, nada mais, nada menos, do que o fundamento de uma construção. E aqui, evidentemente, Pedro se refere a Cristo. 

Cai,portanto,por terra, toda a argumentação falaciosa referente a uma suposta supremacia de Pedro como "príncipe sobre a igreja" ou como seu fundamento. 

Impressionantemente, não satisfeitos em atribuir aos líderes da igreja de Roma atribuições que Deus nunca lhe concedeu,ainda passaram a intitulá-los de "Pa-pa" (que significa pai), indo assim de forma abertamente contrária ao manda- mento do Senhor Jesus Cristo que disse: 

"A ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque só um é vos-so Pai, aquele que está no céu." – (Mt-23.9) 

Mas de heresia em heresia, de mentira em mentira, assim foi crescendo e ger-minando sobre o solo pantanoso do mundo a apóstata Igreja Católica Romana

O número e as formas das heresias são muitos. Mas, apenas para citar algu-mas, eis aqui uma breve lista: 

A supremacia do Papa sobre a igreja cristã; a sucessão apostólica; a proibição do casamento; a rígida hierarquia estabelecida, inexistente nas Escrituras, e que consta de Arcebispos,Cardeais,Bispos,Padres, Monges e Freiras, Madres Superiores, etc; a transformação da pessoa de Maria em uma deusa, para quem dirigem súplicas e preces (como se os mortos fossem capazes de ouvir), bem como os falsos atributos que lhe conferiram: Rainha do Céu, intercessora junto a Cristo,Mãe de Deus(que loucura!Como se Deus tivesse mãe);os pedi-dos e preces aos já falecidos apóstolos, os quais não tem nenhuma comuni-cação com este mundo; a invenção de um fantasioso local intermediário de purificação, entre a terra e o céu, o chamado Purgatório; a infalibilidade papal; as famosas e históricas indulgências; as preces pelos mortos; a cumplicidade e a co-participação no sincretismo religioso brasileiro; a multiplicidade de es-tátuas, imagens e bonecos que embora aleguem que não os adoram e nem veneram, o comportamento católico em relação às imagens em nada difere do comportamento das religiões pagãs e politeístas,como o Hinduísmo ou o Bu-dismo; a confissão dos pecados a homens, os padres, ao invés da correta confissão dos pecados ensinada pela Bíblia, que deve ser feita diretamente a Cristoa absurda doutrina da transubstanciação, onde a hóstia se transformaria dentro da boca dos indivíduos, no corpo de Cristo;as canonizações de pesso-as onde os Papas reivindicam para si mesmos, de forma arrogante e blasfema, a autoridade de afirmar quem entra ou quem não entra nos céus; a incrível afir-mação (que chega a soar como anedota) que Pedro guarda as portas do céu; o valor dos sacramentos; o terço; o batismo de recém nascidos; a afirmação de que os reis magos eram três(a Bíblia não fornece o seu número,logo a afirma-ção de que eram três significa desobediên-cia a Deus que, solenemente, orde-na que absolutamente nada seja acrescido aos textos bíblicos originais); as missas pelas almas dos mortos;a cobrança pelos ofícios religiosos;etc,etc,etc. 

Isso ainda sem mencionar as sanguinárias Cruzadas,a Inquisição e as associ-ações da Igreja Católica Romana com a diabólica Maçonaria (no Brasil, basta citar apenas alguns personagens bem conhecidos da História do Brasil: Padre Diogo Antônio Feijó,Frei Caneca,Frei Francisco José de Sampaio,Padre Migue-linho, Padre Roma, etc.)

Para um mundo que jaz na escuridão,alheio às coisas de Deus,qualquer movi-mento religioso que fale em justiça, paz, fraternidade, caridade e amor, pode passar aos olhos da imensa maioria como sendo um movimento agradável a Deus.É o que se dá com o Espiritismo,com o Budismo,Confucionismo, Taoís-mo, Islamismo e Catolicismo Romano. 

Mas então, alguém pode perguntar: Mas os católicos não falam de Deus? Não lhe dizem: Senhor? Não são os católicos, porventura, cristãos como os apóstolos o foram? 

A resposta é dada pelo próprio Senhor Jesus Cristo: 

"Nem todo o que me diz:Senhor,Senhor!entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus." – (Mt-7.21) 

Pode, porventura, alguém que se diz cristão confiar em falsos deuses? Pode um verdadeiro cristão se curvar diante de ídolos e ainda afirmar: eu amo a Deus? 

Onde se encontra o coração do adorador de ídolos? Onde a sua fé? (se é que a possui). 

E o que é ainda mais grave: Como alguém pode ter comunhão com Deus se não o conhecer? E é este o mais grave aspecto da apostasia da Igreja de Roma: a obstaculização ao conhecimento da verdade. 

Com suas liturgias enlouquecidas por uma fantasiosa participação de mortos, pelo ensino da mentirosa purificação no Purgatório, pela idolatria sem limites prestada a imagens e a figuras imaginárias, pela confissão de pecados a homens pecadores e manchados pela iniqüidade, pela submissão ao falso apóstolo e falso representante de Cristo, o Papa, assim a Igreja Católica Romana faz desviar e tropeçar aqueles que desejam a Cristo. Ao invés de trazê-las para junto do Senhor, para mais longe dele as empurram. Mas como poderiam trazer alguém para junto de Cristo, se eles mesmos dele se encontram separados? 

A mesma advertência é aqui aplicável: 

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois, vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando." – (Mt-23.13) 

Os verdadeiros cristãos são aqueles que conhecem ao Senhor Jesus Cristo.
Os verdadeiros cristãos confessam que Jesus é Cristo,pois conhecem a divin-dade de seu Senhor. Os verdadeiros cristãos nasceram de novo, nasceram da água e do Espírito de Deus. Os verdadeiros cristãos são espirituais e andam segundo o que não vêem e não segundo o que vêem. O cristão vive pela fé. O cristão aguarda a sua pátria celestial e eterna, e reconhece sua condição de peregrino e forasteiro neste mundo condenado à destruição. O autêntico cris-tão, filho do Senhor Jesus Cristo, não se curva diante de nada e nem de nin-guém,senão diante de seu Mestre e Senhor,aquele que por nós morreu e res-suscitou. O verdadeiro cristão não ama o mundo inimigo de Deus, mas reprova a conduta injusta,promíscua,mentirosa e hipócrita de uma humanidade que dá desprezo e faz descaso para com o Criador. 

O cristão é um guerreiro que combate consciente de uma vitória já alcançada, por isso sabe que todo o seu esforço não é em vão. 

"Porque tudo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé." – (1ªJo-5.4)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: